Estudo diz que a fibromialgia vem acompanhada de risco de suicídio

Por , em 19.07.2010

Segundo pesquisadores, pessoas com fibromialgia não tem só fibromialgia. Eles alertam os médicos que tratam desses pacientes para ficarem atentos a sinais de depressão e de tendências suicidas.

Pacientes com fibromialgia sofrem de dor generalizada e têm pontos sensíveis que são dolorosos ao toque. Não há cura para a doença e a medicação muitas vezes não é útil. Dessa forma, a dor se torna ruim o suficiente para perturbar a vida cotidiana dos pacientes durante anos. Cerca de 90% das pessoas com a doença são mulheres.

Os investigadores descobriram que o risco de morte por suicídio era dez vezes maior nas mulheres diagnosticadas com esta condição de dor crônica do que na população em geral. As taxas de doenças psiquiátricas também eram mais altas, e foi encontrado um risco maior do que a média de morte por doença hepática e acidente vascular cerebral.

Os autores do estudo dizem que é necessário avaliar os pacientes com a doença para detectar a presença de transtornos psiquiátricos, especialmente transtornos de humor e ansiedade. Mas essas outras doenças psiquiátricas, que muitas vezes ocorrem em conjunto com a fibromialgia, podem não ser a única explicação para as altas taxas de suicídio.

Nenhum dos pacientes do estudo que se suicidaram tinham um histórico de doenças psiquiátricas antes de serem diagnosticadas com fibromialgia. A alta taxa de suicídio pode estar ligada à depressão nesses pacientes, ou a anti-depressivos que são conhecidos por acarretar o risco de suicídio.

Os estudiosos ainda dizem que muitos desses pacientes não tomam os medicamentos anti-depressivos por causa dos efeitos colaterais, ou porque não se sentem deprimidos. A dor pode ser um dos principais motivos para o suicídio em si.

As maiores taxas de suicídio também foram encontradas em quem estava cansado o tempo todo, e muitas pessoas com fibromialgia queixam-se de problemas de sono e fadiga.

Algumas mulheres no estudo morreram de doença hepática. Não está claro o que causou a taxa mais elevada de doença hepática nessas pacientes, mas pessoas com fibromialgia têm maior probabilidade de ter excesso de peso e não podem fazer muito exercício por causa de sua dor muscular, o que os leva a um maior risco de problemas cardíacos. [Reuters]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 3,80 de 5)

40 comentários

  • Joelma Oliveira:

    oi eu acho q estou com a fibromialgia,porque acabei de descobri pelo programa bem estar q esiste essa doenca,e pelo meus sitoma q venho tendo ha 4 anos,eu estou muito triste porque na cidade onde moro,ñ tem recurso pra essa doenca,mais como tenho fé em DEUS creio q vou achar uma solucao.gostaria de saber quais medicos podem tratar dessa doenca?

  • maris30:

    Tenho fibromialgia há 19 anos. Já passei por vários médicos, já tentei tomar vários medicamentos, já fiz vários tratamentos alternativos, já caí em golpes procurando uma solução. Tive 3 crises de depressão severas, tentei o suicídio por 2 vezes. É uma doença cruel, porque a dor e o cansaço são constantes, não dão trégua. Fiquei 5 anos sem conseguir trabalhar, e atualmente estou trabalhando, mas não sei como vou aguentar viver assim.

    • Emile de azevedo paridaens:

      Olá. Tenho desde os 13 anos de idade e estou com 53. Experimente a dieta do Dr. Hay de combinação de alimentos e sem café. Simples e eficiente. 60% da Serotonina é produzida nos intestinos que quando não funcionam bem vem a irritabilidade e a depressão. Foi assim que em 03 semanas dei fim a estes sintomas psíquicos da Fibro e voltei a ter o sono regulado por mais dias na semana. Com a restrição total ao glúten e lactose melhorei 90 % as dores/ hipersensibilidade ao calor/frio e hipotiroidismo.

  • Astral Free:

    ESPAÇO PARA INFORMAÇÕES SOBRE A SÍNDROME E OUTRAS MAIS

    http://solar8.blogspot.com.br/search/label/fibromialgia

    NAMASTÉ

  • Astral Free:

    Quantas pessoas estão buscando ajuda e compreensão segundo a segundo, aprendendo com suas próprias vidas a direcionar esta energia que agora se manifesta também na mudança da energia planetária… em qualquer parte e em Si mesmo deixando recados para que algo se possa manifestar e modificar este estado de alma! Quantos seres estão sensibilizados e já cansados ainda permanecem em busca de uma mudança de sua própria maneira de sustentar-se. Creio que o campo mais extremo é o familiar e social onde as pessoas portadoras de Síndromes ( diversas) não conseguem apoio específico ao que é necessário compreender, isto só pode acontecer por meio do crescimento interior e do Amor incondicional. Sendo ainda uma tarefa árdua por se tratar de situações similares e não comparativas, sem julgamentos e muito além do que se pode compreender em energias.

    É fato a memória medicamentosa que influencia negativamente esta busca e provoca efeitos colaterais absurdos, sem contar o trabalho de jogar fora do organismo por não ser assimilado adequadamente, misturando a outras síndromes em carência, depressão e ansiedade. A primeira fonte de emergência é cuidar de si mesmo independente da aceitação do meio. Ampliar a meditação e compreender a vida em mais aspectos que os apenas físicos. De certa forma é uma proteção para que a Alma possa crescer pela luz e Na Luz. Desejo profundamente a todos uma Paz que possa adentrar a Alma e ampliar a condição da vida, fazendo da dor a menor parte deste processo e encontrando em energia a melhor manifestação desta luz. Ela existe e está dentro de cada um de nós, atemporalmente e favoravelmente a nossa condição de nos doarmos entre aqueles que desejam receber a doação.

    Terapiastral/Solar8

  • Alisson Souza:

    diferente da maioria que é mulher dou meu depoimento, tenho 37 anos a 8 meses tenhos sintomas mas nenhum medico me dignosticou,apos uma partida de futebol, fraturei minha fibula, e fiquei internado para fazer uma cirurgia, sempre tive ansiedade mas não ao ponto de causar algum dano a minha saude,na cirurgia foi tudo ok, mas apos 4 dias comecei a ter palpitaçoes e falta de ar, fui diversas vezes ao medico e nenhum bendito sabia o que era fiz varios exames e nada e sempre piorando, quando comecei a ter dores nas costas e peito, cansaço facil e quando fazia esforço meu coraçao disparava de uma maneira surpreendente e tome mais exames, fiz de tudo que se pode imaginar mas nada, até hoje estou querendo passar num clinica fisiatrica que cuida de dor.Mas sinceramente é insuportavel as dores, incomodo, pessoas que nãõ entendem, sonolencia, sem dormir, frio, MAS EU NÃO ME ENTREGO SEMPRE IREI BUSCAR A DEUS POIS É O UNICO QUE IRA NOS SALVAR. OBRIGADO A TODOS.

    • Cristina Biase:

      você já procurou um reumatologista? Se for fibromialgia só ele é que vai descobrir.

  • Marcia Dos Santos Ramos:

    imfelizmente eu não desejo nem pra meu pior inimigo,porque e horrorivel descobri que eu tenho essa doença.

  • Roseli:

    Fui diagnosticada com fibrio há menos de um ano. Tento todos os dias esquecer as dores. Me arrumo bem e faço o que gosto para superar.
    Tenho dois filhos, trabalho, sou dona de casa e tudo isso requer de mim, agilidade e desempenho. Porém, tem dia que acordo sem conseguir erguer a xícara do café.
    Sonolência, desânimo e as dores, já fizeram eu abandonar meu curso de pós-graduação e meu ourtro emprego.
    As dores de ouvido são horríveis, como as retenções matinais e a irritabilidade, que tem me afastado do meu marido.
    Acho que vou procurar um médico homeopata, não quero tomar antidepressivos.

  • Silvia ferreira:

    Recentemente fui diagnosticada com fibromialgia, e as dores que sinto estão acabando psicologicamente comigo. As vezes penso em quanto tempo ainda vou aguentar já que os remédios parecem não fazer efeito.

  • Ines:

    tenho 29 anos,e sofro com dores nas juntas todos os dias,fica tudo inchado,tenho problemas para dormir.Fiz exames para ver se era reumatismo,artrite,essas doenças que atingem as juntas,e tudo deu normal,tomo varios analgesicos e nada alivia as dores,esta sendo muito dolorido para eu trabalhar.Agora estou desconfiada que tenho fibromialgia,vou procurar novamente o medico,preciso descobrir o que tenho.

    • Maria Das Caetano Pereira:

      eu tbm tenho essa doença ,faço tratamento cm reumatologista ate que melhorou muito usando ant depressivo e ant inflamatorio nao estou cem por cento mas sei q chego la, o pior e a caminhada que tenho q fazer tres vezes por semana doi demais nao estou aguentando no primeiro dia da semana vai bem mas os outros eu desisto ,tenho fe em Deus q consiguirei vencer ,tentem procure o profissional certo .quanto os quilinhos a mais agente segura a boca ,vale a pena.

  • Neusa:

    Tenho 49 anos e um filho de 21 anos que estuda e depende de mim. Sou “chefe de família” e trabalho o dia inteiro. Tenho que ter muita FIBRA, pois tenho fibromialgia há quase 20 anos.
    Atualmente , piorou muito. A auto-estima fica péssima, pois não temos como mascarar o problema.È um suplício viver com dores o dia inteiro, não dormir direito, acordar com fadiga e não ter ânimo para NADA.
    Qualquer tempo livre eu desmorono numa cama. Não vou ao salão, nem academia, não dá para ter vida social com dor crônica e cançaso sem fim.
    A vida amorosa fica comprometida. Varias vezes tentei voltar para a academia, mas está acima das minha forças. O pior é que ninguém nos dá credibilidade: somos a preguiçosas e enroladas, apesar do esforço sobre humano para produzir e cumprir horários e compromissos.
    Ainda faltam uns 5 anos para me aposentar e me pergunto como vou aguentar o tranco até lá. Nada de licenças e atestados, afinal ninguém entende nada da doença.
    Nos passam analgésicos, fisioterapia , acumputura e recomendam atividade física. Como fazer exercícios , meu Deus.
    Sempre tive uma vida de muitas lutas e superações, me considero uma forte, uma sobrevivente. Acho que, se tive muitos pecados, já paguei por todos eles, sofrendo com FIBROMIALGIA.Compreendo o que todos vocês sentem, pq sinto também.
    Me corta o coração, meninas tão novas, já sofrendo com Fibromialgia. Deus , a medicina, a família e o INSS tenham piedade de nós!

    • Cristina Biase:

      Neusa eu tenho 42 e estou desempregada já não sei em que posso trabalhar com essa doença já pensei em tudo até voltei a estudar.

  • Joana:

    Tenho 14 anos e tambem me foi diagnosticado esta doença! 🙁
    É muito complicado pra mim ter isto, pois sinto-me diferente de todos e algumas pessoas fazem-me sentir inferior devido a coisas que nao consigo nem posso fazer.Estou-me a referir por exemplo às aulas de educação fisica, o prof. nem com atestado medico, nem depois de eu lhe ter explicado que tinha esta doença ele entende. Eu sei que nao e facil para as outras pessoas entender esta doença mas podiam ao menos respeitar-nos em vez de nos esforçarem a fazer os exercicios. Há dias em que estou mais cansada e que nao consigo fazer a aula e tenho logo que ouvir sermoes da parte dele a dizer que nao me esforço e bla bla bla e ainda me manda cmu castigo trabalho de casa para fazer. Pessoas que não têm um minimo de senso! 🙁
    Alem de ter este problema alguns anos tenho tb depressao, comecei a ter os primeiros sintomas aos 5/6 anos de idade mas nao fui ligando, ate que a 1 ano ou 2 fui ao medico e entao e que comecei a ser tratada. Tentei-me matar 2 vezes, nao tem sido facil.
    Bem, tenho falado com varias que tem tb Fibrio e é uma grande ajuda para mim, elas ensinaram-me que nao e por termos isto que somos diferentes dos outros, apenas temos de encontrar uma rotina em que nos adaptamos. Gente: força, sim? É um grande obstaculo que temos de superar na vida mas vocês conseguem! NÓS SOMOS FORTES!

    • Fabiana Murer:

      olá joana, gostei de saber q hj está mais forte e sei bem o que é ter dores desde a infancia, a fibro foi diaginotica em mim ha 9 anos eu tenho 29 anos. vou te passar um link de um grupo q participo no face, lá vc pode falar e conversar sobre tudo, somos todoas iguais. um beijo pra ti.https://www.facebook.com/groups/493785250648015/?ref=ts&fref=ts

      e sempre mesmo fracas, lutamos e não importa o que digam nós sabemos a nossa realidade e um dia saberão tbm.

    • Paula.l:

      Olá, Joana!
      muito cedo, ainda criancinha, qdo comecei a perceber a vida, a percepçao da dor, fadiga, febre baixa todo o tempo, falta de força para educaçao física e brincadeiras infantis, somado a muitas outras coisas durante toda uma vida levaram a este infeliz diagnóstico de fibromialgia apenas há meros 4 anos atrás; e eu tenho 50 com cabecinha adolescente ainda. tenho 3 filhos lindos, uma neta, zero de barriga e mta dor da cabeça aos pés, mas não me entrego.sei que nao posso fazer mto, mas o que posso eu faço. me ajudo, ajudo as pessoas que sofrem tb, compro a briga dos que sofrem e nao me deixo quebrar gosto de filmes, seriados, pesquiso mto na net e vou vivendo. tb sofri mto preconceito a vida toda, mas agora nem escuto mais. quero e vou viver, apesar e além da fibro. um abraço.
      ps: minha mão já cansou.

  • francisca:

    tenho 44 anos e ha 4 me foi diagonisticado a fibrio,mas tenho dores desde os meus 6 anos e sempre fui uma pessoa diferente das outras , meio esquesita , com simtomas que nao faziam sentido, e aos 44 me dizem que tenho esta maldita doenca , todos os dias penso em por fim a min ha vida , pois as dores e sintomas estao no corpo todo 24 h por dia é horrivel.posso lhe dizer alguns sintomas.

    dor de cabeca cronica
    dor pelo corpo todo
    alergia a alimentos e produtos
    frio
    sintoma de pes inquietos
    dores abdominais
    inchaco no corpo todo
    esquecimento
    desiquilibrio
    insonias , nao consigo dormir , nem com medicacao
    incontinencia
    dores e sangramento horrivel, na altura da menstruacao
    irritabilidade
    sempre nervosa
    dores nos ouvidos
    vejo cada dia menos e há dias que nao vejo quase nada
    é me dificil por vezes entender certas conversas , sinto-me confusa
    falta de abilidade , coisas que fazia com os olhos fechados , agora ja nem sei como se faz
    Ja me aconteceu tambem muitas vezes ir a algum sitio com o meu marido , sitio conhecido , e nao reconhecer o local, é de doidos
    tambem me acontece ir a passear na rua e vou sempre de encontro as pessoas
    tenho enjos
    dor forte de estomago
    agora ate tenho umas bolas de carne que me aparecem no corpo, primeiro foi no joelho esquerdo e agora ja tenho pelo corpo todo
    o meu marido nem me pode tocar , que me doi tudo
    ate o lencol na cama nao me pode tocar , e tocar com uma perna na outra?impossivel é só dores
    bem se fosse dizer tudo nao saia mais daqui , e eu nem ao pc posso estar pois fico com dores horriveis no pescoco.
    abracos e coragem .

  • vilma:

    tenho fibrio a 4 anos sofro muito , dores constantes, remédios tdo momentos enjeçãonão sei mas o q possa acontecer, mas confio em deus pq ele sabe o quanto sofro, as vezes pensei em desistir de td e de tdos, mas não sei mai até quando aguentarei

  • Ana Aparecida Pereira de Carvalho:

    Estou com fibromialgia há l7 anos mas,só foi diagnosticado em dezembro de 2001.Fiz então tratamentos com remédios para depressão, calmantes, relaxantes e outros .Foi em vão de nada valeu, então, através da fé pedi ao Senhor algo para ao menos suavisar meu sofrimento.Não demorou muito, em setembro de 2002 comprei um vinho, o qual, tem nove anos que tomo durante o almoço e repouso por uma hora ou uma hora e meia, e quando me levanto estou muito bem graças a Deus. Desde esta epoca não tomei mais nenhum dos cinco medicamentos que tomava. Durmo bem, quase não tenho dor, fadiga e minha dor de cabeça sumiu por completo. Segundo alguns médicos que consultei dissera-me, que o vinho tem a substancia Seretonina que, ás vezes falta no nosso organismo.

    • francisca:

      quero receber novas noticias de pessoas que tem esta doenca , pois eu tambem tenho e nao sei com quem falar.

    • Fabiana Murer:

      https://www.facebook.com/groups/493785250648015/?ref=ts&fref=ts

      é um grupo q participo, la vc vai encontrar pessoas iguais a nós, que somo um pouco diferentes devido a essa doença horrivel, mas sei q la vc encontrará informaçoes em como se tratam e poderá tbm conversar, bjos e força sempre, porque precisamos.

    • Nataniel Ferreira:

      olá a minha namorada esta com a fibro, e eu quero muito a ajuda ela , você pode me passa o nome do vinho que vc toma ?
      muito obrigado!

  • juliano garcia:

    Tenho 30 anos sofro com uma dor no pescoço desde 2003, desde que tinha 22 anos,tenho muita sensibilidade ao frio, a dor e insuportavel 24 horas por dia nos periodos de crise,mais não tenho dores em outras partes do corpo e nem me sinto cansado, sera que meu quadro e de fibromialgia.

    • Sara Silveira:

      Olá Fabiano, fui diagnosticada com fibromialgia e também só sinto dores na região da cervical 24 horas por dia.

  • Claisa:

    Tenho fibromialgia, e desde que fiquei doente meu marido me despreza, pois toda as vezes que ele quer carinho eu não tenho animo para namorar. Portanto sou desprezada, e o desprezo doi mais que a fibro. Me isolei do mundo, as vezes estava conversando com uma pessoa e esquecia o que estava dizendo elas riam na minha cara. Eu me odeio, eu não sou gente, me sinto um monstro, feia, semblante caido, ridiculaetc,etc…. Não sei mais o que fazer.Bjs.

    • Fabiana Murer:

      https://www.facebook.com/groups/493785250648015/?ref=ts&fref=ts

      é um grup q participo, sei q se vc entrar nele, conseguirá falar sobre seus problemas , porq somos todas iguais la, e nos ajudamos de certa forma. ter isso q vc mencionou é normal infelizmente na fibro, perda da libido e a pela doi tanto q nem ser tocada queremos, mas isso pode mudar , acredito sempre, entra nesse link e participa la, tem me ajudado bastante, ainda mais quando escrevo, gosto muito de escrever, e la tem muitas mulheres com o mesmo problema q vc tem, entao achoq vc se sentiria bem, eu participo, tenho 29 anos e fibro a 9 anos diagnosticada mas acredito ter desde pequena. enfim. bjos e força!bjoka

  • ivone:

    Tenho fibro desde 2003 fui p/ varios medicos sentindo dores no corpo todo e contração muscular mais os medicos demorou p descubrir realmente o que eu tinha até q fui ao ortopetista finalmente um deles decobriu realmente o q eu tinha e pior disse q ñ tinha cura nessa época cuidava de minha mãe em cima da cama é dor q ninguem imagina ´so quem sofre é quem sabe vários remedios tomei, mais o que mim ajudou na minha vida foi Jesus médico dos médico hoje procuro levar minha vida normal tomo o remédio só qdo as dores estão muito forte. procuro ser uma pessoa alegre vou a igreja com frequencia. A todos q lerem Jesus realmente é quem nos ajuda.

  • Marcela:

    Não sei se vou aguentar tanta dor!!

  • Marcela:

    Não sei se vou ageuntar!!é muita Dor

  • Lucelia:

    Sou uma pessoa muito dinâmica.. é muito difícil ter vontade de fazer as coisas e não conseguir por limitações. Alem de tudo , a falta de compreensão das pessoas me deixa pior..
    Tento parar de reclamar, tanto q minha mãe acha q estou curada… ja perdi alguns amigos,família e profissão.. sou super otimista… mas só Deus..

  • Clarice:

    Bom tudo a quem por aqui passar. Vinha há tempo ( anos) sentindo como se tivesse ” anemia”, irritações, corpo esmorecido,pois sempre fiz atividades pesadas em casa,em roça.. não parava. Hoje sou pedagoga, funcionária concursada e não + poderei estar efetivamente em uma sala de aula, …. Tive o diagnóstico em fev/2010: fibromialgia,dai medicamento caro,família me achando ” doida”, colegas e amigos não compreendendo, cabeça parece estar fofa em várias fases da semana,sim pq cntamos o tempo e sempre esperamos melhora, achando tudo sem graça, sem motivo na vida. Enfim, se não fosse meu espírito dinâmico e o amor que tenho pela minha família,penso que seria bem pior. Sei que não dá pra ficar o tempo todo sem reclamar, porque FB incomoda muito, e existe, de fato, limitações físicas, sociais( nos irritamaos e nos sentimos mal, humor etc.), limitação pessoal e profissional. Antes eu pensava que tinha coisa errada comigo, atuaslmente tenho certeza Heheehhhheeee. O psicólogo a quem me encaminharam não me indicou psiquiatra, apenas médico Neuro que confirmou o diagnóstico, receitou Amitriptilin, de graça via SUS.que somente iniciarei tomar após falar com o mádico que me diagnosticou e receitou o caro Lyrica, que por sua vez ajuda não me sentir muito irritada com 150 mg dia,já testado. Enfim é isso. Temo a volta para o trabalho, estou de licença médica com laudo e aconselhamento de reabilitação que é troca de função. Cá comigo percebo que devo “procurar meu rumo”, sair de escola , porém me demitir jamais, lutei muito pra chegar onde estou. Como muitos adio sonhos de crescimento, sou considerada “a ineligente maluca”, … trabalho minhas limitações,com ajuda de psicólogo, o tal pé no freio das atividades cotidianas e outras que não dá pra fazer e busco fazer o que me dá prazer, pena que por exemplo curso de teoria musical que gostaria de fazer, aqui somente pela Congregação Cristã. Gente que me explorva mandei às favas, marido anda dando”azia ” mas ainda tolero ( Heheheheh…).Olha que sou exigente e ando á frente de muita coisa!
    É isso e + eu aqui com lentes dos óculos novas e terrivelmente péssimas para ver de perto…
    Ah! Ver de perto a nós mesmas, auto conhecimento ajuda. Abraços e muita fé na vida, a gente reaprende ou aprende coisas novas.

  • Romilda Falbo:

    Descobri agora que tenho FIBROMIALGIA. Gente !!! Nem queiram saber o qto doi todo o corpo . È uma dor que parece queimar ,é´sentir o corpo queimar por tanta dor . Fui ao medico hoje pela primeira vez e ele me garantiu que vou me curar . Será? Estou pagando pra ver

    • Maria Das Caetano Pereira:

      acredite ,eu tenho fe que vou ser curada,vou postar pra vcs Deus nao vai me decepcionar ,tem quatro mes de tratamento foi um alivio descobrir o q tenhoja q vinha sentindo dores ha 2 anos ,so procurei ajuda medica qdo nao suportava mais .faço o tratamento direitinho ,tem dias q nem sinto dor em outros so Deus sabe.mesmo assim nao desisto vou continuar crendo no impossivel para nos.

  • Liza:

    Fibromialgia…doença misteriosa, desconhecida e mais importante: sem cura. Com tantas pesquisas e evolução da ciência, só existem paliativos para aliviar tanta dor. Quem vê um fibromiálgico, nem imagina, não compreende um pouquinho do sofrimento, das dores lancinantes, da incapacidade que o rodeia. Cabe a nós compreendermos a nós mesmos. Tentar entender o que temos é um trabalho pessoal de anos a fio…É aceitar a limitação sem querer que ela exista. É uma limitação imposta, que nos impede de ter vida social, de ter atividades normais…é o cansaço que chega, nos marginalizando dentro de nós mesmos. Medicamentos,repouso,fisioterapia e assim, lá fora, a vida continua…Resultados pobres, diagnósticos confusos, incredulidade por parte das pessoas, mas o pouquinho de energia que um fibromiálgico tem está reservada para lutar contra este mal.

  • nina:

    que eu tenho fibro eu sei, mas me sinto triste 24 hs por dia, o mundo e preto e branco. O pior e q ninguem entende e eu cansei d tentar explicar, agora so fingo q ta tudo bem.Eu sou adolescente, e tenho fibro desde crianca, a minha mae tbm tem, mas mesmo assim ela n me entende ( gozado ne?) e os outros pensam q eu n tenho e q isso e piscologico e q a minha e ipocondriaca.
    Quanto a morrer eu n tentei, mas ja torci mtu por isso. O ruin p mim n e morrer e continuar vivendo!

  • mariluce matias:

    Me chamo Mariluce. Temos na família histórico de tendinite, reumatismo, artose. E,tenho diagnóstico de fibromialgia.
    Já sofri muito quando não sabia por que sofria. Mas, tenho muita fé em Deus, o que é fundamental para se viver. Hoje, faço meditação, aumento minha fé, e não tomo remédios para fibromialgia. Tenho 62 anos. Sou bem conservada, graças a certeza de que Deus me quer bem! Não desisto. Preciso trabalhar. Meu marido, ou ex, prefiro que seja ex, nunca entendeu as dores. Ao contrário, como consequência delas nem sempre tinha condições de ter relações sexuais, apesar de ter sido muito ativa. Resultado, foi à procura de outra…Voltou… pior…Hoje, penso em mim. Não desisti de mim. Não devemos desistir. Somos criaturas de Deus,e, temos direito a ser felizes, podem crer… Ele, meu ex, nunca me poupou.Não luta pela vida, encostou-se em mim, aproveitou meu trabalho, aproveitou que estive bem sucedida estes últimos anos.Agora, precissaria dele. Financeiramente nao estou muito bem, mas, continuo o trabalho. Sou advogada, e, tenho cliente, processos em andamento, trabalho sozinha. Ele, o ex nada faz, e ainda me acha ruim. Desisti dele não de mim… Agora sou eu, porque Deus quer que eu pense em primeiro lugar em mim.Sem revolta, sem amargura, já me doei o suficiente… Pois bem, não desistam, lutem pelo bem estar. Orem façam meditação, Yoga, etc. Participem, não deixem que esta síndrome domine voces… Eu fico toda inchada, dores atroses, etc. Mas, estamos aí! Mesmo que não nos compreendam, Deus nos compreende, e,nos ama. Perdoemos, eles não sabem o que dizem ou pensam com relação à nós. Nós somos mais inteligentes porque dominamos a doença com nossa fé, Esperança.Essa síndrome só quer que fiquemos entregues à tristeza, mágoa, etc. Não permitam isso. Ela não deve vencer…
    Ultimamente estive nas mãos de um cardiologista. Estou com um stend na coronária direita. Mas, tudo foi excelente. Minha recuperação. A fibromialgia se aquietou, agora, quer me machucar, mas, eu a domino com a meditação e oração.
    Um beijo.

  • ENEIDE SENA MACAMBIRA BASTOS:

    A fibromialgia é uma síndrome, a depressão faz parte dessa síndrome, em razão das limitações sofridas, também por falta de apoio da família, falta de compreenção no trabalho e até mesmo por parte de muitos médicos. Além dos muitos sintomas que o fibromiálgico sente tem a discriminação, a taxação de preguiçoso, desequilibrado mental etc.

    É difícil viver e conviver assim, devemos adotar a maneira de vida de “viver um dia de cada vez”.

    Mesmo assim eu tenho procurado viver, trabalho de acordo com minhas limitações, consgui isso, com muita luta. Mesmo com essas limitações todas estou estudando, curso o 1º ano de Direito, já vou para o 2º semestre, mas não tem sido fácil, pois a fibromialgia limita mesmo. Vou descrever os sintomas que eu sinto:

    dor e fadiga muscular intensa; síndrome das pernas inquietas;
    visão embaçada;
    letargia;
    lapsos de memória ( o que é que eu estava dizendo, como eu completo esta frase?);
    enxaqueca tensional;
    cefaléia crônica;
    cervicalgia;
    dor facial;
    sensibilidade ao frio e ao calor;
    transtorno depressivo recorrente;
    insônia;
    fadiga crônica ( sensação de cansaço extremo, mesmo após domir várias horas);
    zumbido nos ouvidos;
    problemas de coordenação motora;
    estresse;
    fadiga mental.

    E ainda existem mais sintomas, os quais variam de paciente para paciente.

    É uma doença grave e incapacitante, todavia ninguém vê dor e fadiga, as pessoas , até mesmo os médicos só acreditam no que veem, como fraturas, tumores etc.

  • Denise:

    O problema não é a Fibro e sim toda a saga de mal entendido que ela tras : preguiçosa, invalida , bichada, doente , só vive com dor , só vive cansado ….só vive lamentando ….sendo chamado o tempo todo assim , não só os que tem Fibro mas qualquer um sentiria-se mal …..QUERIDOS DE FIBRA ! FORÇA , LUTA, !!!!!! A NOSSA ARTE É VIVER DA FÉ …..Dor sim tenho , depressão não mais !!!!

  • Luciana:

    Eu tenho fibromialgia e não sou obrigada a continuar se não quizer.

Deixe seu comentário!