Físicos divulgam instruções passo-a-passo de como criar um buraco de minhoca espacial

Por , em 28.08.2019

Buracos de minhoca são incríveis. São as coisas mais próximas que temos de um teletransporte de verdade: entre em um e saia em qualquer canto obscuro do universo. Quem não quer?

O único (não o único, mas provavelmente o mais relevante) problema é que buracos de minhoca espaciais são notavelmente instáveis. Se um minúsculo fóton tenta atravessá-lo, o canal se colapsa mais rápido que a velocidade da luz.

Mas deve haver um jeito de fazer essa joça funcionar, certo? Afinal, somos humanos e não desistimos nunca.

E uma equipe de cientistas pode justamente ter descoberto uma maneira de construir um buraco de minhoca (quase) estável – ele eventualmente colapsa, mas devagar o suficiente para podermos mandar mensagens, e talvez outras coisas, através dele.

Passo-a-passo

O passo-a-passo para a criação de tal buraco de minhoca foi publicado no portal arXiv. Você pode ler as instruções se quiser, mas já adianto que não é exatamente um item DIY*: você precisa de algumas coisinhas um tanto difíceis de se conseguir, como buracos negros e cordas cósmicas infinitamente longas.

Na teoria, criar um buraco de minhoca é moleza: Einstein já nos ensinou que massa e energia podem dobrar o tecido do espaço-tempo. Em certas configurações de matéria e energia, isso cria um túnel que liga duas regiões muito distantes do universo.

A questão é manter esse túnel funcional, sem colapsar ao menor sinal de uma minúscula partícula tentando passar por ele. O pessoal da ciência já veio com algumas ideias, como a da massa negativa, ou matéria com peso oposto para neutralizar os efeitos desestabilizadores da matéria regular tentando atravessar o buraco de minhoca. Só que matéria com massa negativa não existe.

Também já se cogitou usar um buraco branco (onde nada pode entrar), junto com um buraco negro (de onde nada pode sair) para criar um buraco de minhoca atravessável. De novo, no entanto, não existem buracos brancos.

Possibilidades (um pouco mais) concretas

É aqui que entra o novo estudo: os pesquisadores criaram um plano para gerar um buraco de minhoca usando coisas que realmente existem (embora sejam raras). Uma delas são buracos negros carregados eletricamente. Isso é bastante incomum, mas pelo menos possível.

O interior de um buraco negro carregado possui uma singularidade diferente da de um buraco negro normal, esticada e distorcida, o que lhe permite formar uma ponte até outro buraco negro carregado, com carga oposta. Voilá.

Entramos no reino das coisas que talvez dariam certo, mas você não pensou que seria tão fácil assim, né? Esse buraco de minhoca ainda seria instável, além do problema da atração que os dois buracos negros com carga oposta sentiriam um pelo outro. Se não for controlada, terminamos com um buraco negro neutro, normal, e nada atravessável.

Para segurar os buracos negros longe um do outro o suficiente e a porta do buraco de minhoca aberta, os cientistas sugeriram a seguinte solução: cordas cósmicas.

Cordas provavelmente cósmicas

Cordas cósmicas são como rachaduras que se formam no tecido do espaço-tempo. Elas surgiram nas primeiras frações de segundo após o Big Bang e são objetos verdadeiramente exóticos. Nunca vimos um, então não temos certeza de que existem, mas também não temos certeza de que não existem, então os pesquisadores acharam que rolava colocar na receita.

Se existirem, tais cordas têm uma propriedade muito útil quando se trata de buracos de minhoca: tensão​​ enorme. Ao “costurar” o buraco de minhoca com uma corda cósmica esticada até o infinito, a tensão impediria os buracos negros carregados de se atraírem e seguraria as duas extremidades longe uma da outra, como um cabo de guerra.

Além da corda cósmica por fora, outra também precisa fazer um loop através do espaço normal entre os dois buracos negros. Nesse loop, a corda vibra muito, agitando o próprio tecido do espaço-tempo ao seu redor. Isso, por sua vez, pode fazer com que a energia do espaço em sua vizinhança fique negativa, atuando como a tal “massa negativa” dentro do buraco de minhoca, potencialmente estabilizando-o.

A solução não é perfeita: eventualmente, as vibrações inerentes à corda cósmica puxariam energia, e portanto massa, para longe da própria corda, tornando-a cada vez menor. Uma vez que a corda colapsar, o buraco de minhoca virá logo atrás. Mas, com esses ingredientes, talvez ele tenha uma chance de ficar estável por tempo suficiente para permitir que alguma mensagem ou objeto passe pelo túnel sem ser totalmente destruído. Só precisamos arrumar uns buracos negros carregados e umas cordas cósmicas primeiro. [LiveScience]

*DIY é uma sigla para “do it yourself”, ou “faça você mesmo”.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (21 votos, média: 4,14 de 5)

Deixe seu comentário!