Carro trava correndo a 200 km/h sem freios e motorista sobrevive

Por , em 14.02.2013

Quando o francês Frank Lecerf saiu de casa para fazer sua compra semanal de supermercado, não esperava se envolver em uma perseguição de carro em alta velocidade que cruzou fronteiras e acabou na Bélgica.

Lecerf foi vítima de um mau funcionamento de seu carro, um Renault Laguna adaptado para deficientes motores.

O carro simplesmente travou na velocidade de 200 km/h e os freios falharam, obrigando-o a continuar dirigindo ao longo de uma vasta extensão de autoestrada francesa até chegar na Bélgica. A polícia o perseguiu até que ele ficou sem gasolina, e caiu em uma vala.

O acidente

Lecerf, 36 anos, estava em uma via dupla a caminho de um supermercado quando a velocidade do carro travou em 96 km/h. Cada vez que ele tentava frear, o carro acelerava, eventualmente atingindo 200 km/h e travando novamente.

Enquanto acelerava descontroladamente através da pista com outros carros se desviando do seu caminho, ele conseguiu ligar para os serviços de emergência, que imediatamente enviaram um pelotão de carros da polícia.

Percebendo que Lecerf não tinha escolha a não ser continuar dirigindo até acabar sua gasolina, os policiais acompanharam o Laguna em alta velocidade por quase 200 quilômetros de autoestrada francesa, ao longo da fronteira belga.

Motoristas confusos davam lugar conforme o comboio se aproximava. Três praças de pedágio foram avisadas para levantar suas barreiras enquanto Lecerf chegava. Após cerca de uma hora, seu tanque de gasolina esvaziou e ele conseguiu desviar de obstáculos caindo em uma vala em Alveringem, na Bélgica, perto da cidade francesa de Amiens.

“Minha vida passou diante de mim”, disse Lecerf. “Eu só queria que o carro parasse”. Ele saiu ileso, mas teve duas convulsões epilépticas. Agora, entrou com uma queixa legal contra a Renault.

Um técnico da empresa esteve ao telefone com a polícia durante a perseguição tentando ajudar, mas não conseguiu chegar a uma solução.

Lecerf afirmou que essa não foi a primeira vez que seu velocímetro falhou, mas que a Renault tinha olhado o carro e lhe garantido que tudo estava bem. Por conta disso, seu advogado vai apresentar uma queixa legal contra a companhia com base no “comprometimento da vida de uma pessoa”.

A Renault disse que aguardará os resultados de uma investigação.[Guardian, foto de Marcelo Ribeiro]

10

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

24 comentários

  • Matheus Ailton:

    Poxa que sorte esse cara, ou posso dizer esse cara é um Piloto de fuca poxa correr mais de 200Km correndo 200km/p e não bater em nada afff! srrr esse cara teve muita ajuda!

  • Alberto Campos:

    Já deram aqui várias soluções ara o caso. Faltou mesmo se pensar nisto na hora do aperto. Acho que este advogado e seu cliente estão comendo mosca e vão perder na justiça.

  • Luan Almeida:

    Isso dá um filme… ops, já fizeram um filme assim.

  • Miguel Guerreiro:

    É um carro adaptado para deficientes motores, logo tem alterações que são mais propensas a falhar e logicamente é de mudanças automáticas, logo não tem embraiagem.
    E quanto à ignição, visto que os novos carros da renault, tal como outros mais novos, não têm chave para rodar a ignição, mas sim um botão, é lógico que a parte eléctrica juntamente com a centralina deve ter falhado.

  • Cesar Grossmann:

    Tem um outro detalhes que está escapando aí, o carro não era um carro de linha, mas um carro adaptado. Talvez, e esta é uma especulação minha, talvez o carro não pudesse ser desligado enquanto estivesse em movimento. Talvez desligar o mesmo fizesse parar algum sistema importante, como, por exemplo, o computador de bordo responsável por garantir curvas seguras, por exemplo, ou o servo-motor do freio. Ou sabe lá o que.

    • Fernando Ramos:

      Certo.
      Mas colocar a caixa de velocidades em ponto morto (sem mudança metida) desligaria o motor das rodas e assim o carro parava por inércia I(mesmo com o motor a trabalhar acelerado) ou com a utilização do travão de mão.

  • Fernando Ramos:

    De facto!!!
    Como alguns de vocês acima dizem, havia tantas soluções:Desligar a ignição, colocar o carro em ponto morto e travar com o travão de mão.
    Que raio!!!
    No meio de tanta gente NINGUÉM se lembrou destas soluções???
    NEM OS TÉCNICOS da empresa???

    Há aqui qualquer coisa que está mal contada.

    • Fabio Reis:

      Renault laguna tem partida por botão.
      Em um carro automatico, sem embreagem com partida eletronica, com uma pane geral na eletronica trava até o botão de ignição. Por isso prefira um carro com ignição na chave.

    • Fernando Ramos:

      Mas continua a haver travão de mão, certo?
      Talvez tenha havido alguma inexperiência por parte do condutor.

    • Luis Otavio Perroni Sarmento:

      Sr. Fernando.
      Gostaria de saber se você tem coragem de puxar o freio de mão à 200km/h.
      E visto que os freios JÁ NÃO FUNCIONAVAM. Existe uma chance de o freio de mão também não funcionar, além de você correr o risco de capotar ou rodar na pista devido à alta velocidade.

      Também não é possível desligar o motor, visto que o mesmo é feito de modo automático, também não tem embreagem para desengrenar o carro.

    • Rafael Montenegro:

      O freio do pe eh diferente do de mao. Em todo caso, mesmo o carro sendo automatico, ele poderia ter colocado em neutro. Carros automaticos podem mudar entre neutro e em marcha(D) a qualquer hora..

  • Gargwlas:

    ok.. e que tal desligar chave e consequentemente o motor?? meu deus.. ou sao burros demais ou essa historia ta mal contada

    • Cesar Grossmann:

      Não sei como é o Renault Laguna, mas eu lembro que no Corsa que eu tive havia uma recomendação para não desligar o motor com o carro em movimento. Alguma coisa sobre o servo-motor do freio não funcionar com o carro desligado… Talvez tenha alguma coisa parecida no Laguna.

    • Kelcey:

      Sim, é isso mesmo. O servo-motor do freio não funciona com o carro desligado, mas no caso do Renault em questão, o freio já não funcionava, não é? E outra, freio de mão não existe nos carros europeus? Vamos falar o que é vdd: pode ser que o motorista tenha ficado tão desesperado que não pensou nisso, mas poderia sim ter desligado a chave e parado o carro no freio de mão.

    • Filipe Canedo:

      Nada a ver, essa recomendação do manual é “meia verdade” apenas, pois o servo freio funciona com o vácuo gerado pelo motor, assim se o motor desligar mas o carro continuar com marcha engatada ele continuará girando e consequentemente gerando vácuo, então não perderia os freios, isso só acontece se desligar o motor com o carro no ponto morto (desengatado) pois assim o motor para de girar e não gera vácuo nenhum, causndo a perda dos freios.

    • Fernando Ramos:

      Se se desligar o motor com o carro engatado (mudança introduzida), o motor trava o andamento do carro.
      porque é que nas descidas se deve manter uma mudança baixa engatada? Para que seja o motor a travar o carro.
      Se isso fosse possível invariavelmente o carro iria parar numa curta distancia de forma segura. quando parasse totalmente o motor desligar-se-ia.

    • Fernando Ramos:

      O problema em desligar a ignição o carro em andamento está no facto do travão ficar mais “pesado” e por isso ser um pouco mais difícil travar no espaço que pretendemos. Mas trava…

    • Luis Otavio Perroni Sarmento:

      Não é possível desligar o motor do Laguna, visto que não tem que “rodar a chave” para ligá-lo.

  • Rodrigo Botecchia:

    Uma mancada HOMÉRICA por parte da Renault! E isso foi na EUROPA! Imaginem então o nível dos carros VENDIDOS AQUI NO BRASIL…

  • Téo De Holanda Diniz:

    Na falta de maiores detalhes,me parece que de início bastaria desligar a ignição !

  • Sky Kunde:

    Eu sou mecânico e não consigo entender como pode dar tantos defeitos ao mesmo tempo. A ignição não podia ser desligada? E a embreagem, não dava pra ser acionada? Esquisito.

    • Alexandre Porto Souza:

      faltam algumas informações necessárias no texto;

      a)o carro era de alguma forma adaptado para deficientes fisicos e o próprio condutor possuia alguma incapacidade

      b)ocorreu falhas EXATAMENTE nos comandos adaptados,como acelerador,freio e talvez a própria ignição.

    • Luan Almeida:

      Carro automático, direção dependente do motor estar ligado? Hoje os carros vem cheio de porcarias passiveis de erro, não sei como isso não aconteceu antes e com mais frequência.

    • Luis Otavio Perroni Sarmento:

      Várias coisas Sky, como por exemplo. A ignição do carro não é por chave e por ser um carro automático não possui embreagem.

Deixe seu comentário!