Caso extremamente raro: mulher dá à luz bebês com 11 semanas de diferença

Por , em 31.08.2019

Liliya Konovalova, de 29 anos, deu à luz gêmeos com uma diferença de 11 semanas entre o nascimento do primeiro e do segundo, o que é um caso raro. O fato ocorreu no Cazaquistão, Liliya (com o mesmo nome da mãe) nasceu no dia 24 de maio e Maxim no dia 9 de agosto.

Um dos fatores que influenciou essa grande distância entre os partos é a menina ter nascido prematura, com apenas 25 semanas e pesando 850 gramas. Por outro lado, o menino, que permaneceu mais tempo no ventre da mãe, nasceu com 2,9 quilos. Entretanto o fator principal é outro.

A mãe dos gêmeos tem uma condição rara chamada útero didelfo ou útero duplo, quando há uma divisão no órgão com partes separadas. Isso ocorre com 10 de cada 20 mil mulheres.

Útero duplo

De acordo com o site RT, o Ministério da Saúde do Cazaquistão na divulgação da notícia afirma que a chance de crianças saudáveis nascerem de mulheres na condição de Liliya, é de um em 50 milhões. A mãe e os bebês estão em boa saúde. O site divulgou também a declaração da mãe dos bebês de que estando ciente de sua condição ela ficou apavorada quando começou o trabalho de parto, mas graças aos médicos estão todos bem.

Nesse caso, os bebês foram gerados em úteros diferentes. É possível que ocorra, em gravidez de mulher com útero didelfo, parto prematuro ou aborto. Konovalova  tem mais uma filha, de sete anos.

A incidência de Malformações Müllerianas varia de 0,5 a 5% na população geral, de acordo com o National Center for Biotechnology Information (NCBI), e a taxa de partos de útero unicorne e didelfo é de 45%. Ainda de acordo com o centro, a maioria das mulheres com útero didelfo não apresenta sintomas. Entretanto algumas apresentam, entre as características, dispareunia e dismenorreia. Esse tipo de malformação mülleriana é a segunda menos comum, com 8,3%, entre as classificadas pelo NCBI. [RT, Science Alert, NCBI]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!