Idade não é desculpa para deixar de aprender uma nova língua

Por , em 26.07.2011

Nunca é tarde para aprender outro idioma. Surpreendentemente, sob algumas condições, os adultos acabam por ser melhores do que as crianças ao tentar adquirir a habilidade de falar uma nova língua.

Acredita-se que as crianças menores de sete anos são boas em sacar as novas linguagens porque seus cérebros se reprogramam mais facilmente.

Também, elas usam o que é chamado de “memória para aprender”, que significa aprender uma linguagem sem usar o pensamento consciente. Adultos confiam na memória explícita, em que eles conscientemente aprendem as regras de uma língua.

Agora, alguns linguistas sugerem que essa diferença aparente na capacidade de aprendizagem de novas línguas reflete a atitude das crianças, jovens e adultos, e não verdadeiras diferenças no cérebro.

Pesquisadores desenvolveram um experimento no qual crianças com 8 anos de idade, 12 anos e adultos tiveram a oportunidade de aprender regras de uma nova língua.

Em uma regra inventada, os verbos deveriam ser escritos e pronunciados de forma diferente, dependendo se se referia a um objeto animado ou inanimado. Os participantes foram convidados a ouvir uma lista de pares de substantivos-verbos. Dois meses depois, eles foram testados para ver do que se lembravam.

Segundo os pesquisadores, os adultos foram consistentemente melhor em tudo o que foi medido. Quando pediram aos participantes para aplicar a regra a novas palavras, as crianças com 8 anos não conseguiram realizar a tarefa, enquanto a maioria das que tinham 12 anos e dos adultos acertou mais de 90%.

Os adultos se saíram ainda melhor e têm grande potencial para aprender novas línguas. Ao contrário das crianças mais novas, o resto dos participantes trabalhou de acordo com a regra. Isso mostra que a aprendizagem explícita também é crucial.

Os resultados são animadores, particularmente na constatação de que a pronúncia das crianças é inferior ao de indivíduos mais velhos.

Mas os cientistas advertem que experimentos artificiais como este não podem necessariamente ser transferidos para o mundo real. Mesmo sendo os adultos melhores em aprendizagem implícita, as crianças ainda são mais propensas a ter uma chance de aprender de forma implícita.[NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

12 comentários

  • Agatha Silva:

    Acho que idade não é desculpa pra fazer nada que se possa ser feito. Não há porque dizer que não dá mais tempo, porque com o esforço necessário há tempo pra tudo. Como muitos dizem, a vida não é curta, a vida é longa. Há tempo para se fazer tudo que se pensa quando há planejamento e organização. Nunca é tarde para nada, nunca é tarde pra viver.

  • Silva:

    No Brasil, a idade serve como desculpa até mesmo para não se alfabetizar.

  • Luan:

    Tmb qro aprender essas linguas : Ingles , Russo e mandarim . o phoda é q o dinhero n da! ser pobre é fod4!

    • Jam:

      Pois é, se eu tivesse grana já saberia falar frances, alemão e japones, sem falar do ingles que sempre quis ter aulas mas como a demanda pra aprender era muito grande, fui estudar por conta propria :/

    • Raimundo Soares:

      Na internet o ensino é gratuito. Basta querer.
      “Quem quer dá um jeito, quem não quer, arruma uma desculpa”

  • marcos:

    To com 5.0 formei em administração faz 2anos e pensava em estudar ingles pois so tenho o basico, porem detesto ingles e não sei o que faço, talvez faça uma outra lingua se possivel mais facil..

  • Deep:

    Os velhos ficarão mais velhos por mais tempo! É natural que preencham seu tempo aprendendo coisas! O aprendizado de línguas pode ter sido um sonho/desejo impossível da infância… E as crianças aprendem mas podem se intimidar com as tarefas!

  • Fernando:

    Interessante esse estudo.

    Por isso que o avô de um amigo meu, com 80 anos conseguiu aprender mandarim.

  • José Xavier:

    O progresso das ciências, dos meios de comunicação permite o intercâmbio entre todos os povos, mas estamos separados por cerca de 3.000 línguas e dialetos, é indispensável a adoção de uma língua internacional neutra acessível a todos os povos, como é o Esperanto, que reúne todas as suas qualidades: extraordinária facilidade, precisão, riqueza de vocabulário, naturalidade, vitalidade, neutralidade, sonoridade etc…

    “Eu ouso prever que, um dia, haverá uma língua universal muito fácil de aprender, de pronunciar e de escrever. E, o que é mais importante, essa língua ajudará a razão, apresentando todas as idéias com tal clareza, que será quase impossível errar.” Renée Descartes.

    • jose Senen de Alencar:

      Oi Xavier, concordo e assino em baixo. E mais, para aprender Esperanto não precisa nem dinheiro, basta vontade, pois além de ser facílima, em quase todas as cidades existem pessoas que desejam ensinar sem cobrar nada.

  • Gray:

    Ainda quero aprender pelo menos mais 3 línguas: japônes, russo e alemão… Bom saber que ainda tenho muito tempo para tal!

  • Andy:

    Que bom, talvez isso me de um novo animo para continuar meus estudos de esperanto.

Deixe seu comentário!