Louva-a-deus pega beija-flor no ar; assista!

Por , em 20.08.2014

Nós todos sabemos que o louva-a-deus é um predador habilidoso ​​(ou um bicho horrível e assustador, dependendo do seu nível de medo de insetos), capazes de sorrateiramente derrubar uma variedade de presas com seus reflexos velozes e patas dianteiras extremamente fortes. Se você quiser alguns exemplos espetaculares de emboscadas desses insetos em todos os tipos de animais, vá até o YouTube. Não será difícil encontrar uma infinidade de vídeos, incluindo lutas com ratos e cobras.

11 rituais violentos do mundo animal

Aqui está um exemplo incrível. Este ousado louva-a-deus decidiu caçar beija-flores. Para isso, se acomodou em um bebedouro e ficou esperando a oportunidade aparecer. Veja o que acontece:

Como o ser-humano que estava filmando resolveu se intrometer, não dá para saber ao certo qual seria o fim da luta, mas alguns relatos antigos mostram que este não é um comportamento isolado. Um artigo na revista americana Biological Reviews em 1982, intitulado “Os artrópodes que se alimentam de vertebrados”, afirma que estes insetos são capazes de pegar pequenos beija-flores; no entanto, diz também que as observações reais não são conclusivas devido ao fato de que todos os pássaros foram libertados por “ornitólogos em causa”. Isso significa que, mais uma vez, não sabemos se os beija-flores poderiam ter escapado sozinhos, deixando o irritado louva-a-deus com fome.

Dez perigosíssimos invertebrados

Há também alguns relatos registrados de testemunhas oculares mais recentes em que os observadores não intervieram e deixaram a natureza seguir seu curso. O site Bird Watcher’s Digest apresenta o relato de um homem que descreve como seu filho viu um louva-a-deus rapidamente pegar um beija-flor e empalar a vítima no peito com sua pata dianteira. O inseto então começou a morder a carne do beija-flor morto até ficar satisfeito – as fotos no link são por sua própria conta e risco.

O fascinante voo de beija-flores em câmera super lenta

Beija-flores podem ser incrivelmente ágeis e fazerem suas belas acrobacias no ar, mas parece que às vezes até estas aves ultra rápidas não são páreo para o louva-a-deus. Sorte a nossa que nós somos muito grandes para esses insetos macabros. Eu acho. Mais alguém está sentindo um arrepio? [IFL Science]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

9 comentários

  • André Marques:

    Impressionante! A Natureza é … sei lá, cara, não dá pra explicar, hehehe. Só sei que é muito sábia. Nós não precisamos libertar ou interferir na cadeia alimentar, justamente porque é o que garante o equilíbrio de todas essas espécies convivendo nesse planeta louco!

  • Johny Ted:

    Eu vi um vídeo de uma lacraia pegando (caçando?) um morcego e devorá-lo vivo; horrível, horror extremo que me fez estudar “essa” centopeia. Interessante que enquanto estudava o animal, comecei a notar várias lacraias onde moro, inclusive, algumas que aderiram acidentalmente ao meu corpo. E como eu já as conhecia melhor, deixei de matá-las por ignorância. Animais assustadores, mas interessantes.

  • Neo Haas:

    …O ser humano sempre se intrometendo em tudo…

    • Junior Castro:

      Pois é, o cara não tinha nada que se intrometer.

    • Samuel Almeida:

      Mas se o cara tivesse ficado filmando sem fazer nada, ele seria tido como “o malvado” porque não ajudou o beija-flor.

    • Marcelo Ribeiro:

      Assim como os ducumentaristas parecem malvados quando deixam o filhote de gazela ser devorado por um leão?

  • mário Farias:

    Ô loco….

  • Paulo Felix:

    Tenho um desses bebedouros na janela do quarto. Já tive que “combater” formigas e abelhas, para garantir o acesso às aves. Contra as formigas, usei uma fita adesiva dupla face. Como dava muito trabalho, troquei por vaselina. Funcionou.
    Contra as abelhas, diminuí a quantidade de açúcar e elas não voltavam. Aí eu voltei a colocar a quantidade recomendada por alguns sites (quatro partes de água por uma de açúcar) até que as abelhas voltassem. Aí eu repetia.
    As duas dicas peguei na internet.

  • Paulo Felix:

    Não existe certo e errado na natureza, mas não dá pra ficar impassível diante de um ataque de predador.
    A cadeia alimentar é fundamental para a sobrevivência das espécies, mas como ser humano, fico dividido entre deixar o inseto viver e deixar a ave viver.
    Digo isso sentado diante do monitor do computador, mas se presenciasse, ao vivo, a cena acima, nem piscaria antes de libertar o beija-flor, mesmo sabendo que o Louva-Deus também precisa viver.

Deixe seu comentário!