Marco torna células tronco de laboratório ‘mais seguras’

Por , em 5.03.2009

Pesquisadores declararam ter descoberto uma maneira de transformar células normais de pele em poderosas células tronco, com grande potencial. Esse avanço pode fazer com que o uso de embriões humanos não seja mais necessário.

É a primeira vez que cientistas conseguem transformar uma célula da pele em uma pluripotente célula tronco sem usar vírus no processo – e ela é idêntica a uma célula tronco retirada de um embrião.

O novo método também permite que a informação genética usada para reprogramar o desenvolvimento das células tronco, seja retirada depois.

Para quem não sabe: células tronco conseguem produzir qualquer tipo de tecido humano (pele, órgãos, nervos, etc). Sendo assim, podem reparar os danos causados nesses tecidos. Mas essas células são encontradas normalmente em embriões, já que são responsáveis pelo desenvolvimento. O tratamento com células tronco causou uma enorme polêmica, já que seria necessário interromper o desenvolvimento de um ser humano – tecnicamente, matar – para a retirada do material. Mas a nova descoberta promete acabar com essa situação.

Os cientistas já haviam desenvolvido um outro método para a transformação de células da pele em células tronco. Mas, para que a informação genética fosse colocada na nova célula, era necessária a participação de vírus.

O material genético do vírus era modificado e, depois, ele infectava a célula a ser transformada, já que a função do vírus é repassar sua informação genética a uma célula saudável. O método não era nem um pouco seguro: esse processo todo pode provocar câncer.

Aparentemente, a nova alternativa não apresenta o mesmo tipo de risco.

O processo ocorre da seguinte forma: os cientistas coletam um pequeno pedaço de DNA chamado “transposon” – conhecido pelo apelido de “gene saltitante”, por sua habilidade de se mover através do código genético – em vez do vírus. O pedaço de DNA, que carregará quatro genes, se infiltra na célula e envia a informação necessária para que ela vire uma célula tronco.

Esse método já era usado para fazer outros tipos de mudança genética em organismos diferentes.

“É um passo para conseguirmos usar células ‘reprogramadas’ na medicina, talvez eliminar o uso de embriões humanos como fontes de células tronco” explica Keisuke Kaji, do Conselho de Pesquisa Médica de Edimburgo.

Ele e uma colega, Andras Nagy, da Universidade de Toronto, usaram a técnica em células da pele de ratos e de humanos. Concluíram que as células reprogramadas funcionavam exatamente como células tronco embrionárias.

Ian Willmut, um dos cientistas que participou do projeto da ovelha clonada Dolly, e chefe do Conselho de Pesquisa Médica declarou que ainda vai levar um tempo até que células reprogramadas possam ser usadas em pacientes, mas que a comunidade científica está se encaminhando para isso.

“Combinar esse método com as pesquisas de cientistas, que estão estudando as diferenciações dos tecidos produzidos pelas células tronco, é a esperança de um avanço enorme na medicina regenerativa” conclui Willmut. [Reuters]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • Madson Pereira de Paiva:

    Por favor me mande qualquer notícia sobre a cura desse mal chamado Diabetes. Sou diabético há mais de 20 anos e está muito difícil conviver com isso.Gostaria de conversar com pessoas que passam pelo mesmo problema para que possamos juntos discutir sobre isso.Passe-me um ei-mail que responderei.

  • wagner zago:

    gostaria de receber mais noticias sobre celulas troncos para paraplegicos,pois sofri um acidente de carro fraturei a 11 e 12 vertebra,e estou paraplegico, mais nao consigo me ver assim,por favor me mostre que existe um caminho para minha cura e dos meus companheiros precisamos muito dessa ajuda . obrigado.

Deixe seu comentário!