Mito ou realidade: precisamos de 8 horas de sono por noite?

Por , em 29.08.2012

Quantas vezes você já ouviu que, para levar uma vida saudável, precisa de pelo menos oito horas de sono ininterrupto? A ideia parece sensata, mas carece de base científica. “A necessidade de sono varia conforme o indivíduo e pode estar entre 12 horas para algumas crianças e seis horas para adultos mais velhos”, aponta o professor de psicologia Leon Lack, da Universidade de Flinders (Austrália).

Em artigo recente publicado no site Medical Xpress, Lack destrinchou mitos envolvendo o sono (além daquele das 8 horas diárias “mínimas”). Para começar, diz, o sono normal não é um “longo e profundo vale de inconsciência”. “O período de sono é formado por ciclos de 90 minutos”, explica. “Acordar entre estes ciclos é normal e se torna mais comum conforme envelhecemos”.

A siesta

Se você sente sono no início da tarde, não pense que é porque comeu demais: faz parte do ritmo natural do nosso corpo. Por causa dos chamados ritmos circadianos, que controlam nosso relógio biológico, produção hormonal, temperatura corporal e funções digestivas ao longo do dia, é normal que nossa atenção diminua no período pós-almoço.

Antes da Primeira Revolução Industrial, quando o ritmo de trabalho passou a exigir que os operários passassem oito horas seguidas em atividade, a “siesta” (aquele cochilo no início da tarde) era um padrão de sono dominante, conta Lack. “Ainda é comum em comunidades rurais ao redor do mundo, não apenas em culturas do Mediterrâneo ou da América Latina”.

Sono bifásico

O sono bifásico, outra rotina, que pode soar meio estranha hoje em dia, também era comum antes da Primeira Revolução Industrial. “Esse padrão consiste em um sono inicial de aproximadamente 4h30 (três ciclos de sono de 90 minutos cada) seguido por duas horas acordado e um segundo período de sono de 3h (outros dois ciclos)”, explica.

Durante o inverno, habitantes da Europa Setentrional (ao norte do continente) passariam 9 ou 10 horas na cama, seguidas por 2 ou 3 horas de vigília, que poderiam ser contínuas ou divididas.

Sem medo de acordar

O mito do sono ininterrupto, tão forte nos dias de hoje, pode gerar preocupação entre pessoas que acordam no meio da noite e, assim, realmente causar insônia.

Na verdade, destaca Lack, “humanos podem dormir em diferentes horários e demonstrar pouca diferença em sua competência ao acordar”. Ele menciona pesquisas em que os participantes passaram por rotinas diversas: 20 minutos de sono a cada hora; 1 hora de sono a cada 3; ou 10 horas de sono a cada 28. Quando se acostumaram, os participantes não tiveram dificuldade em seguir essas estranhas rotinas.

“O sono de melhor qualidade é obtido na fase baixa de nosso ciclo circadiano – quando a temperatura do corpo e os índices metabólicos estão em seu nível mínimo”, aponta o autor. Para a maior parte das pessoas, isso ocorre tarde da noite – mas há casos e casos.

“Não há dúvida de que o mito das 8 horas de sono sólido é uma imposição cultural recente”. Portanto, se você acorda no meio da noite, nada de “perder o sono”. É normal![Medical Xpress]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 4,71 de 5)

11 comentários

  • Paulo Dodt:

    Acredito que temos de aprender a escutar nosso corpo, não apenas para o sono, mais sim quanto a todas as suas necessidades. Temos que aprender a saber quando ele pede alimento ou água por exemplo, assim sempre teremos uma vida mais saudável pois estaremos em harmonia com o corpo.

  • Rone100theone:

    Belo artigo. Parabéns ao autor e todos do site. O sono de qualidade é importante e também a quantidade. Depois de 3 ou 4 dias dormindo apenas 6 horas por dia algumas pessoas começam a sentir sono fora do horário habitual e dor de cabeça( é o meu caso). Isso varia para cada pessoa. Fatores como a idade o sedentarismo, o tipo de trabalho, braçal ou intelectual, a saúde geral do indivíduo também. Aliás durante o sono nossas células são substituídas ou regeneradas. Dor de cabeça e sono são alguns dos avisos que o corpo dá para nos dizer que estamos com déficit de sono. Se não dermos atenção á estes avisos, no curto e médio prazo, nosso sistema imunológico como um todo, irá enfraquecer e ficaremos mais suscetiveis a doenças e obesidade. Então vamos nos cuidar. Abraço a todos(as).

  • Clara Telis:

    Se deixar eu duro por 18 horas ininterruptas por prazer mas acabo dormindo apenas seis.

    • Clara Telis:

      *durmo

  • eduardo:

    Lisandro, eu vi num artigo que falava de certos indivíduos que não precisão da mesma quantidade de horas em relação à maioria das pessoas. Aliás, existem pessoas que dormem pouquíssimo e, ainda assim, possuem disposição física e mental normalizadas. E, na matéria, dizia que isso é ocasionado por um gene específico.
    Vou procurar essa matéria e posto aqui… achei muito interessante.

  • Françoise Jacqueline:

    “Quando se acostumaram, os participantes não tiveram dificuldade em seguir essas estranhas rotinas.”

    Ele poderia ter falado, quanto tempo levou para eles se acostumarem :3

  • cerominho:

    Logo que chego em casa, no final da tarde, vou me deitar a partir das 20:00 hrs, acordando lá por volta da 00:00. Daí até umas 04:00 eu passo acordado, e depois volto a dormir para acordar as 08:00 hrs… e trampo pra cabeça.

  • Patricia Ayres:

    verdade, mas infelizmente a realidade do paulistano não permite

  • Lucas Dos Santos:

    O meu problema é que durmo menos de 5 horas por dia. Tenho 17 anos, faço estágio de manhã e à tarde vou a faculdade. Chego em casa perto de meia noite, e durmo lá pra 1, 1h30. Resumindo, sou nada saudável!

  • Murilo Mazzolo:

    Durante a semana, vou deitar entre Meia Noite e 1h da manhã, pra acordar as 6h00… quando me deito a 1h00 no outro dia me da muito sono e canseira durante a tarde e acabo tirando um cochilo de 1 hora, após o almoço. Quando me deito antes da Meia Noite, é raro eu cochilar…
    Mas qual a quantidade Minima de horas de sono por noite devo ter? A “cochilada da tarde” me ajuda em alguma coisa?

Deixe seu comentário!