Mulheres têm mais que o dobro de risco de depressão

Por , em 6.09.2011

As mulheres são mais de duas vezes e meia mais propensas do que os homens a sofrer depressão, com a maioria dos casos ocorrendo durante o “período reprodutivo”, entre os 16 e os 42 anos.

Homens e mulheres estão sofrendo com a depressão mais cedo do que nunca, com os primeiros sintomas chegando com a idade média de 19 anos. Quatro décadas atrás a média era de 26 anos.

Mas o enorme fardo que as mulheres carregam atualmente, tendo que conciliar a vida doméstica e familiar com o trabalho, torna o problema ainda mais agravante. Mulheres com idades entre 25 e 40 anos são de 3 a 4 vezes mais propensas à depressão do que os homens.

Ambos os gêneros são propensos a apresentarem problemas de saúde mental, mas alguns transtornos afetam mais um sexo do que o outro.

Nos casamentos, por exemplo, os homens parecem ter seu risco de depressão reduzido, enquanto o das mulheres aumenta. As taxas depressivas crescem consideravelmente quando as mulheres têm bebês, quando têm que aprender a lidar com a dupla responsabilidade de trabalho e família.

O estudo que trouxe novas conclusões sobre a saúde mental das mulheres analisou 30 países europeus, e descobriu que 164,8 milhões de pessoas (38% do total) sofrem de algum transtorno mental. Os principais problemas incluem depressão, transtorno bipolar, transtornos de ansiedade, insônia, vícios e esquizofrenia. A taxa é significativamente maior do que os 27% que apresentaram problemas em um estudo realizado em 2005.

É importante que problemas mentais sejam diagnosticados e tratados precocemente. O tratamento para esses transtornos não costumam ser caros, mas eles podem ser um grande desafio. O maior problema é quando as pessoas ficam sem tratamento e o problema continua com complicações, até que as deficiências se acumulem.

Há evidências crescentes que doenças como o Alzheimer e o mal de Parkinson tenham seu início em distúrbios de ansiedade que chegam na meia-idade. O início dos sintomas, como ataques de pânico e dificuldade para dormir podem indicar um possível desenvolvimento de Parkinson de 5 a 6 anos depois. [Telegraph]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

3 comentários

  • gordo:

    …Já tive mulheres de todas as cores,de várias idades de muitos amores…mulheres cabeça,desequilibradas,mulheres confusas de guerra e de paz(Martinho da Vila),vejam só como oscila os sentimentos de uma mulher,é impossível compreende-las,infelizmente.

  • Renato Bueno:

    Haaaaa… então é só se cuidar agora, que no futuro tudo fica mais suave? A causa das doenças cada vez mais acurada!

  • Roberto:

    Mulheres “gostam” de sofrer. Por isso são mais deprimidas. O verbo gostar está entre aspas porque é um gostar místico, quase irreal. É da natureza da mulher esse sofrer a vida com um viver mais comedido e menos audacioso que o do homem. Mas é algo também para se respeitar e compreender. E resolver, como tantos outros problemas particularmente femininos já contemplados pela medicina. Grandes mulheres!

Deixe seu comentário!