Enfiando a mão em um recipiente cheio de nitrogênio líquido: vídeo

Por , em 29.07.2014

Uma experiência com nitrogênio líquido foi uma das coisas mais emocionantes que eu vi na escola. Ainda mais que a gente estava acostumado a ver tudo por imagens e, quando muito, um vídeo. Lembro como se fosse hoje.

Em 2002, eu estava na oitava série. O professor de física era novo na escola e, um belo dia, ele teve a ideia de levar uma garrafa térmica com um pouco de nitrogênio líquido para mostrar tudo o que aquilo podia fazer. E, claro, despertar nosso interesse pela matéria dele. Deu certo.

Primeiro, ele colocou um canudinho dentro da garrafa de nitrogênio e, logo depois de tirá-lo de lá, pediu para alguém apertar com toda a força pra ver o que acontecia. Um colega de classe fez o serviço, um tanto ressabiado. Todo mundo ficou de boca aberta quando o canudinho se quebrou inteiro. Ele repetiu a experiência com algumas folhas de caderno e foi isso.

Claro que ele terminou a aula falando que não era prudente colocar o nitrogênio líquido direto em contato com a pele, pois isso queimaria nosso tecido. Tanto que alguns tratamentos estéticos especializados usam o nitrogênio no estado líquido justamente para queimar verrugas. Mas é algo que requer acompanhamento – definitivamente não tente isso em casa.

Mas por que o nitrogênio líquido pode ser tão perigoso?

O nitrogênio pode existir no estado líquido sob pressão atmosférica normal a uma temperatura próxima de 210°C negativos. Isso é muito muito frio. E se ele tem aquele efeito nos canudinhos e folhas de caderno, imagina só o que não poderia fazer com a sua mão.

Bem, graças ao efeito Leidenfrost, a sua mão não fica em um estado tão lastimável assim.

Você deve ter notado o efeito Leidenfrost enquanto cozinhava com uma panela muito quente. Se a superfície é quente o suficiente (muito mais quente do que o ponto de ebulição do líquido), gotas de água borbulham em pequenos grânulos e ficam dançando ali, ao invés de evaporarem instantaneamente. Isso acontece porque uma camada de vapor é formada, criando um isolamento entre o líquido e a superfície quente, o que acaba impedindo o resto da água de tocar a superfície quente. Isso, então, retarda a transferência de calor e o processo de evaporação.

O mesmo acontece quando o nitrogênio líquido entra em contato com um objeto na temperatura ambiente, por exemplo, a sua mão.

Confira uma demonstração nesse vídeo: [iflscience]

Último vídeo do nosso canal: 4 dias infalíveis da ciência para dar o PRESENTE PER

Deixe seu comentário!