Nova descoberta acaba com a ideia de como a Terra teria se formado

Por , em 15.09.2016
Audrey Bouvier

Audrey Bouvier

Um novo estudo da Western Univesity, no Canadá, encontrou evidências de que a Terra e outros objetos planetários formados nos primeiros anos do sistema solar possuem origens químicas semelhantes.

Essa descoberta está em desacordo com a teoria mais aceita por cientistas de como a Terra se formou há décadas.

Os resultados foram publicados na conceituada revista científica Nature.

Os novos dados

A pesquisa foi encabeçada pela famosa cosmoquímica Audrey Bouvier, pesquisadora de materiais planetários e professora do Departamento de Ciências da Terra da Western University, em colaboração com Maud Boyet, da Université Blaise Pascal, na França.

Com dados descobertos através de espectrometria de massa de ionização térmica, Bouvier e Boyet demonstraram que a Terra e outros objetos extraterrestres partilham os mesmos níveis iniciais de neodímio-142, um dos sete isótopos encontrados no elemento químico neodímio, amplamente distribuído na crosta do nosso planeta e mais comumente utilizado em ímãs de produtos comerciais, como microfones e fones de ouvido.

Em 2005, foi detectada uma pequena variação de neodímio-142 entre condritos, que são meteoritos rochosos considerados blocos de construção essenciais da Terra, e rochas terrestres.

Estes resultados foram geralmente interpretados como uma diferenciação precoce entre o interior da Terra (como a crosta e o manto) e estes condritos dentro dos primeiros 30 milhões de anos de sua história.

Não foi bem assim

Os novos resultados de Bouvier e Boyet mostram que estas diferenças, na realidade, já estavam presentes durante o crescimento da Terra, ao invés de serem introduzidas mais tarde, como se acreditava anteriormente.

“Como a Terra foi formada e que tipo de materiais planetários fizeram parte dessa formação são questões que têm intrigado gerações de cientistas”, disse Bouvier ao portal Science Daily. “E essas novas medições isotópicas de meteoritos fornecem respostas interessantes para essas perguntas sobre nossas origens”.

Usando técnicas de medição amplamente melhoradas, Bouvier e Boyet deduziram que diferentes objetos meteoríticos encontrados no sistema solar incorporaram os elementos neodímio e samário, mas com composições isotópicas um pouco diferentes.

Estas variações em isótopos estáveis mostram que o sistema solar não foi uniforme durante os seus primeiros anos, e que os materiais formados a partir de gerações anteriores de estrelas foram incorporados em várias proporções aos blocos de construção de planetas. [ScienceDaily]

Último vídeo do nosso canal: 4 dias infalíveis da ciência para dar o PRESENTE PER

Deixe seu comentário!