Acha que os ateus são imorais? Estudo descobre que eles são mais generosos que os religiosos

Por , em 9.11.2015

Pessoas não religiosas (agnósticas ou ateístas) muitas vezes são vistas como moralmente suspeitas, não confiáveis ou até mesmo imorais. No entanto, um novo estudo publicado na revista científica Current Biology sugere exatamente o oposto.

De acordo com os resultados da pesquisa internacional, que analisou o comportamento de crianças de seis países diferentes, as com educações religiosas demonstram muito menos altruísmo do que seus colegas não religiosos.

Enquanto pais religiosos têm muitas razões para querer educar seus filhos dentro de sua fé escolhida, incluindo o desejo de assegurar que a criança se torne uma pessoa justa e generosa, o novo estudo conclui que essa vontade não se traduz em realidade.

“Nossos resultados contradizem o senso comum de que crianças de famílias religiosas são mais altruístas e gentis para com os outros”, disse Jean Decety, professor de psicologia e psiquiatria na Universidade de Chicago, nos EUA. “Em nosso estudo, as crianças de famílias de ateus e não religiosos eram, de fato, mais generosas”.

O método

Uma equipe de psicólogos do desenvolvimento estudou o comportamento de mais de 1.100 crianças entre as idades de 5 e 12 anos no Canadá, na China, na Jordânia, na África do Sul, na Turquia e nos EUA.

Eles queriam analisar a tendência das crianças de compartilhar – uma medida do seu altruísmo e generosidade – e quão propensas elas eram a julgar os outros ou puni-los por comportamento percebido como ruim.

Para medir o senso de altruísmo das crianças, os pesquisadores pediram que elas jogassem um jogo no qual podiam compartilhar adesivos (se quisessem).

Para avaliar a sua sensibilidade moral, as crianças assistiram animações de personagens que se esbarravam, por acidente ou de propósito, e foram solicitadas a comentar sobre o que viram e determinar o nível de punição necessária.

Além dos testes, os pais das crianças preencheram questionários detalhando suas práticas e crenças religiosas. As famílias foram classificadas em três grupos: cristãos, muçulmanos ou não religiosas. Outros grupos religiosos também estavam presentes, mas não em proporções estatisticamente significantes.

Descobertas

As crianças religiosas foram significativamente menos propensas a compartilhar seus adesivos do que as crianças de origens não religiosas.

O comportamento não altruísta foi mais pronunciado nas crianças que haviam sido expostas a religião por um longo tempo, embora todas as crianças no estudo, em geral, mostrassem mais inclinação para compartilhar à medida que cresciam.

As crianças religiosas também foram mais propensas a favorecer punições mais fortes para o comportamento antissocial que testemunharam nas animações. Além disso, foram mais duras em seu julgamento do que as crianças não religiosas quando se tratava de avaliar os personagens que esbarraram um no outro.

“Em conjunto, estes resultados revelam a semelhança entre os países na forma como a religião influencia negativamente o altruísmo nas crianças”, afirma Decety. “Eles desafiam a visão de que a religiosidade facilita comportamento pró-social e põe em causa se a religião é vital para o desenvolvimento moral”. [ScienceAlert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 5,00 de 5)

23 comentários

  • Mario Ribeiro:

    Todos sabem, maiusculas é gritar. Por que não usou negrito, itálico ou sublinhado?… Não sou cego e “destacar” justo essa parte, que já uma indelicadeza, é ainda mais grosseria, sim. Quem faz a pesquisa tem de provar (“trabalhar”), não os outros, ou teremos de aceitar, engolir, “pesquisa” de comunistas, favorável ao comunismo, por exemplo. Continua sendo óbvio e não “falácia”, vamos consultar outros? E não, eu não faria ofensas ou grosseria a vc, não espere isso de mim.

    • Cesar Grossmann:

      Mario, quem fez a pesquisa trabalhou. Fizeram coleta de dados, publicaram a metodologia, os resultados e as conclusões. Você pode rejeitar o trabalho deles, mas se é só por que não gostou da conclusão, então é só uma opinião de alguém que se sentiu ofendido, sei lá por que. Os cientistas seguiram os dados, você está seguindo os teus preconceitos. A não ser que você tenha um trabalho válido refutando o trabalho feito pelos pesquisadores.

  • Mario Ribeiro:

    Depois da grosseria a censura, Cesar? Só publica o que quer? Isso é feio, venha de quem for, ateu ou não…

    • Cesar Grossmann:

      Mario, ninguém aqui tem o poder de censurar. Ninguém aqui vai conseguir impedir que você crie o teu blog e publique o que você quiser lá. Até mesmo ofensas dirigidas à minha pessoa.

  • Mario Ribeiro:

    Cesar Grossmann grosseria, gritaria, não ajuda os ateus… Eu tenho de provar algo ou os autores da “pesquisa”???… Falácia? Falei o óbvio.

    • Cesar Grossmann:

      Mário, teu “óbvio” é só falácia. E ninguém está sendo grosseiro ou gritando. MAIÚSCULAS SERVEM PARA DESTACAR PALAVRAS. Também.

  • Mario Ribeiro:

    Quem fez essa “pesquisa”? Ateus, né? Tá na cara… Certas “pesquisas” não podem ser levadas a sério… Maioria dos malvados tem alguma fé???

    • Cesar Grossmann:

      Ué, Mario, os dados dos estudos estão aí, vai lá e mostra onde está o erro. Falar é fácil, e principalmente apelar para falácias como este “ad hominem”, então, é tão fácil que todo cristão faz sem nem piscar. Agora vai lá mostrar o erro, a falha metodológica, o viés na coleta de dados ou coisa do tipo, vai… FALAR É MAIS FÁCIL QUE TRABALHAR.

  • Antonio Gomes:

    Ateistas tem mais valores morais que religiosos???? Quem fez essa pesquisa, um ateu??? Ah, conta outra…

    • Cesar Grossmann:

      Ué, Antonio, é o que diz o trabalho. Se o trabalho está errado, prove.

  • Enthony:

    Site tendencioso a ideias ateístas. pesquisem os debates históricos entre William Lane Craig e vários ateus conhecidos.

    • Cesar Grossmann:

      Ho!? Um estudo mostra que ateus são mais generosos, e a tua resposta é “vão olhar os debates com William Craig”? Você, então, concorda que ateus são mais generosos, eu suponho…

    • Enthony:

      Estudo sem fundamento, o ateísmo é uma ideia falsa, e para se jugar algo é necessário valores morais objetivos, o que não existe no ateísmo.

    • Cesar Grossmann:

      Valores morais não dependem de religião, ou de falta de religião. Alguém tem valores morais ou não tem. E ateístas tem mais valores morais que religiosos. Só isso.

  • Raizen Fox:

    Não me importo com a religiosidade das pessoas, mas na minha casa não adoramos amigos imaginários.

    • Marcelo Ribeiro:

      Não me importo enquanto não tentem me enfiá-los na minha goela abaixo.

    • Christian Santos:

      Mas adoram o que escraviza vocês.

    • Cesar Grossmann:

      Não.

  • Adrielle Lopes:

    Se eu tiver filho, vou criá-lo livre das religiões. Ele apenas saberá o que deve fazer assumindo as responsabilidades dos seus atos.

  • Maria Nia:

    Religião:o mal da humanidade e o inferno dos animais.Igrejas e templos de qualquer natureza:as piores invenções. Jesus: a maior mentira.

  • Felipe SB:

    Deve se lembrar que a pesquisa não foi realizada no Brasil e que a cultura do nosso país é outra, assim como nossa sociedade.

    • Marcelo Ribeiro:

      O que importa é que foi um estudo amplo em vários países com condições sociais AMPLAMENTE variadas. Seu que não é dado, mas sim um caso isolado, mas meu filho teve uma educação secular e estou para conhecer uma criança mais empática.

    • mikewte:

      Se o termo “maioria” definisse algo absoluto, então posso dizer que quem é ateu está errado em ser ateu, pois 3% do mundo é ateu.

Deixe seu comentário!