Cuidado: você pode ser eletrocutado pelo carregador de seu celular

Por , em 30.07.2019

Um novo estudo da Universidade de Michigan (EUA) descreve casos em que as pessoas foram acidentalmente eletrocutadas e queimadas pelos carregadores de seus celulares, principalmente por ter os utilizado na cama.

Como funciona

“O carregador usa transferência de certa quantidade de energia contida para funcionar”, explicou uma das autoras do estudo, a Dra. Carissa Bunke.

Se essa transferência elétrica não for devidamente contida, as pessoas podem levar choques, se queimar e até terem que ser hospitalizadas em decorrência do incidente.

No estudo, a Dra. Bunke cita o caso de uma jovem de 19 anos que deitou sem querer em cima de um carregador USB de marca genérica. Enquanto ele estava plugado em uma tomada, a outra ponta não estava sendo usada para carregar seu iPhone. Essa ponta, então, entrou em contato com um colar de metal que a jovem usava, levando a uma queimadura em seu pescoço.

A corrente elétrica deixou um círculo de ferimentos no pescoço da garota. “Como a queimadura é causada por eletricidade, pode ser dolorosa”, disse Bunke.

O perigo dos carregadores

O tipo de carregador que você usa pode afetar seu risco de ser eletrocutado. Versões genéricas mais baratas são mais perigosas que carregadores originais que vieram junto com seu smartphone.

“Existem muitas evidências de que marcas genéricas não passam necessariamente pelos mesmos testes de segurança e qualidade”, esclareceu Bunke.

Mas usar um carregador original não é garantia de nada. Um jovem utilizando um carregador original da Apple, plugado no seu iPhone, foi eletrocutado e projetado para fora de sua cama quando a corda entrou em contato com uma corrente que ele usava.

A Dra. Bunke enfatiza que “mesmo em aparelhos com voltagem baixa, se a corrente elétrica for alta, o choque pode ser grave”.

Sintomas e tratamento

É melhor não levar essa advertência na brincadeira; as consequências de uma queimadura por conta de um choque elétrico com um carregador podem ser sérias.

Eletrocussões graves podem levar a batimentos cardíacos irregulares, dificuldade de respiração e danos em músculos.

“O tratamento dependerá da gravidade, mas a maioria dos casos exige uma visita ao hospital para checar se houve ferimentos internos e externos, bem como acompanhamento da queimadura por um médico especializado”, afirmou Bunke.

No caso da jovem de 19 anos, ela recebeu morfina para sua dor e antibióticos para evitar infecções no local do ferimento.

Conclusão

Não durma com seu aparelho sendo carregado do seu lado. Nunca. E evite deixá-lo plugado em uma tomada quando não estiver sendo usado para carregar o seu celular.

Estes são os conselhos da Dra. Bunke.

O estudo foi publicado na revista científica Annals of Emergency Medicine. [WebMD]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (20 votos, média: 4,75 de 5)

Deixe seu comentário!