Pessoas mais altas são mais inteligentes, de acordo com estudo

Por , em 10.03.2014

Para a fúria dos baixinhos, pesquisadores escoceses estão afirmando que pessoas altas têm maiores chances de serem mais inteligentes. Um novo estudo realizado na Universidade de Edimburgo encontrou uma ligação direta entre os genes relacionados à altura e os relacionados à inteligência.

De acordo com o artigo publicado na revista Behavior Genetics, o DNA de 6.815 pessoas aleatórias foi estudado. Para “mensurar” a inteligência dos participantes, foram feitos testes de tempo de reação mental, habilidade linguística, velocidade de processamento e capacidade de memória. As pessoas mais baixas mostraram, em média, inteligência levemente inferior do que as mais altas.

É importante frisar que os pesquisadores não estão sugerindo que todas as pessoas altas são necessariamente mais inteligentes do que as mais baixas. Eles estão apenas indicando as médias existentes em uma população. E o próprio conceito de inteligência é relativo – no estudo, foram utilizados métodos de medição do grupo escocês Family Health Study, que não adota testes de QI padrão.

Os pesquisadores afirmam que a relação entre altura e inteligência é apenas em parte genética, podendo ser atribuída, em grande parte, ao ambiente.

Outros estudos sugerem mais fatos curiosos que acompanham os altos e os baixinhos: acredita-se que os mais baixos são mais propensos a sofrer de doenças cardiovasculares, enquanto os mais altos tendem a morrer mais jovens. Estudos também sugerem que os mais altos ganham mais – mas as mulheres altas têm maior risco de desenvolver câncer. Não está fácil pra ninguém. [MedicalXpress]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • scott mary:

    Eu gostei das instruções do GROSSMANN.Muito bons e úteis.Parabéns!

  • Verinha Fernandes:

    Nada haver estatura com inteligência. Sou uma garota de 1,55 e graças a Deus sou inteligente, eu já tive que ensinar coisas para pessoas com 1,80 que não sabia metade daquilo que eu sei. Conheço baixinhos bem sucedidos com ensino superior e altos que são analfabetos que varrem rua. Conclusão: tamanho não é documento.

    • Cesar Grossmann:

      É uma correlação, Verinha. Quando a gente faz uma medida de tamanho das pessoas você vai encontrar uma curva na forma de sino, a curva de Gauss. O ponto central da mesma é a média, mas o fato de ser uma curva significa que tem gente acima e abaixo da média.

      O mesmo vale para este estudo, ele correlaciona QI e altura, e deve dar uma curva em forma de sino, com uma média indicando pessoas com alta estatura, e gente fora da média. Você estaria fora da média, talvez (mas ainda precisa aperfeiçoar teu conhecimento de estatística).

    • Igor.R:

      Grossmann sei bem do que está falando, a distribuição normal não é muito importante para esboçar gráficos em termos de inteligência ou comportamento humano, isso é feito por mais fatores, logo gera um erro e desnível enorme. Além do fato de não medir os QIs separadamente, afinal a população é subdividida não em médias simples, os gráficos são muito assimétricos e impossibilitam esse tipo de generalização, ainda mais se tratando de comportamento humano, algo muito pouco ponderável e complexo.

    • Cesar Grossmann:

      Fiquei curioso Igor. Você teria um ou dois gráficos para compartilhar?

  • Leandro Santos:

    Tenho tios-avós bem nanicos que tiveram filhos que chegaram há ter 2m de altura e filhos baixotes. A diferença é que os nanicos quando em fase de crescimento trabalhavam muito em serviços braçais e os mais altos com trabalhos que usam mais a cabeça e ainda por cima quase na idade adulta. Uma vez desafiei meu avô e várias pessoas altas e ele sendo um baixote de 1,55m em menos de 3 minutos resolveu o problema de lógica e outros igualmente à ele que nunca tinham ouvido falar desse problema de lógica não souberam resolver. Estranhamente os baixinhos e altos de famílias ricas são igualmente respeitados e bajulados por quase 100% das pessoas com raríssimas exceções (eu por exemplo).

Deixe seu comentário!