Por quanto tempo o planeta Terra permanecerá habitável? Menos do que você imagina

Por , em 29.09.2013

De acordo com astrobiólogos da Universidade de East Anglia, no Reino Unido, as condições de habitabilidade da Terra estão garantidas por mais cerca de 1,75 bilhão de anos. Mas isso não é tanto assim como você imagina.

As descobertas, que foram publicadas este mês na revista Astrobiology, revelam o “prazo de validade” para a vida no planeta Terra com base em diversas variáveis, incluindo a distância do nosso planeta até o Sol e a variação de temperatura em que é possível ainda haver água líquida por aqui.

A equipe de pesquisa observou as estrelas em busca de inspiração. Usando planetas recentemente descobertos fora do nosso sistema solar (os chamados exoplanetas) como exemplos, os cientistas investigaram o potencial desses mundos para abrigar vida.

A pesquisa foi conduzida por Andrew Rushby. “Para fazer essas estimativas, nós usamos o conceito de ‘zona habitável’, que é calculado por meio da distância de um planeta da sua estrela em que as temperaturas ainda são propícias para haver água líquida na superfície”.

“Usamos modelos de evolução estelar para estimar o final da vida útil habitável do planeta, determinando quando ele deixará de estar nessa zona habitável. Nós estimamos que a Terra deixará de ser habitável daqui a um período entre 1,75 e 3,25 bilhões de anos. Após este momento, a Terra entrará na ‘zona quente’ do sol, onde as temperaturas serão tão elevadas que os mares se evaporariam. Nós veríamos um evento de extinção catastrófico e terminal para todas as formas de vida”, completa Rushby.

De acordo com o pesquisador, porém, as condições do ambiente para seres humanos e outras formas de vida complexas se tornarão impossíveis muito mais cedo, por conta das mudanças climáticas antropogênicas. “Os seres humanos estariam em apuros mesmo com um pequeno aumento na temperatura da Terra. Perto do final, apenas micróbios muito resistentes seriam capazes de suportar o calor”, disse.

A evolução da vida complexa no planeta Terra

“Se olharmos para trás, percebemos que já havia vida celular na Terra há muito tempo. Tivemos insetos há 400 milhões de anos, os dinossauros surgiram 300 milhões de anos atrás, enquanto as plantas e as flores são de 130 milhões de anos atrás. Os humanos anatomicamente modernos apareceram apenas nos últimos 200 mil anos”, lembra. “Daí você consegue ver que é preciso muito tempo para a vida inteligente se desenvolver”, comenta Rushby.

Ele afirma que a quantidade de tempo habitável de um planeta é muito importante porque nos conta sobre o potencial do local para a evolução da vida complexa – o que exige um longo período de condições de habitabilidade. “Isso nos permite investigar o potencial que outros planetas possuem para hospedar vida, além de compreender o estágio em que a vida pode já estar em outro lugar na galáxia”.

“É claro que uma grande parte da evolução é uma questão de sorte – e isso não é concreto –, mas sabemos que espécies complexas e inteligentes como os seres humanos não poderiam surgir depois de apenas alguns milhões de anos do surgimento de qualquer vida em um determinado planeta, porque levamos 75% de todo o tempo de vida habitável deste planeta para evoluirmos até este ponto. Acreditamos que, provavelmente, esta história está se repetindo em outro lugar neste momento”.

Quase mil planetas fora do nosso sistema solar já foram identificados pelos astrônomos. A equipe de pesquisa analisou alguns deles como exemplos e estudou a natureza evolutiva de sua habitabilidade ao longo do tempo, tanto astronômico quanto geológico.

“Curiosamente, não haviam muitas outras previsões baseadas nas zonas habitáveis disponíveis, razão pela qual decidimos trabalhar no desenvolvimento de um método específico para isso. Outros cientistas usaram modelos complexos para fazer estimativas apenas para a Terra, mas estes não são adequados para se analisar a situação de outros planetas”, relata.

Os cientistas compararam o planeta  Terra a oito planetas que estão atualmente em sua fase habitável, incluindo Marte. Eles descobriram que os planetas que orbitam estrelas de menor massa tendem a ter zona habitável mais longas.

“Um dos planetas no qual aplicamos nosso modelo foi o Kepler 22b, que tem uma vida útil habitável de 4,3 a 6,1 bilhões de anos. Ainda mais surpreendente é o Gliese 58d, cuja vida útil habitável está entre 42,4 e 54,7 bilhões de anos. Ou seja, este planeta ainda estará quente e agradável para acolher vida durante um espaço de tempo mais de 10 vezes maior do que a idade do nosso sistema solar”, explica Rushby.

Até o momento, porém, nenhum verdadeiro planeta análogo à Terra foi detectado. “Mas é possível que haja um planeta habitável e parecido com a Terra dentro de um raio de 10 anos-luz de nós, o que é muito próximo em termos astronômicos. Entretanto, chegar lá levaria centenas de milhares de anos com a nossa tecnologia atual”.

“Se realmente precisássemos nos mudar para outro planeta, Marte provavelmente seria a nossa melhor aposta. O planete está muito perto daqui e permanecerá na zona habitável até o final da vida útil do sol – ou seja, até daqui a seis bilhões de anos”, conclui. [Science Daily]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 4,63 de 5)

12 comentários

  • Amadeu Carnevali:

    Sr. Rushby, As plantas surgiram depois de haver vida? (insetos e dinossauros) . Esses seres se alimentavam somente de Ar? Duvidoso.

    • Cesar Grossmann:

      Amadeu, dá uma lida nesta linha do tempo da evolução das plantas, talvez isto esclareça o que o sr. Rushby disse.

    • Guilherme Curi Bio:

      Creio ter havido um pequeno erro de tradução. As plantas que produzem flores (angiospermas) surgiram há 300 milhões de anos.

  • Guilherme Santis:

    Gostei da matéria, Bruno! Bom, daqui todo esse tempo ninguém mais vai estar vivo, mas nossos descendentes provavelmente sim… enfim

  • Marcos Cunha Mvc:

    Tanto que acabe 2100 ta ótimo:;)

  • Di Amaral:

    Desculpe, mas já existe prognóstico de que o Universo conhecido, nascido há 14 bilhões de anos, acabará daqui a 100 milhões de anos. Então…

  • Rafael Carvalho:

    Questionando sobre o que traz o título do artigo, se depender de nossos governantes com suas visões imediatistas de governo e interesse no voto do povo, que ignora os alertas científicos, não sei se chegaremos a outra geração. Elevação média de uns 5ºC por volta de 2100 já causarão profundas transformações no planeta!

    Brunão, bons artigos, mas tão looongos… Difícil acompanhar pra mim.

    • alessandro.a.r:

      “tão longos”? Não dá 5 minutos de leitura. hehe. Pra mim o tamanho está bom, pois assuntos interessantes precisam de um punhado de linhas para serem desenvolvidos.

  • Elizabeth Costa:

    anda tudo maluco defenitivamente, voces acham que estao sozinhos aqui e no universo? nao estamos e estamos muito bem acompanhados com os nossos irmaos celestiais e o nosso criador cada dia que passa mais sinais iram aparecer do ceu e nao so!!! muita coisa esta para vir!!! aguardem, agora o mundo nao vai acabar nunca mas vais mudar
    !!

  • pmahrs:

    O maior problema é que nosso fim individual é que está mais próximo ainda. Como saber mesmo com propriedade, como não sei nada e minha sapiência ou ignorância não altera nada a verdade, pois ao contrário da mentira ela não necessita que se acredite nela, prefiro acreditar que não somos só um conjunto de reações biofisioquímicas e eletromagnéticas só nesta dimensão. Minha crença não vai atrapalhar nada nem isto não vai fazer falta nenhuma para os cientista avançados. Espero que perdoem minha incapacidade de entender as fórmulas complexas e todo conhecimento avançado contido no acelerador de partículas e faturado em nanosegundos.

  • Rafaela Martins:

    Marte está em fase habitável? kkkkkk… Marte aparentemente já foi habitável, e deve estar na fase estipulada pelos cientistas, na qual apenas os micróbios mais resistentes ainda sobrevivem;porque até agora é a única forma de vida encontrada por lá; sem falar que as imagens obtidas de Marte, mostra supostos canais, onde provavelmente tinha água. Aquele planeta está morto, é o exemplo perfeito do que irá acontecer com a Terra. Em vez de procurarmos planetas habitáveis,devemos parar de destruir o nosso planeta natal com guerras e poluição de todo tipo, como se fossemos pragas, que destroem um planeta após outro… Mas como tudo no Universo se transforma, pode até ser que Marte esteja recomeçando lentamente.

  • Andre Luis:

    Independente deste período de habitabilidade, o egoísmo, a ganância e a falta de amor do ser humano pode levar a humanidade a extinção ainda muito mais cedo. Eu ainda acredito que um dia o amor prevaleça e haja paz e evolução moral neste belo planeta azul!

Deixe seu comentário!