Por que é mais fácil lembrar de piadas ruins?

Por , em 31.03.2009

Cientistas finalmente conseguem explicar um dos mais estranhos fenômenos da mente humana: por que lembramos facilmente de piadas ruins e esquecemos as boas?

De acordo com a pesquisa, piadas boas geralmente revertem padrões para surpreender, são coisas novas. Por isso é mais difícil lembrar delas. Um final surpreendente nos faz lembrar a “frase de efeito”, aquela que torna a piada engraçada, mas nos esquecemos do “caminho” até ela. Então, quando vamos repetir, normalmente não conseguimos contar a história direito e o final fica sem sentido.

Ao contrário, as frases de efeito e os “caminhos” das piadas ruins são tão comuns e previsíveis que fica fácil de lembrar deles.

Robert Provine, professor de psicologia da Universidade de Maryland, que está escrevendo um livro sobre gargalhadas, declara que “o que faz uma piada ser engraçada é inesperado, logo é mais difícil de lembrarmos como contar a piada direito do que recordar o seu final. Se alguém lhe dá uma lista de flores como ‘rosas, petúnias, margaridas e tijolos’, é mais fácil lembrar dos tijolos, já que são inesperados, mas é difícil lembrar da ordem e das flores”.

Provine acredita que boas piadas funcionam de forma oposta à música e à poesia. “É mais fácil lembrar de uma boa música por que conseguimos recordar de suas rimas e de seu ritmo. Isso já não acontece com as piadas” explica.

De acordo com Daniel Schacter, professor de psicologia em Harvard, para uma piada ser boa ela precisa apresentar certos nuances e sutilezas que são difíceis de gravar. “Por isso lembramos de anedotas e de piadas como ‘o que é o que é’ mais facilmente. Elas são mais simples” explica. [Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,50 de 5)

2 comentários

  • Luan:

    Sabe porq q eu “rio” de uma piada sem graça? porq ela nao tem graça haha

  • vitor m:

    havia 2 leites de 2 litros, os dois atravessaram a rua ,1 deles morreu.
    porque o outro nao morreu?????

    porque ele era LONGA VIDA

Deixe seu comentário!