Porque você não consegue aprender duas coisas novas ao mesmo tempo

Por , em 20.07.2011

Semana de provas. Uma maravilha. Assim que você acaba de estudar tudo o que podia em Português, e resolve passar para História, cada regra de gramática que você tinha absolutamente dominado parece fluir para fora da sua cabeça.

Nessa hora, você sente que seu cérebro não é grande o suficiente para manter as duas disciplinas na cabeça ao mesmo tempo. Você pode estar certo.

Recentemente, cientistas descobriram porque é difícil aprender dois assuntos, um logo após o outro: quando você tenta aprender ou memorizar dois tipos diferentes de informação em rápida sucessão, o segundo assunto interfere com a capacidade do cérebro de armazenar permanentemente o primeiro.

O estudo envolveu 120 estudantes universitários. Os pesquisadores desenvolveram um experimento no qual os voluntários tinham que realizar duas tarefas de memória, uma em seguida da outra.

Primeiro, os voluntários receberam uma lista de palavras para memorizar. Em seguida, eles receberam uma tarefa em que tinham que usar os movimentos dos dedos para fazer uma sequência – sem o conhecimento dos voluntários, havia um padrão para fazer isso que eles poderiam aprender, inconscientemente, através da repetição.

Logo após do teste das palavras, os voluntários se lembravam da lista muito bem. Mas depois que fizeram a sequência com os dedos, se esqueceram de muitas das palavras.

Em seguida, na segunda parte do experimento, as tarefas foram revertidas: a sequência dos dedos veio primeiro, seguido pela lista de palavras. Mais uma vez, os voluntários se saíram bem nos testes após a primeira tarefa, mas após a realização da segunda, perderam muito do que aprenderam na primeira.

Ainda assim, ao invés de uma tarefa estar “anulando” a outra, o resultado poderia ser devido a incapacidade do cérebro de armazenar todas aquelas informações. Então, os pesquisadores refizeram o experimento, desta vez usando um dispositivo magnético que bombeia energia elétrica no cérebro quando colocado na cabeça de uma pessoa.

Com essa estimulação, as pessoas lembraram bem de ambas as tarefas, como se tivessem feito cada uma delas separada. O interessante é que a estimulação não melhorou a memória quando apenas uma tarefa foi feita em um momento, e sim apenas removeu a interferência quando duas eram feitas em seguida.

A conclusão do estudo é: quando você quiser aprender duas coisas diferentes, precisa fazer uma pausa entre elas. Outra pesquisa mostra que duas horas pode ser suficiente.

Os pesquisadores não sabem por que o cérebro age dessa maneira. Ele ativamente “conspira” para produzir uma interferência de memória e assim prejudicar nossa lembrança do que aprendemos. Isso pode parecer um tanto paradoxal, mas os cientistas imaginam que essa interferência de memória serve para alguma função importante, que até agora não sabemos qual é.[MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

12 comentários

  • Erick da Silva:

    vivo dizendo isso pra minha mulher. faça pausas amanda. agora tenho argumentos =)

  • Murilo:

    Tive um pensamento aqui , “TALVEZ” essa interferência pudesse ser para separar a nossa memória de uma outra vida. Acho isso uma idiotice , mais veio na cabeça e quis comentar :/

  • Leandro:

    Gostei muito dessa matéria!
    Pelo que parece,o cérebro depois de uma pausa, se prepara para armazenar novas informações.Muito bem colocado o porque disso.

  • Allvaro34:

    Boa matéria. Mas, achei que faltaram informações, “que pesquisadores”, “de onde”, essas informações ajudam muito na compreenção e interesses na pesquisa do tema. Agradeço a atenção.

    • Rogério:

      Bom dia Álvaro, talvez os pesquisadores não sejam renomados, talvez sejam mestrandos ou doutorandos em alguma área. Sou empresário e atuo com ensino baseado em técnicas mnemônicas. O que acontece é o seguinte: esses processos não são bem aceitos pela comunidade acadêmica tradicional, porém funcionam sem sombra de dúvidas. Claro que como em toda a história de sucesso, por mais simples que seja requer esforço e disciplina. A história do dispositivo “bombeando energia” parece meio fake, mas vai saber…
      Caso vc tenha interesse em desafiar seu cérebro veja um curso chamado “memo bible 3000”. Não se assuste com o nome, hehe. Abraço!

  • Douglas Cardoso:

    não vi relação entre a indução magnética realizada nos cérebros e a necessidade de uma pausa!!!???

  • Deep:

    Concordo com o Irônico!

  • Andy – O irônico:

    “dispositivo magnético que bombeia energia elétrica no cérebro quando colocado na cabeça de uma pessoa.”

    Mas que raios é isso? Isso que deveria ser a manchete da notícia!

  • Túlio:

    Nossa, 2 horas, é um tanto quanto longo, principalmente para quem está na fase de vestibulando, mas deve haver outra forma de “descansar” o cérebro… Tem que haver.

  • Bruno Juncklaus:

    The SIMS já sabia disso (há tempos)

  • Leo Reiss:

    Opa, quero esse “dispositivo magnético que bombeia energia elétrica no cérebro” pra mim então…

    • Gray:

      Eu também. Minhas semanas de provas ficarão muito mais fáceis!

Deixe seu comentário!