Quais são os novos produtos incríveis da Apple?

Por , em 30.07.2013

Como já tinha virado rotina quando Steve Jobs ainda estava à frente da empresa, agora foi a vez do chefe-executivo da Apple, Timothy Cook, vir a público atiçar a curiosidade de todos sobre os novos produtos que a Apple está desenvolvendo. “Estamos focados e trabalhando duro em alguns novos produtos surpreendentes que vamos apresentar no outono [do hemisfério Norte] e durante todo o ano de 2014″, contou Cook.

Mas o que poderiam ser esses misteriosos “novos produtos” em questão? Aqui estão algumas possibilidades.

Desde pelo menos o final de 2011, a Apple vem tentando descobrir como reinventar a televisão. Naquela época, funcionários da Apple e pessoas próximas à empresa, todos falando no anonimato, disseram que a televisão “não estava sendo ativamente construída, mas a Apple acabaria por eventualmente lançar uma televisão”. As fontes confirmaram que não se tratava de uma questão de saber se a Apple iria se expandir para o mercado de televisão, mas sim de quando isso aconteceria. Talvez tenha chegado a hora.

Desde então, muitos relatórios indicaram que a empresa continua a explorar produtos relacionados à televisão. Em março, em discurso em uma conferência de tecnologia, Cook disse que a Apple tinha “uma visão muito grande” para a televisão.

No entanto, apenas produzir uma televisão bacana com uma maçãzinha mordida não seria nenhuma revolução, uma vez que há uma abundância de boas TVs atualmente. No entanto, a maneira como as pessoas se relacionam com os desajeitados controle remoto ou as pesadas interfaces dos canais mostram que há muito o que evoluir nesse campo. A Apple hoje em dia colabora com distribuidores e provedores de conteúdo nos Estados Unidos para corrigir esses problemas antes de avançar definitivamente para a área das TVs.

Um novo produto mais provável de ser lançado num futuro próximo parece menos inovador: um iPhone mais barato. A Apple já vende modelos de iPhone de antigas gerações mais baratos do que os modelos mais recente, mas isso não é o suficiente para que os aparelhos da empresa ganhem força em alguns grandes mercados fora dos EUA, mais especificamente a China.

A Apple ainda não conseguiu fechar um acordo para vender iPhones com a maior operadora de celular da China, China Mobile, que tem mais de 600 milhões de usuários. Um novo modelo mais barato do iPhone – possivelmente utilizando plástico como material para envolver o celular em vez de metal – poderia ser a jogada necessária para a Apple entrar definitivamente em mercados onde ainda não é tão forte.

Há ainda o aclamado relógio de pulso, chamado de Apple iWatch. Espera-se que o iWatch, como foi apelidado, tenha uma tela curvada, naquela que seria a primeira incursão séria da Apple em um aparelho para se usar no corpo.

Todas as pistas parecem indicar para o lançamento do iWatch. A empresa Corning, fabricante do vidro ultrarresistente que é usado no iPhone, já está trabalhando no desafio de engenharia que é a criação de um vidro flexível, que provavelmente seria usado no iWatch. Além disso, os últimos relatórios da Forrester Research, empresa de tecnologia independente que trabalha com pesquisa de mercado e fornece orientações sobre os impactos da tecnologia, preveem que os próximos dispositivos e plataformas que as empresas devem se focar serão baseados em computação vestível – como um revolucionário relógio de pulso.

Ou a Apple poderia apresentar uma nova categoria de produto, como o fez com os tablets. Apesar de isso parecer improvável, nunca se sabe. Philip Schiller, vice-presidente sênior de marketing da Apple, chegou a declarar ano passado que os executivos da Apple uma vez falaram sobre produzir “coisas malucas”, incluindo um carro da Apple. É esperar para ver. [The New York Times]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • Ivaldo Monteiro:

    Editora é gataa demais

  • Priscila Marques:

    Imagem projeta e controle em holograma qual interagiremos será o mínimo, tudo a partir de um aparelhinho. Esta tecnologia já existe! Imagine o que a Apple fará com ela. Eu aguardo ansiosamente. 😉

  • Odicesar Santi:

    Quanto ao iPhone 5C acho que a nomenclatura deve ser de “colors” mesmo. As cores cítricas vão combinar com os ícones do iOS7. Ter opção é sempre bom. Pra quem não gosta com certeza vai ter os básicos preto e branco.
    A tal iTV eu acho pouco provável que aconteça da forma como todos imaginam, um aparelho de TV propriamente dito. Acho que não faz muito sentido a Apple se arriscar nesse mercado e concorrer com outras gigantes que estão nele há muito mais tempo. Acho mais coerente e mais simples uma renovação da Apple TV, acrescentando a possibilidade de rodar apps, por exemplo.
    O iWatch também acho que não deve sair tão cedo. Simplesmente porque não há tecnologia suficiente para fazer algo realmente inovador. Vide as várias alternativas já existentes e que não decolam porque acabam sendo produto de nicho (Sony Smart Watch, Pebble, Nike Fuel Band, etc.).
    Pode ser que eu esteja totalmente enganado e a Apple me surpreenda tirando leite de pedra. Nesse caso seria ótimo morder a língua.

  • Luiz F Padilha:

    Encontraram um set de instruções para biometria no beta 4 do iOS, ontem. Evidências concretas de que o botão home terá um leitor biométrico.

  • Rodrigo Piedade:

    Mas e o agora já famoso e queridinho da indústria do entretenimento o 3D será que a Apple não tem nada para essa tecnologia? ou até mesmo holografia em 3D???

  • Marte:

    Andam falando no iPhone 5C. O “C” é que é o mistério. Uns dizem que é de Color. Uma série de iPhones coloridos e de baixo preço para as massas.

    A Apple TV não seria uma grande novidade, a Apple já ensaiou seus passos por aí. Nem o iWatch que é muito especulado seria arrebatador. E o que realmente seria superlegal é uma revolução, como foi o Macintosh, o iPhone, o iPad. Se não for revolucionário, se não mudar o mundo, não vai ter graça.

    Espero que o Steve Jobs não nos tenha deixado órfãos.

Deixe seu comentário!