Tripofobia: excesso de oxigenação no cérebro pode explicar desconforto ao ver imagens de buracos?

Por , em 7.04.2016

Uma das incríveis possibilidades trazidas pela internet é o encontro de todo tipo de gente de todas as partes do mundo para discutir problemas em comum. Espontaneamente, pessoas compartilham sintomas e experiências em fóruns de discussão, sem medo de se sentirem expostas.

Estão aí os ingredientes para descobrir condições médicas que ainda não puderam ser observadas ou mesmo reconhecidas por pesquisadores. Um desses casos é a neve visual. Outro é a tripofobia.

Tripofobia é o “medo de buracos”, condição que faz com que indivíduos sintam desconforto como coceira e arrepios e até ataque de pânico ao observar imagens com vários pequenos buracos, círculos, rachaduras ou outras formas assimétricas. O problema foi descrito pela primeira vez em um site em 2005, mas ainda não é reconhecido como um diagnóstico médico.

As imagens que causam essa reação podem ser naturais como uma colmeia de abelhas ou sementes de plantas, mas também objetos feitos pelo homem, como chocolate aerado ou uma pilha de canos ou canudos vistos de lado.

Propriedades matemáticas

tripofobia padrao matematico 2
O que diferencia a tripofobia de outras fobias é que as imagens que causam as reações normalmente não oferecem nenhum risco à pessoa, como o medo de aranhas ou de altura. As imagens com buracos também não têm muito em comum, não seguem nenhum padrão além de sua configuração.

A matemática traz uma possível explicação para este desconforto. A configuração dessas imagens tem propriedades matemáticas que são compartilhadas pela maioria das imagens que causam desconforto visual, tensão ocular ou dor de cabeça.

Imagens com essas propriedades matemáticas não são processadas com facilidade pelo cérebro e pedem mais oxigenação dos tecidos cerebrais. Em um estudo de Paul Hibbard e Arnold Wilkins, da Universidade de Essex (Inglaterra), os autores sugerem que esse desconforto ao encarar as imagens vem da necessidade de maior oxigenação do cérebro.

Por que só alguns sentem o desconforto?

tripofobia padrao matematico 3
Imagens de contaminantes como mofo ou doenças de pele costumam causar nojo na maioria das pessoas, não só nas que têm tripofobia. Esse nojo é provavelmente um mecanismo de defesa para que a pessoa se afaste do que pode lhe causar problemas de saúde.

“As propriedades matemáticas das imagens de mofo ou lesões de pele são similares às tripofóbicas, e nosso estudo examina se elas também induzem uma maior oxigenação do cérebro”, afirma Wilkins. Ele acredita que o desconforto seja um mecanismo útil para não só evitar oxigenação excessiva, como evitar objetos que ofereçam riscos de contaminação. Aqueles que sofrem de tripofobia podem ter esse mecanismo funcionando de forma exagerada. [IFLScience]

Confira no vídeo abaixo mais imagens que causam coceira, arrepios e outros desconfortos em quem tem tripofobia:

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,00 de 5)

21 comentários

  • Margarete Lucas de Oliveira:

    Que sensação horrível que senti quando vi essas imagens, meu coração ficou muito acelerado e tive falta de ar. Medo e nojo.

  • Jaque Vs Breno:

    Gente eu nao sei extamente se tenho tripofodia os sintomas que sinto é medo,meu coracao acelerar e tenho pavor disto como posso saber se tenho msm por favor você poderiam me falar

  • Jose Hercules Hercules:

    Essas imagens me causam arrepios, do lado esquerdo do meu corpo…

  • Maurício Júnior:

    Ótimo, excelente matéria, pena que não consegui ler por causa das imagens! Quem foi o gênio que as colocou? ‘–

    • Eloiza Carvalho:

      Pensei a mesma coisa. Quero saber mais sobre o assunto, mas todos os sites que falam sobre isto, colocam as imagens. De um mal gosto terrível!!!

    • Cesar Grossmann:

      É “mau gosto”, não “mal gosto”.

  • Reginaldo Carvalho:

    Então eu tenho tripofobia…imagens deste tipo sempre me deram uma agonia mortal….coisa de enlouquecer mesmo!

  • Flavia Oliveira:

    Você se diz jornalista por estas razões? Então você não é jornalista.

    • Amom Mandel:

      Flávia, não há sentido no que dizes!
      Então a razão que influenciou a escolha de profissão dela é o fator que define se ela é ou não formada?

    • Juliana Blume:

      Confusão da leitora entre definição de ser jornalista e motivação na escolha da profissão.

  • Adilson Y’ong:

    eu tenho, estou curioso para ver o vídeo e ao mesmo tempo com medo de ficar mal

  • Cristopher Mestre Rossi:

    Sinto muito coceira pelo corpo quando vejo imagens assim

  • PraQueNome:

    Ah, agora eu tenho tripofobia porque tenho nojo de buracos na pele de pessoas? Vídeo altamente enganativo. Deviam colocar um vídeo decente.

    • Cesar Grossmann:

      Talvez.

  • fr@nklin:

    Eu tenho tripofobia desde criança, sinto um arrepio no rosto quando vejo isso, mas basta encarar a imagem por um tempo que a sensação passa.

  • Thiago Alcalde:

    PQP! Nem consegui ler por causa das imagens. Isso é sério, essas imagens são chocantes para tripofóbicos.

    • Antikythero Angr Birds:

      Sim! É verdade. O pior é que não posso pesquisar sobre essa condição porque toda noticia vem atrelada a essas imagens!

    • Paulo Alberto:

      Exatamente isso, não sei qual o gênio que teve essa ideia..

    • Juliana Blume:

      Faz todo o sentido o que vocês dizem! Mas se não tivesse imagens quem não sofre disso teria dificuldade em visualizar os tais “buracos”.

    • Juliana Blume:

      Faz todo o sentido isso que vocês disseram. Mas as imagens foram colocadas para quem não sofre do problema saber do que se trata.

    • Juliana Blume:

      Na próxima vamos colocar um link para apenas quem quiser ver poder clicar.

Deixe seu comentário!