Uber: o primeiro carro que pilota sozinho começa a operar este mês

Por , em 19.08.2016

Se você mora em Pittsburgh, nos EUA, pode ter a chance de pegar um Uber autônomo, capaz de se dirigir sozinho, ainda este mês.

Em 2015, a companhia multinacional norte-americana de transporte privado anunciou que estava trabalhando em carros de autocondução. No início deste ano, a empresa admitiu abertamente que estava testando tais veículos em Pittsburgh.

Apesar disso, com rivais como o Google na disputa pelo mercado dos carros autônomos, creio que ninguém imaginava que os esforços do Uber dessem resultados mais cedo do que os de seus concorrentes.

Mas esse é exatamente o caso. Em entrevista ao portal Bloomberg, o CEO da empresa, Travis Kalanick, revelou que o Uber está se preparando para adicionar carros autônomos a sua frota ainda este mês.

Em fase de teste

A empresa vai implantar cerca de 100 Volvos XC90 à sua frota. Os SUVs serão modificados com equipamentos de autocondução, mas não vão circular por aí totalmente sozinhos.

Cada veículo será composto por um engenheiro, que pode tomar a direção quando necessário, e um copiloto para observar e tomar notas. Haverá também um computador para gravar dados e mapas da viagem.

Se você pedir um Uber em Pittsburgh e acabar em um desses carros, a viagem será de graça.

Incertezas

Muito pouco se sabe sobre os planos do Uber no momento, mas a empresa disse à Bloomberg que vai equipar seus carros com kits de condução autônoma, em vez de desenvolver seus próprios veículos, como o Google está fazendo.

No entanto, a Volvo anunciou que assinou um acordo de US$ 300 milhões com o Uber para desenvolver um veículo totalmente autônomo até 2021, a mesma meta estabelecida pela Ford para o seu próprio carro de autocondução.

Uber e Otto

O Uber se ligou à Otto, uma startup promissora que quer trazer tecnologia de autocondução a caminhonetes existentes. A aquisição da Otto é extremamente notável, não só por sua técnica, mas pelo pessoal envolvido.

A empresa foi fundada por ex-funcionários do Google, como Anthony Levandowski, Lior Ron, Don Burnette e Claire Delaunay.

Levandowski liderou os esforços de carro autônomos do Google, Ron era um executivo no Google Maps e Motorola, enquanto outros funcionários passaram algum tempo com a Apple, Tesla e outras empresas automotivas notáveis.

Levandowski, inclusive, afirmou estar animado com o progresso rápido do Uber, sugerindo frustração com a lentidão do desenvolvimento do projeto do Google. O tempo dirá como isso vai se desenrolar, mas teremos o primeiro vislumbre dessa atitude ousada em breve. [TechCrunch, Gizmodo, TheVerge]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

2 comentários

  • Dinho01:

    Fica a pergunta: se um desses veículos atropelar uma pessoa, de quem será a culpa?

    • Cesar Grossmann:

      A responsabilidade é do proprietário do veículo, a não ser que for provado que o pedestre se atirou na frente do veículo. Na verdade um carro autônomo já atropelou e matou um ciclista. “De propósito.”

Deixe seu comentário!