Uso de anfetamina aumenta risco de doenças vasculares

Por , em 24.08.2010

Caso ainda não esteja claro que o abuso de anfetaminas é uma má idéia, mais um perigo relacionado à droga foi adicionado à lista: investigadores relataram que as pessoas que usam muito a substância têm o triplo de risco de desenvolver um “rasgo” na aorta, chamado de dissecção da aorta, a principal artéria que transporta sangue para o coração.

A dissecção aórtica leva a uma dor horrível no peito. Segundo médicos, é uma doença grave, e tamanha a dor que sentem, os pacientes alegam estar morrendo. E podem estar. Sem tratamento, a taxa de letalidade da doença é de cerca de 75%.

Pesquisadores fizeram a varredura de registros médicos de cerca de 31 milhões de pacientes, com idades entre 18 e 49 anos que foram hospitalizados entre 1995 e 2007. 3.116 deles tiveram uma dissecção aórtica. Os pesquisadores também observaram abuso ou dependência de anfetaminas.

Os cientistas calcularam que o abuso ou dependência de anfetaminas representou pouco menos de 1% de todas as dissecções de aorta no banco de dados. Ainda assim, os dependentes tinham 3.3 mais chances de ter uma dissecção.

Embora pareça uma fração pequena, os resultados podem ajudar as pessoas a tomarem decisões mais bem informadas sobre o seu comportamento. Os usuários de drogas têm uma suspeita de que as metanfetaminas são ruins para sua saúde, mas os pesquisadores não acham que os mais novos estão fazendo uma análise de risco-benefício quando começam a usá-la.

Os jovens que aparecem em um hospital com dores no peito muitas vezes parecem demasiado novos para ter um ataque cardíaco, por isso é bom pensar na possibilidade de dissecção aórtica. O abuso das anfetaminas pode ser facilmente detectado por um teste de urina. Já a dissecção exige imagem, como radiografia de tórax ou tomografia computadorizada e outros exames para um diagnóstico claro.

A doença ocorre mais frequentemente em pessoas idosas, com idade média de 62 anos. Nos EUA, registra-se aproximadamente 10.000 dissecções aórticas a cada ano, menos de um quarto em pessoas com menos de meia-idade. Destes, 1% ou menos parece estar associado ao abuso de anfetaminas, de acordo com estes dados. Eles acrescentam que o tabagismo e uso de drogas ilícitas, como cocaína, também contribuem para este risco.

Pessoas com hipertensão arterial crônica têm alto risco de dissecção aórtica. Anfetaminas liberam adrenalina, o que acelera a pressão sanguínea e pode explicar, em parte, o elo entre as drogas e a doença.

Um paciente com dissecção aórtica é tratado com medicação para baixar a pressão arterial e diminuir a pressão sobre a aorta. Muitas vezes, a condição requer cirurgia para instalar um enxerto sintético que substitui o trecho danificado e outras medidas para reparar o rasgo. Os pesquisadores estimam que a taxa de letalidade global de todos os pacientes, tratados e não tratados, é cerca de um em quatro. [ScienceNews]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

1 comentário

  • Kelly:

    CORREÇÃO
    “…dissecção da aorta, a principal artéria que transporta sangue DO coração.”
    FAZ TODA A DIFERENÇA, HEHE

Deixe seu comentário!