Vida no espaço: Astronautas da Estação Espacial encontram vida no vácuo

Por , em 22.08.2014

Traços de plâncton e outros micro-organismos foram encontrados vivendo no exterior da Estação Espacial Internacional, de acordo com autoridades espaciais russas.

A questão é: como eles foram parar lá? Ou, melhor, como eles sobreviveram ao passeio?

10 objetos extremos descobertos no universo

Segundo os especialistas, o plâncton não foi dar uma voltinha no espaço no lançamento da nave, pois simplesmente não existem plânctons de onde os módulos russos da estação foram lançados – a teoria mais forte até agora é que eles tenham sido soprados por correntes de ar na Terra. Incrivelmente, os minúsculos organismos foram capazes de sobreviver no vácuo do espaço, apesar das baixas temperaturas, da falta de oxigênio e da radiação cósmica.

A descoberta foi feita durante uma caminhada espacial de rotina pelos cosmonautas russos Olek Artemyez e Alexander Skvortsov, que estavam lançando nanosatélites no espaço. Após os lançamentos, eles usaram lenços para polir a superfície das janelas – também conhecidas como iluminadores – no segmento russo da estação quando decidiram analisar a sujeira que estava lá. Surpreendentemente, encontraram a presença de plâncton e outros micro-organismos usando equipamentos de alta precisão. “Os resultados são absolutamente únicos”, afirma o chefe da missão orbital russa, Vladimir Solovyev.

“Vamos encontrar vida no espaço neste século”, afirma pesquisador

“Nós encontramos vestígios de plâncton marinho e partículas microscópicas na superfície do iluminador. Isso deve ser estudado”, sugere. O plâncton não é natural de Baikonur, no Cazaquistão, de onde os módulos russos da estação decolaram.

Solovyev não está absolutamente certo como essas partículas microscópicas podem ter aparecido na superfície da estação espacial. Ele acha que eles podem ter sido “elevados” até a estação, a uma altitude de 420 quilômetros. “Plâncton nestes estágios de desenvolvimento podem ser encontrados na superfície dos oceanos. Isso não é típico de Baikonur. Isso significa que existem algumas correntes de ar que chegam à estação e se instalam em sua superfície”, sugere. A Nasa ainda não comentou se resultados semelhantes foram encontrados no passado (pauta sugerida pelo Diego Willrich. Obrigada!). [Daily Mail]

As 10 coisas mais estranhas do espaço

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

13 comentários

  • Luiz Candido:

    o homem conhece pouquissimo do universo, e ate mesmo de si proprio, como pode dizer é isso ou não é , temos que crescer estudar, e progredir nas ciencias e no cosmo, de onde viemos ? só congecturas, vamos aos estudos e pesquisas !

    • Cesar Grossmann:

      Mas é justamente estudando que se chega à conclusão se algo é ou não é. Por exemplo, se estes seres forem terrestres, pelo DNA vai ser possível identificá-los. Se não forem terrestres, então o DNA será totalmente incompatível.

      De qualquer forma, a grande probabilidade é que sejam seres vivos terrestres mesmo. E a maior probabilidade é que seja contaminação introduzida inadvertidamente por algum astronauta ou pela equipe de terra. Estas são as hipóteses mais prováveis.

    • Cesar Grossmann:

      Uma correção, os microorganismos já foram identificados como sendo plâncton marinho. Então não tem como serem alienígenas…

  • Jonatas Almeida da Silva:

    Informação importante: essa informação é falsa, espalhada em sites nosense, até alguns relativamente confiáveis caíram no erro. Nem a Nasa nem a Agência Espacial Russa confirmaram esse tal ahcado.

    • Marcelo Ribeiro:

      Os russos estão dizendo que é verdade http://goo.gl/G9Lt0w

    • Jonatas Almeida da Silva:

      Agora está melhor – mas só vou crer quando a Nasa receber a confirmação oficial da Roscosmos, pra não me enganar duas vezes 😛 .
      O pior é que isso pode estragar as piadinhas de russos que fiz no facebook 🙁

      Do tipo: ah, se só os astronautos russos viram e os outros não, então é vida baseada em Vodka, não em água. E, é a invasão, entreguem os hambúrgueres de siri… 😀

  • Advocacia Laranjo Quadros:

    Muito interessante, mas vale analisar também se os lenços não estavam “contaminados”.
    Também é interessante fazer uma análise para saber se esse plâncton é terrestre.

  • Renan Altair Nardi:

    E se fosse o contrário? (plancton de cima para baixo e não de baixo para cima )

    • Cesar Grossmann:

      De onde viria este plâncton? Por enquanto, só encontramos plâncton na Terra. E ainda existe a suspeita que se trata de contaminação de outra origem…

  • Diego Willrich:

    De nada!

  • Johny Ted:

    Fan-tás-ti-co! Existe uma teoria que a vida se espalha no universo como um vírus, e que nós até seríamos marcianos por natureza, já que Marte tinha a estrutura biológica da Terra há milhões de anos antes de perdê-la pelos ventos solares. Seria possível repovoar Marte com esses plânctons (geradores de oxigênio), pois o homem não pode ainda pisar no planeta vermelho por falta de atual “couraça” anti-raios cósmicos?

  • Aline Cruz:

    Se eles foram “soprados” da Terra, como conseguiram atravessar as altas temperaturas da atmosfera?

    • Marcelo Ribeiro:

      Quanto mais alto, mais baixa a temperatura. Ainda é uma pergunta válida, no entanto.

Deixe seu comentário!