10 parentescos surpreendentes entre animais

Publicado em 22.04.2013

A taxonomia envolve o mapeamento científico da árvore familiar genética de todas as espécies vivas. Graças ao trabalho de “detetive” dos cientistas, alguns segredos surpreendentes desta árvore estão sendo descobertos, como o fato de que os cães tem parentesco mais próximo com as focas do que gatos, ou a identidade da humilde craca, ou até mesmo porque papagaios, que comem sementes, têm um dente que serve para quebrar vértebras. Confira:

10. Leão-da-montanha

10

As Américas do Sul e Norte são a casa de um enorme gato predador, conhecido como suçuarana, puma, onça-parda, onça-vermelha, jaguaruna, leão-baio ou leão-da-montanha. Pesando mais de 90 kg e chegando a medir 3 metros de comprimento, este felino consegue caçar presas tão grandes quanto gado e cavalos selvagens. Mas, geneticamente, são muito parecidos com os gatos domésticos.

Os cientistas determinaram de forma conclusiva que o puma não é uma pantera ou leão, mas sim um primo do pequeno jaguarundi. Os “leões-da-montanha” ronronam e miam, e seu caminho evolutivo divergiu recentemente do seu primo mais próximo, o gato doméstico. Tecnicamente, o puma é um gato pequeno, mas isto não serve de conforto se você encontrar um deles pela frente. Caçadores letais, relatos de mortes de pessoas por pumas volta e meia são vistos nos jornais.

9. Papagaios e falcões

9

Apesar das cores brilhantes, a capacidade de “falar” e a personalidade amigável, os papagaios são primos dos terríveis falcões, os mais letais caçadores de todos os pássaros vivos.

A ideia de que papagaios e falcões tenham um parentesco próximo parece incompreensível para alguns, mas a semelhança fica mais fácil de perceber quando se retira a plumagem colorida da equação. Os falcões possuem uma endentação no bico chamada de dente tomial, que serve para cortar a espinha de outros pássaros. Gaviões e águias não têm este dente e são forçadas a despedaçar suas presas para matá-las, um processo que pode demorar vários minutos. Incrivelmente, o exame de certos papagaios, incluindo os famosos “periquitos-namorados”, revela que eles também possuem um dente tomial, uma evidência física e genética de sua ligação com os falcões.

8. Boi-almiscarado

8

O boi-almiscarado é um enorme “fóssil vivo”, que vagueia pelas paisagens remotas de tundra da Groenlândia, Escandinávia, Canadá e Rússia. É a resposta do norte ao bisão, e o único remanescente vivo da Era Pleistocena, tendo caminhado lado-a-lado com os mamutes. Chegando a pesar mais de 400 kg, estas bestas desgrenhadas medem até 1,5 metros nos ombros, e possuem um capacete massivo de chifres.

Apesar de se assemelhar muito ao boi, ele é parte de um grupo de ungulados conhecidos como cabritos antílopes, o que o faz um parente próximo da ovelha doméstica e dos cabritos monteses. Uma análise cuidadosa do DNA e das estruturas de seu corpo reforça este relacionamento.

7. Peixe-boi e musaranho-elefante

7

O peixe-boi, ou manati, é um mamífero marinho enorme, que se parece um pouco com uma morsa, e é nativo das mornas águas costeiras equatoriais. Entretanto, mesmo com esta aparência, ele não é parente dos cetáceos ou focas, como muitos poderiam imaginar, mas sim é o parente vivo mais próximo dos elefantes.

E, surpreendentemente, a sua similaridade genética com elefantes é compartilhada somente com outra família, os musaranhos-elefantes. Estas criaturinhas tem apenas 15 cm, mas se você olhar bem, vai ver algumas semelhanças com o gigante animal.

6. Corvos

6

O corvo é um enorme, perturbador e extremamente inteligente pássaro, que pode vencer águias e, se necessário, matar mamíferos tão grandes como borregos. Apesar de poder ser encontrado praticamente no mundo todo, poucas pessoas se preocupam com o seu lugar na árvore evolutiva.

A resposta pode espantar o amante de pássaros amador: ao invés de ser aparentado com urubus, os corvos são na verdade o maior membro da ordem dos pardais, os Passeriformes. Apesar da envergadura de asas maior que 1,5 metros, e uma voz aparentemente rouca, os corvos têm estruturas vocais extremamente bem desenvolvidas, e podem formar uma variedade de belos agudos. Estes “super pássaros canoros” também são capazes de manobras acrobáticas aéreas extremas, e são considerados um dos três pássaros mais inteligentes do mundo. Suspeita-se que eles sabem guiar lobos para suas presas, assim eles podem atacar os restos da caça mais tarde.

5. Enguia elétrica

5

A enguia elétrica, mais conhecida no Brasil como poraquê, é nativa da região amazônica. Podendo pesar até 30 kg e medindo até 3 metros, ela tem uma forma de serpente, mas, apesar do nome “enguia”, ela é um tipo bizarro de peixe, da ordem dos Gymnotiformes.

Da mesma forma que outras espécies de peixe, elas evoluíram para uma forma semelhante à uma enguia devido à vantagem que o corpo discreto lhes confere em caçadas. O poraquê é parente do também bizarro “catfish”, um tipo de bagre, e com o peixe dourado que costumamos colocar em aquários como bichos de estimação. Apesar de outros peixes da ordem dos Gymnotiformes também produzirem choques elétricos, tais choques são medidos em milivolts, enquanto o poraquê é capaz de produzir entre 300 V e 1.500 V, com a corrente variando de 0,5 ampères até 3 A.

4. Focas e cães

4

Todo mundo está acostumado a falar “cães e gatos” e a considerar os dois similares, mas quem é que lembra de dizer “cães e focas“? Cães e gatos podem dividir nossas casas, mas as semelhanças entre os dois param por aí.

O verdadeiro primo do cão não é o gato, mas a sua contraparte nos oceanos, os pinípedes ou focas. As focas (e ursos, o que não deixa de ser interessante) são membros da subordem Caniformia, que compreende carnívoros semelhantes a cães, incluindo os próprios. Os gatos estão em uma subordem totalmente diferente. Alguns pesquisadores inclusive sugerem que os leões-marinhos estão para os cães assim como as sereias estariam para os humanos, se existissem…

3. Esgana-gatas

3

O peixe esgana-gatas é um agressivo e capturado com frequência por jovens pescadores. Eles estão entre os tipos mais antigos de peixes, com características estranhas e um relacionamento taxonômico bastante surpreendente.

Embora se pareça com um peixinho vairão, o esgana-gatas é na verdade um parente do cavalo-marinho, com muitas semelhanças físicas escondidas entre as placas de sua armadura e os três espinhos. Eles têm pequenas nadadeiras que permitem que se movam como um cavalo-marinho, e também possuem a mesma boca tubular. Mais ainda, os machos de esgana-gatas são responsáveis por proteger os filhotes, exatamente como os cavalos-marinhos machos.

2. Papagaios-do-mar e gaivotas

2

Quando vemos um belo papagaio-do-mar, com seu bico cheio de peixes, a última coisa que imaginamos é uma gaivota, mas eles são parte da mesma ordem, os Charadriiformes, e são os parentes mais próximos das gaivotas, trinta-réis e maçaricos. Charadriiformes significa “aves marinhas semelhantes à gaivotas”, e é uma ordem que inclui alguns dos caçadores mais eficientes do mundo.

Os papagaios-do-mar têm ossos mais densos que as gaivotas, o que permite que desçam dezenas de metros na água para capturar peixes que nadam em águas profundas, em vez de serem forçados a se alimentar na superfície. As gaivotas, entretanto, costumam roubar de seus primos, e os grandes alcatrazes chegam até mesmo a caçá-los.

1. Cracas

White Gooseneck barnicles at Ogden Point feeding

As humildes cracas, que são a desgraça de quem quer caminhar na praia ou quem gosta de remar no mar, bem como a miséria das baleias desde tempos imemoriais, parecem, em uma primeira olhada, apenas algum tipo de marisco que gosta de incomodar. Só que este animalzinho estranho não tem parentesco próximo com ostras, mariscos e mexilhões.

As cracas são parentes próximas de caranguejos, lagostas e camarões. Elas começam a vida na forma de larvas planctônicas semelhantes a camarões. Depois de um período em que vivem como nadadoras livres, as cracas se prendem a um objeto sólido, às vezes até mesmo um grande mamífero, como uma baleia, e tratam de se cercar com um cone feito de carbonato de cálcio.

As cracas se alimentam estendendo seus tentáculos por uma abertura do cone, agarrando o plâncton que estiver passando. Um detalhe macabro: parte deste plâncton inclui larvas de craca – mas até que ponto isto perturba a craca ainda não foi descoberto. [Listverse]

Autor: Cesar Grossmann

Sou formado em Engenharia Elétrica, mas trabalho no setor público, gosto de xadrez e fotografia.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

9 Comentários

  1. Todas essas informações nos enriquece e muito, pois quantas coisa nos são ensinadas. Tudo, tudo é interessante.
    Pelo que sei, gato e cachorro não podem mesmo ser parentes porque o gato é 100% por cento carnívoro e o cão é onívoro, pois come de tudo, não?

    Thumb up 1
    • Na verdade o cão e o gato são sim parentes, só que mais longinquos. Imagine q houve um primeiro ancestral mamifero (um pequeno mamifero semelhante a um roedor) e este evoluiu de diversas formas, uma dessas divergências se deu nas sub-ordens caniformia e feliformia, onde o primeiro inclui ursos, lobos, gambás, guaxinins e entre outros, e o segundo inclui felinos, hyenas, fossas, mangustos, etc

      Thumb up 1
  2. Muita gente pensa que uma espécie se transforma em outra, na verdade uma espécie dá origem a duas novas espécies,tiveram a mesma origem embrionária, é como a relação entre o homem e o macaco.
    Todas as espécies que existem e que já existiram tiveram o mesmo ancestral comum , LUCA, que deu origem a toda diversidade dos seres vivos, unicelular e multicelular…

    Thumb up 1
  3. Acho que as Cracas são parentes dos Cupcakes e Nha-Bentas! rsss

    Desculpe Cesar, não resisti!!! ;-)

    Thumb up 1

Envie um comentário