Google Alerts: 6 jeitos que ferramenta pode ajudar na busca de emprego

O Google Alerts é mais um jeito que o Google encontrou de facilitar a sua vida.

Não preciso falar para ninguém como é difícil varrer o mercado de trabalho em busca da vaga dos sonhos. O que complica ainda mais esse processo é, não raro, o fato de algumas vagas nem chegarem a ser anunciadas. Então, como é possível encontrar o emprego perfeito se as vagas não são divulgadas?

Antes que o desespero comece a bater, eu adianto: existe um jeito. E ele se chama Google Alerts. Eu sei que se conselho fosse bom ninguém dava… Mas, acredite, esse é dos bons: use o Google Alerts na hora de procurar empregos. É realmente de graça, e funciona.

O que é o Google Alerts?

O Google Alerts é uma ferramenta do Google que envia um e-mail gratuita e automaticamente para você, sempre que o buscador encontrar informações relevantes aos tópicos que você diz estar procurando. Isso pode incluir desde notícias e comunicados de imprensa a empregos.

Você também pode usar o Google Alerts para monitorar notícias sobre qualquer empresa, ONG, produto, pessoa ou setor relevante para a sua procura de emprego. Assim, você fica sabendo de primeira mão quaisquer indícios de que uma vaga pode estar disponível e esperando só por você.

Por que o Google Alerts ajuda na procura por emprego?

Esse tipo de “informação privilegiada” pode te dar uma boa grande vantagem sobre seus concorrentes. Você vai saber sobre oportunidades de negócios e principais mudanças na empresa muito antes que o público em geral. Pense no Google Alerts como a secretária mais dedicada que você poderia ter, trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem reclamar.

Para fazer o Google Alerts render e dar aquela mãozinha para impulsionar sua carreira, temos 6 dicas de ouro que podem te colocar ainda mais a frente.

1. Use o Google Alerts para monitorar os empregadores em que você está interessado

Você pode usar o Google Alerts para obter informações privilegiadas sobre o que está acontecendo em lugares nos quais você gostaria de trabalhar. Então, se você decidir se candidatar a uma vaga nesses locais, pode casualmente enviar seu currículo para o RH aumentando suas chances de ser exatamente a pessoa que a empresa precisa, exatamente na hora em que ela também está procurando você.

Por exemplo: se você recebe um alerta do Google com um histórico dizendo que a empresa que você deseja trabalhar planeja fazer uma expansão para a China e, por acaso, você fala mandarim fluentemente, dê um destaque especial para essa habilidade na hora de fazer seu currículo, ou em uma entrevista.

Ou, também, um alerta do Google revela que a empresa “X” está enfrentando um processo sobre, por exemplo, responsabilidade social. Isso significa que eles podem abrir em breve vagas de Relações Públicas ou contratar mais pessoas para a equipe jurídica. Esses são os tipos de dicas que você pode encontrar nas informações que o Google envia que, se bem aproveitadas, podem fazer com que você seja a pessoa certa para o trabalho certo.

2. Pesquise empregos por localização

Você pode usar o Google Alerts para acompanhar as últimas notícias sobre as empresas de seu interesse localizadas em uma área geográfica específica, o que pode ser útil se você procura empregos que são perto da sua casa, ou que sejam de fácil acesso a você.

3. Acompanhe as pessoas interessantes

Se você já trabalha a algum tempo, sabe que referências são tudo nessa vida. Saber quem são os melhores na sua área, admirar o trabalho dessa ou daquela pessoa, é como um termômetro, um ponto de partida, um objetivo. Hoje em dia, uma das melhores maneiras de conseguir um emprego legal é por indicação. Conhecer as pessoas certas, portanto, pode ser um canal interessante.

O LinkedIn é a melhor rede social para estabelecer contatos profissionais (e fazer o valioso network), mas o Google Alerts permite que você acompanhe as últimas notícias sobre CEOs, por exemplo, que não fazem parte de sua rede no LinkedIn.

Tenha em mente que os donos de grandes empresas não têm lá muito tempo para atualizarem seus perfis regularmente. Justamente por isso, a ferramenta do Google pode manter você atualizado apesar disso. E tem mais: depois de receber um alerta do Google com uma boa notícia sobre um colega ou um contato, você pode enviar um e-mail de parabenização (ou melhor ainda, uma nota manuscrita). Este pequeno gesto é uma maneira eficaz de começar ou re-estabelecer um relacionamento. Só tome cuidado: não estrague seu bilhete aproveitando esse contato prematuro para pedir um cargo, ou mostrar seu currículo. Guarde esse pedido para uma outra ocasião, depois que o relacionamento com a pessoa estiver mais sólido.

Pedir emprego dessa maneira é um tanto indelicado e pode ter um efeito contrário do que você gostaria. Porém, o gesto costuma ser muito bem apreciado.

4. Monitore seus passos online

Qual é a primeira coisa que um potencial contratante faz depois de ler o seu currículo? Ele ou ela vai perguntar ao Google quais são suas referências. E se você tiver algum tipo de histórico digital ruim, pode acabar ficando em desvantagem – ou até perdendo uma vaga. Por isso é tão importante a criação de um Google Alerts para o seu próprio nome.

Se você descobrir qualquer informação ofensiva, pode tentar apagá-la. E, na pior das hipóteses, se você não conseguir/não puder deletá-la, pelo menos você vai estar mais preparado para lidar com a questão caso ela seja pontuada em uma entrevista.

  • 6 erros nas redes sociais que podem destruir sua carreira

5. Use informações do mercado de trabalho para construir sua marca pessoal, se colocando como um especialista no seu setor de atuação

Uma das melhores maneiras para brilhar durante a procura de emprego é ter uma forte presença online. Você pode construir a sua com informações que você recolheu através alertas do Google e espalhá-las por aí. Como?

Bom, você pode fazer um blog, por exemplo, e escrever artigos sobre empresas, sobre acontecimentos do mercado em que você atua e outras coisas assim, que sejam do seu campo e mostrem que você está antenado no que acontece.

6. Prepare-se melhor para entrevistas

O conhecimento adquirido a partir do Google Alerts sobre o empregador, concorrentes e planos estratégicos pode te ajudar a se destacar para uma vaga de emprego. Use essas informações para preparar suas respostas ou fazer comentários relevantes em uma entrevista.

Por exemplo, você pode dizer: “Eu li um artigo no New York Times sobre seus planos de expansão na Europa para o próximo ano. Você poderia falar mais sobre eles? Esse é um assunto que me interessa!”.

Pegou o espírito da coisa? Não é tão difícil quanto parece. E, além de todas essas dicas, vale uma que está presente em todas elas e em muitos outros departamentos da vida: a regra do bom senso. Na hora de passar por uma entrevista, na hora de mandar seu currículo, na hora de perguntar se uma determinada empresa está procurando alguém com as suas competências, o bom senso é um bom guia para o sucesso.

E agora, a pergunta de 1 milhão de dólares:

Como configurar o Google Alerts?

Primeiro, vá para a página inicial do Google Alerts.

Em seguida, digite seu termo de busca, como se você estivesse fazendo uma pesquisa normal do Google. Se o nome do empregador/empresa/instituição, por exemplo, é composto por duas ou mais palavras, coloque entre o nome aspas. Por exemplo, “a Universidade de Harvard” ou “Roberto Justus”. Se você quiser configurar uma pesquisa para vários empregadores, use a palavra “OR” (em letras maiúsculas) entre os termos de pesquisa.

Para evitar ter sua caixa de entrada bombardeada com e-mails indesejados, o Google pede que você refine sua busca utilizando vários filtros diferentes. O primeiro, “Tipo de resultado”, dá a opção de receber todas as notícias relevantes para os termos de pesquisa ou apenas notícias relacionadas a blogs, livros etc. Na maioria dos casos, é melhor para selecionar “tudo”, e se você receber muitas respostas, melhore seus filtros depois. Os outros (como preferência de idioma) são autoexplicativos.

O Google Alerts também pergunta se você deseja receber atualizações “instantâneas”, “uma vez por dia” ou “uma vez por semana”. Assim, decidindo quantos alertas você receberá, você tem um controle maior e não corre o risco de ser surpreendido por uma quantidade absurda de e-mails na sua caixa de entrada.

Depois que você escolher seus termos de busca, é só selecionar de que jeito você quer receber as informações: por e-mail ou feed RSS. Em seguida, clique em “Criar alerta”. A partir de então, os seus alertas serão entregues automaticamente.

Conforme você for recebendo seus alertas, pode ajustá-los de acordo com suas necessidades. A ideia é refiná-los e, aos poucos, ficar somente com o que realmente interessa. [Forbes]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta