Princípio antrópico: o universo só está aqui porque nós existimos

Publicado em 12.09.2012

Quem se debruçar um pouco sobre os números e leis na natureza, vai encontrar uma série de coincidências que os cosmólogos chamam de “coincidências antrópicas”, ou as coincidências que permitem que exista vida e, em última instância, que nós existamos. Entre as coincidências antrópicas, podemos citar a relação entre a força eletromagnética e a força gravitacional, ou a relação entre a massa do elétron e do próton, ou mesmo a relação de carga entre elétron e próton.

Os valores das constantes e as leis da natureza no universo são tais que permitem que as estrelas existam, que elas produzam elementos mais pesados que o hidrogênio, que elas tenham um tempo de vida inverso à sua massa (quanto maior a estrela, mais curta a vida, e mais pesado o elemento que ela é capaz de produzir), que o carbono tenha quatro ligações, que as ligações químicas sejam possíveis e mais uma série de fatores necessários para que exista vida.

Ou seja, tudo isso torna o universo possível, e, em última instância, torna a existência de seres humanos possível.

Princípio antrópico

Da constatação destas coincidências antrópicas, o astrônomo Brandon Carter apresentou em 1974 o princípio antrópico fraco e forte.

O princípio antrópico fraco afirma que, se nosso universo não fosse compatível com a vida, não estaríamos aqui para nos maravilhar com ele. Já o princípio antrópico forte usa o princípio copernicano de que, como não devemos supor que ocupamos uma posição privilegiada no universo, e o nosso universo suporta a vida, então só os universos que suportam a vida são possíveis.

Barrow e Tipler, na década de 1980, estenderam o princípio antrópico forte dizendo que o universo existe para que nós, seres humanos baseados no carbono e inteligentes, viéssemos a fazer a pergunta “por que o universo existe”.

O físico Fred Hoyle chegou a afirmar que qualquer um que examinasse as leis da física nuclear chegaria à conclusão que elas foram concebidas de forma intencional.

Outros ainda pegaram a interpretação de Copenhague da mecânica quântica, que afirma que a superposição quântica acaba quando um fenômeno superposto é observado (“a função de onda entra em colapso quando é medida”), e afirmam que o universo precisa de um observador inteligente para existir, e portanto “foi feito” pensando em nós, observadores inteligentes.

Segundo os defensores do princípio antrópico, a coincidência de todos os valores de constantes e as leis da natureza serem apropriadas para a vida é tão improvável que não dá para pensar em coincidência: teria que ser algo proposital, e o propósito seria para que nós viéssemos a existir para admirar este universo.

Críticas ao princípio antrópico

Existem muitas críticas ao princípio antrópico, principalmente ao princípio antrópico forte.

O astrônomo Carl Sagan foi um dos que criticou o princípio antrópico. Ao mesmo tempo que concorda com o princípio antrópico fraco, ao afirmar que só estamos examinando o universo por que o universo tem condições que permitiram o surgimento de vida e inteligência neste planeta, ele critica o que chama de princípio antropogênico (seres baseados em água líquida e carbono afirmando que a água líquida e o carbono são essenciais à vida) apontando que ele é incompatível com a experimentação.

Não só isto: as mesmas condições que permitem que existam seres humanos também permitem a existência de pedras, o que poderia servir de mote para a criação do “princípio lítico”.

Neil deGrasse Tyson é outro astrônomo a criticar tal ideia. Segundo Neil, o princípio antrópico parte de uma premissa errada – a de que o universo “é amigável” à vida. Segundo as observações astronômicas, a maior parte do universo é totalmente hostil e incompatível com a vida: frio demais, radiação demais, calor demais, ausência virtual de matéria (a maior parte do universo, hoje, é de vácuo), estrelas explodindo, jatos de matéria a velocidades relativísticas destruindo galáxias, explosões de raio gama esterilizando regiões inteiras de galáxias, colisões de asteroides e cometas. E a gente ainda se pergunta por que nenhuma civilização alienígena fez contato até hoje…

Sobre a mecânica quântica, em 1957, o físico Hugh Everett propôs a interpretação de vários mundos, e nesta interpretação a função de onda não entra em colapso e a superposição quântica não é resolvida por um observador. Segundo a IVM, todos os estados quânticos possíveis e todas as combinações possíveis acontecem, gerando uma infinidade de universos possíveis.

Ou, dito de uma outra forma, quando um estado de superposição seria alcançado, o universo se ramificaria em vários universos alternativos, ou histórias alternativas, um para cada um dos estados de superposição possíveis. O experimento do gato de Schroedinger, por exemplo, geraria dois universos, um em que o gato está vivo, e outro em que ele está morto. O observador é dispensado.

Finalmente, sobre a probabilidade extremamente baixa da coincidência, o matemático John Allen Paulos, no seu livro “Inumerismo: o analfabetismo matemático e suas consequências”, alerta contra conclusões baseadas em probabilidades depois do evento acontecido.

Segundo ele, a improbabilidade não é necessariamente prova de qualquer coisa: quando você recebe uma mão de cartas de bridge de 13 cartas, a probabilidade de ter recebido aquela mão específica é de uma em 600 bilhões, uma probabilidade extremamente baixa, mas seria absurdo concluir que aquela mão não deveria ter sido distribuída por que é extremamente improvável.[Wikipedia, HSW - 1, HSW -2, Dicionário do Cético, The Skeptic's Dictionary, How Stuff Works, Ensadio do Prof. Daniel Berger, The Skeptical Intelligencer, Anthropic Principle, Reason.com]

Autor: Cesar Grossmann

Sou formado em Engenharia Elétrica, mas trabalho no setor público, gosto de xadrez e fotografia.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

73 Comentários

  1. Prezado Costa, você deveria ler e procurar entender na íntegra um comentário para depois criticar. Eu disse que “SE é possível provar a existência de Deus…”, note bem: “SE é possível…”, eu não disse que é possível. Filósofos vêm, desde longa data, elaborando argumentos pretensamente capciosos para provar a existência de Deus (e há quem tente provar o contrário!!), e nenhum prova coisa nenhuma. Somente seria (SERIA!!!) possível através da observação de uma ordem inerente à desordem total que é o Universo, uma ordem descrita pela ciência. Isso até certo ponto vem sendo feito, daí a “teoria” do “design inteligente”, que, contudo, da maneira como é exposta, não passa de mero fanatismo religioso.
    Pelo visto você não sabe o que é uma TEORIA, do contrário não diria o que disse (aliás, pelo que vejo em seus comentários, você é religioso, parece que kardecista, portanto não me espanta que não saiba o que seja uma teoria, pois os kardecistas costumam dizer que o kardecismo é uma ciência; quem pensa dessa forma não sabe o que é ciência). Exemplo de teoria correta: a relatividade especial. Exemplo de teoria incorreta: a teoria do flogisto.
    Ao contrário do que você diz, revelando sua ignorância no assunto (típica de religiosos que só enxergam suas doutrinas e nada além), é a própria ciência que confirma, dia a dia, a correção da teoria do Big-Bang e da teoria da evolução. São teorias corretas, não completas (por isso são robustecidas por cada vez mais evidências: se fossem completas é claro que não necessitariam de mais evidências), portanto não faça como a maioria dos “religiosos de plantão”, que tentam atacar ambas as teorias fazendo perguntas que não podem ser respondidas. Se tal atitude fosse válida, toda a Ciência cairia por terra, e não apenas essas teorias em particular, pois em todas as áreas do conhecimento humano existem perguntas sem resposta. Dizer que é a ciência que tem provado que essas teorias são incorretas é no mínimo uma bobagem, revela total ignorância do assunto – e não vá mesmo buscar “provas” desse tipo nos argumentos religiosos, porque esses não provam coisa alguma.
    Leituras recomendadas: 1)Cosmos e Contexto, de Mário Novello; 2) O que é Cosmologia, idem; 3) O Universo Elegante, de Brian Greene; 4) O Tecido do Cosmo, idem; 5) A Grande História da Evolução, de Richard Dawkins; 6) O Polegar do Panda, de Stephen Jay Gould, e por aí afora. Ou lê obras de divulgação científica séria, ou persiste na incompreensão do mundo lendo livros espíritas. A escolha é de cada um.

    Thumb up 5
    • GIL CLEBER,

      Vamos ser honestos. A incoerência que apontei no seu comentário não está no ‘SE’ , mas no ÚNICO meio “se é possível provar a existência de Deus, essas poderosas teorias são o ÚNICO meio para isso. ” Idêntico ao que dizem aqueles que você chama de: (religiosos que só enxergam suas doutrinas e nada além), quando dizem que suas religiões são as ÚNICAS certas e as ÚNICAS que salvam, Enfim, você demonstrou o seu radicalismo, igualando-se aos que você critica.
      O resto do seu comentário, além de longo é vazio de conteúdo e cheio de ataques gratuitos e errôneas ilações sobre a a minha religiosidade que não vou responder ou comentar.

      Thumb up 9
  2. Sds,

    Será mesmo que os cientistas pós-moderno tem argumento suficiente para debater com os propagadores do projeto inteligente.
    Sei muito bem que mencionar o termo FÉ num meio científico não é nada inteligente. Porém, descartar a FÉ também não é uma atitude inteligente.
    A Bíblia na fala de ciência dentro da atual nomenclatura científica. E sim, dentro da cultura contemporânea da época.

    O Dr. Robert Clark PHD em bioquímica pela universidade Cambridge, declarou no seu livro; Universo, plano ou acidente? Que: É impossível quando você olha para química, física, astronomia, biologia entender o universo como obra do acaso. Mas sim, entendê-lo como uma obra projetada com engenhosidade e projeto deliberado.

    O cientista soviético Dmitri Dmitrievich Maksutov tem três doutorados em ciência declarou que: A evolução trouxe problema para ciência. Por que emperrou o conhecimento, devido a ciência ter focado todos seus estudos dentro da teoria da evolução.

    O Dr. Marcel schwarzenberger professor da universidade de París, fez o cálculo para saber se houve evolução. Ele chegou a seguinte conclusão, que; 1 chance contra 10 seguidos de 2 bilhões de zeros.Ou seja, não houve evolução em nenhuma área humana ou do universo.

    Fica á dica!

    Thumb up 8
    • Errata—-> Em meu comentário logo abaixo houve um pequeno erro.
      No momento da leitua substitua o (NÃO) pelo (NA)

      A Fé nunca irá contradizer a razão, e nem razão irá contradizer a FÉ.
      Elas são antagônicas (NÃO) mente dos cientistas que tem conceitos evolucionista.

      Amplexos!

      Thumb up 2
    • Prezado Isaías, suas informações sobre Einstein vêm de que fonte? Primeiro, ele não foi um dos poucos que usaram quase 10% de sua capacidade mental, já que todos os seres humanos usam, NA VERDADE, 100% dela, ou seja, segundo os neurocientistas não nenhum sinal de alguma área do cérebro permaneça inativa: todo o cérebro permanece ativo, todo o cérebro trabalha. Segundo, Einstein não calculou a expansão do Universo, já que a TG da relatividade previa um universo não estático, não necessariamente em expansão, daí a introdução da famosa constante cosmológica para que o Universo permanecesse estático na descrição matemática – e aí ele errou, já que descobriu-se mais tarde que se expandia.

      Ouve-se muito essa bobagem acerca dos 10% de capacidade mental do ser humano. É apenas um mito, não há qualquer fundamento científico nessa crença.

      Thumb up 3
    • O Isaías ainda comete outro erro: a falácia do apelo à autoridade. E daí que os três nomes citados têm PHD nisso e naquilo? Isso não significa que eles estejam certos. Suas opiniões não têm poder de verdade, são apenas opiniões.
      A noção de que existe um Deus que planejou o Universo não depende desses PHDs. Aliás, a existência de um Deus não invalida em nada as teorias científicas em desenvolvimento. Muito pelo contrário.

      Thumb up 3
    • Caro Gil Cleber,

      Você disse:
      “E daí que os três nomes citados têm PHD nisso e naquilo? Isso não significa que eles estejam certos. Suas opiniões não têm poder de verdade, são apenas opiniões.
      A noção de que existe um Deus que planejou o Universo não depende desses PHDs.”

      A ciência se utiliza da mídia, dos centros acadêmicos, dos centros de pesquisas e dos livros de física, química, biologia, astronomia, etc… para disseminar a falaciosa macroevolução, big-bang. Se eu for citar a lista é imensa.
      Darwin escreveu um livro que existe 800 verbos no futuro do subjuntivo (SUPONHAMOS), e os evolucionista considera este livro como uma bíblia. Por este motivo achei relevante em citar a “opinião” destes renomados cientistas.

      Você disse:
      Suas informações sobre Einstein vêm de que fonte?

      1º Você refutou meu argumento e não mostrou nenhuma fonte que ratificasse seu argumento.
      Mostre-me dados sobre algum neurocientista ratificando seu argumento.

      2º Você disse:
      Todo o cérebro permanece ativo, todo o cérebro trabalha.

      É mesmo? Infelizmente eu não tenho este dado, mas, o que eu sei, é que alguns seres humanos tem a capacidade maior que outro de manter todo cérebro em funcionamento.
      Não existe diferença entre o cérebro de Einstein ou de uma pessoa de pouca formação cultural. O que faz a diferença é a capacidade de processar informação. E esta capacidade do não processamento das informações tem a ver com o sedentarismo mental.
      É igual ao exercício corporal, se eu malho de 2º à 6º irei ter resistência maior em meu corpo do que uma pessoa sedentária.
      Simples!

      3º Gil Cleber, a neurociência até agora não mostrou nenhum dado relevante sobre seus estudos.
      Tudo não passa de teoria, pressupostos e muita mentira.
      Posso até defender teu argumento sobre a capacidade cerebral de 10% ser folclore. Por outro lado, a neurociência tem que ter um arguemnto robusto sobre esta temática.

      Amplexos!!!

      Thumb up 4
    • Em relação a expansão do UNIVERSO!

      Já se sabia que o UNIVERSO é um sistema fechado, por este motivo não tinha como se expandir.
      Será que Einstein estava mauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu informado, ou ele queria refutar a afirmação de que UNIVERSO é um sistema fechado.

      Todos aqueles que tentarem refutar sobre a questão do universo ser um sistema fechado, mostre-me provas cabais.
      Não aceito como “provas” axiomas, pressupostos e posições filosóficas.

      Thumb up 1
    • Nos tempos do Google, não é necessário pôr links para este ou aquele tema. Assim, Sr. Isaías, pesquise na net: você verá que os estudos que vêm sendo desenvolvidos na área das neurociências mostram que o cérebro não possui regiões adormecidas, muito menos 90% dele. Os estudos são feitos em pacientes vivos, e mostram que qualquer pessoa tem seu cérebro 100% ativo. Essa história dos 10% é apenas folclore, porém o Sr. apresentou esse argumento como algo factual.
      Por outro lado a teoria do big-bang e a teoria da evolução vem sendo cada vez mais robustecidas por evidências, só não percebe isso quem não se informa, quem não lê.
      Por outo lado, todos que contestam a evolução (p. ex.) o fazem apresentando um argumento repleto de erros e falácias que por si só se invalida (um exemplo é o livro “O Engano do Evolucionismo”, de Harum Yahya, encontrável em PDF na net, e do qual eu fiz ampla contestação, mostrando a grande quantidade de erros de argumentação cometidos – e olha que o autor, no prefácio, já diz que “será impossível apresentar contestações” ao livro).
      Alguém, hoje em dia, querer contestar a ciência valendo-se de argumentação religiosa consegue apenas cair no ridículo.
      Por outro lado, o fato de as teorias Big-Bang e Evolução serem corretas não implica na inexistência de Deus – a meu ver é o contrário que ocorre: se é possível provar a existência de Deus, essas poderosas teorias são o único meio para isso.

      Thumb up 2
    • Pseudo querendo pagar de cientista, além disso afirmando que evolução é ficção, estude mais, seu argumento está quebrado aí. Deixa de ser pseudo.

      Thumb up 2
    • Já vi em outro comentário que você tem um certo estudo, então seus argumentos são de fé, então não discutirei isso, paz !!

      Thumb up 1
  3. Cícero,
    Não é de meu costume apresentar links, mas apresento esse, vi até as respostas mas os bíblicos só souberam criticar e dizer que ele não sabe do que fala, nenhum foi capaz de argumentar no que ele está errado, isso só reforça as 10 razões apresentadas.
    Não é de minha vontade convencer o religioso a abandonar a bíblia pois essa é sua identidade, mas falta muito um senso crítico válido, pois aceitam a ciência apenas quando confirma algo bíblico, mas a rejeitam quando prova algo negativo a essa crença, não é muito justo.
    1 – Não existem Falácias na TE, Teoria da Evolução é uma teoria muito sólida, que dispensa falácias e teses que se confirmam errada. Cientistas tem bom senso e são muito bem graduados para diferenciar uma prova da evolução de um indício e de uma tese. Diferente do criacionismo, que em si só já começa falacioso, se afirmando como FATO, desconsiderando a verdade: é só uma teoria religiosa, sem valor científico – nem é considerado teoria científica.
    2 – Diferente de você, eu NÃO afirmei nenhuma certeza, conheço a complexidade do cosmos, conheço também a aleatoriedade: essa aparente harmonia e precisão tem sempre uma origem caótica, aprendemos muito bem na Astronomia, vemos nos telescópios, histórias ao vivo, imagens do passado. Mesmo assim, não afirmo certezas; apresento visões, é diferente.
    3 – Ideologia, Crença, Filosofia, mas muito mais descobertas da bioquímica, geologia, paleontologia, entre outras ciências, do que qualquer outra tese já feita sobre a Vida.
    4 – Se não tem esse objetivo, é obvio que não serve pra explicar os mistérios da existência. Esfera de Estrelas se refere ao pensamento estático e antropocêntrico da Religião e das primeiras ciências: exclusividade da humanidade, vida que não se transforma, etc.
    Teu exemplo é muito fálho pelo princípio que você mesmo diz: um simples exemplo, Física não é algo simples. Aliás, o trecho de gênesis é muito simples, não serve pra muita coisa. A luz e os fenômenos da sua propagação não tiram o sono de nenhum Físico, hora pra onde vai… O Universo é grande demais para ser preenchido por zilhões de faróis, é um fato: mais de 99% vazio. Partícula da Força Eletromagnética e Quantum da radiação eletromagnética -a luz é uma onda eletromagnética- são os Fótons.
    Como pode ver, luz é apenas UMA das várias categorias de forças eletromagnéticas, aquela que fica ao alcance de nossa percepção, na verdade, fica entre a radiação infravermelha e a radiação ultravioleta.
    Gênesis pensou nisso? acho que não, mas eu não sei nem li gênesis, deve ter mais coisas lá (mas deve ser mais pro lado humano do que do universal), se você quiser apresentar… Os Hindus por exemplo possuem um conceito de origem bem interessante que se encaixa na Teoria das Cordas, os Budistas alguns conceitos compatíveis com a Física Quântica e no fim, esse embate entre Filosofia, Religião e Descobertas Científicas nem precisam ser inimigas, só comparadas, afinal ninguém tem todas as respostas, só existe gente que acha que tem, em ambos os lados. ;)

    Thumb up 5
    • Jonatas, só uma obervação:

      Acredito que não devemos interpretar Gênesis de forma literal (aliás, Santo Agostinho, já no século IV, não tinha uma interpretação literal de Gênesis). O fato dele não ser um ‘compêndio’ científico da criação, não significa que não foi inspirado por Deus; pois, acredito que Deus respeitou e usou a crença daquele povo na época para explicar a criação de um modo que eles pudessem entender; seria absurdo Deus falar, por exemplo, de Relatividade ou de Mecânica Quântica para uma tribo daquela época.

      Mesmo que alguns tentem associar a frase “Faça-se a luz” ao Big Bang ou que a ordem da criação em Gênesis corresponda, mais ou menos, aos fósseis encontrados nas camadas geológicas; acho que isso é muito pouco para afirmar que Gênesis ‘profetizou’ as descobertas científicas modernas.

      Porém, a PROVA de que Gênesis foi inspirado (e não escrito) por Deus é que ele (juntamente com outros livros da Bíblia) contém profecias cumpridas muitos séculos depois.

      Por exemplo, em Gênesis (o primeiro livro da Bíblia), a SERPENTE tenta a mulher; a qual Deus profetiza que um descendente da MULHER iria esmagar a cabeça da SERPENTE.

      Uma interpretação literal da Bíblia, nos leva a crer que era uma cobra falante mesmo. Porém, em Apocalipse (o último livro da Bíblia), a profecia esclarece que o grande dragão (Satanás) é a ANTIGA SERPENTE, que persegue a MULHER.

      Finalmente, séculos e séculos após a profecia de Gênesis, em 27 de novembro de 1830, NOSSA SENHORA (a nova EVA) aparece à Santa Catarina Labouré (cujo corpo está incorrupto) pisando na cabeça da SERPENTE e manda cunhar a famosa Medalha Milagrosa, alcançando inúmeras graças.

      Por isso, podemos concluir que Gênesis (que mais parece uma fábula aos olhos da ciência moderna) também foi inspirado por Deus!

      Uma das poucas profecias da Bíblia que talvez adivinhasse a ciência e a tecnologia de hoje, é aquela que fala que o “Evangelho seria pregado até nos telhados das casas”. Se não for alguma forma de expressão usada na época, podemos até interpretar que tal passagem se referia às antenas de televisão que usamos hoje em nossas casas. Mas, isso é só especulação minha!

      Thumb up 4
    • Jonatas,

      A explicação da origem da vida e do universo pode ser complexa mais a razão é simples.
      Um exemplo claro são os princípios antrópicos que foram abordados.
      Os adeptos do cientismos creem que a Bíblia e´superficial demais para chegarmos a um denomidador comum sobre tais questões.
      A teoria da evolução proposta por Darwin, está repleta de perguntas e nenhuma resposta conclusiva.

      Acreditar que os 20 aminoácidos que moldam as estruturas tridimensionais das proteinas é fruto de processo evolutivo tem que ter muuuuuuuita fé!
      Será mesmo que a “TE” escolheu 4 e 5 de cada classe?
      Uns formam ligações de hidrogênio, outros formam aminoácidos polares, e aniônicos.
      Eu devo acreditar mesmo Jonatas, que toda esta harmonia na estrutura nos nossos aminoácidos aconteceu casualmente?

      A teoria evolutiva jonatas, afirma que; todos nós seres humanos, inclusive você que a defende, diz que “nós” somos subproduto. Ou seja, RESTO DE UM PRODUTO PRINCIPAL.
      Diante da luz da genética,. eu quero que um geneticista explique-me
      como foi que os seres protozoários (UNICELULAR) deram origem aos seres metazoário (PLURICELULARES).

      Eu fiz esta pergunta sobre a possivel evolução dos protozoários a três geneticista e nenhum teve perspicácia suficiente para responder esta simples pergunta.
      Segundo informações que eu tive Nobre jonatas, que Albert Einstein que foi um dos poucos seres humanos que usou quase 10% da sua capacidade cerebral, teve um pequeno erro ao calcular a possível expansão do universo.
      Segundo seu cálculo o universo estava em expansão. Em contrapartida, ele acertou categoricamente que o universo é finito.
      Como havia afirmado antes, o aludido errou ao afirmar sobre a expansão do universo.
      Quem desmentiu sua afirmação foi o astrônomo americano Robert Jastrow.

      A Fé nunca irá contradizer a razão, e nem razão irá contradizer a FÉ.
      Elas são antagônicas não mente dos cientistas que tem conceitos evolucionista.

      Isaías Alves (DEFENSOR DO PROJETO INTELIGENTE)

      Thumb up 3
    • O CRM não cassa o registro pq o sujeito não tem registro. A folha corrida dele dá inveja em membros do pcc.

      Thumb up 0
  4. Cícero, :
    1 – “O acaso/nada jamais iria originar existência de grandezas como…”. Acaso, nada e aleatoriedade não são a mesma coisa.
    Cuidado com as certezas, evite os jamais e os nuncas sobre algo que desconhece. Estudo fractais a alguns meses, teoria do caos. Simplesmente jogo na máquina variáveis e vejo padrões cada vez mais complexos e simétricos se formando, sem nenhuma guia inteligente – eu não comando, mas os padrões se formam espontaneamente, como se houvesse inteligência os conduzindo, mas não há. Eu poderia obter um Universo com todas essas grandezas, leis e vetores como o nosso se meu PC tivesse a disposição bilhões de anos, trilhões de variáveis e um processamento colossal?
    Não caio nas armadilhas da certeza – por isso me ofende quando me chama religioso, visto que sou desprovido de fé -, apenas acho que sim, pelo que vi, seria possível.
    2 – É razoável não só, é possível, propôr um DI por trás de tudo que existe. Só que em ciências, não usamos de possibilidades, usamos de probabilidades. É possível existir coelhos em Marte? sim, é. É provável? não. O pensamento científico vive um período de transição entre a interpretação mais confortável (O teatro cósmico foi projetado) para a mais realista (O show da existência é natural, e pode ser quantificado, vivido sem a necessidade de um diretor). O que é mais provável? Os maiores físicos do mundo se tornaram raivosos e querem concluir que deus não existe e pronto, ou apenas chegaram a essa conclusão por verem que a natureza explica o inexplicável. Segunda opção. A origem de deus é essa, o inexplicável, e a fé morre a cada vez que algo inexplicável é desvendado e se torna natural – por isso não temos mais medo de trovão, não significa mais a fúria de um deus, mas um fenômeno atmosférico. Como o Universo é maior que nossa compreensão, o inexplicável é latente em toda a nossa vida e a fé em deus perdurará viva por muito tempo, e muitas versões – estamos na era do cristianismo, outras virão, certamente.
    Como você disse, necessidade, mas sua, não minha. O religioso precisa de um deus para ter sentido, para não se sentir perdido perante o assustador mistério da existência. Também me sinto perdido, mas prefiro criar o meu próprio propósito ao lugar de acreditar num propósito anterior projetado por alguém para mim. Prefiro ser o rei no meu vilarejo a ser um serviçal no império romano.

    Thumb up 7
    • Jonatas,

      “Simplesmente jogo na máquina variáveis e vejo padrões cada vez mais complexos e simétricos se formando, sem nenhuma guia inteligente”

      Mas tem um guia inteligente. A máquina é um belo exemplo de DI.
      Alguém:
      desenhou, construiu, faz manutenção, fez sistemas, alimenta com dados, liga, desliga esta máquina.
      Lembre-se, no início do INÍCIO; não haveria nenhum tipo de condição e muito menos elementos físicos e Leis reguladoras etc.

      “O pensamento científico vive um período de transição entre a interpretação mais confortável (O teatro cósmico foi projetado) para a mais realista (O show da existência é natural, e pode ser quantificado, vivido sem a necessidade de um diretor). O que é mais provável?”

      Sem dúvida a 1ª opção.
      Os principais dogmas ateus são como prédios sem os alicerces:
      1-origem inexplicável e sobrenatural do universo físico com suas dimensões, matéria, energia, espaço e tempo à partir do absoluto nada.
      2-A origem da vida à partir de matéria abiótica. Um dogma dado como certo porém sem teoria e muito menos sem demonstração. Ao contrário, a lógica simplesmente demonstra que a vida mais simples é algo muitíssimo complexa para ter surgido de acidentes químicos cegos e desorientados.
      3-mesmo sérios cientistas ateus e evolucionistas (por “falta de outra opção” na comunidade) questionam muitas coisas na teoria da evolução, como estabilização de genes que anulam grandes mutações, ou ausência de elos transicionais. Porém são suprimidos pelos colegas.

      É uma questão simples: tudo tende ao caos, à desordem, à inutilidade.
      Mas observe tudo em nossa volta: organismos que limpam o ar, o mecanismo de reciclagem natural da água, as estrelas nascendo, formando novos compostos necessários para a química. Resumindo, tudo na “natureza” é auto sustentável, projetado de forma muito superior às tecnologias humanas (consideradas inteligentes) que consomem os recursos até o fim.
      Todas as regulagens das forças elementares da física demonstram inteligência muito superior à humana.
      Tudo exibe complexidade, inteligência, beleza e organização.

      Até o cético S.Hawking diz: “quem deu partida às equações e detonou o universo” (Buracos Negros p.99).
      E ainda: “as leis da natureza parecem ter sido ajustadas com precisão pra possibilitar a vida e a configuração inicial do univervo parece ter sido escolhida cuidadosamente” (citado em Show me God p.67).

      “e a fé morre a cada vez que algo inexplicável é desvendado e se torna natural”

      E por que o natural não viria do sobrenatural? A ciência explica como as coisas funcionam, e não como se originam. Micros, carros, celulares não vieram dos homens? ou são naturais também?

      “Como o Universo é maior que nossa compreensão, o inexplicável é latente em toda a nossa vida …”

      Digamos que o homem conheça 0,001% de tudo que há no Universo, seria muito difícil encontrar Deus Criador nos outros 99,999%??

      “necessidade, mas sua, não minha”

      Todo evento requer uma causa, princípio da causalidade bem aceito pelos físicos e até por céticos como David Hume.

      “Prefiro ser o rei no meu vilarejo a ser um serviçal no império romano.”

      Havia muitos vilarejos no Império Romano…

      Abçs.

      Thumb up 6
    • A máquina aqui é só um simulador, um ambiente onde as variáveis vão rodar. O papel dela é irrelevante aos fractais auto-recursivos de geração aleatória que forma padrões: máquina pode ser equivalente a nada, mais infinito ou menos infinito, ou um nirvana que sempre tenha existido, não vejo nescessidade divina, nem de inteligência. O Universo descrito tem funcionamento auto-criativo continuado e constante, evolui por conta própria e gera seus padrões, novas variáveis e condições – camadas acima da camada original, quatro forças fundamentais da física, os frutos do stopim – e não nescessita de uma criação e nem inteligência primordial, apenas esse stopim: singularidade do Big Bang. Em algum momento o Universo-fractal poderia gerar um ser inteligente que teria a ideia de criar novas formas de vida como a nossa? é possível, entretanto mais improvável que os indícios que temos na ciência estabelecida, o Evolucionismo: somos fruto das condições naturais e dos elementos químicos, e não de um projeto.
      Mais uma vez você subestima a Natureza e superestima o DI, quem estuda o Universo da Química e da Física e como os elementos funcionam entende o quão formidáveis eles são, e que eles logicamente são mais que só composição, manutensão e essência da vida: são sua Origem.
      Lembra que eu falei em camadas? associe aos fractais. O Teólogo químico tenderá a adotar a química e a física como a criação de deus, e não a vida, não diretamente. Ele não precisaria projetar a vida, entende? ela viria consequêntemente das propriedades químico-físicas do Universo – seria só sentar e assistir.
      Próxima camada, de onde vem os elementos? Das estrelas, da evolução da nucleossíntese estelar surgem os novos elementos do Universo, e suas propriedades, que permitem junto com as leis da física a essência da vida.
      A Camada das leis da física é a origem da camada das leis da química – os átmos seguem essas leis. A estrutura primária do Universo, o interior dos átomos, o Universo Quântico, ele precisa de obra divina, não, meus fractais só precisam do stopim. Camada a camada, meu pensamento lógico acaba eliminando na minha concepção a necessidade de Deus, e se um dia esbarrarei nessa necessidade só ele, se existente, sabe.
      Mas do Universo antropomórfico fico totalmente seguro de sua falta de lógica. Primariamente, o fato de estarmos aqui e sermos frutos de todas essas peculiaridades (atmosfera, sistema solar, via láctea) que você defende na DI-questão NÃO implica que a vida não possa surgir sobre outras peculiaridades, universo afora *ser antropomórfico é a maior tolice de uma vida – o grande FATO é que nem ciência (que é ciente desse FATO), e nem religião (onde a maioria não consegue aceitar esse FATO), é que muito POUCO sabemos sobre a VIDA, e muito MENOS que isso sabemos sobre o UNIVERSO, e Muitíssimo MENOS sobre o que estaria além do Universo: um Criador do Universo sobre o qual os bíblicos achavam que sabiam, até de seus planos, mas na verdade sabem dele tanto quanto eu: NADA. Sei alguma coisinha pequenina da vida, do universo, mas de deus, nada, nem se existe ou se não existe. A única diferença é que eu sei, estou ciente e vejo que Não Sei, nem posso Saber, e ninguém sabe pra me contar.
      Quanto aos vilarejos de Roma, sei que existiam, mas nenhum era Livre dos mandos e demandos do imperador, nenhum tinha seu próprio rei.

      Thumb up 5
    • Jonatas,

      O papel da máquina (DI) é irrelavante? mas sem ela seus fractais nem surgiriam.
      Todos esses processos que vc cita como: padrões, ordens, propriedades quimico-fisicas e principalmente LEIS! implicam ordenação, direção e estrutura formada pra formação de novas estruturas cada vez mais complexas. Mas entendemos que o caos aleatório só gera caos. Uma vitamina de abacate batida por muito, muito tempo num liquidificador não se transformará em abacate.
      E todas as experiências pra formação de vida na tal lama/sopa primordial foram fracassadas.

      Não, falta de lógica é dar poder divino ao acaso-caos-sorte e gerar todos esses processos que vc mencionou e ainda requerendo um stopim gerado de si mesmo!
      Meu amigo, pense, indague, duvide, pergunte se é sensato, coerente e aceitável seu pensamento.
      Ainda acho Gênesis mais lógico; por um simples exemplo:

      A ciência ainda se debruça em estudar a luz, pois ora ela se propaga como feixe, ora como onda o que torna mais difícil seu estudo, podendo sofrer N alterações em seu curso. Não sabemos onde a luz das estrelas vai parar. Então a Palavra final é do SENHOR ainda e não dos homens.

      “Onde está o caminho para a morada da LUZ? E, quanto às trevas, onde está o seu lugar;” Jó 38:19
      “Onde está o caminho para onde se difunde a LUZ, e se espalha o vento oriental sobre a terra?” Jó 38:24.

      Na verdade a maioria esmagadora da humanidade já teve essa experiência da NECESSIDADE de reter sua âncora existencial no Divino.
      É claro que devido a vários fatores internos ou externos a pessoa pode amortecer ou cauterizar esta “necessidade” silenciando de vez esta voz, retendo então sua âncora nas coisas passageiras deste mundo limitado, finito e material. Assim, o sentido da vida para ela assume valores meramente terrenos.

      Contudo, essa necessidade existencial de sentido ao homem, é tão forte que até em ateus de forma desconcertante ela é manifesta.
      Ateus do calibre de Sartre confessaram experiências religiosas que tiveram antes de dispensar Deus de suas vidas:

      “Tive muito mais dificuldade para me livrar dele, pois havia se instalado no meu subconsciente… Prendi o Espírito Santo no porão e o lancei fora; o ateísmo é um caso de amor cruel e duradouro; acredito que o levei às últimas consquências”
      Sartre chegou a dizer: “Preciso de Deus. Busquei minha religião, ansiei por ela, pois era remédio. Se me tivesse sido negada, eu mesmo a inventaria”.

      O ex-ateu C.S. Lewis argumenta assim sobre isso: “se sinto um desejo que nenhuma experiência nesse mundo pode satisfazer, provavelmente fui feito para outro mundo.”
      Eis a sua lógica:
      1. Todo desejo natural inato tem um objeto real que pode satisfazê-lo. (como sede, fome, bens, atração sexual etc).
      2. Os seres humanos tem um desejo natural, inato, pela IMORTALIDADE.
      3. Logo, deve haver uma vida imortal após a morte.

      Eu concordo com Lewis, há sim, este vácuo perceptível, pois no fundo mesmo!! até ateus sentem desejo pelo céu, paraíso, eternidade por mais difícil e misterioso que expressemos isso.
      Reclamamos de tudo. Do mundo, da dor, da morte, das doenças, dos outros, mas nunca reclamamos da eternidade!
      Ficar solteiro não significa que não haja alegria no matrimônio.
      Morrer de fome não prova que não haja comida. Morrer de desidratação não prova que não haja água.
      Enfim, crentes e incrédulos evidenciam uma necessidade definitiva por Deus.

      Thumb up 0
    • Não gosto de ter que repetir: A máquina é totalmente IRRELEVANTE porque seu papel é simular um ambiente real de begin onde tudo começa, essa simulação é que é RELEVANTE, e ela dispensa DI categoricamente *eu não desenhei, só está ali e acontece*, do contrário meus fractais não seriam os fenômenos aleatórios gerando padrões que são. Vou colocar em tópicos as dificuldades que impedem de termos um diálogo produtivo:
      1 – Me da conselhos como Questione e Duvide; Cícero, você é que duvida ouvir seus próprios conselhos. Sou um cientista e como cientista a arte de questionar é constante, evitamos qualquer certeza estabelecida sem o ônus da prova, por isso chamamos teorias. Ao contrário do Senhor, que em nenhum momento questiona a sua bíblia e suas fantasites, suas incoerências.
      2 – Afirmações Categóricas – próprias do dogmatismo que me repele das religiões, suas afirmações categóricas lhe focam num só horizonte: sua fé. A mais cruel é essa: “sabemos que o caos não pode gerar padrões”. Como ter certeza disso? Conhece o caos em sua plenitude pra ser capaz de afirmar isso a todo pulmão? Se lesse a Teoria do Caos, entenderia o quero dizer.
      3 – Sei de cientistas que deixaram a lado o ateísmo voltando ao teísmo, ou ao menos se reabrindo a teologia. Não sou de me influenciar por ninguém, o que vejo é a minha Visão, e não a deles, não sei onde quer chegar com esses exemplos, pois a maioria dos cientistas segue ateísta, mas também não me influencio por eles. Assim como pra mim independe o que uma pessoa acredita, tanto um físico teísta quanto um ateísta terão de mim o mesmo respeito e admiração por seu trabalho, se esse for um trabalho de valor.
      3 – Gênesis é poético e profético, em nada científico, é só interpretações e incoerentes com nossas descobertas. Que cada coisa fique em seu lugar, e quem prefere acreditar na esfera de estrelas… paciência; Mas porfavor, não queimem Giordano por ele ter descobrido que a realidade é diferente, e muito mais fantástica que o mito.
      Mas uma coisa, teu exemplo falta em muito um conhecimento respeitável de Física.

      Thumb up 3
    • Jonatas,

      *eu não desenhei, só está ali e acontece*
      Então por que os construtores do grande LHC-ACELERADOR DE PARTICULAS não construíram um grande compartimento à vacuo e esperaram acontecer um mini-big-bang e dizer “só está ali e aconteceu”.

      1.É o que os cientistas estão fazendo e descobrindo cada vez mais: as falácias da TE.
      Até hoje não vi nenhuma contradição na Biblia, apesar é verdade, ter algumas passagens difíceis de entender.

      2. E qual a certeza que pode gerar padrões? Ainda mais os tipos que vemos na natureza e universo: extrema complexidade e informações especificas.

      3. Concordo, mas infelizmente pra defesa da TE, a ideologia/filosofia/crença pessoal é muito forte, em detrimento das descobertas.

      4. Obviamente a Bíblia não é uma enciclopédia científica versando sobre todos os conhecimentos. Não tem esse objetivo.
      Esfera de estrelas???-não entendi.
      Em que meu exemplo é falho?

      Thumb up 0
    • Jonatas, é isso aí, os fractais são realmente incríveis!

      Vejam cada MUNDO FRACTAL 3D interessante que, por mais que se aprofunde nele, nunca chega ao fim:

      http://www.youtube.com/results?search_query=fractal+3D&oq=fractal+3D&gs_l=youtube.3..0.3768.6302.0.6584.12.10.1.1.1.0.255.1367.3j5j2.10.0…0.0…1ac.658Rc4NursU

      Isso nos faz pensar que, realmente, o nosso universo pode ser o resultado de uma fórmula fractal. Por outro lado, isso nos faz pensar também que essa fórmula matemática esteja sendo rodada num tipo de MATRIX a fim de ser processada e visualizada; e isso nos leva a pensar também que tem que existir algum ser extremamente inteligente que projetou tal computador, criou e programou tal fórmula fazendo o ajuste fino de suas constantes (princípio antrópico), e executou programa (Big Bang) a fim de gerar nosso mundo.

      De minha parte, especulo que o nosso universo talvez não passe de uma ou mais equações matemáticas sendo rodada num tipo de computador divino ou, quem sabe, na própria mente de Deus.

      Intuitivamente, pensamos que o nosso mundo é discreto e que deve realmente haver uma partícula fundamental indivisível e que um dia um grande colisor de partículas irá detectá-la. Mas, se o nosso mundo for um tipo de equação fractal de três ou mais dimensões (como a desses mundos fractais 3D exibidos no YouTube), é provável que, por mais que ‘quebremos’ a matéria, nunca chegaremos a uma partícula fundamental indivisível.

      Por outro lado, algumas pesquisas científicas indicam que, talvez, o espaço seja discreto e que, portanto, o nosso universo pode ser formado por ‘pixels’; o que sugere a ideia de que o nosso mundo esteja sendo executado em um super-hiper-ultra computador ou, quem sabe, em um computador divino ou mesmo na própria mente de Deus:

      “ESPAÇO PODE NÃO SER CONTÍNUO, MAS SEGMENTADO COMO UM TABULEIRO DE XADREZ”

      http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=espaco-nao-continuo-segmentado-como-tabuleiro-xadrez

      Na verdade, só podemos ter certeza absoluta daquilo que podemos observar (e olha lá) com nossos próprios sentidos ou com os instrumentos tecnológicos que temos à disposição; enquanto isso, tudo fica no campo das teorias, da especulação e da fé; seja no campo religioso ou mesmo no científico. A própria teologia bíblica diz que, das virtudes teologais, no Céu só entrará a caridade; pois, não precisaremos mais da esperança e nem da fé, já que veremos Deus face a face.

      Por outro lado, talvez jamais saberemos o que há dentro de um buraco negro, ou qual a menor partícula indivisível, ou o que ocorreu antes do Big Bang, ou o que há fora dos limites do universo, ou o que há realmente depois da morte; e tantos outros mistérios que, talvez, jamais sejam solucionados pela Ciência. Por isso, embora seja uma ferramenta de extremamente utilidade para a humanidade, não devemos apostar todas as nossa fichas na Ciência e nem endeusá-la; pois, ela é tão limitada quanto o próprio homem que a criou!

      Ao contrário de achar que a ciência e a religião são inconciliáveis, penso até que um dia a ciência e religião irão se encontrar nas veredas da história. Pois, a ciência busca a VERDADE; que, no fundo, é a busca do homem por Deus (que é o Caminho, a Verdade e a Vida). E a religião verdadeira (a qual acredito ser a judaico-cristã, em especial, a católica; por causa de sua origem histórica e de seus grandes milagres permanentes) revela a VERDADE; que, no fundo, é a busca de Deus pelo homem. Toda a teologia é baseada na fé e nas conclusões lógicas dessa revelação de Deus aos homens.

      Por isso que a Igreja não despreza a Ciência, porque ela acredita que Deus escreveu e se revelou em dois livros: no livro da Bíblia e no livro da Natureza. Os teólogos buscam a VERDADE na Bíblia e os cientistas a buscam na Natureza!

      Thumb up 4
    • Sim, a Teoria do Caos pode ser usada na Teologia.
      Gostaria de levantar essa questão tendo a ver com algo que gosto de chamar de PROJEÇÃO.
      Nós fazemos projeções, por exemplo, quando sonhamos, quando compomos uma planta, um software ou um personagem de HQ, ou numa *insanidade* de transtorno de multipersonalidades. Alguém já disse que sua própria existência também poderia ser uma projeção, mas recursivamente assim nada impediria de o autor da sua projeção ser também uma projeção de outro ser, indefinidamente.
      Interessante, não? gostaria de conversar com um teólogo que conhece a Teoria do Caos.

      Thumb up 2
    • Sim, bastante interessante; e esse ‘último’ (ou, melhor, primeiro) autor, do autor, do autor,… é que (teologicamente falando) seria Deus e o mundo dele é que seria o mundo real; já que teria que ter um primeiro autor que não foi criado por nenhum outro.

      Quanto à achar um teólogo que conhece a Teoria do Caos, com certeza deve existir, mas deve ser bem difícil de achar.

      Quem sabe, o Prof. Felipe Aquino, o astrofísico Alexandre Zabot e o matemático John Lennox?

      Thumb up 0
    • “Então por que os construtores do grande LHC-ACELERADOR DE PARTICULAS não construíram um grande compartimento à vacuo e esperaram acontecer um mini-big-bang e dizer “só está ali e aconteceu”.”

      Puxa, o cara sequer leu a teoria do Big Bang e quer refutá-la.

      Thumb up 2
    • Edson,

      se Deus tivesse sido criado, ele não seria Deus!

      O raciocínio filosófico e teológico, necessariamente, leva à conclusão de que Deus sempre existiu, é incontingente; pois, Ele é princípio incausado de todas as causas; é o Logos dos filósofos gregos.

      Estranhamente, o Deus bíblico que se revelou publicamente ao mundo na pessoa de Jesus Cristo tem todas essas características: de ser eterno, onisciente, onipresente, onipotente, etc. Por exemplo, o nome de Deus é JAVÉ que significa “EU SOU” ou “AQUELE QUE É”. Jesus disse ser o alfa e o ômega, o princípio e o fim, aquele que é, que era e que há de vir, etc.

      Se você não conhece, procure sobre as provas filosóficas da existência de Deus; as famosas “Cinco Vias de São Tomás de Aquino” para entender o conceito de Deus para a teologia.

      Thumb up 3
  5. Não existe universo antropomórfico, isso é um antropomorfismo mais elaborado, mas tão antropocentrista quanto o religioso do passado. O Universo ao me ver é um fenômeno altamente recursivo, de auto-criação constante e estruturado desde o quântico ao macro-universo. O universo NÃO é perfeito pra nós, nós é que somos pra ele, não somos nenhum projeto, somos uma consequência, uma de muitas. Assim como o peixe que evoluiu para o formato do mundo aquático em que vive, toda a vida evoluiu para o Universo em que existe.
    O espírito da coisa é esse: não há princípio antropomórfico no Universo, o que há é princípio Unimórfico em nós. ;)

    Thumb up 6
    • 1 – Aí é que está o X da questão… A Terra não foi sempre a fim. Os seres mais primitivos é que moldaram o mundo de hoje, via fermentação, fotossíntese, enriqueceram a atmosfera com oxigênio, e evoluíram para usar esse oxigênio. O mundo de hoje parece desenhado para a vida, de fato, mas a própria vida oriunda de um mundo mais hostil que Marte – a Terra a 4 bilhões de anos – desenhou o aspecto mais fundamental: atmosfera – a Lua vive com a Terra e está nessa mesma zona “abençoada” do Universo, mas sem atmosfera é seca e estéril.
      Um grande mistério é a forma explosiva em que a vida surgiu: ou sair da reatividade química e entrar na complexidade viva não é um grande tabu e acontece espontaneamente no cosmos, ou é um fenômeno muito mais antigo e veio de outro lugar – panspermia.

      2 – A questão não é excluir a tese de um criador, a questão é entender o que temos, e o criador – independente de existir ou não – está fora desse alcance, portanto é a última hipótese a considerar pelo modo empírico, e por incrível que possa parecer, até hoje a física não precisou considera-la. O campo divino permanece no mesmo lugar – se escolhe acreditar ou não. Mas há um considerar: se existir, os pensadores como o senhor estão mais perto de encontra-lo que todos os paradigmas religiosos, bíblicos e alcorões, pois não se prendem a dogmas. Mesmo que deus exista, tenho visão de que todas as interpretações sobre ele estão erradas, simplesmente porque nossa concepção não se equipara a grandeza que teria uma inteligência universal. Basta observar que o deus bíblicos apresenta sentimentos tolos e primitivos de humanos como ira, ciúmes, etc, e até atitudes destrutivas: é tudo uma evidente interpretação, antropocêntrica, por sinal. Um ser dessa magnitude estaria acima de tudo isso.

      3 – Consequências são efeitos, e implicam em causa, mas não quer dizer que seja causa inteligente e consciente. Um acerto pode vir de várias tentativas, em um Universo com muito tempo e muitos fenômenos acontecendo.

      Conclusão. Tanto a cerca do Universo quanto de Deus, qualquer certeza absoluta é vaga, imprecisa e 99,99999% vazia, assim como o próprio Universo.

      Thumb up 7
    • “Talvez universo antropomórfico seja exagero mesmo, mas o planeta terra leva jeito de ser, caso contrário não estariamos aqui há mais de 4 milhões de anos. Já deviamos estar extintos”
      4 milhões de anos onde ? Nossa espécie existe a perto de 200 mil anos. Vc multiplicou por 40 a idade de existência de nossa espécie. Coisa conveniente para adequar a crendices particulares, mas nada honesto em avaliação de alegação científica. Ou seja, sua alegação é invenção sua.

      Thumb up 1
    • “Consequências são efeitos. Efeitos devem ter causas. Investigar e descobrir as causas deve ser obra da ciência.”

      O vício de seu argumento mora em achar que há um projeto, uma predeterminação no universo que diz que nossa em um criador. O argumento tem uma falácia de petitio principii, que leva a alegação de UM criador, e também tem outro vício, que é a admissão de um suposto projeto. Efetivamente a ciência tem investigado as evidências e não mostra nenhuma necessidade de qq projetista.

      Thumb up 0
    • Efetivamente não. Veja, quem não investiga é justamente quem ALEGA um ser projetista, como forma de simplesmente querer dar a validade da alegação por default, por desonestidade.

      Vc pode mostrar alguma pesquisa desses alegadores de um designer inteligente que mostre efetivamente quem é o tal ? Vc pode mostrar a metodologia deles ?

      Eu posso mostrar uma coisa concreta sobre eles : a substituição do termo “creation science” por “intelligent design” no tosco “Of Pandas and People”. Isso DEMONSTROU a má-fé do grupinho que vc defende.

      O problema é que papagaios de pirata de gente quem é desonesta, como o pessoal do Discovery Institute, não estão interessados em investigar coisa alguma, e sim repetir a tolice desse pessoal desonesto, vendendo que os mesmos tivessem algum valor. Quer biscoito, loro ?

      Thumb up 1
    • Inverter onus probandi onde ? É sua a alegação de um projetista, é SEU ônus.
      Vc alegou que eu não sei, mas informei a vc que o movimento do design inteligente foi desmascarado no julgamento Kitzmiller et al. v. Dover Area School District, onde se verificou que o livro “Of Pandas and People” tinha a tosca edição “cdesign proponentsists”. Isso demonstra que ou vc está mal informado ou é só um tremendo desonesto.

      Como informação sobre o tema vc ofereceu a sua opinião baseada numa ideia falsa de que a espécie humana estaria na Terra 4 milhões de anos. Ao que parece vc grita e ofende para esconder os erros crassos de sua alegação.

      Thumb up 2
  6. Senhores, comparar passado e presente é como comparar um trecho de um rio com outro trecho seguinte. Os pensadores do passado não estão separados dos pensadores do presente, estão conectados e plenamente vivos. Plantão ainda é obra a ser lida, as equações de Kepler ainda são usadas pelos astrônomos intensamente, somos o resultado dos pensadores do passado. Eles não tinham esse computador que usamos hoje, mas tudo da informática começou a partir de nossos antepassados, em especial um matemático chamado Boole (ver números booleanos e eletrônica). Nossos antepassados não tinham o nível de informações que temos hoje, é fato, mas não podemos esquecer, em hipótese alguma, temos essa porrada de informações graças a eles, suas dúvidas, suas descobertas, seus acertos e até seus erros. :)

    Thumb up 5
  7. Os dados que citei são científicos e úteis; pois foram estudados; e que evidenciam uma Causa Inteligente pro Início do Universo.
    Ademais, por que estaria neste site este assunto, se não fosse científico?

    Thumb up 4
    • Na verdade vc não ofereceu nenhum dado científico, vc usou e abusou de falácias. Para demonstrar :
      1- Vc alegou que ” Se a porcentagem fosse 25%, a atmosfera começaria a pegar fogo” mas essa informação é FALSA. Sabe-se que no final do Carbonífero e início do Permiano a porcentagem de oxigênio na atmosfera era maior que 30%, o que faz da alegação falsa. Para se informar e também saber que a quantidade de oxigênio na atmosfera já foi inferior a 13% vc pode consultar a obra “Out of Thin Air: Dinosaurs, Birds, and Earth’s Ancient Atmosphere” de Peter Ward.

      Thumb up 1
    • HFC,
      Não tenho este livro.
      Obviamente as condições da Terra primitiva eram outras, e os níveis de oxigênio eram bem diferentes dos ATUAIS; níveis dos quais me referi com vida HUMANA.
      Aqui mostra os atuais níveis de oxigênio: http://www.nap.edu/openbook.php?record_id=11630&page=31

      E ainda poderíamos dizer:
      -Se a espessura da crosta da Terra fosse maior, oxigênio demais seria transferido para a crosta, o que tornaria a vida impossível. Se fosse mais fina, a atividade vulcânica e tectônica tornaria a vida insustentável.

      Thumb up 0
    • HFC,
      Como vc pode saber que não pegaria fogo naquelas condições e porcentagens. Quais provas ou estudos que impediriam tal efeito? sabendo que é fato conhecido que níveis altos de oxigênio produzem combustão? ainda mais no ambiente da Terra primitiva.
      No próprio livro diz:”A composição da atmosfera da Terra no início de sua história é um tema controverso e muito pesquisado.” p.33
      “Infelizmente, não existe nenhuma forma direta para medir os níveis de oxigénio no passado.” p.37

      Quanto a espessura da crosta. O estudo foi do cientista Hugh Ross PHD de seu livro “The fingerprints of God”.
      É mais um; dentre tantos fatores; que possibilita a vida na Terra, é o tipo de detalhamento preciso e Necessário que indica uma Causa Inteligente pra nós estarmos aqui debatendo. São inúmeras as condições que poderia citar mais como: a rotação da Terra não poderia ser mais e nem menos de 24 hs, etc.

      Thumb up 0
    • As alegações que vc fez não saíram de publicações científicas, foram copiadas de blogs criacionistas, Cícero.

      Thumb up 0
    • Não, foram baseadas em publicações com extensa pesquisa sobre física e cosmologia, com um dos autores fazendo entrevistas com vencedores do Prêmio Nobel.
      E um deles Hugh Ross tem PhD em astronomia da Universidade de Toronto.
      E mesmo que fosse de blogs criacionistas, qual o problema? então só crentes ateus/evolucionistas estão certos?
      Cientistas cristãos estão sempre errados?

      Thumb up 0
    • O problema, Cícero, é que vc alegou que eram dados científicos e DI é uma pseudociência. O fato de Hugh Ross ter PhD é irrelevante para verificar se o que ele produziu é ou não científico.
      Cristãos, judeus, muçulmanos produzem ciência, mas efetivamente nem “ciência da criação”, DI ou astrologia são ciência e aí mora o seu erro: em colocar alegações pseudocientíficas como se fossem científicas.
      Felicidades, meu caro!

      Thumb up 0
    • Pois é meu amigo,
      Eu poderia dizer o mesmo da mitologia transformista Darwinista – TE.
      Essa falácia epistêmica tem manchado e envergonhado a ciência desde 1859. Países de 1º mundo como Coréia do Sul já tem jogado fora esse mito. Por que o Brasil não faz o mesmo?!
      “Não é que os métodos e instituições da ciência de algum modo nos compelem a aceitar uma explicação material dos fenómenos do mundo, mas, ao contrário, somos forçados, devido à nossa prévia adesão à concepção materialista do universo, a criar um mecanismo de investigação e um conjunto de conceitos que produzam explicações materialistas, não importa quão contraditórias, quão enganosas e quão mitificadas elas sejam para os inexperientes. Além disso, para nós o materialismo é absoluto, pois não podemos permitir um Pé Divino na porta“
      Richard Lewontin, geneticista evolucionista (1997) “Billions and Billions of Demons”, The New York Review, pág. 31

      E ainda dizem que isso é ciência???!!!

      Abs.

      Thumb up 0
    • Ao que me parece não foram feitas baseadas em pesquisa sobre física e cosmologia, e sim direcionadas pelo aspecto de crença e distorcidas em um determinado ponto para “validar” uma crença específica, sem as pretensas fontes validassem tal crença religiosa.
      Por favor, cite para mim quais foram as entrevistas originais se vc puder.

      Felicidades.

      Thumb up 0
  8. Não li e não lerei todas as respostas.

    Mas digo, se O Universo não fosse como ele é, ainda sim haveria vida.
    A Vida é muito mais adaptada do que imaginamos. Somente achamos que pra vida precisa de oxigênio, carbono, água e blábláblá, mas recentemente foi descoberto vida com base de amônia. Coisa que nnca imaginamos.

    E muitas outras coisas que jamais imaginamos que fosse capaz há de vir.

    Deixem de ser egocêntricos… Só somos alguma coisa filosoficamente. Fisicamente não somos quase NADA.

    Thumb up 1
  9. Interessante, mas vou mais longe: O propósito do Universo foi gerar a MIM. O Universo só existe porque “EU” existo. O dia em que “eu” morrer, o Universo deixará de existir. “Existência” é um produto da percepção de cada um de nós, mas totalmente individual, um fenômeno da consciência. Se “eu” não percebo, como pode algo existir? Ninguém jamais conseguiu debater ou pensar sobre algo que não sabe que existe ou que pode existir. Essa coisa de “Causa” e “efeito” deve ser superada. Deus criou o Universo para gerar o homem para que este pudesse inventá-Lo. Onde começa ou termina um círculo? Se até em geometria 2D já vemos coisas que não tem fim nem começo, porque o Universo não pode ter fenômenos sem começo nem fim, ou ele mesmo ser assim? Que nossos cientistas criem um universo que gere vida humana que um dia se tornará inteligente e terá cientistas que nos criarão para que possamos criá-los para que eles nos criem…

    Thumb up 4
  10. Acho que é importante salientar uma coisa: Acredito que pensar que o universo existe apenas para nos seres humanos seria muita arrogância de nossa parte, o mais correto seria dizer que ele existe para abrigar diferentes formas de vidas.

    Desculpa, mas pelo n° de estrelas e galáxias que existem, não consigo acreditar na hipótese da terra rara.

    O que nos torna a raça eleita? Partindo desse principio, temos que concordar que a nossa visão terrestre de “Deus” pode ser muito diferente daquela que um povo alienígena possui de um criador: Da mesma forma que entre as inúmeras religiões que existem no nosso planeta, nenhuma delas possui um “Deus” mais verdadeiro do que o outro.

    O Deus cristão só é mais adorado do que o Zeus por uma questão puramente cultural.

    Veja que eu não estou negando a possível existência de um “arquiteto cósmico”, apenas coloco em duvida se a nossa interpretação dele seria a mais correta.

    Assim sendo, gostaria de citar uma passagem do livro “Crônicas Marcianas” de Ray Bradbury: No livro, um grupo de padres vai atrás de uma pequena comunidade de marcianos para catequisa-los. Depois de vários apuros, eles finalmente conseguem se comunicar com um deles que explica que “a verdade por de trás do universo é um grande quebra cabeças, uma parte dessa verdade estava na terra e a outra em marte, mas ainda existem muitas outras que precisam ser encontradas”.

    Thumb up 1
  11. O youtube tem milhares de vídeos com OVNIs. Milhões de testemunhas já disseram ter visto algum. Não há dúvida de que existem milhares de planetas habitados no Universo, quiçá, apenas na Via Láctea. Eles possuem seres muito mais avançados do que nós, que somos muito primitivos. Comer mortadela e querer arrotar lagosta é muita pretensão da nossa subdesenvolvida espécie.

    Thumb up 2
  12. Nós seres humanos somos muito pretensiosos! Por cerca de 130 milhões de anos os dinossauros dominaram a terra. Só estamos aqui a menos de um milhão de anos e se achando. Shakespeare já dizia no Hamelet: “Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode sonhar a nossa vã filosofia”.

    Thumb up 1
  13. Frase minha (acredito): Existem duas coisas muito importantes na natureza:
    O universo e a raça humana. O que seria um sem o outro? Absolutamente nada. A coisa mais importante é administrar a conservação da raça humana, já que o universo é indomável

    Thumb up 5
  14. Gosto da visão de Marin Gardner, que nomeou a visão do princípio antrópico de alguns, como CRAP (Completely Ridiculous Anthropic Principle)! Justíssima essa caracterização!

    Thumb up 0
  15. Isso me parece uma questão totalmente metafisica; e de cunho muito mais filosófico do que metodóticamente cientifico; não que isso seja ruim ou desmerecedor; é importante. No caso dos argumentos PRÓ, a principio, me parece mais ‘próximo’ do Método Cientifico, do que os argumentos CONTRA.

    Sou matemático com um pouco de conhecimento estatistico e em medidas fisicas, e até onde vão meus conhecimentos de método cientifico. É tudo baseado em uma forte estatistica e uma modelagem matemática desta, de forma mais apropriada. Assim como, o Boson de Higgs teve que passar por uma exigência, de uma certeza de mais de 99,9999% (não lembro o numero ao certo, mas algo que leve o Erro a zero, no limite). Ou seja, se algo tem apenas 0,0000000000000001% de chance de ser verdade, jamais será abraçado pela Física.

    Do que li da reportagem. Creio que temos bem definido isso.
    Os PRÓS, observam que as coincidencias que permitem que estejamos vivos. Nos levam a esta super, questão que apenas 1 chance em um numero q tende ao infinito, ou seja, que no limite, uma chance zero; seria de estarmos aqui vivos. Logo, pensando fisicamente, isto não estatisticamente não seria acolhido, todavia é fato, é fato absoluto, logo, foi algo do tipo “DADO VICIADO”. E ai, entra a questão chave, uma linha de pessoas (cientistas ou não) que ou abraçam, ou repulsam, que a questão do que alguns chamam de Designe Inteligente, ou em suma, a idéia de que houve um Projetista do Universo. E ai se cria uma discussão, não cientifica mas metafisica, de dizer, ‘é verdade’ ou ‘não’.

    Do outro lado, os argumentos COTNRA, é do tipo, se “Há a probabilidade de existir, nem que seja, no limite, zero. Então simplesmente temos que aceitá-la, e que foi o mero acaso. Sem história de dado viciado.” Ou seja, do mesmo modo, como o anterior, apenas é contra a idéia de que o “Dado Seja Viciado”. Saber disso ou não, é totalmente metafisico hoje.

    A Neil deGrasse Tyson ao meu ver é muito simplória. Fugindo do assunto ao meu ver. Como se o Universo tinha que ter ‘mais evidencias, mais ‘vitalidade’ digamos assim, para dizer que foi concebido para a vida. Enquanto que o argumento anterior do pró, é que em suma, o propósito final foi para nós, do Planeta Terra, que estamos vivos hoje. Ou seja, nesse argumento, poderia se ter um Universo ainda muito maior, muito mais inimigo, 99,999999999999% inimigo, se isto fosse o necessário apra que apenas nós estivéssemos vivos.

    Ao mesmo tempo, como ninguem ainda pode penetrar nos estudos extra-Universo, e no extra-inicio do Tempo. Não há como investigar e saber o como, ou que fenomenos, ou seja lá o que fez com que o existir existe.

    Dentro da visão extritamente cientifica naturalista, não há dado viciado, e não tem como investigar ou afirmar nada sobre, apeans especular, como a teoria que há outros universos com outras leis e grandezas, mas pode se especular qualquer coisa. Dentro de uma visão cientifica não extritamente naturalista, se especula também o Designe Inteligente.

    E assim o debate continuará até que se possa estudar, o que por enquanto é invisivel e não-observavel ao homem.

    Alguns se abraçam a uma crença (Dado viciado) e outros a do dado não viciado; e alguns poucos, em nenhum dos dois.

    Thumb up 6
  16. Simplesmente fascinante, compartilho a ideia que no futuro nem um pouco próximo(partindo da percepção humana) vamos ter as respostas para todas essas perguntas e poder provar quais teorias estavam certas e quais não faziam nenhum sentido, porem fico triste em saber que minha geração não vai conhecer essa era, prefiro continuar acreditando que meu “corpo humano” ainda está em evolução e sonho que consiga alcançar tal grau em que possa apenas observar cada movimento feito pela humanidade, sem mesmo ter um corpo físico, eu só queria ter a eternidade =/

    Thumb up 0
  17. Compartilho da opinião de Carl Sagan e Neil deGrasse Tyson sobre o assunto, mas também penso que caso as lei do universo fossem diferentes – como por exemplo, a relação de carga entre elétron e próton – o “mundo” como conhecemos não seria possível, mas isso não significa necessariamente que não poderia existir algo diferente de nós nesse universo hipotético.

    Afinal… quem surgiu primeiro: O Universo ou as Leis Naturais que o regem?

    Thumb up 14
    • Com certeza as Leis Naturais que o regem.

      Thumb up 0
    • Se for assim, então não haveria como as coisas serem diferentes: Logo acho que não haveria “coincidência” nenhuma do universo ser do jeito que é.

      Thumb up 0
  18. Cesar, excelente explanação sobre o princípio antrópico; que é um tema realmente muito interessante!

    Gostaria de repetir um comentário meu sobre o princípio antrópico (que gerou muita discussão em outro tópico aqui do HYPESCIENCE) que acho relevante e vai estimular o debate sobre esse tema tão interessante, que é sempre bom para aumentarmos nosso conhecimento.

    Excelente artigo; realmente, são coincidências incríveis! É o que os físicos chamam de Princípio Antrópico e o ajuste fino das constantes cosmológicas. É como se o universo, desde o Big Bang, tivesse sido feito na medida para a existência do homem; o que, necessariamente, nos leva a um criador extremamente inteligente; já que são tantas as coincidências que fica quase que matematicamente impossível ser pura sorte.

    A ideia do Princípio Antrópico é tão forte, que a única alternativa para dispensar um criador seria a existência do multiverso com infinitos universos, cada um com leis e constantes físicas distintas, para termos a probabilidade de um universo ajustado para a vida como o nosso. Ou, então, que o nosso universo fosse quase infinito e as leis e constantes físicas variassem de ponto a ponto do universo e nós estaríamos numa região favorável.

    Por isso, além das coincidências do artigo, gostaria de acrescentar mais algumas estarrecedoras coincidências sem a qual não seria possível a vida nem na Terra e em nenhum outro lugar do universo:

    “…
    No outono de 1973, os astrônomos e físicos mais eminentes do mundo se reuniram na Polônia para a comemoração do 500º aniversário do pai da astronomia moderna, Nicolau Copérnico.
    Agrupados para a série de simpósios que durariam duas semanas encontravam-se algumas das mais ilustres mentes científicas de nosso tempo: Stephen W. Hawking, Roger Penrose, Robert Wagoner, Joseph Silk, John Wheeler, só para citar alguns. O clima era festivo, mas apesar das inúmeras palestras apresentadas durante as festividades, somente uma seria lembrada décadas depois, ecoando muito além do salão de convenções em Cracóvia, onde foi pronunciada, por ter ido muito além do campo da astronomia ou mesmo da própria ciência. Seu autor, Brandon Carter, um astrofísico e cosmólogo bem estabelecido na Universidade de Cambridge, amigo íntimo e antigo estudante de doutoramento e companheiro do posteriormente famoso Stephen Hawking.
    Carter denominou sua noção de “Princípio Antrópico”, do grego anthropos, “homem”. O nome era um pouco desconcertante, e a definição de Carter sobre a ideia apresentou-se altamente técnica. Basicamente, o Princípio Antrópico traz à observação que um sem número de leis físicas foram orquestradas ordenadamente desde o início propriamente dito do universo até a criação do homem – o universo que habitamos aparenta ser explicitamente planejado para o surgimento da vida e dos seres humanos.

    Mas, o inesperado aconteceu e, ironicamente, quando se comemorava o 500º aniversário de Copérnico, o inspirador de Galileu Galileu, o pai da moderna ciência. O Princípio Antrópico oferecia um tipo de explicação para um dos mistérios mais básicos da física – os valores das constantes fundamentais. Os físicos jamais puderam explicar por que os valores das assim denominadas constantes fundamentais – como, por exemplo, os valores da força gravitacional ou da força eletromagnética eram da maneira como eram. Eram apenas “constantes”; tinham de ser aceitas. Além do mais, existiam determinadas relações matemáticas misteriosas entre algumas dessas constantes. Por exemplo, as forças que uniam determinadas partículas aparentavam estar relacionadas matematicamente ao número da idade do universo. Por que essas forças deveriam estar relacionadas à idade do universo? No passado, físicos como Sir Arthur Eddington e Paul Dirac apresentaram teorias um tanto exóticas para explicar tais coincidências. Tomemos exemplos:
    – A gravidade é cerca de 10 elevado à potência de 39 vezes mais fraca que a força eletromagnética. Se a gravidade fosse 10 elevado a 33 vezes mais fraca, as estrelas teriam um bilhão de vezes menos massa e queimariam um milhão de vezes mais rápido, quer dizer, o universo teria se esgotado no seu início.
    – A energia nuclear fraca tem 10 elevado à potência de 28 a força da gravidade. Se a energia nuclear fraca fosse ligeiramente mais fraca, todo o hidrogênio do universo teria se transformado em hélio, impossibilitando a existência da molécula da água.
    – Uma energia nuclear apenas 2% mais forte teria impedido a formação de prótons, produzindo um universo sem átomos. Decrescendo seu valor em 5%, teríamos um universo sem estrelas.
    – Se a diferença em massa entre um próton e um nêutron não fosse exatamente o que é – cerca de duas vezes a massa de um elétron – todos os nêutrons se transformariam em prótons ou vice-versa. E diríamos adeus à química como a conhecemos, e á vida.
    – A água é a única molécula que é mais leve no estado sólido (gelo) do que no líquido: o gelo flutua. Se isso não acontecesse, os oceanos, lagos e rios congelariam de baixo para cima no inverno e a Terra agora estaria coberta de gelo sólido. Por sua vez, esta propriedade pode ser atribuída às propriedades exclusivíssimas do átomo de hidrogênio.
    – A síntese do carbono – a base química da vida, o núcleo vital de todas moléculas orgânicas – envolve aquilo que os cientistas denominam de uma estarrecedora coincidência na proporção da energia forte (strong force) para o eletromagnetismo. Esta proporção permite ao carbono 12 atingir um estado estimulado de exatidão da ordem de 7,65 Me V (milhões de eletron-volts) na temperatura típica do centro das estrelas, o que cria uma ressonância que envolve o Hélio 4, o Berilo 8 e o Carbono 12, possibilitando a ligação necessária que ocorre durante uma janela diminuta de oportunidade que dura 10 elevado à potência de menos 17 segundos – é mesmo estarrecedor.
    Mas, não é só isso, a lista prossegue e uma compilação abrangente dessas coincidências pode ser encontrada no livro ‘UNIVERSES’ de John Leslie.
    O físico Fred Hoyle, que cunhou ironicamente o famoso termo ‘big bang’ para o início do universo captou bem o dilema; ele afirmou: ‘é muito mais fácil um furacão passar por cima de um ferro velho e montar um Boeing 707 do que o universo ter sido montado por mero acaso’.
    “.

    FONTE: http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=art&cat=110&scat=82&id=5240

    Além dessas todas, uma outra coincidência que eu acho bem interessante é que o tamanho e a distância média da Lua em relação ao Sol faz com que ela seja vista praticamente do mesmo tamanho que o Sol no céu; o que pode ser mais bem percebido quando ocorre um eclipse solar total.

    É COINCIDÊNCIA DEMAIS PARA SER MERA COINCIDÊNCIA!!!

    Thumb up 7
  19. Francamente! É MUITA PETULÂNCIA, dos cientistas que acreditam no princípio antrópico FORTE!Parece que regredimos à IDADE MÉDIA, onde a Terra era o CENTRO DO UNIVERSO.Como seria coisa de MALUCO, voltar a afirmar isso, aqueles que sentem uma desesperada necessidade do ser mitológico chamado Deus, camuflam suas preces e outras baboseiras religiosas, com o nome de princípio antrópico forte.Na idade média, nossos ancestrais, pelo menos NÃO TINHAM IDÉIA do muito que sabemos hoje, sobre o Universo!

    Thumb up 34
    • Caro Tibulace,
      Na verdade, o princípio antrópico é fortíssimo pois:

      -Os astrônomos concordam que se houvesse a menor variação na hora do big-bang, alterando as condições, mesmo que pouco, nenhuma vida existiria.
      -O oxigênio compõe 21% da atmosfera. Se a porcentagem fosse 25%, a atmosfera começaria a pegar fogo, se fosse 15% os seres humanos morreriam asfixiados.
      -A força centrífuga dos planetas se não equilibrasse exatamente as forças gravitacionais, NADA ficaria em órbita em torno do sol.
      -Se a distância média entre as estrelas na nossa galáxia fosse alterada apenas ligeiramente, as órbitas ficariam errantes, e haveria variações extremas de temperatura na Terra.
      -Se o universo estivesse se expandindo a velocidade de um MILIONÉSIMO menor que está agora, a temperatura na terra seria de 10.000 Cº
      -Se a inclinação axial da terra fosse levemente alterada, diferenças de temperaturas seriam grandes demais impedindo a vida de várias espécies
      -Se Jupíter não estivesse em sua órbita atual seríamos bombardeados com material espacial. A sua poderosa gravidade age como um aspirador de pó puxando asteróides e cometas que de outra forma atingiriam a Terra. etc…

      Até o astrônomo agnóstico Robert Jastrow afirmou certa vez:
      “O princípio antrópico… parece dizer o que a própria ciência provou, como fato, que este universo foi feito, foi projetado, para o homem viver nele. É um resultado muito teísta” (God and the Astronomers p.17).

      Thumb up 7
    • Usar falácias criacionistas para defender um princípio que sequer é científico e útil, Cícero ?
      Fortíssima parece ser só a vontade de querer vender uma crença em particular.

      Thumb up 1
    • HFC,
      minha resposta saiu lá encima …

      Thumb up 1
    • Não foi projetado, a questão não é essa de acertar, é de ser o acerto. Não acertamos na loteria cósmica, somos o acerto na loteria cósmica, pelo menos no nosso ponto de vista. Prova fundamental: a maior parte das apostas do Universo não gerou a vida. O que não quer dizer que a vida seja um tabu, o número de apostas é tão grande que deixaria formas de vida sendo abundantes mesmo sendo na razão de uma chance a cada bilhão, ou mais. O universo é indescritivelmente grande.

      Sagan está certo, pra variar. De fato, astrônomo a frente de seu tempo. Quem dirá a série cosmos, até hoje um material didático útil.

      Thumb up 5
    • Mas para haver apostas é preciso haver condições!

      O acaso/nada jamais iria originar existência de grandezas como: matéria, energia, espaço, tempo, em proporções matemáticas precisas de equilíbrio como em nosso sistema solar, com leis e processos e mecanismos regulatórios finos para a harmonia e vida orgânica inteligente na terra e outras formas.
      O universo manifesta criação organizada e inteligente, é razoável supor um Projetista Inteligente Incausado Ilimitado, isto é uma NECESSIDADE.

      Até o incoerente Sagan, admite que uma mensagem curta do espaço precise de um ser inteligente como fonte.
      Mas nega que o complexo e intricado cérebro humano com bilhões de informações e conexões precise de um Criador Inteligente.

      Thumb up 4
    • @Cícero:

      Não acho que a “peculiaridades” do nosso sistema solar devam ser tomadas com evidencias da existência de um arquiteto inteligente: Pelo que parece, em uma infinidade de estrelas distribuídas pelo cosmos, nosso sistema solar é a exceção e não a regra.

      Mas perceba porem, que isso também não serve de prova conclusiva para se negar a existência “Deus”, como já dizia o “incoerente” Sagan: Ausência de evidencias, não é evidencia de ausência.

      Thumb up 1
    • Caro Jairo,
      “nosso sistema solar é a exceção e não a regra.”

      Sim, nosso peculiar e singular sistema é muito bem desenhado pra proporcionar as formas de vidas aqui.

      Ora, elementos químicos espalhados, não poderiam gerar o belo e bem organizado sistema solar em que vivemos, com muitos detalhes nos planetas tipo:

      1- A órbita de Vênus é contrária aos demais planetas.
      2- Hidrogênio e Hélio constituem 98% do sol, então mercúrio, vênus, terra e marte deveriam ter em abundância estes elementos, mas possuem menos de 1%.
      3- A órbita de Urano é de lado tipo uma roda devido a posição de seus anéis.
      4- Júpiter possui várias luas com órbitas alternadas
      5- Os 4 primeiros planetas são sólidos e os 4 últimos são gasosos, mas pela proximidade do Sol deveria ser invertida essa ordem.

      Mas há evidências que provam A Existência Causadora.

      Thumb up 1
    • Colega Jairo,
      Não é só nosso sistema solar.
      O Dr. Nicholas M. Short, geólogo espacial da NASA discorre sobre a causa e propósito do Universo, citando mais de 40 argumentos cientificos com parâmetros finos e precisos e proporções matemáticas bem ajustadas para o surgimento do universo o que exigiria para isso segundo ele, uma Causa Inteligente, Projetista ou DI, em vez destas séries de combinações específicas regidas por Leis Mantenedoras universais, …terem surgido do puro acaso+sorte às cegas, sem direção, sem propósito, sem inteligência!

      As chances seriam de 1 contra um número maior que circunferência da Terra!
      http://rst.gsfc.nasa.gov/Sect20/A12b.html

      Thumb up 1
    • @Cícero

      Entendo a sua colocação, aliás, no momento o meu posicionamento sobre o assunto é esse:

      Principio Antropico Fraco: Deus – se existe – criou o universo e as leis da natureza para nele fosse possível haver vida. O ser humano ainda é o resultado de uma longa cadeia de eventos naturais, e não algo planejado por Deus.

      Principio Antropico Forte: Deus criou o universo para o ser humano (Vide: No sentido de abrigar e sustentar formas de vida como a nossa), há um propósito para a nossa existência no cosmos.

      Pessoalmente, não descarto a possibilidade da existência de um “primeiro motor” divino, apenas não concordo que o ser humano seja a maior e mais bela “flor” do universo: Se as condições do nosso sistema solar ou da terra fossem diferentes, não haveria vida nele ou seria bem diferente do que imaginamos.

      Thumb up 0
    • Jairo,
      O “primeiro motor” é uma boa analogia, pois está de acordo com as evidências do Big-Bang que remete a um INÍCIO e o princípio antrópico. A própria configuração desse “motor” remete a um conceito teleológico com formação de seus componentes e montagem. Da mesma forma o universo e o sistema solar remetem a um grande projeto de montagem de uma máquina que precisa funcionar. Mas isso só um grande Projetista Inteligente pra realizar. Logo, estamos aqui. A mesma analogia poderiamos usar no incrível e complexo maquinário do DNA, que jamais poderia ter criado a si mesmo.
      Olha, pela Bíblia o homem é o ser mais importante Gn 1:26, mas não o mais poderoso e nem o mais belo…

      Thumb up 1

Envie um comentário

Leia o post anterior:
woman-entrepreneur
10 características do empreendedor de sucesso

Criatividade, tolerâ...

Fechar