Ser sociável na infância leva a felicidade na vida adulta

Publicado em 5.08.2012

Seu filho não vai bem na escola, mas tem muitos amiguinhos? Tudo indica que você não precisa se preocupar tanto assim com o futuro dele, porque ele pode ser muito feliz, mais do que quem tem boas notas, mas não uma boa vida social nos primeiros anos de vida.

Um novo estudo da Universidade Deakin, na Austrália, descobriu que boas relações sociais na infância e juventude podem se traduzir em felicidade na vida adulta.

O estudo baseou-se em 32 anos de dados de 804 pessoas que participaram de uma pesquisa de saúde e desenvolvimento na Nova Zelândia. Craig Olsson e sua equipe analisaram esses dados em busca de pistas de como a infância e adolescência de uma pessoa influenciavam seu bem-estar na idade adulta.

Vários fatores diferentes foram ligados ao bem-estar na idade adulta, como conectividade social e desenvolvimento da linguagem na infância, e conectividade social e desempenho escolar na adolescência.

A ligação mais forte com a felicidade e com o bem-estar na vida adulta foi a conectividade social, especialmente na adolescência. Isso não é surpresa, já que essa é uma época importante da vida de uma pessoa. De acordo com estudo feito recentemente pelo psicólogo Steve Janssen, nós guardamos muito mais memórias entre os 10 e 20 anos do que em outras fases da vida. Assim, lembranças desta época tendem a ser mais marcantes, significativas e influentes.

Os cientistas definiram a conectividade social de cada criança através de avaliações de pais e professores a respeito de como a criança era tratada, quantas vezes ficava sozinha e seu nível de confiança. Na adolescência, esse fator foi medido pela participação em grupos, como clubes esportivos e sociais, e por quão apegados eles eram aos seus pais, colegas e outros.

Pouca evidência ligou o desenvolvimento precoce da linguagem e o desempenho acadêmico do adolescente ao bem-estar adulto, o que sugere que os caminhos sociais e acadêmicos podem não estar intimamente relacionados.

Mas ter boas relações sociais na infância e juventude não é tudo; ou seja, não define se alguém será feliz ou não quando adulto, principalmente porque os níveis de felicidade variam muito durante a vida, e não dependem de apenas um fator.

Mas é importante que, acima de todas as outras pessoas, os pais prestem atenção nos seus filhos durante a infância, já que o amor dos pais, especialmente do pai, afeta a personalidade das crianças até a fase adulta. Novamente há uma prova de que as relações sociais são importantes no início da vida: nossas relações na infância, especialmente com os pais e outras figuras de responsáveis, é o que molda as características da nossa personalidade.[LiveScience]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

2 Comentários

  1. é vivemos em sociedade, temos que saber tolera muitas coisas; e releva outras, não se estressa com tudo, se não é melhor vive no meio do mata sozinho, na paz da natureza.

    Thumb up 1
  2. Xiiii,minha infância foi o contrario boas notas e pouca sociabilidade,o que realmente tem afetado muita a minha felicidade.

    Thumb up 6

Envie um comentário

Leia o post anterior:
mitochondria-120802
Porque as mulheres vivem mais que os homens?

No Brasil, as mulher...

Fechar