Dinamarca é país mais feliz do mundo; Brasil não está nem nos 10 primeiros

Por , em 16.10.2011

Um novo relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) descobriu que as pessoas dinamarquesas são as mais felizes entre os 40 países estudados.

A OCDE usou dados a partir de 2010 para calcular a felicidade e o bem-estar das pessoas em 40 países diferentes, e pesquisou quais fatores têm a maior influência sobre a felicidade das pessoas.

Em uma escala de 0 a 10, os cidadãos da Dinamarca avaliaram sua satisfação com a vida em 7,8, em média. Cidadãos do Canadá,
Noruega, Suíça, Suécia, Holanda, Austrália, Israel e Finlândia foram os próximos mais satisfeitos, seguidos pelas pessoas na Irlanda, Áustria e Estados Unidos, onde as pessoas classificaram sua satisfação com a vida em 7,2. O povo chinês e húngaro relatou a satisfação de vida global mais baixa, 4,7.

Em uma segunda pesquisa, quando a pergunta “Como você está se sentindo hoje?” foi feita, os dinamarqueses novamente ficaram no topo, com cerca de 88% respondendo que sentiam emoções positivas. Nessa pesquisa, o Brasil apareceu em 23° lugar.

Globalmente, o relatório da OCDE concluiu que o bem-estar aumentou, em média, nos últimos 15 anos. As pessoas estão mais ricas e mais propensas a serem empregadas; elas desfrutam de melhores condições de habitação e estão expostas a menos poluição do ar, vivem mais e são mais educadas, e também estão expostas a menos crimes.

Dentro dos países, no entanto, o relatório descobriu que os níveis de felicidade variam muito. “Alguns grupos da população, particularmente os menos escolarizados e de baixa renda, tendem a se sair pior sistematicamente em todas as dimensões de bem-estar”, afirmou a OCDE.

“Por exemplo, vivem vidas mais curtas e relatam maiores problemas de saúde, seus filhos obtém piores resultados escolares, participam menos de atividades políticas e confiam em menores redes sociais em caso de necessidades, estão mais expostos ao crime e à poluição, e tendem a ser menos satisfeitos com a sua vida como um todo do que os mais educados e de maior renda”, completa a instituição.

A OCDE também investigou quais fatores da vida tem maior impacto no bem-estar. O grupo entrevistou mais de meio milhão de pessoas de todo o mundo em uma pesquisa online, e então comparou a felicidade e satisfação com a vida com outros atributos, tais como situação de trabalho e engajamento social e político.

Em primeiro lugar, os pesquisadores descobriram que “ter um emprego é um elemento essencial do bem-estar. Bons empregos fornecem ganhos, mas também moldam a identidade pessoal e oportunidades para as relações sociais”, afirmou a OCDE.

A pesquisa também revelou que menos tempo no trânsito, acesso a espaço verde, ambiente limpo, passar tempo com amigos e familiares, boa saúde e se engajar em atividades políticas (como assinar petições e entrar em contato com representantes) se correlacionam diretamente com os sentimentos de felicidade das pessoas, e tem um impacto maior do que a renda das pessoas.

De acordo com a OCDE, os resultados do relatório sugerem que os governos devem se concentrar em outros objetivos além de progresso econômico. Uma abordagem simples não é suficiente no difícil contexto político atual; é de extrema importância definir objetivos fundamentais além de nível de renda, como a melhoria do bem-estar dos nossos cidadãos, garantindo oportunidades e preservação do nosso ambiente social e natural.[Life’sLittleMysteries]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

52 comentários

  • Lígia Dias de Lima:

    O brasileiro não é poliatizado! Ri para não chorar… Não existe felicidade em uma nação sem segurança social e por favor quando falo de segurança social não falo de esmola pois isso não é o social é fazer segurança politíca é garantir por muitos e muitos anos que um partido fique no poder como é em Cuba e na Venezuela já que é isso que realmente eles pretendem, acredito que o Brasil é um país destinado para sempre a ser infeliz e subdesenvolvido infelizmente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Claudio Santos:

    No Brasil voce nao tem seguran;a nenhuma de nada. Aqui, se voce mesmo nao guardar a casa roubam ate o cachorro. Se bobear, roubam tambem suas cuecas e ate a sua alma! Brasil E’ FIODA!

  • Samoel Bianeck:

    Somo felizes como “PINTO NO LIXO” – dos políticos!

  • Renato:

    Ser feliz num país cheio de politicos corruptos é dificil mesmo , é obvio q nao aparecemos na posiçao 10

  • Samoel Bianeck:

    Quando em um país um único político com todos os abonos ganha ao equivalente a 200 pais de famílias que tem 3 a 4 filhos, como poderá existir felicidade nesta massa que nos últimos 10 anos dorou de tamanho. Hoje chega a 12 milhöes que vivem nas favelas e palafitas.
    Mas uma coisa é certa; no pântano do planalto central do Brasil, existe uma ilha que, embora cercada de miséria, säo muito felizes.

  • nml:

    Eu sigo uma receita muito simples de felicidade: eu me abstraio, finjo que corrupção não existe, que não estão tirando onda com a minha cara por isto, que as notícias dos jornais brasileiros são de um país muito, muito distante, me abaixo nos tiroteios, finjo que tudo é lindo e funciona como deveria, procuro aceitar numa boa os valores sociais que são dirigir embriagado, desrespeitar o próximo, não ajudar o próximo, fazer o máximo de burocracia possível, essas coisas que a gente vê todo dia.

    • Magda Patalógica:

      Avestruz também faz isso.
      Só que enquanto ele está com a cara enfiada no buraco, seu trazeiro pode estar totalmente vulnerável.

      Fui.

    • nml:

      1. avestruz NÃO faz isto. isso é conto da carochinha q somente crianças ou adultos iludidos acreditam.
      2. eu agradeço a sua sinistra preocupação, mas na realidade fiz um comentário ‘sarcástico’. Sinto muito que não ficou acessível ao seu entendimento, mas eu explico:
      3. quem em sã consciencia social, ou seja, se você OLHAR para oq está acontecendo, como pode fechar os olhos calado e dizer que vai ser feliz? Se eu citei foi por entendimento.
      4. Frágil pensamento crítico, se enxergas só oq está diante do teu nariz (empurrado) e ainda entende errado. Fraca leitura.

    • Magda Patalógica:

      Caro intelectual de esquina.

      O senhor não precisa explicar nada.

      Quem não entendeu bem, foste tu.
      O sarcasmo impregnado no meu texto, teve a finalidade de acrescentar um pouco de ironia ao seu, sem desmerecê-lo. Sacou?

      Desça por um instante do pedestal da arrogância onde se colocou e aprenda a ler nas entrelinhas. Perceber o sentido das metáforas (como a do avestruz) antes de ficar rotulando as pessoas para baixo, julgando-se o supra-sumo não-sei-de-quê.

      Aprenda também a escrever melhor, respeitando a pontuação e, se conseguir, impregnando um pouco mais de dinâmica ao texto.

      Não dialogo com pseudo intelectuais metidos a besta.
      Viu no que deu?

      Pode escrever o que desejar, pois não obterá minha resposta.

      Tampouco causar-me-á interesse no que possa sobrevir de um discernimento fraco como o seu.

      Fui

    • Claudio Santos:

      Minha nossa, eu jamais dividiria um pastel de carne e uma calde de cana numa pastelaria de Osasco com uma mulher chata dessa!

    • Ezio José:

      “Na verdade, eles encostam o pescoço e a cabeça no chão, mas não chegam a metê-la em buracos”, diz o empresário Fernando Antonio Carlini, que tem uma fazenda de criação de avestruzes em Piedade, interior de São Paulo.

  • gloria:

    Nem todo brasileiro é infeliz, eu sou feliz e muito feliz por ser brasileira, as vezes me pego pensando, acho q Deus me ama muito por me fazer existir aquí.Tenho um sol maravilhoso q me aquece, uma cama limpinha e cheirosa p\ descançar meus ossos, uma comida simples e gostosa p\ matar minha fome, agua de qualidade p\ saciar minha sede!Q + posso querer ?Se ñ me falta o essencial!

  • César:

    Japão é recordista mundial em suicídio e aparece em segundo na lista, para que serve essa tal de felicidade?

    • Daniel:

      Creio que a taxa de suicídio não demonstra necessariamente que uma sociedade é mais ou menos infeliz que outra. No japão o suicídio é mais visto como uma questão de “honra ferida” do que propriamente infelicidade. Não é incomum estudantes que não passam em vestibular cometer a “Birra Mortal”.

    • Juca da Silva:

      Pior critério é medir felicidade pelo padrão de educação, renda, coisas banais materialistas… Conheço muita gnt bem humilde que é feliz da vida, enquanto outros mais abonados.. Essas pesquisas patéticas são tão úteis quanto saber qual é a cor do cavalo branco de Napoleão hahahaha

  • magoado:

    A felicidade não está na troca de país ou nos confortos de sua casa ,a felicidade não está no dinheiro que você possa ter…..a felicidade é um estado de espirito,um contentamento interno,uma paz interior uma alegria contagiante ,Por isso dizem que a felicidade não se compra,e eu falo que á mais felicidade em você ajudar o seu próximo do que a ti mesmo….!!!

  • Etzel:

    Acho que algumas pessoas levam muito a sério pesquisas que são apenas “base” para se ter noção de uma possível realidade, as pesquisas foram realizadas apenas online, que garantia tem isso?
    Acho que a felicidade das pessoas não está ligada apenas a fatores econômicos, sociais e etc. como diz o artigo, há pessoas que tem tudo o que querem e são infelizes com o mundo pois sempre querem mais, nunca estão contentes. O Brasil é sim um país cheio de problemas, como muitos, mas há felicidade aqui, há como ser feliz. Agora rebaixar o Brasil apenas por causa de uma pesquisa baseada em alguns números? É esse tipo de gente que não leva o Brasil pra frente!!!

  • Cabeção:

    Só pelas nossas brasileiras, pelo menos os homens são os mais felizes do mundo xD!

  • Nietszche:

    “Noruega, Suíça, Suécia, Holanda, Austrália, Israel e Finlândia foram os próximos mais satisfeitos, seguidos pelas pessoas na Irlanda, Áustria e Estados Unidos, ”

    Então a imagem do artigo não tem anda a ver! Porque Israel está quase no fim, Finlandia aparece depois do Brazil, etc etc

    • Stéphano:

      A imagem do artigo tem a ver sim, ela se refere à pesquisa “como você está se sentindo hoje?”, em que 88% dos dinamarqueses responderam que sentiam emoções positivas, e não sobre a primieira.

  • feio:

    -podemos ser feliz ou infeliz em qualquer lugar do mundo,felicidade é uma condição própria ,não depende de situação geográfica;Com relação a outros Países,lá também tem problemas e muitas das vezes pior que o nosso Brasil,é só dar uma olhada nos jornais…”SEJAM FELIZES É O QUE INTERESSA,O RESTO NÃO TEM PRESSA.

  • Magda Patalógica:

    Para Milena Karla.

    Vai pros EUA, sim, lindinha.

    Embarque já no voo 666 da HELLMANN’S AIRLINES e espere ser recebida de braços abertos na terra do Tio Sam.
    Isso se conseguir o Green Card, cada vez mais restrito ao sul americanos.
    As portas só vão te abrir se acaso fores prêmio Nobel de alguma coisa, atriz ou pop singer internacional.

    Ah… lá não tem príncipe, viu? Mas quem sabe tu possas ir morar no castelo da Disney?

    [esse lugar] e [esse país] do qual voccê pretende [se mandar] e [não vê a hora de sair], tem nome e chama-se Brasil, sabia?

    As [coisas erradas] como você cita, não são causadas pelo maravilhoso povo brasileiro e sim por políticos e administradores incompetentes e corruptos do poder. Sacou?

    O que mais me causa espanto é a ingratidão, a mente alienada, omissa e babaca de muitos jovens, que poderiam tentar mudar o rumo das coisas, (Cadê a UNE?).

    Mas estão muito ocupados com sexo, drogas, baladas, bebida, TV e rock and roll. Ou delirando nos sonhos de Peter Pan e Cinderela.

    Vai mesmo pros EUA e deixe o Brasil para os brasileiros e estrageiros que verdadeiramente amam a nossa pátria.

    Fui.
    PS: Magda com TPM
    ————————————————–
    Guarde o seu texto para conferir na posteridade:

    “É claro que esse país cheio de coisas erradas não ia ser feliz. Eu mesma já decidi que vou me mandar desse lugar assim que puder! Vou morar nos Estados Unidos,e quando ficar mais velha,tipo uns setenta anos vou pra Dinamarca.
    Eu estou aprendendo inglês desde já. Não vejo a hora de sair do Brasil!”

    • Silvio RC:

      Bruxinha Magda:

      Você com TPM… saiam de perto, que lá vem bala!

      Concordo com sua opinião e acredito que a Milena deva ser uma adolescente, cheia de sonhos e idéias a realizar.

      Na minha juventude, época dos cabeludos, havia uma música que dizia:
      “Cabelos longos e idéias curtas”

      Tudo faz parte. Depois amadurecemos e a experiência de vida nos modifica. Da rebeldia, passamos a raciocínios de maior peso.
      Só não confundir o “peso” da barriga de alguns maduros. (rss)

      Abs:
      Silvio

    • 3dx:

      Sílvio e Magda concordo muito com vocês apesar de ter apenas 13 anos meu sonho é ir para os EUA(ir, não morar lá)lá tem coisas diferentes, e mais legais (na minha opinião), mas então eu pensei, lá tem muitas drogas,poluição, violência, estupro, e as pessoas são muito egoistas e patriotas, que odeiam os latino, asiatico, europeus (todo mundo) e largar o maravilhoso Brasil, com esse lindo céu azul, gente boa, natureza bela e cheio de riqueza.

      melhor só para deixar quando eu crescer e só simplesmente ir lá ver e sair logo de lá

      agreço a opinião de todos
      OBRIGADO

    • Milena Karla:

      Sim,você tem razão Silvio.Eu sou apenas uma adolescente, e depois desse comentário desanimador da Magda a minha vontade de ir morar nos Estados Unidos só cresceu. Não deixarei de realizar meus sonhos por causa de um monte de “não gostei”,e um comentário bobo como o da Magda.
      Por que pra mim tudo é possível.E já existem milhões de brasileiros nos EUA,e eu serei mais uma.
      Se você Magda,não acredita que as pessoas possam se mudar para outros países eu tenho uma mensagem pra você:

      Tudo é possível.E o mundo é feito para todos.Não existe uma barreira tão forte que possa me impedir de ir para onde meu coração está.Deus está comigo,porque ele quer o meu melhor.E eu acredito que o melhor pra mim será eu estar onde eu quero estar.
      Agora,tchauzinho pra você Magda estraga prazeres.

    • Silvio RC:

      Milena, querida:

      Não fique triste nem se deixe abater pelo que as pessoas escrevem nas discussões.

      Li com atenção os seus dois textos.
      Você escreve bem, com clareza e objetividade.

      Acredito que no primeiro texto, você se expressou com um certo desdém à pátria onde nasceu. Muito natural, levando em consideração tantas mazelas que aqui acontecem.

      Eu mesmo já me peguei esbravejando e dizendo que “isso aqui é uma merda sem conserto”.
      Mas há uma diferença entre desgoverno e o chão da pátria amada. Pense nisso.

      Acho você se expressou mais como um desabafo, embora tenha transparecida a impressão de deboche. Faça uma re-leitura.

      Isso deve ter influenciado na crítica excessivamente amarga por parte da Magda.
      Magda errou, sim, por ser tão incisiva a ponto de ferir sua sensibilidade.
      Espero que ela venha comentar suas razões e pedir desculpas, caso seu (dela) coração deseje.

      Viu como é difícil escrever de modo a ser bem interpretada? Todos estamos aprendendo.

      Quanto a sua intenção de viver nos EUA, lute mesmo pelo seu ideal.
      Se me permites um conselho, prepare-se bem no inglês, faça uma faculdade que realmente tem a ver contigo ou batalhe uma bolsa de estudos com residência em casa de família, que deixarão seus pais mais sossegados.

      A maioria do povo americano é evangélico. Então conheça bem a bíblia e terá mais facilidade de dialogar, encontrar amigos, e ser bem aceita na comunidade.
      Sem que com isso venha a tornar-se uma crente babaca.

      Desenvolva habilidades extra curriculares. O americano respeita pessoas que são úteis e criativas, desde que não concorram com seus empregos.

      E quando se for para os EUA, faça como aquele passarinho que viu chegada a hora de voar, olhar para o ninho com ternura e dizer:
      “_Obrigada, ninho, por ter me abrigado desde que nasci. Agora vou bater as asas rumo a novas experiências, mas te levarei no meu coração, com toda a minha gratidão.

      Abraços carinhosos:
      Silvio

    • Milena Karla:

      Silvio querido:

      Ao seu comentário eu só tenho a dizer : MUUITO OBRIGADA!
      Obriga pelos elogios,pelas dicas,conselhos,tudo!
      Vou guardar o que você disse pra sempre. Você realmente me animou novamente com isso tudo,e me fez ver que é possível fazer isso,e ainda me deu dicas para realizar meu sonho!
      Eu não odeio o Brasil,mas também não adoro.Não quer dizer que eu não goste das pessoas que moram aqui,para mim os brasileiros são as pessoas mais amorosas do mundo! E realmente eu não quis ofender tanto o Brasil e a Magda como aparentei.

      Muito obrigada mesmo,você é demais!

      Beijos e abraços,espero poder compartilhar pensamentos com você por aqui de novo!

    • Magda Patalógica:

      Peraí, garotinha:

      Primeiro você escreve com o maior DEBOCHE contra o Brasil.
      Diz que não vê a hora de se mandar DESSE LUGAR.

      Depois que caiu a ficha e sacou a ca–da que escreveu e vem falar mal de mim para o Silvio e dando uma de coitadinha?

      Ôrra, meu, que covardia, menininha.
      Quando tiver que falar com alguém, escreva direto prá pessoa.

      Sabe o que tenho a te dizer, guria?
      NADA!
      ————————–
      Releia o que você escreveu:

      “É claro que esse país cheio de coisas erradas não ia ser feliz. Eu mesma já decidi que vou me mandar desse lugar assim que puder! Vou morar nos Estados Unidos,e quando ficar mais velha,tipo uns setenta anos vou pra Dinamarca.
      Eu estou aprendendo inglês desde já. Não vejo a hora de sair do Brasil!”
      —————————-

      Você debocha do Brasil, cuspe no prato que comeu e ainda espera que os verdadeiros amantes da pátria concordem com você?

      Em algum lugar do texto você diz que é seu SONHO morar nos EUA? Você só debocha da nossa pátria.

      Quer saber? Tenho coisas mais importantes prá ocupar a minha mente. Falou?

      Fui

    • Milena Karla:

      Eu acho bom você não me chamar de “menininha” nem de “garotinha”. Comentários como os seus não são nada construtivos.
      Se você acha que eu estou fazendo desdém do Brasil,eu acho que você fez desdém de mim.
      Não pedi pra brigar e não quero brigar,e nem me fiz de coitadinha.
      Você tem que procurar ser mais compreensiva com os outros,você fala como se se eu estivesse pecando por querer ir morar no exterior.
      Eu gosto do Brasil,mas infelizmente pra você,eu tenho vontade de conhecer outros lugares como os EUA e a Dinamarca,e morar lá se gostar.

      Adeus Magda.

    • nml:

      Como assim, corrupção não é culpa dos brasileiros? Os políticos se elegeram sozinhos? Ou será que (espanto!) foram os brasileiros que votaram neles???

    • tina:

      eu ja moro aqui e discordo dessa pesquisa de DK as pessoas são as mais felizes….

  • Milena Karla:

    É claro que esse país cheio de coisas erradas não ia ser feliz. Eu mesma já decidi que vou me mandar desse lugar assim que puder! Vou morar nos Estados Unidos,e quando ficar mais velha,tipo uns setenta anos vou pra Dinamarca.
    Eu estou aprendendo inglês desde já. Não vejo a hora de sair do Brasil!

  • Alter ego: Não sou patriota:

    De fato, o título deste artigo foi bem infeliz mesmo.
    Não vejo razão nenhuma para alguém ser feliz no Brasil, principalmente quando se leva em conta os inúmeros problemas que temos.

    • Silvio RC:

      Caro Alter Ego:

      Se me permites uma opinião, talvêz estejamos precisando rever o real signicado do termo patriotismo.

      A letra do Hino Naciional Brasileiro (embora um tanto ufanista, como as de outros países), nos dá uma clara definição do que é amar a pátria onde nascemos e vivemos.

      As pessoas andam confundindo rejeição ao desgoverno, com rejeição do amor á terra ou o “organismo vivo” brasileiro.

      A Argentina passou por inúmeras crises, problemas de opressão política, desgovernos, militarismo, colapso financeiro, desemprego, etc.
      Mas o povo não deixou de amar sua pátria e lutar por ela.

      Talvês precisemos aprender um pouco com os argentinos, que são considerados os mais patriotas da América Latina.

      Tudo passa, mas a pátria permanece.

      Abs:
      Silvio
      PS: Os argentinos são tão ufanistas, a ponto de afirmar:
      “Se Pelé es rey, Maradona es Dios” (rss)

  • Plugin:

    Ao contrário de indicadores sócio-econômicos, de educação, desenvolvimento, produção científica, etc. os indicadores de “felicidades” são muitos relativos. Cada um, de cada lugar, tem um conceito diferente sobre o que é felicidade, o que é estar feliz, então é difícil levar a sério indicadores como esse.

  • Bruno Ramos Godinho:

    “Brasil não está nem nos 10 primeiros” foi uma frase bem infeliz…

  • ALX:

    Não concordo com essa materia… O Brasil é o maior por varios aspectos, se for listar aqui nem caberá!

  • Ze da Feira:

    Se o Brasileiro num for feliz , ninguém mais é. Essa pesquisa esta errada.

    • Cabeção:

      Verdade hein, duvido que esses caras aí são mais felizes do que nós! xD

  • Evandro:

    Rs.. queria ver se fizessem essa pergutna “como se sente hoje” para os dinamarqueses no Inverno.

    Meu primo já morou lá, o Inverno é muito tenso! Maior parte do dia é noite; as pessoas ficam meio loucas, muito desanimadas; o inverno é tenso. E as pessoas de lá sempre comentam coisas do tipo “o inverno está chegando”. Se fizesse a pesquisa no Inverno, talvez eles fossem um dos mais infelizes.

    Além disso, lá o povo em geral bebe muito. Mais do que o Brasil. E tem dinheiro, muito dinheiro para bancar seus vicios. Lá praticamente, ninguem se preocupa com dinheiro, pois o país possui de sobra. O Governo praticamente banca a prosperidade das pessoas; o cara precisa se esforçar muito lá para ser um ‘coitado’.

    Vale lembrar que a população de lá gira em torno de 5 milhões. 1/3 da população da cidade de São Paulo. E todos com alto nível de educação. É literalmetne outro mundo.

  • Silvio RC:

    Pelo exposto, o critério de felicidade dos europeus está mais centrado economicamente.

    Muito compreensível para quem já sofreu as agruras de duas grandes guerras.
    As guerras trouxeram desemprego, instabilidade política, emocional e financeira, fome, perdas humanas e materiais.

    A índole do povo europeu é fria, calculista e separatista.
    Dão-se bem entre os seus iguais. Só entre os seus iguais.
    Na Europa, os sul americanos são tratados como inferiores e terceiro-mundistas.
    Sofri na pele esse preconceito na Alemanha, na França e na Àustria, embora fosse um pouco bem tratado na Espanha e Itália.

    Vamos ver como ficará a felicidade deles caso a crise internacional lhes atinja o bolso. Basta relembrar a história recente da segunda guerra onde matava-se ou se prostituia para conseguir comida.

    Uma amiga alemã, contou-me que durante a guerra, no inverno, sua mãe encontrou um urubu morto na calçada. Levou-o para casa, depenou-o, limpou bem e foi negociá-lo no mercado, como se fosse um belo frango. Consegui trocá-lo por batatas e alguns alimentos.
    Dá para se analisar até que ponto chega o desespero quando há falta de comida em casa.

    Nada dissso se aplica ao povo brasileiro, que apesar da pobreza da grande maioria, nossa gente sabe levar a vida com alegria e bom humor. Ri das próprias amarguras e é o povo mais solidário do planeta.

    Tanto isso é verdade, que os estrangeiros que aqui vivem , consideram o Brasil como o melhor país do mundo para se viver.

    E como afirmava Paulo Freire:
    “O povo brasileiro é pobre, mas não é miserável”.

    Abs:
    Silvio

    • Plugin:

      Ri das próprias amarguras pode ser bom, mas ao mesmo tempo é perigoso, leva ao conformismo, e o conformismo leva a estagnação.

      Sobre o xenofobismo presente na Europa, bem, não irei me prolongar, digamos apenas que eles tem os seus motivos.

    • Plugin:

      Correção: “Rir das próprias amarguras pode ser bom, mas ao mesmo tempo é perigoso, leva ao conformismo, e o conformismo leva a estagnação.
      Sobre o xenofobismo presente na Europa, bem, não irei me prolongar, digamos apenas que eles tem os seus motivos.”

    • Silvio RC:

      Caro plugin

      Respeito sua opinião.

      Mas para melhor entender o seu raciocínio no segundo parágrafo do texto, apreciaria muito que detalhasse os motivos pelos quais os europeus são xenófobos.

      Abs:
      Silvio

  • David Sousa:

    A Dinarmarca é o país mais xenofóbico da Europa. Será que isso teria alguma relação com a pesquisa?

    • tina:

      corcordo..

  • Volker:

    Sim é verdade mas há aqui um grande erro em que dizem que o Povo Suiço é feliz? Não sei aonde a Suíça é um País que tem o maior numero de suicídios, é um povo Racista,xenófobo, explorador e aonde reina a Pedofilia.
    Caso não acreditem verifiquem vocês mesmo.
    O que na realidade o Povo Suíço é muito Infeliz e Pobres de Espírito.

    • Nietszche:

      Tou a ver que não sabes mesmo nada sobre a Suiça. A Islandia é que tem o maior nº de suicidios, pedofilia é na Alemanha e Romenia, fechar e estrupar os filhos durante anos na cave é na Austria. Racismo e xenofobia há em todo lado, e quando penso nisso a Suiça nem é dos piores.

  • Alex:

    é na Dinamarca que pagam para os Alunos estudarem??
    acho que li isso em algum lugar…

    • Cabeção:

      Sério? E o valor tem a ver com as notas, pq se tivesse, eu seria pobre do mesmo jeito xD

    • tina:

      sim, educação por aqui e’ um dos pontos altos

  • Jumento:

    a felicidade é passageira. bom mesmo é a satisfaçao.
    ou vc escolhe ser satisfeito consigo mesmo e com o seu mundo ou vc será um eterno insatisfeito.

Deixe seu comentário!