10 alimentos que são tão viciantes quanto drogas

Por , em 7.09.2018

Drogas fazem mal para a saúde, entre outras coisas, porque viciam e exageramos na dose. Disso todo mundo sabe.

O que muitas pessoas não levam em consideração é que certos alimentos também podem ser viciantes, com alguns tendo até os mesmos efeitos químicos em nossos corpos que as drogas.

O resultado é que nos tornamos física ou mentalmente dependentes desses alimentos. Confira:

10. Bolachas recheadas


Consumir um grande número de bolachas recheadas ou cookies pode ser o resultado de um vício. Em um estudo, o pesquisador Jamie Honohan, do Connecticut College (EUA), injetou uma solução salina, cocaína ou morfina em ratos.

Posteriormente, colocou os animais em um labirinto contendo arroz ou bolachas Oreo, onde podiam se movimentar livremente. Os animais migraram todos para a área que continha Oreo, que claramente preferiam ao arroz. Eles ficaram agitados depois de comer o recheio das bolachas da mesma forma que ficaram agitados quando injetados com as drogas.

Honohan ainda analisou as proteínas dos ratos e descobriu que o “centro de prazer” no cérebro dos animais era mais ativo quando eles comiam Oreo do que quando eram injetados com cocaína.

9. Trigo


Consumir grandes quantidades de trigo não é saudável. O produto que ingerimos hoje não é o mesmo que o do passado. O trigo moderno é resultado de engenharia genética que vem ocorrendo há cerca de 50 anos. Ele contém amido, glúten e muitas proteínas aditivas.

Quando consumidas, tais proteínas são quebradas em polipeptídeos, que se ligam a receptores cerebrais para tornar os consumidores viciados. Os polipeptídeos também entram na corrente sanguínea. Neste ponto, são chamados de gluteomorfinas, um nome derivado de “glúten” e “morfina”.

Os viciados em trigo sempre terão desejo por mais produtos com esse ingrediente, como biscoitos e bolos. Curiosamente, a dependência pode ser tratada com drogas como a naloxona, que os médicos usam para curar overdose de heroína ou morfina.

Além do vício, o trigo tem sido associado ao câncer, obesidade, doenças cardíacas e vários outros distúrbios médicos.

8. Carne


A carne contém hipoxantina, um estimulante semelhante à cafeína que nos faz sentir satisfeitos. A hipoxantina tem até as mesmas propriedades da cafeína. É por isso que algumas pessoas exibem sintomas de abstinência e um desejo grave por esse tipo de alimento se ficarem sem comê-lo por um tempo.

A carne contém outras substâncias que causam dependência também, como os ácidos guanílico e inosínico, que têm o mesmo efeito que a hipoxantina.

Pior ainda: uma vez viciado em hipoxantina, você precisará consumir mais carne para atingir o mesmo nível de satisfação.

7. Sorvete


Kyle S. Burger e Eric Stice, do Instituto de Pesquisa de Oregon (EUA), estudaram o efeito do vício em sorvete no cérebro humano.

Os pesquisadores mostraram a 151 adolescentes um desenho de um milkshake para medir seus desejos antes de dar a eles verdadeiros milkshakes para consumir, enquanto examinavam sua atividade cerebral.

Os participantes do estudo que haviam consumido muito sorvete nas semanas não anteriores não ficaram tão animados ao tomar um milkshake quanto os que não tinham consumido bastante sorvete há pouco tempo. Isso foi medido pela atividade no centro de prazer do cérebro enquanto eles bebiam.

Da mesma forma que ocorre com o uso de drogas pesadas, os adolescentes que tomaram muito sorvete antes do estudo precisavam de mais milkshakes para alcançar o mesmo nível de satisfação do que aqueles que não tomaram tanto.

6. Queijo


O queijo é outro alimento viciante. Pode até ser a razão pela qual algumas pessoas são loucas por pizza. Isso porque o queijo contém opioides como caseínas e casomorfinas.

As casomorfinas são fragmentos de caseína que se ligam aos mesmos receptores cerebrais que drogas como morfina e heroína. Em resposta, o cérebro libera dopamina da mesma forma que quando alguém usa drogas.

Você pode não perceber, mas queijo te deixa “doidão” e viciado, embora em um nível inferior ao das drogas.

5. Açúcar


Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Tecnológica de Queensland (Austrália) descobriu que o açúcar tem o mesmo efeito no corpo que a cocaína. Ambos liberam dopamina no organismo. A longo prazo, a quantidade de dopamina liberada torna-se menor em comparação com a quantidade de cocaína ou açúcar consumida, levando os dependentes a quererem mais.

Quando um viciado em açúcar não obtém açúcar suficiente, pode cair em depressão. Também pode exibir sintomas de abstinência. A Administração de Drogas e Alimentos americana, inclusive, aprovou a vareniclina, a mesma droga usada para tratar a abstinência de nicotina, para tratar a abstinência de açúcar.
Outro estudo do Dr. James DiNicolantonio descobriu que o açúcar é ainda mais viciante do que a cocaína. No experimento, ratos viciados em cocaína trocaram a droga por açúcar depois de prová-lo pela primeira vez.

Vale observar, no entanto, que um estudo anterior de pesquisadores da Universidade de Edimburgo (Escócia) concluiu que o vício do açúcar é na verdade um problema comportamental e não uma dependência real. Em essência, as pessoas consomem açúcar porque amam e não porque são viciadas.

4. Café


Esta bebida contém cafeína, que foi coroada “a droga mais viciante e amplamente utilizada no mundo”. Ela desencadeia a liberação de dopamina no corpo, fazendo com que nos sintamos bem, da mesma forma que as drogas fazem os usuários se sentirem bem.

3. Refrigerante


Alguns refrigerantes, como Pepsi e Coca-Cola, são irresistíveis porque contêm cafeína, que já estabelecemos ser superviciante.

A cafeína na Coca-Cola entra na corrente sanguínea e no cérebro onde perturba os receptores de adenosina responsáveis por retardar as células nervosas no cérebro. Quando isso acontece, nosso corpo entra em estado de alerta e libera adrenalina – algo geralmente liberado naturalmente quando estamos em perigo. O corpo logo percebe que não há perigo e cria mais receptores de adenosina para bloquear os efeitos. O bebedor, assim, é forçado a consumir mais refrigerante para alcançar o mesmo nível de satisfação de antes.

Além da cafeína, refrigerantes têm sido criticados por conter corante, ácido fosfórico e muito açúcar ou xarope de milho rico em frutose.

2. Salgadinho


Já se perguntou por que é tão difícil parar de comer salgadinhos uma vez que o pacote está aberto? A fome pode até já ter passado, mas esta “comida porcaria” – bem como outras junk food semelhantes – parece impossível de se largar.

De acordo com um estudo, é porque são tão viciantes quanto drogas pesadas. Como o queijo, salgadinhos desencadeiam a liberação de dopamina nos nossos corpos, nos dando o mesmo efeito que as drogas oferecem.

Um experimento conduzido pelo Dr. Tony Goldstone, do Imperial College London (Reino Unido), revelou que fotos de junk food em geral estimulam a mesma parte do cérebro que imagens de bebidas alcoólicas para alcoólatras, e fotos de drogas para dependentes químicos.

1. Chocolate


O chocolate contém açúcar, gorduras, teobromina e encefalina. Essas duas últimas substâncias são estimulantes.

A teobromina, em particular, é conhecida por desencadear a expansão de nossos vasos sanguíneos e uma queda na nossa frequência cardíaca e pressão arterial para criar uma sensação de relaxamento, assim como as drogas fazem.

Os efeitos da encefalina precisam de mais estudo, porque a maioria das pesquisas relevantes foram feitas em ratos. Nos animais, o consumo de encefalina estimulou receptores opióides do cérebro, assim como a heroína e a morfina. Ao mesmo tempo, fez com que os ratos desejassem mais chocolate para manter a “sensação”. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (32 votos, média: 4,72 de 5)

1 comentário

Deixe seu comentário!