10 fatos deprimentes sobre a humanidade

Por , em 28.07.2013

Embora muitos busquem soluções (ou, ao menos, explicações que permitam criar soluções), nem todo estudo científico é animador, e há descobertas que, ao invés de dar esperança às pessoas, podem fazer com que desanimem. A seguir, você confere 10 conclusões científicas “deprimentes” a respeito da humanidade, compilados por Karl Smallwood, do site Listverse.

10. Obesidade é tão alarmante quanto fome

10
De acordo com relatório de 2012 do Global Burden of Disease Study (que investiga o impacto global ou regional de certas doenças, ferimentos e fatores de risco), de 1990 a 2010 o índice global de obesidade aumentou em 82% – e isso não significa que há muito menos pessoas morrendo de fome.

9. “O que eu quero de Natal: um pai”

9
Um estudo feito em 2012 com 2 mil famílias nos shoppings Westfield London e Westfield Stratford City (ambos na Inglaterra) mostrou que, entre as crianças, o 9º pedido de Natal mais comum era “um pai”. “Uma mãe” foi o 23º.

Não é preciso um grande esforço para concluir que esse tipo de coisa não é exclusiva de um país.

8. Ajudamos nossa família por obrigação

8
Ao investigar o fenômeno da empatia (a capacidade de se colocar no lugar do outro, basicamente), a psicóloga Lidewij Niezink concluiu que, enquanto ajudamos amigos porque nos identificamos com eles, tendemos a ajudar nossos familiares tanto por obrigação social como por esperar algo em troca, de modo subconsciente.

7. Repetição pode fazer você acreditar em uma “falsa maioria”

7
Em 2007, pesquisadores da American Psychological Association (APA) divulgaram um estudo segundo o qual receber repetidamente uma opinião de uma fonte teria o mesmo efeito de receber essa opinião de várias fontes – em outras palavras, cria-se uma ilusão a respeito do número de pessoas que defendem uma ideia.

6. Opiniões contrárias podem reforçar as nossas

sim-nao-icones-psd_55-292934258
Existe um fenômeno conhecido como “viés de confirmação”, em que as pessoas tendem a preferir informações que estejam de acordo com suas crenças – mesmo que as informações sejam falsas. Uma das possíveis consequências disso é que, ao ouvir uma opinião contrária, podemos acabar ignorando o que o outro tem a dizer, o que dificulta o diálogo.

5. Nós nos achamos “acima da média”

5
Outro fenômeno que pode atrapalhar discussões é o “viés acima da média”, que leva muitas pessoas a se considerarem melhores do que “a maioria”, seja a respeito de alguma habilidade, seja quanto a seu nível de conhecimento sobre determinado assunto.

4. Simples mudanças de palavras podem nos convencer

4
Publicado em 1981 na revista Science, o estudo “The Framing of Decisions and the Psychology of Choice” (“O Suporte de Decisões e a Psicologia da Escolha”) mostrou como uma redação “bem feita” pode nos convencer de uma ideia que, colocada de outra maneira, rejeitaríamos. É por conta desse fenômeno que se diz que um produto está “mais barato” ao invés de “menos caro”, por exemplo.

3. Conhecimento dificulta as coisas

3
O artigo “The Curse of Knowledge” (“A Maldição do Conhecimento”), divulgado em 2007 pela American Physical Society, apontou um problema enfrentado por quem estudo um tema a fundo: quanto mais você souber a respeito de algo, mais difícil vai ser encontrar alguém que tenha conhecimento suficiente para discutir a respeito – e menos paciência você terá, com o passar do tempo, para explicar o assunto.

2. Ver algo constantemente pode fazer com que gostemos dele

2
Retratado em diversos estudos, o “efeito da mera exposição” pode ser especialmente útil na Publicidade: quanto mais vemos algo ou alguém, maior é a tendência a vermos esse algo ou alguém de maneira positiva. Embora haja um limite (quem nunca escutou uma música até “não aguentar mais”), é um fenômeno difícil de controlar, porque não depende tanto da vontade da pessoa.

1. Coisas ruins acontecem “sem razão”

1
Embora haja um certo consolo no pensamento de que “tudo ocorre por uma razão”, essa ideia pode ser perigosa, porque pode nos levar a acreditar que os envolvidos em uma tragédia “mereceram” esse sofrimento.

Uma crença menos perigosa é a de que é possível extrair algo bom (uma lição, um conhecimento, um afeto) de um fenômeno ruim. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 5,00 de 5)

14 comentários

  • alvaug:

    Eu incluiria um 11° fato deprimente: é mais fácil detectar um erro no trabalho dos outros do que no nosso trabalho. Por exemplo, há um pequeno erro de concordância no título do 1° fato.

  • Cysinho braga:

    O 5° o item o fenômeno do aprofundamento de um tema ; tenho passado por situação semelhante, pois me aprofundei muitos em certos assuntos bíblicos. E não consigo um bom dialogo com aqueles que parecem saber bem bíblia.
    E eu não sou tão letrado assim, e procuro desempenhar uma linguagem compriêncivel

  • Heitorino:

    A 8.Prova de que amizade sempre foi mais importante do que familiaridade.

    • JCarlos Dias:

      Heitorino, amizade é escolha, família é imposição da natureza.

  • Lucas Albuquerque Jr.:

    O número 3 é uma verdade!

  • Genioso Irreligioso:

    “há descobertas que, ao invés de dar esperança às pessoas, podem fazer com que desanimem. ”

    Deve ser pra esses casos que dizem: “a ignorância é uma benção” 😉

  • Kermit Figueiredo:

    O que as pessoas precisam saber concernente a 1 é: “se prepare pro que der e vier”.

  • datoru01 .:

    9-interessante.
    8- FATO!
    5- É muito complexo e polêmico, pois “maioria” e “minoria” não se juntam com Melhor e Pior. Existem opiniões, diferenças, e personalidades, mas ninguém é melhor por possuir algo, afinal todos temos algo diferente de todos. Existem pessoas que têm orgulho de estar na minoria, e outras que se sentem confortável em estar com a maioria, mas se não houvesse ninguém no mundo pra contrariar a sua opinião, do que ela valeria?

    2- Quanto mais vejo publicidade de um produto, mais detesto ele, pois parece que eles estão implorando pra vc comprar já que o produto por si só não é suficiente para mostrar sua qualidade e fazer com que as pessoas recomendem. Eu nunca vi o Google Search por exemplo, ser anunciado na TV, mas hoje aqui no Brasil é o site mais acessado ou mais conhecido (conquistou o público pela sua qualidade).

  • Michel Kanemaru:

    :O essa imagem de Stargate Atlantis :O

  • Antonio Thomacelli:

    A opção 7 e 1 resumem a religião.
    Perigosas são por não proporem soluções e sim aceitação de algo.

    • Murilo Mazzolo:

      E a 3 sobre os debates entre cientistas, amantes e conhecidos da mesma com pessoas(céticas) ignorantes ou religiosos ignorantes. Nunca é conclusivo para os dois… ignorantes acabam por sentirem-se certos e superiores e os conhecedores com dor de cabeça e raiva! kkk

  • Luis Rubim:

    A HypeScience a tempo que ja perdeu o meu respeito. Westfield London e Westfield Stratford City sao centros comerciais ou Shopping Centers em Londres e nao cidades. A Hypescience quando nao da bacorada nao confirma factos, infelizmente. La porque e uma magazine de ciencia simplificada para as massas, nao tem que baixar a qualidade de jornalismo.

  • Asdrubal:

    Última foto do Stargate Atlantis.

  • Pablo Campos:

    Esse cara da foto do caixão é o Shepard do Stargate Atlantis, fãs da série entenderão!

Deixe seu comentário!