10 maneiras de desperdiçar dinheiro sem nem perceber

Por , em 2.01.2014

Todo mundo quer economizar dinheiro – isso é um fato. O que ignoramos, no entanto, é que podemos estar ativamente perdendo dinheiro todos os dias. Confira 10 maneiras pelas quais você pode estar deixando dinheiro escapar por entre os dedos:

10. Você ignora desgaste em sua casa

Quando você possui uma casa, parece que os reparos e melhorias nunca param. Só que pode ser que você não tenha feito os mais importantes. Se você ainda tem correntes de ar fluindo através da casa, provavelmente está perdendo muito dinheiro em custos com aquecimento e arrefecimento, e pode até ter alguns danos causados pela água de vazamentos ao redor da fundação.

9. Você não está maximizando suas recompensas do cartão de crédito

Nós pagamos por mais e mais coisas com cartão de crédito nos dias de hoje, então por que não obter a quantidade máxima de dinheiro de volta? Muitos cartões vêm com um bom conjunto de recompensas e prêmios, especialmente se você tem algo específico com que deseja gastá-los (como viagens – as milhas dos cartões de crédito podem ser excelentes). Pesquise para encontrar o cartão certo para você.

8. Você tem dinheiro para receber

Bilhões de reais não reclamados em dívida para com o público senta-se no governo por muitos anos enquanto o proprietário deixa passar o direito de reivindicá-lo. Você já ouviu falar disso? Se não, não é surpreendente, pois estima-se que 9 em cada 10 famílias nunca vão atrás de dinheiro que pertence a elas (por exemplo, um título de capitalização). Órgãos e instrumentos do governo podem te ajudar a descobrir coisas que estão no seu nome, e você nem sabia.

7. Você joga comida fora

É difícil julgar exatamente a quantidade de comida que você vai precisar na próxima semana ou mês, mas quando os alimentos estragam, isso é dinheiro que vai pelo ralo. Planejar suas refeições ajuda bastante, bem como saber como armazenar corretamente os alimentos.

6. Você gasta com coisas que não precisa no smartphone

A maioria das pessoas compra um plano de dados sem nem saber a quantidade de dados que realmente usa. Confira exatamente do que precisa antes de adquirir algum pacote, além de verificar se você não está desperdiçando nada que lhe é de direito.

5. Você parcela demais

Financiamento e parcelamento podem ser bons aliados quando você realmente precisa de algo, mas não tem todo o dinheiro para pagar de uma vez. No entanto, a “cultura do parcelamento” enche as pessoas de dívidas, e elas raramente têm dinheiro para comprar as coisas à vista, com um bom desconto. Como resultado, estão sempre pagando mais caro no que compram. Pior – muitas vezes, a ilusão de dividir o preço total em diversos “pequenos preços” faz as pessoas pensarem que podem comprar algo que não podem, ou que nem precisam.

4. Você não negocia

Ninguém gosta de negociar, mas, com preparação, você pode tornar todo o processo muito mais fácil e obter um negócio muito melhor. Pesquisadores descobriram que novos contratados perdem em média US$ 500.000 (cerca R$ 1 milhão) em longo prazo, apenas por não negociar seu salário nesse primeiro emprego. Há uma série de métodos de negociação que funcionam bem em diferentes situações, incluindo para pedir aumento de salário.

3. Você cai em mitos tecnológicos

As empresas de tecnologia tentam espremer de você o máximo possível na hora das compras. Quem nunca saiu para adquirir um produto, e acabou voltando com um “melhor”, “mais novo” e mais caro? Ou com uma garantia estendida? Essas táticas de vendas conduzem a alguns mitos, como o fato de que os novos produtos são de alguma forma melhor do que produtos recondicionados ou que cabos caros deixarão a imagem da TV melhor. Economize pesquisando antes de ir para a loja.

2. Você paga muito por suas contas mensais

Muitas vezes, é possível obter descontos em contas com apenas alguns telefonemas (por exemplo, na sua TV à cabo). Geralmente, tudo que você precisa fazer é pedir. Certifique-se de ligar de volta regularmente para manter os descontos.

1. Você tentar poupar dinheiro em exagero

É isso mesmo: às vezes, tentar economizar dinheiro pode levá-lo a um poço de desperdício. Por exemplo, algumas pessoas evitam exames regulares com o médico ou dentista, mas depois acabam pagando muito mais por todas as coisas negligenciadas. Ou talvez você faz seus próprios impostos e perde grandes deduções. Isso não quer dizer poupar dinheiro é uma coisa ruim, apenas que é importante prestar atenção para não atirar no próprio pé com uma má estratégia para economizar. [LifeHacker]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

7 comentários

  • pmahrs:

    Ainda sobre a dica 5; De fato é melhor comprar a vista com bom desconto, pois mesmo as compras de preço a vista em 10 vezes no cartão, normalmente tem juros embutido no preço a vista. Se podem parcelar em 10 vezes com certeza podem vender por menos a vista e aplicar o dinheiro e ainda sair no lucro. Quando ver esta “suposta vantagem” de uma pesquisada na concorrência. Alias pesquise sempre. Americanos não costumam parcelar tanto pois além do salário médio deles serem praticamente 4 vezes maior que o nosso, em média os produtos industrializados lá tem preços bem menores; aqui costuma ser de 100 a 700% mais caros e carga tributária deles, apenas 10% menor que aqui, não justifica esta diferença no preço, até por que o que empresas lá pagam a menos de impostos pagam muito mais que aqui em salários, seguros médicos e previdência para seus funcionários. Consórcios e longos parcelamentos até para coisas triviais é invenção de brasileiros para manter boas vendas mesmo com preços altos.

  • Gödel Téssera:

    A dica 5 também é específica para o mercado americano, no Brasil com a inflação e as altas taxas de juros, lucra quem parcela suas compras sem juros no cartão de credito, a exceção são as compras a vista com um bom desconto.

  • pmahrs:

    Excelente matéria! Só para ilustrar: Reclamamos de juros Selic de 10% e tributos de média 35% de governos e pouca importância damos a juros e taxas privadas de 50 a 100%/Ano em compras no carnê; 90 a 150% no cheque especial e média de 238% no cartão de crédito no rotativo, podendo chegar até mais de 600% na modalidade “private label” e já teve um caso isolado de uma rede de supermercados que chegou 1044% ao Ano.

    “Private label” são os cartão de crédito para uso específico em cada rede de supermercado, lojas ou distribuidoras de combustíveis.

    Selic ( Sistema Especial de Liquidação e Custódia) é a taxa de juros que bancos privados pagam ao banco central quando pega emprestado do Governo.

    • pmahrs:

      Mas nosso maior problema na verdade é baixos salários; de maneira geral nem chegamos ao ponto de dizer que desperdiçamos porque para poucos sobra dinheiro para desperdiçar. Falta de manutenção, construções com exagero de economia, troca de qualidade pela possibilidade, compras a prazo e atraso em prestações e dívidas devido a gastos em emergências como remédios ou em reparo que não tem como fazer gambiarra são devidos ao baixo poder de compra da grande maioria. infelizmente apenas de 5 a 7% da população paga tributos sem restituir tudo ou quase em deduções de IRPF e o resto mais compra é produtos de cesta básica que pouco ou “zero” tributo federal tem e ainda cortam itens, para ter um pouco mais de guloseimas e proteínas e sabor.

      São dedutíveis no IR de classes mais altas: 100% de gastos com saúde, para toda família em planos de saúde e hospital e consultórios particulares em consultas e tratamentos inclusive no exterior e cirurgia plástica estética se o médico descrever no relatório que apesar de estético é necessário para a saúde + 100% de gastos com dentista incluindo aparelhos e próteses + 100% da pensão alimentícia para todas “ex” e filhos de todas elas + 100% do gasto com o INSS incluindo a que paga para a empregada + 12% da renda bruta em previdência privada e fora os gastos com saúde + 5066 Reais em despesas e educação para si, cônjuge e (CADA) filho, enteado e tutelado da creche até 25 anos se estiver na faculdade.

    • pmahrs:

      E de fato são bilhões deixados em PIS/PASEP e até prêmios de loterias nunca reclamados.

  • franobre:

    Pena que algumas recomendações servem somente para o público americano, como por exemplo, a questão das deduções, que são muitas alternativas nos EUA e quase nenhuma no Brasil, ou dinheiro para receber do governo (tirando as migalhas que o governo paulista devolve para quem se cadastra no Nota Fiscal Paulista, desconheça alguma outra forma de “refund” governamental).

  • Scan Torrent:

    bom texto.
    só achei que as dicas 10 e 4 não correspondem á realidade brasileira.

    Abç

Deixe seu comentário!