20 anos da Estação Espacial Internacional: 11 espetaculares momentos

Por , em 22.11.2018

A Estação Espacial Internacional completou recentemente duas décadas de existência.

No dia 20 de novembro de 1998, uma coalizão internacional de astrônomos e engenheiros sem precedentes viu anos de colaboração se concretizarem com o lançamento do primeiro componente da chamada ISS (sigla em inglês da International Space Station).

Desde então, a maior nave já construída recebeu inúmeros astronautas e experimentos. Confira alguns momentos notáveis da sua história:

1984: Ronald Reagan propõe a ISS sem a Rússia


A ISS seria originalmente um esforço dos EUA, mas logo se tornou uma colaboração internacional com Canadá, Japão e Europa, excluindo a então União Soviética. As relações entre a Rússia e os Estados Unidos andavam tensas nessa época e, embora muitos da indústria espacial tivessem preferido trabalhar juntos, o clima político não permitiu isso.

1993: Bill Clinton acrescenta a Rússia à conta


O colapso da União Soviética e o subsequente rejuvenescimento das relações internacionais entre os países levaram o presidente George Bush a incluir a nação no programa de forma limitada, como fornecedor e como convidado em uma missão de ônibus espacial. No ano seguinte, no entanto, o presidente Bill Clinton fez uma atualização com o anúncio de que a Rússia seria uma verdadeira parceira. Essa foi uma decisão prática e política: o envolvimento da Rússia economizaria bilhões, mas também ajudou a convencê-la a concordar com os EUA em outras questões, como os esforços de descentralização do ICBM.

1998: Primeiros componentes, Zarya e Unity, são lançados


Embora persona non grata a princípio, a Rússia teve o privilégio de lançar o primeiro componente central da ISS em 20 de novembro de 1998. O Bloco de Carga Funcional Zarya ainda está sendo usado, formando a porta de entrada para o lado russo da estação. Um mês depois, o Space Shuttle Endeavour decolou do Complexo de Lançamento 39A carregando o Unity Node 1. Essa unidade também continua lá em cima, anexada à Zarya.

2000: Os primeiros de muitos ocupantes a longo prazo chegam


Quase exatamente um ano depois de Zarya ter subido, os primeiros astronautas (de 230) fixaram residência na ISS. Bill Shepherd foi o primeiro representante da NASA, voando com os cosmonautas Yuri Gidzenko e Sergei Krikalev. O trio permaneceu na estação por cerca de 141 dias.

2003: Desastre do ônibus espacial Columbia atrasa expansão


O colapso fatal do ônibus espacial Columbia na reentrada na Terra após sua 28ª missão foi tragédia suficiente para que outras missões americanas fossem adiadas por mais de dois anos. Nesse meio tempo, a responsabilidade de manter a ISS passou para a Roscosmos, até que os lançamentos de ônibus espaciais retornassem em 2005.

2007: Kibo sobe à ISS


Numerosos módulos foram adicionados à ISS ao longo dos anos, mas o Kibo, do Japão, é o maior. Foram necessárias várias missões para levar todas as peças até a estação, possíveis graças a missões anteriores que expandiram a capacidade de energia solar da ISS. Kibo contém uma tonelada de espaço reconfigurável acessível a partir do seu interior pressurizado e tem sido popular tanto para experiências privadas como públicas realizadas no espaço.

2010: Cupola


Se Kibo é o maior componente da ISS, o Cupola é provavelmente o mais famoso. A gigantesca bolha de 7 janelas parece algo saído da ficção científica e é o mais marcante ponto para fotografia da estação, tanto por dentro quanto por fora.

2014: Maravilhosos vídeos em timelapse


Com o Cupola no lugar, a captura de imagens da Terra a partir desse ângulo incrível ficou mais fácil – especialmente com as câmeras digitais de alta qualidade trazidas a bordo por talentosos astronautas-fotógrafos como Alexander Gerst e Don Pettit. As muitas fotos tiradas dessas aberturas foram transformadas em diversos vídeos em timelapse, que reúnem belíssimos fenômenos como auroras e tempestades de raios. O “The World Outside My Window” de Don Pettit acima é um exemplo fabuloso.

2015: Gennady Padalka estabelece recorde espacial


Durante seu quinto voo para o espaço, Gennady Padalka estabeleceu um recorde mundial para mais tempo passado no espaço: quando retornou à Terra, registrou um total de 878 dias na ISS. Esse número o coloca bem à frente da concorrência, que é quase exclusivamente russa, embora Peggy Whitson da NASA tenha passado 666 dias no espaço durante três missões.

2016: Estação chinesa chamando ISS


Pode ser um tanto solitário habitar o espaço. Assim, é legal que os ocupantes da ISS se aproximem uns dos outros. No vídeo acima, o taikonauta Jing Haipeng, da China, gravou uma emocionante mensagem da estação espacial chinesa Tiangong-2 cumprimentando a equipe da ISS e elogiando a comunidade de cooperação global que torna tudo isso possível.

2018: Acidente da cápsula Souyz ameaça a ocupação a longo prazo


Uma missão tripulada à ISS com o astronauta Nick Hague e o cosmonauta Alexey Ovchinin teve uma falha séria durante o lançamento, que felizmente não resultou em danos ou ferimentos. O acidente abalou a comunidade espacial, no entanto. O foguete e a cápsula da Soyuz já haviam provado sua segurança ao longo dos anos, mas nenhum risco poderia ser tomado com a vida humana, e futuras missões foram adiadas. Felizmente, a ISS não ficará desabitada: uma investigação já foi concluída e uma nova missão está prevista para o início de dezembro.

De olho no futuro

Em 2019, poderemos ter as primeiras missões tripuladas comerciais à ISS.

A Rússia tem tido a responsabilidade exclusiva por todos os lançamentos tripulados à estação há anos. Os EUA planejam diminuir essa dependência, promovendo uma nova geração de cápsulas que podem atender e exceder a segurança e a confiabilidade do sistema Soyuz.

A SpaceX e a Boeing são duas empresas privadas que planejam voos para 2019 com suas respectivas cápsulas Crew Dragon e Starliner, embora regulações possam atrasar os lançamentos. [TechCrunch]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (17 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!