Canhão Espacial: Novo método para entregar suprimentos para a Estação Espacial Internacional

Por , em 21.01.2010

Um cientista chamado John Hunter resolveu atirar coisas ao espaço com um canhão. Isso mesmo, você não leu errado. Ele fez os cálculos e descobriu que é economicamente mais rentável usar uma arma para atirar os suprimentos do que usar um foguete para transportá-los.

Quando a comida é embarcada em um foguete, o “frete” chega a custar 10 mil dólares por quilo. O valor, quando a comida é atirada por um canhão, muda para 500 dólares por quilo.

» Imagens de aniversário: 10 anos da Estação Espacial Internacional

Mas, quando atiramos alguma coisa para o espaço através um canhão, não é muito provável que a encomenda realmente chegue no destino, certo? Isso seria verdade se o canhão espacial de Hunter fosse apenas mecânico. O “Quicklauncher” – o nome da jeringonça – funciona com combustível gás natural. A idéia é simples: aquecendo hidrogênio podemos mandar meia tonelada de carga para o espaço a uma velocidade de 13.000 metros por hora.

Hunter quer montar o seu brinquedinho no oceano, próximo à linha do equador, já que a rotação da Terra nessa região ajudaria a colocar a carga em órbita mais facilmente. No próximo mês, ele irá testar um protótipo em uma escala menor em um tanque de água – segundo suas estimativas, o Quicklauncher real poderia estar pronto em sete anos.

O Quicklauncher funciona, basicamente, para enviar combustível para o espaço, então não espere pegar uma carona no canhão e visitar astronautas. De acordo com Hunter, se uma pessoa entrasse na máquina, seria comprimida e ficaria com, aproximadamente, metade do seu tamanho – isso antes de chegar no espaço.

» Como são os aposentos na Estação Espacial Internacional

Confira agora um guia de como atirar coisas ao espaço (e por coisas, não entenda seu irmãozinho caçula):

  • Esquente o combustível – o hidrogênio, quando alcança altas temperaturas, pode aumentar sua pressão em até 500%.
  • Solte o hidrogênio – os operadores do canhão abrem uma válvula que libera o hidrogênio superaquecido pressurizado. O gás, por sua vez, empurra a carga para frente.
  • Para o infinito… e além! – o canhão atira a carga a 13.000 metros por hora e um mecanismo dentro do aparelho captura o hidrogênio novamente para que ele possa ser reutilizado.

[Popsci]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

22 comentários

  • Paulo Felix:

    Matéria muito interessante e os comentários também. Aprendi muito e confirmei coisas que havia lido. Com ambos.
    Como sou leigo no assunto, vou deixar esse comentário para ser avisado quando mais alguém comentar.
    Arthur C. Clarke era um visionário genial.

  • Rodrigo Paim:

    Como seria o método de recepção ?

    PS: Está errado mesmo, é 13.000 MPH, Milhas por Hora

  • ivo:

    concordo com o genivaldo ess tipo de gente é lixo para a sociedade!!!

  • Orlando:

    Genivaldo, não precisaria usar tanto recurso tecnologico para fritar bandidos, bastaria melhorar as leis, diminuindo as regalias penais e fazer mais presidios. Mas antes de fazer mais presidios, por favor, façam mais escolas

  • Genivaldo:

    O bom nisso é fazer um gigantesco pacote contendo os criminosos, corruptos, traficantes, mentirosos, todos os homens maléficos de todos os países do mundo, e dispara o canhão para orbital do sol e talvés teremos um pouco de paz na terra.

  • Ruben Zevallos Jr.:

    Lisandro, o elevador, como no livro precisa de uma corda resistente o suficiente… fora do contrapeso que foi um asteroide… que também não temos… o elevador também foi utilizado no Canções da Terra Distante do mesmo autor, mas infelizmente ainda não temos a tecnologia necessária… quem sabe com a criação das cordas de nano tubos de carbono que tanto se fala?

    Júlio Verne no seu livro viagem a lua coloca os humanos no espaço com um grande canhão… mas realmente não conseguiriamos sobreviver a tamanha pressão… não sentados em uma cadeira, mas quem sabe imersos dentro de algum gel? Algo como foi descrito em Rama II também do Arthur C. Clarke.

    Penso que antes de qualquer coisa… o homem irá continuar utilizando os foguetes, pois existem muitas tecnologias interessantes que só dependem de desenvolvimento de materiais resistentes, como os Scramjets que podem fazer uma nave chegar a mach 15 ou até 30…

  • Eduoneiros:

    Leiam a história “O clube do canhão” em Planetary, por Warren Ellis. tudo a ver

  • claudemir:

    poriso que os usa sai sempre na frente eles enveste en tudo parabens porque o brasil so enveste en policia cadeias pedagios…etc

  • Orlando:

    A velocidade de escape da gravidade terrestre poderia ser atingida sem problemas, e alem disto. Acredito que a “bala de canhão” espacial ao atingir a orbita terrrestre teria que ter alguma forma de propulsão extra para fazer manobras e se inserir em alguma posição orbital e alguns equipamentos complexos de posicionamento orbital, como gravitimetros ou radares, para a conexão com a ISS, o que aumentaria muito o peso util. Apos a retirada do material transportado, acho que a bala espacial teria que ter algum foguete para a desaceleração para poder “cair” de novo de volta e ser recuperada, pois do contrario o lixo espacial aumentaria muito, e atualmente existem normas espaciais da Nasa quanto a isto.

    O experimento não pode levar organismos vivos pois não resistiriam a tremenda aceleração do momento do disparo que atingiria dezenas de G´s e mesmo alguns tipos de carga ela não transportaria, acho que inclusive alguns tipos de combustiveis pois devido a enorme aceleração eles poderiam explodir.

    De qualquer forma é uma boa ideia, pois o peso util diminuiria muito em relação aos lançamentos normais com foguetes e isto, curiosamente, me lembra aqueles primeiros filmes de ficção cientifica mudos do inicio do século passado, em que lançavam astronautas a bordo de balas de canhão em direção a Lua.

  • Raton:

    Interessante o projeto, mas como iria ser resgatada a carga no espaço? A velocidade teria de ser a de ‘escape’ da gravidade terrestre, que eu não sei qual é apesar de ja ter lido algo sobre isso.

    • Tibulace:

      Bem, se a VELOCIDADE e DIREÇÃO dessa bala de canhão for BEM CALCULADA, ela poderia, ao se aproximar de um satélite em órbita, possuir A MESMA velocidade que o satélite, ou seja:eles estariam EM REPOUSO, um em relação ao outro.Assim, não existiriam problemas,na chegada das balas ao satélite, elas não possuiriam uma grande velocidade que fosse destrutiva.

  • sergio:

    mandam combustível para o espaço, dentro de alguma cápsula?
    e aquilo não explode ao passar pela atmosfera? (o atrito faz subir imenso a temperatura do material)

  • Curiosidades: Canhão Espacial « PLANO BRASIL:

    […] Fonte:Hyperscience CategoriasCiência, Espaço, tecnologia Tags:Ciência, Espaço, tecnologia Comentários (0) Trackbacks (0) Deixe um comentário Trackback […]

  • julio:

    Por que não deixar isso para a iniciativa privada: Deixar o McDonald instalar uma filial no espaço, por exemplo, ou o Habib’s

  • K’:

    simplesmente descartá-la no espaço sideral

  • Tank:

    O correto é 13.000mph = 20.921,472Km/h basta ler o artigo original… em http://www.popsci.com/technology/article/2010-01/cannon-shooting-supplies-space

  • Leandro:

    O que vão fazer com as capsulas depois que esvaziar elas no espaço?
    Atirar de volta para terra não pareçe uma boa ideia, e deixar guardado la estação tbm não é viavel, acho.

  • Rafael Bardini:

    No artigo da Popular Science consta 13 000 mph (milhas por hora), em torno de 20 921 km/h.

  • Orlando:

    Muito interessante. Os problemas aparecem e as soluções tambem.
    O Brasil tem um projeto em andamento, junto com a Nasa que nos emprestou lasers de alta potencia, que enviaria cargas ao espaço com muito mais eficiencia. Os lasers estacionados no solo simplesmente “fritariam” a nave e a impulsionariam ao espaço. Parece que iam testar. Alguem tem uma informação sobre este projeto brasileiro ?. Algum link ?

  • Fábio:

    Na verdade o correto é 13mil km/h.
    Se fosse 13mil m/s isso seria o equivalente a 48 600 km/h. Um pouco de mais, acho que a única coisa do tamanho de uma máquina construida pelo homem que chegou a uma velociade parecida foi as naves tripuladas enviadas para a lua.

  • lucas:

    Também acho que a velocidade está errada provavelmente seria 13000 m/s ai seria algo interessante

  • Weliton:

    Muito interessante, mas deve haver algum erro de tradução, pois 13.000 metros por hora é igual a 13 Km por hora. Essa velocidade é muito inferior à velocidade de um saque no vôlei ou de uma bola chutada no futebol, e sabemos por experiência que isso não é suficiente para lançar nenhuma bola para o espaço. Talvez fosse 13.000 milhas por hora ou 13.000 metros por segundo (isso é velocidade!)

Deixe seu comentário!