4 mitos sobre a sua mente

Por , em 9.11.2011

Um dos sistemas conhecidos mais complexos do nosso organismo, a massa de 1,5 quilos entre suas orelhas ainda tem muitos mistérios a serem resolvidos. Veja agora alguns dos mitos sobre nosso cérebro e suas explicações.

1 – Usamos apenas 10% da nossa capacidade mental

Sempre ouvimos a história de que usamos um décimo da nossa massa cinzenta. Você nunca pensou o que seria possível com os outro 90% ativados?

Mas saiba que você já usa muito mais do que 10%. Estudos comprovam, através de tomografias cerebrais, que mesmo algo simples como cerrar os punhos usa um vasto número de células cerebrais. Do planejamento da ação até a contração de cada músculo dos dedos e da palma da mão existe um longo caminho, percorrido em frações de segundo.

“Imagens mostram que há pouquíssimas partes do cérebro que não podem ser ativadas”, comenta o Prof. Sophie Scott, da College University, em Londres.

2 – Direita x Esquerda

O cérebro tem seu trabalho dividido em duas partes: o que acontece no hemisfério esquerdo e no direito. “Há muitas diferenças entre os dois lados do cérebro,” afirma o Prof. Scott. Mas com certeza elas não são tão grandes como as pessoas costumam dizer.

Alguns livros, cursos de autoajuda empresarial e supostos especialistas nos fazem pensar que os dois lados são quase duas entidades separadas. O direito seria a fonte da intuição e criatividade e o esquerdo da lógica e racionalidade. Portanto, se você é mais racional usa mais o esquerdo, e se é mais artístico o direito.

A teoria comum é de que se treinarmos para usar ambos os lados podemos atingir potenciais melhores. Mas Scott afirma que as diferenças individuais não tem relação com os balanços de poder entre os hemisférios.

“Algumas pessoas tem uma imaginação visual poderosa. Alguns têm uma imaginação auditiva forte. Há muitas diferenças em como recebemos e processamos as informações”.

Mas simplificar essas diferenças em lados opostos não tem base no que os cientistas sabem sobre o funcionamento do cérebro. “Isso também sugere que você poderia estar usando um lado mais do que o outro, e não é assim que isso funciona”, comenta o professor.

Os dois lados comunicam-se um com outro e trabalham complexamente através de uma cadeia de cabos neurais, conhecida na ciência como “corpo caloso”. Ao contrário do mito, os dois lados do nosso cérebro são complementares e conjuntos.

3 – Lunáticos: lua cheia aumenta comportamentos anormais

Em várias lendas e tradições, a lua cheia é associada com insanidade e acontecimentos inesperados. Até um personagem surgiu nessa época: o lobisomem.

Mas no mundo real, quando psicólogos e estudiosos tentaram achar uma conexão com o comportamento e o cérebro humano, eles falharam.

Eventos como assaltos, prisões, suicídios, problemas psiquiátricos, envenenamento e todo outro tipo de problema não parecem ter relação com nosso satélite. “A maioria dos estudos – e existem vários – não encontraram associações entre a fase lunar e comportamentos estranhos”, afirma Eric Chudler, compilador desse tipo de pesquisa.

A maioria dos que acreditam nessa relação trabalham como policiais ou em hospitais. Mas Chudler sugere que isso acontece por culpa das lendas, que os faz prestar mais atenção em acontecimentos nessa fase lunar.

4 – Ouvir Mozart faz você mais inteligente

Esqueça “estudar”. Basta colocar Mozart no som que você está pronto para uma prova. Mas a coisa não é bem assim.

O compositor clássico Amadeus Mozart deu fruto a uma das ideias mais divulgadas dos anos 90. Ela ganhou até nome: o efeito Mozart.

As pessoas acreditavam que tocar Mozart para crianças ajudaria o cérebro a se desenvolver, e consequentemente as faria mais inteligentes. Mas, diferente dos outros mitos, esse até que possui um pouco de verdade.

A proliferação começou com um artigo científico na publicação Nature, de 1993. A pesquisa descrevia um experimento de uma universidade da Califórnia, onde estudantes fizeram uma série de testes de lógica espacial.

Aqueles que ouviram uma peça para piano de Mozart antes do teste se saíram melhor do que os que ficaram em silêncio ou com música de relaxamento. Porém, o efeito da sonata desapareceu em aproximadamente 15 minutos.

Graças à mídia, essa observação interessante tornou-se uma teoria para o desenvolvimento de crianças prodígio.

O mercado logo entrou no jogo, e vendeu CDs do compositor divulgando-o como um formador de gênios. Nos Estados Unidos, em 1998, o estado da Geórgia entregava álbuns de Mozart para as novas mães.

Alguns passaram a teorizar que as estruturas musicais em Mozart tinham uma influência biológica especial que ampliava as conexões cerebrais.

Mas, em estudos posteriores, a verdade acabou se tornando mais palpável: foi provado que qualquer música estimulante, tocada antes de uma série de testes cerebrais, torna nosso cérebro mais alerta e entusiasmado.

Portanto, não pense que é um gênio se ouviu música e foi bem em um teste. Sua performance também deve um pouco ao compositor.[BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

126 comentários

  • Ana Carolina Inhani:

    #partiu #ouvir #MOZART

  • JHR:

    Olá Bovidino,
    Pegando “gancho” na sua questão, existe uma outra que me intriga:
    Que o mecanismo biologico define nossa consciência e como ele explica o caso de gêmeos siameses unidos pelo cérebro ou seja, compartilham o mesmo “hardware” mas possuem conciencias distintas (vontades, gostos, valores..etc).

    • Bovidino:

      JHR,
      Desse jeito, você quer enlouquecer todos os cientistas e os religiosos de uma vez.
      Talvez, sua estratégia dê resultado. Assim eles poderão se unir e juntando esforços e sabedorias, poderão desvendar e esclarecer todas as nossas dúvidas.

    • Ezio José:

      As configurações são diferentes. HDs interligados podem receber configurações diferentes para antender seus usuários comforme suas aptidões e necessidades.

    • Julio Marcos:

      Digamos que o HD seja particionado e cada partição funcione um sistema diferente (linux e Windows).

    • Ezio José:

      Aí é um caso complicado. Existem pessoas de dupla personalidade. Mas pode acontecer também daqueles que de dia absorve com olhares o sexo oposto e a noites sai com o mesmo sexo. (rs)

    • Halter Egoo:

      Boa pergunta. Tenho curiosidade de saber em q parte (ou partes) do cerebro ta nossa consciencia; e se ela pode ser dividida ou compartilhada.

  • JHR:

    Interessante a matéria porém ainda existe uma questão que ainda não obtive uma explicação satisfatória:
    Considerando que nossas células se renovam periódicamente ( incluindo neurônios ) de que forma nossas lembraças, experiências são transmitidas neste processo?
    Alguém tem uma explicação?

    • Bovidino:

      JHR,
      Sua indagação é deveras intrigante.
      Eu indagaria ainda:
      Quando vamos dormir, nosso cérebro diminui sua atividade e fica praticamente em repouso absoluto. Como é que no dia seguinte, quando acordamos, nós sabemos que nós somos nós mesmos, ou seja, nós somos o mesmo que adormeceu no dia anterior.
      Vamos aguardar que um cientista do Hypescience nos ajude.

    • Roberto:

      JHR, não esqueça que, nem todas células do nosso corpo se renovam, algumas envelhecem com o próprio corpo, como por ex: as células nervosas. Se alguém sabe mais sobre isso esclareça-nos por favor.

  • Leyde:

    Ézio José! Obrigada pela dica, porem não quero falar com Deus, apenas se sair melhor nas provas.

  • claudemir da silva:

    realmente a capacidade cerebral é algo incognito a descobrir

  • gustavo calheiros:

    Continuando sobre a atração da Lua. As marés baixa e alta são maiores na lua nova e lua cheia e afetam as praias no litoral em função da sua respectiva topografia, ora fazendo surgir mais faixa de areia e em outras menos. No Brasil o sobe e desce das marés ocorre 4 vezes por dia ,em outros países uma só vez ao dia, por exemplo Canadá . Quando mais raso, maior é a faixa de areia que surge nas praias.Essa água que “falta” deslocou-se , pelo efeito gravitacional da lua e faz elevar a profundidade dos oceanos, em equilibrio.

    • Ezio José:

      Parabéns, Gustavo Calheiros.
      Seus comentários são, sem dúvidas, muito esclarecedor e objetivo. Isto é muito científico e não tem como contestar, apesar que postei algo semelhante dias atrás e recebí negativações e contestamentos diversos. Já lí muito sobre este assunto e presenciei com observação suscinta as verdades sobre esses efeitos.
      Toda natureza foi criada sob Leis que regem o Universo e as coisas que nele existem. Compreendê-las sem dogmas que é difícil para alguns (em quantidade considerável).

  • gustavo calheiros:

    Ainda sobre a lua. A profundidade dos oceanos e elevada em função do “IMA”(atração) que a lua tem sobre água , os loucos ficam mais afetados em função desta mesma atração sobre os líquidos do corpo, em especial o cerébro. As maiores marés ocorrem duas vezes por ano SOLSTICIO e NO EQUINÓCIO , devido ao alinhamento SOL TERRA E LUA.

  • Gustaco Calheiros:

    a
    Ainda sobre a influência da Lua, tenho a acrescentar que a lua exece um efeito “IMA” sobre `´agua, fazendo subir a profundidade dos oceanos e secando as margens das prais confome a respectiva topografia, aparecendo muito ou pouco a faixa de areia. concordo com o Ézio em tudo, é muito peq

    • Prof. Alberto Ricardo Prass:

      Quando tolice. Maré é efeito gravitacional e só faz sentido em quantidades enormes de água.

    • Ezio José:

      Quanto Tolices… (rs)

      Que é efeito gravitacional? Que assnto fugiu disto por acaso?
      Tudo o que foi discutido até aquí entre nós, supostos conhecedores do que é perceptível, nada mais é do que o efeito gravitacional. Todos os astros (citando apenas do sistema solar) tem suas forças gravitacionais prórpias, sendo a maior delas depositada no Sol. A influência do campo magnético desses astros influência em todas as moléculas, sendo na gasosa com mair força, na líquida com menos e nos sólidos com uma pequena significância.
      Toda matéria é composta de átomos e todos os átomos são compostos de elétrons, prótons e neutrons. Resumnido: Energia. Como utos está em constante movimento, cria-se os campos magnéticos coms frequências peculiares e dependendo das frequências uma sobrepóes ou interfere na outra.
      Outra ocasião, darei mais uma aulazinha para nosso digno professor, usando palavra e conceitos simples. Fica mais fácile entender, não é mesmo?

  • Eddy:

    Existem vários campos eletromagnéticos e de índole mais sutil que a eletromagnética ao redor de “nossos corpos”.

    Enquanto não considerarmos estes campos como parte integral do que conhecemos como PENSAMENTO, não poderemos compreender que existe uma ÂNIMA, por usar uma terminologia ainda que limitada, que realiza traduções à rede neuronal e essa, por conseguinte, à nosso sangue e demais sistemas já físicos.
    Também não será possível compreender que existe uma CONSCIÊNCIA que “pensa em nós”. E que existe uma resistência que “pensa por nós”.

    O primeiro não é difícil experimentar, mais o elemento fundamental é AMOR a tudo que é coerente à VIDA.
    Com isso poderemos deixar de pensar e realizar a “ação” de SENSAR palavra que “inventei” para expressar o (Pensar + Sentir = Sensar).

    Nesse momento começaremos a VER e SABER que não estamos sós e que o Universo não é um desperdiço de espaço como alguns seres que “pensam em nós” querem fazer-nos acreditar e voltar a conseguir o suado pão de cada dia e dormir na ilusão.
    Ilusão somente passível de experimentar-se dentro de um campo sensorial e amorial (outro “invento”) limitado.

  • Mendonca Zaratustra:

    Criacao glandula pineal sublime xamanismo dimetiltriptamina revolucao astronomia alcaloides uniao natureza filologia paz cannabis liberdade filosofia respeito evolucao cosmologia alimentacao organica padroes naturais espirais quantismo fibonacci conexoes sensoriais meditacao permacultura astrologia simple wormhole de Schwarzschild fractais chá teoria quântica de campos do eletromagnetismo bambu respiracao pele vermelha celula consciencia espectrais menos trabalho e mais vida.
    abaixo o sistema!

  • Mendonca Zaratustra:

    Demasiado humano!

  • Mendonca Zaratustra:

    Enquanto houver CORRUPCAO não haverá EVOLUCAO!

  • Jonatas:

    Eu penso assim, a ciência laboratorial não pode desvendar nossa mente proque só tem acesso ao Hardware, nosso cérebro e suas funções químicas e elétricas, as ciências psicológicas também não podem, porque só podem “comunicar com a interface do software”, sem poder ver o código fonte. Ou seja, o que está mais perto de desvendar a mente e a forma de como percebemos e construímos a realidade a nossa volta é a Meditação.

  • Val:

    Interessante… E o que acontece com o cérebro de uma pessoa que ouve RAP ou Funk.?..?.

    • Ezio José:

      Precisa responder? Observe o desenvolvimento dessas pessoas, suas qualidades, comportamentos, forma de se vestir, comunidades que fazem parte.

    • Jonatas:

      E esse pessoal tem cérebro???

    • Ezio José:

      Limitado como os primeiros PCs vendido no Brasil depois da “Dita Dura”. Mas têm; é um universo diferente, retógrado que se faz necessário para que as mentes mais evoluídas tenha espaço sobrando.

  • Leyde.:

    Gostei dessa de ouvir “Mozart” para se sair melhor nas provas. Vou ver se funciona comigo também.

    • Ezio José:

      Leyde.
      Só que há uma diferença entre ouvir e escutar. Faço votos que ouça mesmo.
      Para ouvir esses tipos de musicalidade devemos ouvir antes aquela música do Gilberto Gil, “Se eu quiser falar com Deus”. É uma receita ideal apra seguir sem medo de errar.

  • raphael:

    O homem é limitado por isso Deus o criou para que aprendêssemos
    com ele próprio, pois quando pensamos que sabemos, ai vemos que ainda falta muita coisa a ser entendida e a melhor coisa é reconhecer que há um Deus vivo cuja a sabedoria é aluna dele.
    É quando procuramos a conhecer mais nosso Jesus, nosso entendimento começar a se expandi e começamos a entender melhor o que está ao nosso redor. porque a palavra de Deus é conhecimento, verdade e salvação.

    • Ezio José:

      Acho que estou com fome. Meu estômago está como este assunto.

  • Érica:

    Cérebro: hardware

    Mente/alma: software

    Espírito: operador.

    • Bovidino:

      É isso.

    • Jonatas:

      Quem é o programador por tráz do código fonte?

    • Ezio José:

      A Alma. Personalidade imutável e intrínseca. O Próton e o Nêutron do Átomo.

    • wiliannerd:

      Essa eh facil jonatas
      Deus criou o hardware, que somos nos junto com o cérebro
      o programador é a familia ou ambiente em que somos criados
      ai depois de pronto o código fonte eh lançado ao mundo
      e a vida trata de aperfeiçoa-lo

    • Viviane Priscila Silva Santos:

      É muito mais que o ambiente, em torno 45% de nosso comportamento vem da genética. Além disto um ambiente pode nos influenciar a gostar disto ou odiar.

  • Thiago:

    Imagino que roubos aumentariam na Lua cheia, devido no passado nao ter luz eletrica e a lua cheia facilitaria o ladrao poder assaltar a noite. Entretanto a luz eletrica veio e o mito ficou. Imagino eu

    • Bovidino:

      Thiago,
      Lua Cheia é a fase em que o Sol ilumina totalmente a face voltada para a Terra. Esta é a fase que ela está mais iluminada.
      Se fosse Lua Nova, tudo bem, pois nessa fase a iluminação sobre a Terra é bem menor.
      Portanto sua teoria não faz muito sentido.
      De qualquer forma, valeu a tentativa.
      Um abç.

    • Ezio José:

      Thiago; ladrão não precisa de luz. Eles se orientam com a brasa do baseado e com muito cuidado para não serem vistos.

    • Viviane Priscila Silva Santos:

      Pessoas podiam aproveitar-se de mitos, como lobisomens, para fazer certos atos e colocar a culpa na lua.

  • Marte:

    Tenho o maior respeito pela BBC, mas nesse artigo ela escorregou. Feio.

  • Cesar:

    O maior mito que temos parece ser o de que a consciência é um fluxo constante de sensações, percepções, e pensamentos…

    http://video.google.com/videoplay?docid=6958873142520847424

    -oOo-

    Sobre os 10% do cérebro, o que há é uma verdade: não usamos o nosso cérebro da melhor forma. Por exemplo, o cérebro tem uma “memória de trabalho” capaz de guardar 5 a 9 itens para acesso imediato, mas mágicos conseguem usar de truques mentais para lembrar muito mais coisas – o truque mais comum é entrar em uma sala com mais de 15 pessoas e pedir para que cada uma diga uma palavra, e então repetir todas as palavras na ordem que foram ditas, e na ordem inversa, e lembrar do que cada um disse. Garçons que atendem em restaurantes chiques conseguem lembrar dos pedidos de cada um que está na mesa, por mais complexo que seja. Isto não é mágica, é disciplina no uso da memória.

    Outra coisa que as pessoas não sabem fazer é utilizar os estados mentais alterados. Por exemplo, quando você está concentrado estudando, o tempo parece correr mais rápido, você se desliga do mundo ao redor e se concentra totalmente no que está fazendo, absorvendo conhecimento, fazendo inferências e relacionando informações no cérebro. Algumas pessoas conseguem fazer isto melhor que outras, e, novamente, não é mágica, é só que eles tem uma técnica melhor para se concentrar. Com treinamento alguém pode até mesmo ignorar sensações dolorosas, e se concentrar em alguma tarefa.

    Mas isto não implica que estas pessoas utilizam mais do cérebro. É só que elas tem disciplina e técnica para usar melhor o cérebro que tem. E isto é coisa que qualquer um consegue, basta treinamento e disciplina. Você vai continuar usando os mesmos 100% do cérebro de antes, mas vai aproveitar eles muito mais.

    • Glauco:

      Um bom exemplo prático desse tipo de pessoa q o Cesar mencionou é o Patrick Jane do seriado The Mentalist. Não assisto TV, mas tem passado no bus do meu trampo… Aquilo é real, outro dia mesmo vi uma notícia de uma vendedora de jóias caras que foi hipnotizada e roubada na Inglaterra. Pensei no John Constantine na hora. Lobsang Rampa ensina diversos métodos de memorização incríveis.

    • Ezio José:

      O treinamento não e nada mais do que aprender a explorar ou mesmo explorar as áreas do cérebro que não usamos efetivamente e em paralelos.

  • Bovidino:

    Talvez os 10% do cérebro não sejam tão importantes.
    O problema é que parece que também utilizamos só 10% de amor ao próximo, só 10% de educação,só 10% de solidariedade, só 10% de honestidade, só 10% de tolerância………….

  • Ezio José:

    A referência 3 que fala sobre LUNÁTICOS.
    Se observarmos essa questão com conhecimento de causa podemos notar que ela é contraditória. As fases da Lua Cheia e Lua Nova têm sim interferência em todos os seres do renino animal e vegetal. Não é nada relacionado à misticismo, crêndices ou algo além; é questão da física mesmo, da Lei da Gravidade.
    Quando a Lua está numa dessas fases há uma diferenças gravitacionais entre a Terra e o Sol. Essas diferenças influencia nas moléculas de hidrogênio e oxigênio, mais precisamente na água, nos líquidos. Nos reinos vivos, os corpos são compostos com grande porporções de líquidos e nosso cérebro (dos animais também) é um orgão com menos componentes sólidos. Portanto,há, sim, influências perceptíveis pois pode acontecer deslocamentos de células nas caixolas pensantes ou não, racionais ou não.
    As marés são um grande exemplo da influência lunar em virtude da grande quantidade de água que os oceanos e mares comportam.
    Nas plantas podemos observar os fenômenos lunares com precisão també. Assim por diante.

    • Cesar:

      Ezio, as marés só influenciam corpos imensos de água. Não existem movimentos de maré em um copo de água (e um copo de água tem 100% de água no seu interior). Não existem movimentos de maré em açudes e lagoas isoladas do Mar. Não existem movimentos de maré em riachos. Mas não acredite em mim, vai lá e faz o teste, mede a altura da água com o passar do dia em um açude, lagoa, etc. Seja cético, não acredite no que te dizem, vai lá e faz a experiência!

      Por outro lado, a Lua Cheia afeta alguns animais: eles evoluiram para detectar o brilho da Lua e com ele sincronizar etapas da vida deles, principalmente a reprodução.

      Fora isto, as fases da Lua são só uma sombra, não afetam a força de atração da Lua, por exemplo. O que ocorre é que, por exemplo, na lua cheia e na Lua Nova, o sol e a Lua estão em uma mesma linha, causando as maiores marés.

    • Ezio José:

      Concordo plenamente contigo. Quanto as marés é só um exemplo do que pode ser visto in loco. Um exemplo para que percebamos que há influência. Portanto, nosso cérebro, nosso corpo é minúsculo diante dessa dimensão e jamis poderemos ter uma percepção visíviel dos efeitos. Também não podemos notar os efeitos num oraganismo animado quando não atentamos à certos comportamentos em virtude desses fenômenos por serem pequenos, mas há influência sim e numa pequena porporção.
      Qualquer deslocamento micromilimétricos em alguma célula de nosso cérebro pode causar certos efeitos que acreditamos ser natural e que nem sempre o é. Dominar esses efeitos é possível quando os conhecemos e temos ciência deles. Seja usando as formas cientifícas ou os conhecimentos esotéricos.
      ———
      “Fora isto, as fases da Lua são só uma sombra, não afetam a força de atração da Lua, por exemplo. O que ocorre é que, por exemplo, na lua cheia e na Lua Nova, o sol e a Lua estão em uma mesma linha, causando as maiores marés.”
      ——-
      Por que?

    • Cesar:

      Também não podemos notar os efeitos num oraganismo animado quando não atentamos à certos comportamentos em virtude desses fenômenos por serem pequenos, mas há influência sim e numa pequena porporção.

      Isto é incoerente… Ou podemos perceber os efeitos, ou não podemos. Você diz que os efeitos são reais mas não podem ser percebidos. Ora, como é que você pode dizer que uma coisa é real se você não a percebeu? COMPLETAMENTE ILÓGICO.

      Sobre as marés de Lua Cheia e Lua Nova serem maiores, ocorre por que a atração gravitacional do Sol e da Lua estão em uma mesma direção (lembra, direção é a linha que une dois pontos, é diferente de sentido, que indica de onde um ponto móvel está se deslocando e para onde vai, sobre uma direção).

    • Bovidino:

      Você conseguiu OMITIR E DISTORCER o que o Ezio disse:
      “nosso corpo é minúsculo diante dessa dimensão e jamais poderemos ter uma percepção VISÍVEL dos efeitos.”
      A ciência também não tem percepção VISÍVEL de uma série de fenômenos que afirma serem reais.

  • Ezio José:

    Pra mim racional é quem tem a faculdade de raciocinar; que só concebe pela razão e conforme a razão; é quem é logico, razoável, prático, funcional.
    O fato de escolher isso ou aquilo e ser emocional já é mais que suficiente para ser racional.
    Difícil é saber que quem pode usar a razão não seja racional só pelo fato de defender o que lhe interessa. Pensando desta forma, está se condenando pelas próprias afirmações.

  • isaias.francisco:

    DISCUTIR SUPOSIÇÕES CANSA ,DEVEMOS DESENVOLVER
    ESTUDOS MAIS PROFUNDOS DE UMA BASE INTELIGENTE SÓ ASSIM,SÓ
    COM ESTUDO SE APRENDE, SE TIRA O VÉU ,UMA PESSOA CONDICIONADA
    DANDO PARECER CONDICIONADO A OUTRA É CANSATIVO.

  • 666 ¬¬:

    É 10% da CAPACIDADE o que é diferente de 10% de atividade da parte física.

    Por exemplo: A memoria RAM está constantemente em uso, com eletricidade passando por ela, mas o que conta é se ela está cheia de arquivos sendo processados ou só 10% dela isso influencia muito na velocidade…

  • gloria:

    Sou eu quem comanda meu cárebro ,ou meu cérebro quem me comanda?

    • Ezio José:

      Enquanto sua Alma estiver possuindo o corpo e seu Espírito estiver ativo, o segundo ditará as ordens e por que não aquelas ditas involuntárias.
      Para melhor entender, a Alma é a sua personalidade nata e o Espírito é a Energia que englobra tudo e dá consciência, movimentos, caráter e etc.

    • Tiago Moah Weimer:

      O cérebro que te comanda!

    • Cesar:

      O teu cérebro é você.

    • Bovidino:

      As duas coisas podem acontecer.
      Se você deixar, o cérebro vai te comandar.
      Nesse caso, você será o dono de uma carroça que é guiada pelo cavalo.
      Se você quizer, pode e deve comandar o cérebro.
      Você precisa treinar o cavalo (cérebro) e dar-lhe os comandos necessários.
      Nesse caso você é o ‘espírito’ e não o robô (corpo humano).

  • marcos:

    explica porque ninguem pode produzir prova contra si mesmo, assim a mulher trai a vontade e fica por isso mesmo..

    • Ezio José:

      Quem disse que ninguém pode produzir provas contra si mesmo? Segundo nosso Código Penal e Código Processual é um direito não produzir provas contra si mesmo e não um dever. O dever de produzir, buscar e/ou imputar provas contra alguém é da Autoridade ou da parte em prejuízo.

  • Caio:

    sem querer pagar de conhecedor de tudo, mas conheço muito mais o meu cérebro do que muitos que se julgam especialistas, com diplomas e tudo o que pode esperar. e praticamente tudo o que eu aprendi veio de mim mesmo, se quiser aprender, sinta o seu corpo, nao espere que as outras pessoas o notem pelo conhecimento, porque depois vai axar melhor que nao estivessem alarmados do fato, você tem que aprender a controlar o seu corpo, a sua mente, e sentir cada pequena diferença e mudança no seu corpo e mente, saber trabalhar com isso, e moldar a vida do jeito que você quer, depois disso vai perceber que viver é somente um jogo, ou pode ser facilmente tratado como um. se não acredita fique queto e nao me aborreça. pode ser que um dia você esteja rastejando por baixo de mim.

    • Ezio José:

      Isto chama-se autodomínio.
      Na entrada do Templo de Apolo estava escrito: “Homem, conheça-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo”.

  • ALX:

    Ja que a ciencia explica tudo, então expliquem o porque de um homem passar a gostar de outro homem e não mulher e o mesmo com a mulher?

    • …:

      Quem te disse que a ciencia explica tudo?

    • Noé P. Campos:

      A ciência NÃO explica tudo. Bem ao contrário, em muitos casos ela chega a “conclusões” chutadas. Assisti a isso em certas pósgraduações neurocientíficas. Inclusive foram relatados casos de “cientistas” que foram pagos por laboratórios para assinar “estudos” “científicos” que eles nunca fizeram!

      Para quê? Para dar credibilidade ao que o próprio laboratório escreveu sobre seu produto!!!

    • negative:

      Denuncie essa pós ao MEC e ganhará cookies de graça!

    • Jekason:

      eu disse que a ciência explica tudo.
      e isso é um problema ou uma disfunção na captação de feromonios do corpo…
      homosexualidade é uma mutação/malfuncionamento do corpo humano.
      expliquei, agora eu espero que esteja satisfeito, se não, vai estudar, e nem ponha uma palavra de religião no meio disso.

    • Ezio José:

      A ciência “busca” explicar tudo com evidências.

  • vanilda:

    eu sempre pensei ,que atividade mental,fosse diferente de atividade cerebral.

  • Jonatas:

    Há mais mistérios entre nosso cérebro e nossa mente do que supõe nossas vãs neurociências…

    • Ezio José:

      Senti firmeza na paródia!
      Mas a ciência da computação cada vez avança mais que o próprio pensamento e inteligência que estão armazenados nos HDs cerebrais de seus estudiosos teóricos e técnicos. A questão é que nossas vãs preocupações estão mais atentas às máquinas que ao nosso próprio funcionamento.

    • Jonatas:

      Bom, eu trabalho com computadores e conheço sistemas incríveis, como um tal Expert Sinta, um supersistema de apoio a decisão e gerenciamento de projetos que é usado em muitas áreas e tem uma espécie de “inteligência programável”. Mas Inteligência Artificial, Emoção Artificial e outras paradas ainda estão apenas no campo teórico e especulativo.

    • Jonatas:

      Leia sobre o “Expert Sinta”

    • Ezio José:

      Um dia chega-se lá e isto não demorará muito.
      O PC é uma máquina protótipo de nosso ser pessoal. É como nosso filho que nasce com a possibilidade de realizar tudo porém o meio o fará e moldará seus critérios. Enquanto o temos só em casa ele fará aquilo que nos interessa. Quando instalado numa empresa ele já atenderá com mais abrangência e se parar na mão de um grupo com objetivos diversificados, se tiver memória suficiente, estará para isto.

      Tem um site (link abaixo) que funciona mais ou menos com uma certa inteligência. Vale a pena visitá-lo:

      http://pt.akinator.com/

    • Jonatas:

      Hehe, o akinator não é lá muito complexo, embora divertido, é uma pesquisa em banco de dados, com filtragem de dados, ele vai fazendo lista de acordo com as informações que tu passa e vai filtrando e eliminando candidatos de acordo com as tuas respostas, até exibir uma resposta que se encaixe nas tuas informações. É bem divertido e a única forma de enganá-lo é tirar um personagem antigo e secundário lá do fundo do baú, porque nos mais conhecidos não há como enganá-lo, seu banco de dados de personagens é enorme. Um abraço.

  • José Elias:

    Muitas pessoas não sabem sequer quais são as fases da lua, porque nunca se interessaram por isso. Simples exemplo para entender a capacidade de raciocínio de cada um. Movimentos físicos do corpo não devem estar relacionados neste percentual de uso da mente humana, mas sim a sua lógica de raciocínio. Penso ainda que “o homem é o fruto do meio”. A regra é que se vc for aqui ou ali verá que é assim mesmo, com raras exceção.

    • José Elias:

      Corrigindo: “O homem é fruto do meio” e não “é o fruto do meio”.

  • Roberto:

    É assim que lemos o percentual de besteira que muitas pessoas
    escrevem achando-se os donos da verdade. ex: 10% de exposição,
    10% de recepção, quem te ensinou estes percentuais relacionados
    ao cérebro?

    • Ezio José:

      Raul Seixas.

  • Roberto:

    Gostei, o artigo é excelente! Que seria dos pobres que não podem comprar a obra de Mozart. Alguém estava com muitas músi- cas encalhadas querendo fazer dinheiro, aí vem a ideia que não precisa de ouvir a música, mas de vendê-la. entenderam como funciona o dragão capitalista?

  • Antônio Frabrizzio:

    E os editores deste site continuam usando o termo “mito” como sinônimo de “mentira”.. Isto é triste! “4 mitos da nossa mente” seriam Prometeu, Medéia, o Minotauro e Ísis, por exemplo.

    • robertosarau:

      Pois é. Em alguns pontos, o assunto abordado ainda mostra superficialismo.

    • robertosarau:

      Esses afetados pelos modismos da rede blobo; penso que a mitologia que vc conhece é aquela da versão da Disney, Hércules.

  • Budha:

    People, a mente é o “software”, ela é imaterial, assim como um programa de computador.

    O cérebro é o “hardware”, é a parte física, assim como o CPU de um computador.

    Eis uma diferença fundamental, já que as Neurociências estudam o cérebro, e a Psicologia a mente; claro, ambas se preocupam com a relação cérebro x mente, ou seja, as implicações que a alteração de um gera no outro.

    • Ezio José:

      Simplesmente elucidado.
      Boa comparação, já que o computador é uma réplica do ser humano quase que completa.
      Parabéns.

  • Marcos:

    O pessoal ainda não entendeu a história dos 10% de atividade cerebral…
    O problema é que ao pensar usamos algumas partes do cérebro. Mas o cérebro não é só pensamento, planejamento etc.
    Quem coordena os batimentos cardíacos? respiração e toda atividade celular que independe se estamos aleras, com alguma reação emocional, etc… 10% que não é o número exato correponde a quanto utilizamos o cérebro conscientemente. O resto é para cuidar do corpo.
    O pessoal confunde neurônio, pensamento e cérebro. Tem redes de neurônios em todo o corpo. Porisso sentimos do Mas não pensamos na espinha dorsal, por exemplo. Nem com o cérebro todo. O pensamento acontece um uma região específica do cérebro. Se não me engano cerebelo… desculpem se estiver errado este nome. Mas o conceito está correto.
    Não existe nada de extrafísico, mágico, superior ou espiritual nisso.

    • Bovidino:

      Talvez você possa me explicar uma coisinha.
      Quem comanda o cérebro é você, ou você é comandado pelo cérebro.

    • Ezio José:

      Temo dois sistemas neurais: o Simpático e o Parassimpático. Procure ler sobre o assunto e entenderá alguns detalhes que fogem aos nossos conhecimentos singelos.
      O sistema neural pelo fato de ser mais abstrato não é muito encarado por certas ciências.

    • Ezio José:

      Referi ao sistema neural parassimpático que é abstrato.

  • Glauco:

    Esse lance de se usar apenas 10% do cérebro é mal interpretado. O cérebro não é a entidade pensante, a entidade pensante está em dimensões superiores. O cérebro é só o meio físico por onde essa entidade transmite e recebe informações no plano físico.

    O que o humano atual não consegue é transmitir nem 10% da capacidade dessa entidade pensante – o Ser – para seu cérebro físico devido a enorme decadência moral que nossa espécie sofreu nos últimos milênios. Não tem nada a ver com o cérebro em si, mas sim com o Estado de Ser das pessoas.

    • CASTOR:

      uma ideia bem underground
      \o/

    • Érica:

      É verdade… usando imagens comuns para ilustrar a usa afirmação, poderíamos dizer que somos um barril de água e nosso cérebro é uma canequinha, onde cabe um apequena parte daquilo que realmente somos em essência.

      Vc já teve a oportunidade de, ao acordar, perceber que estava tendo acesso a algum tipo de idéia ou raciocínio e que sabia que ao acordar não conseguiria mais compreender aquilo “porque a mente (cérebro) é pequeno demais para conter aquilo tudo”? Eu já… e dá uma sensação de perda desesperadora.

    • Glauco:

      Sim, e isso acontece sempre quando esquecemos sonhos logo após acordar, por exemplo.

      O que acontece é que os sonhos acontecem em regiões superiores à essa, logo a frequência vibracional dessas regiões é muito mais rápida em relação à nossa.

      Quando voltamos ao nosso corpo físico após essa noite de sono, o cérebro tem grandes dificuldades em “baixar” as informações recebidas, pois ele é muito mais lento do que o corpo astral da pessoa. É exigido grande treinamento para conseguir aproveitar melhor esse momento de transmissão de informações de um corpo para outro.

    • Bovidino:

      Perfeitamente explicado.
      Isso é ‘conhecimento’ metafísico e não palpite da ‘ciência’.

    • Jonatas:

      Os antigos mestres budistas e indianos não tinham a sua disposição instrumentos e detectores, sua única ferramenta de estudo era seu próprio cérebro, e foi porisso que puderam explorar mais a mente muito mais que nós na vida toda, limitados pelo comodismo da modernidade. Foi atraves da meditação que descobriram segredos físicos e metafísicos que a própria ciência que os questiona se vê obrigada a aceitar como verdade, como na reportagem anterior sobre meditação.

    • Érica:

      Oi Glauco.

      Não, menino, eu não falo de sonhos enm projeções… claro que isto não é comum, não acontece todos os dias.

      Acontece assim: eu sei que estou tendo acesso a algum tipo de conhecimento diferenciado, é como se eu soubesse que estou em outra realidade, em um espaço alternativo que é o usual e tenho consciência de que não é meu estado comum… e percebo que estou para acordar. Daí que faço o que posso para não acordar porque não quero ir “embora” dali, porque sei que o que eu estava acessando alí não “caberia” na minha mente vigilante, no meu cérebro humano.

      Mas o processo de acordar continua e eu acabo não conseguindo reter quase nada daquilo que estava contatando.. e dá uma bronca profunda, porque eu sinto que estava literalmente mergulhada em algo que me deixava muito bem, que eu estava curtindo demais. Daí a sensação de perda e de frustração…droga!

      O mais interessante disto tudo é ter a consciência de que meu corpo está adormecido, de que estou em outro estado do ser e de que não vou ficar lá por muito tempo, que terei que regressar. Não é sonho…

    • Glauco:

      Se você está recebendo algum tipo de informação enquanto dorme, então com certeza são informações passadas do mundo astral, sem excessões. Logo você precisa praticar para que seu cérebro aprenda a aproveitar melhor o período de transmissão de informações. Todos os seres humanos fazem viagens astrais todos os dias durante o sono, não é nada de novo.

      Se quer aprender essa técnica, procure por um curso de gnosis em sua cidade em cursodegnosis.net. As inscrições são permanentes e os cursos totalmente gratuítos.

    • Bovidino:

      Não vou dizer que ‘matou a pau’ nem que ‘estraçalhou’ para não fazer apologia a violência.
      Mas tá de parabéns.

    • 666 ¬¬:

      Por que seres de “dimensões superiores” estariam usando avatares aqui nessa???

    • Jonatas:

      Legal, faz muito sentido. Talvez os alquimistas e pessoas superiluminadas como Buda tenham existido mais no passado justamente porisso.

    • CASTOR:

      os 10% é mais um “chute”
      \o/

    • enejonas:

      ta certo, mas sabia que a visao nessecita e utiliza 1/3 do cerebro,com numeros mais exatos,uns 30%do cerebro

    • negative:

      Não há referencial.
      10% de capacidade é tão impreciso como medida como pensar em “bochechas por metro quadrado”.
      10% seria equivalente a “peso de neurônios trabalhando com impulsos elétricos no presente momento”? Ou a “quantidade em de gramas em relação a massa total cerebral usada para processar 1 unidade mínima de pensamento”?

      No fim é como medir o tamanho de uma núvem, você pode aumentar a pressão e comprimi-la em 1 metro ou deixar ela se dissipar por quilômetros.

      Um pensamento pode chegar a ocupar toda a memoria RAM (de trabalho) do cérebro e atingir picos de 100%? Provável, mas por hora isso seria o mesmo que dizer que um trovão possa ser ouvido no mundo todo, é por hora fisicamente improvável que ocorra.

      Quando lidamos com medidas imaginárias como 10% de capacidade de algo que não pode ter sua capacidade medida com precisão isso invalida toda a questão por si só.

      Se “capacidade” quiser ser entendida como 1. quanta carga elétrica o cérebro produz
      2. quantos neurotransmissores atuam simultaneamente
      3. quantos joules de aquecimento um cérebro produz
      4. quantas palavras/imagens/sons/números podem ser pensadas num único segundo a partir de um estado de “repouso mental” até um de “atividade intensa”.

      Qualquer desses dados poderia ser uma espécie de referencia de uso do cérebro, mas a maioria dependeria de experiências empíricas com baixo índice de controle dos resultados.

  • Asdrubal:

    No caso 3 às vezes parece verdade. Notamos diferença no comportamento de alguém ou em nós próprios e vamos ver a lua, e está lua cheia. Não sei se por motivo de estar mais perto, se quê, a força gravítica luz talvez faça os neurónios “levitarem” mais. lol

  • O Holandês Voador:

    ” que mesmo algo simples como cerrar os punhos ”
    WHAT THE F…???

  • ygor:

    Eu tinha escutado uma outra explicação pro mito 1:que apenas 10% do nossso cerebro é constituido por neurônios,enquanto os 90% e constituido por células de glia,sendo então q apenas 10% pensa de verdade.foi só uma teoria q ouvi

    • Cesar:

      Tem muita gente tentando manter o mito dos 10%. Mas é como afirma o texto, mesmo atividades simples mobilizam grandes áreas do cérebro. Atividades mais complexas mobilizam todo o cérebro. Mais ainda, jamais alguém ouviu depois de um acidente um neurologista dizer “o sr. perdeu 80% da massa cefálica, mas como ela não era usada, o sr. vai poder continuar sua vida como antes, só não tenha mais nenhum acidente”.

      Mais ainda, pela própria biologia, o cérebro é um órgão metabolicamente muito caro para manter: ele consome muito açúcar, muita energia, o fluxo de sangue para ele é imenso por que ele é sensível à falta de oxigênio. Se parte do cérebro fosse sub-utilizada, ou não utilizada, quem nascesse sem esta parte (por alguma mutação genética) teria vantagem sobre quem teria esta parte inútil, já que precisaria de menos comida e sobraria mais energia e oxigênio para os músculos e outros órgãos. A própria evolução da espécie trataria então de tornar o cérebro menor, e mais enxuto, uma característica mais comum na espécie. Aconteceu coisa assim com os peixes de cavernas – eles não desenvolvem olhos.

    • CASTOR:

      vc falou isso e eu lembrei … um amigo meu na epoca do cefet bateu de moto e perdeu 40% da massa cefalica
      ficou no hospital um bom tempo … mais hoje ta vivo e incrivelmente normal … mudou nada … só tem um amassado orrivel na testa
      é intrigante um cerebro trabalhando normal faltando pedaço

    • Érica:

      É que o cérebro consegue transferir para outras áreas algumas funções que seriam perdidas com a perda da massa danificada. Os neurônios criam novas sinapses e inventam “novos caminhos” para transmitir os impulsos que eram originários de outra região.

      Isso é simplesmente maravilhoso, não? que estupenda capacidade de recuperação…

    • negative:

      o cérebro, como todo servidor que se preze (ouviu megaupload?.. cofcof) TEM backup, só se o trauma for muito grande “da pau” e perdemos alguma coisa. Em geral funções motoras, habilidades, fala e diversos mecanismos da personalidade da pessoa são recuperados e restaurados.

    • CASTOR:

      “Atividades mais complexas mobilizam todo o cérebro”
      isso é usar 100% do cerebro não ?

      no segundo paragrafo vc diz que seria uma vantagem tirar a parte inutilizada do cerebro

      perder 80% do cerebro e perder a cabeça da no mesmo
      jamais alguem ouviu isso do médico mesmo !

  • enejonas:

    que bom esse texto!,eu mesmo, sempre imaginei que o lado esquerdo e direito trabalhavam em dimensoes diferentes(mas nao com tanta diferença,só um pouquinho). mas devo admitir que a historia dos 10 e 90% do cerebro tem suas verdades ,imagina que ativamos quase todas as areas do cerebro,mas e a intensidade que ativamos todas essas areas? é 100% verdade que ativamos com grande intensidade somente 10% do cerebro no nosso dia a dia, e as outras partes, é só pra variar o cardapio

  • dan:

    sobre o mito 4: já foi comprovado que escutar musica erudita como Mozart por exemplo aumenta o nível de ondas cerebrais alfa no cérebro

    • joão:

      realmente nossa mente mesmo q não tenha como “ativar” mais 90% da nossa capacidade,é incrível,é estupenda é algo indescritível o poder da nossa mente.

    • Érica:

      Isso porque causa relaxamento… pode ser qualquer autor, não precisa ser especificamente Mozart, mas tem que ser algo tranquilo e sem percussão alguma.

      Para que vc entre em estado alpha basta reduzir a atividade frenética da mente fazendo um relaxamento físico profundo (o mais profundo que conseguir) enquanto se mantem vigilante, sem adormecer.

      Mas eu, pessoalmente, prefiro relaxar em silêncio quando preciso entrar am alpha…

      Como trabalho com Música, a música me distraí e chama demais a minha atenção, gerando uma atividade cerebral intensa, assim prefiro o silêncio.

    • Noé P. Campos:

      A questão não é por ser de Mozart nem por ser clássica. Trata-se mais da questão do ritmo. Há pesquisas (infelizmente não disponho agora do título) que mostram: esses ritmos musicais têm uma harmonia maior com a própria natureza bioquímica, a ponto de moléculas de água se organizarem simetricamente ante sons harmoniosos como os clássicos, enquanto músicas “violentas” (como heavy metal) produzem efeito desagregador nelas.

  • Jonatas:

    Mais uma pesquisa tendenciosa para questões cerebrais que vão além do campo físico, e quanto aos hemisférios levaram ao pé da letra o que os neurolinguísticos falam por simbolismo. Se baseássemos as limitações físicas do nosso cérebro até onde vão os métodos de detecção não seríamos mais espertos do que uma ameba. Existem muitas coisas no funcionamento do cérebro que a própria ciência reconhece não estar nem perto de desvendar, do contrário já estaríamos fazendo computadores com capacidades espantosas de processamento, inteligência e emoção artificial. Logo, nem a própria ciência moderna está mais avançada do que 10% de tudo que existe a cerca do nosso cérebro.

    • Cesar:

      Não entendi. Como assim, “pesquisa tendenciosa”? Qual é a “tendência” da pesquisa?

      Sobre o mito dos 10% o teste é muito simples: se você examina o funcionamento do cérebro em tempo real, vai detectar a atividade elétrica, ou o consumo de energia. Uma área que seja ativada indica atividade naquela área. Atividades simples como fechar as mãos envolvem grande parte do cérebro. Atividades mais complexas, que envolvem tomadas de decisão mais complexas, envolvem praticamente todo o cérebro. Não é só 10% do cérebro que é usado, é quase todo ele.

      Os outros mitos foram derrubados de forma muito simples: alguém diz algo e um cientista pergunta “será que é mesmo assim?” e bola um teste para descobrir se é ou não é. O caso dos lunáticos é um destes, basta manter uma estatística das atividades e comparar com os ciclos lunares. A grande maioria das pessoas vê só uma vez alguma coisa acontecer, e já parte para uma generalização. O cientista tem por obrigação desconfiar da generalização.

    • Jonatas:

      A tendência é derrubar as teorias metafísicas do funcionamento do cérebro.

    • Antônio Frabrizzio:

      Quando as pessoas vão conseguir entender que a Ciência não contradiz a Metafísica e vice-versa??? Qual o problema de haver dois (ou mais) níveis diferentes de interpretação da realidade?

    • Jonatas:

      Mas não é a ciência contra a metafísica, é a reportagem contra a metafísica. A reportagem se mostrou tendenciosa.

    • Bovidino:

      Para com isso. A ‘ciência’ sempre faz questão de tentar explicar tudo em contraposição ao ‘conhecimento’ metafísico e acrescentar que quem acredita nisso é ignorante.

    • Cesar:

      Jonatas, se uma afirmação objetiva é feita, uma afirmação que pode ser testada, então a ciência testa ela. Se no teste resulta que a afirmação é falsa, não importa a origem da mesma, se é feita por um cientista ou por um guru da nova era, afirmações falsas tem que ser descartadas.

      O exemplo dos 10% é emblemático. Alguém afirmou que usamos apenas 10% do nosso cérebro. O uso do cérebro aparece em exames de ressonância, em tempo real. Então podemos testar o quanto alguém usa do seu cérebro. Feito o teste, se descobre que é mentira, que na verdade usamos todo o cérebro a maior parte do tempo.

      Então não é que a ciência é tendenciosa. Tendenciosas são as “teorias” metafísicas do funcionamento do cérebro. Elas tendem a ser falsas.

    • Glauco:

      O problema é a forma que a ciência acredita que tudo o que existe dentro de um ser humano é o que existe em seus cérebros. O cérebro é só a manifestação, veículo e meio – interface – para a transmissão de experiências do mundo físico para o mundo superior.

      Nesses testes eles apenas examinam o cérebro, precisariam examinar o corpo mental para começarem a entender melhor o circuito cérebro-mente. Isso é só a superficialidade de um assunto muito maior.

    • Mochileiro:

      Pense assim: O ser humano pode até usar 100% da sua capacidade cerebral… mas usa ela muito mal 😉 Pessoas mais “esclarecidas” (ex: como mestres de yoga, budistas e lutadores de artes marciais) consenguem extrair mais de suas mentes atraves de um treinamento rigoroso.

Deixe seu comentário!