5 esquisitices da nossa Via Láctea

Por , em 3.04.2012

Os cientistas já conseguiram explicar muita coisa sobre nosso universo, mas certamente não tudo. Provavelmente a maioria das peculiaridades do mundo nós ainda nem conhecemos ou não fazem nexo para nós, como estrelas que brilham demais sem razões, ou que conseguem orbitar próximas a buracos negros sem serem engolidas. Enfim; anormalidades que não entendemos como são possíveis, pelo menos por enquanto.

V838 Monocerotis

Em fevereiro de 2002, essa estrela ainda não reconhecida, há cerca de 20 mil anos-luz de nós, atingiu uma luminosidade um milhão de vezes maior do que o sol. No mês seguinte, o evento aconteceu de novo. E depois, em abril, pensou-se que era uma estrela do tipo nova, explosão que aumenta o brilho de uma estrela. Mas as novas não acontecem três vezes seguidas e depois param.

Seriam duas estrelas colidindo? Ou uma estrela engolindo três planetas gigantes? Que &*¨%$#@ é essa? A única coisa de que os cientistas têm certeza é que a luz refletida na poeira ao seu redor gerou cores maravilhosas.

Retardatários azuis

Densos agrupamentos estelares da Via Láctea abrigam uma série de estrelas avermelhadas, com pouca luminosidade e muito antigas, a maioria com mais de dez bilhões de anos. Alguns poucos agrupamentos, entretanto, brilham em azul e branco – o que sugere a presença de estrelas quentes, novas e brilhantes.

Agora, os cientistas pensam que esses “retardatários azuis” são tão antigos quando os outros, mas de alguma maneira rejuvenesceram. Algumas estrelas podem ter sugado o gás de outras vizinhas ou serem o resultado da fusão de duas mais antigas.

Sagitário A*

Sagitário A* é uma fonte de ondas de rádio no centro da Via Láctea, onde se imagina que exista um buraco negro gigantesco, com quatro milhões de vezes a massa do sol. Em algumas galáxias, um buraco negro desse tipo seria uma terrível fonte de radiação.

Mas não é o caso do nosso. Sagitário A* possui uma quantidade pequena de gás, e parece ser um pouco ineficiente em converter isso em calor e luz.

S2

S2 não é um coração virtual. É uma estrela azul-branca rápida e intensa, para a qual não temos explicações. Ela faz sua órbita muito perto do buraco negro central, o Sagitário A*, a uma velocidade de até cinco mil quilômetros por hora.

A essa distância, a gravidade do buraco negro não deveria permitir que as nuvens de gás se condensassem para formar novas estrelas. Esse comportamento até poderia acontecer com estrelas mais velhas, mas não uma tão jovem, com não mais do que dez milhões de anos.

SDSS J102915+172927

A maior parte das estrelas atuais contém uma pequena quantidade de elementos pesados, herdados de gerações estelares antigas. Não no caso dessa, localizada mais de quatro mil anos-luz de nós. Descoberta no ano passado, ela é formada praticamente por hidrogênio e hélio, com apenas 0,00007% de outros elementos.

Essa composição é similar à matéria do Big Bang. Essa quantidade de gás puro, sem o carbono e o oxigênio que normalmente ajudam as nuvens de gás a se resfriarem e condensarem, era para estar presente apenas em estrelas jovens e colossais. Ninguém sabe ainda como esse objeto se formou. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 5,00 de 5)

48 comentários

  • wesley rodrigues anastacio:

    Esse foi o melhor post que ja li aqui no hypescience!!
    Enchi meu cerebro de conhecimento!
    Tou no site faz um bom tempo e sempre me surpreendo com as materias!
    Uma palavra…..SHOW

  • Ricbrsp Ricardo:

    Sempre acompanhei as tentativas de explicar, isto é, as hipóteses sobre a origem do universo, a origem de tudo, como a teoria do “big bang”, sempre tentando substituir uma força exterior p/ dar início a tudo, organizar o caos. A teoria do “big bang” nestes últimos 10 anos tem siro reinterpretada milhões de vezes, sempre tentando uma explicação melhor, ou convencer q ela é certa.
    Os últimos 3 anos, com acelerador de partículas, e com telescópio em órbita da terra, no espaço, com novos ângulos, novos estudos, novas cores, novos tempos, datas mais aproximadas muita coisa bem mudando radicalmente nesta explicação sobre a origem do universo, uma coisa é clara o conhecimentos q temos hoje é só o começo de um novo tempo nas ciências, e na compreensão do universo q nos cerca.

    • Ricbrsp Ricardo:

      Concluí este texto, ou seja, meus argumentos no meu blog, na seguinte url – http://t.co/1U0TRNFr

  • juniorts:

    Os cientistas as vezes são tão loucos que eles acham que somos o centro do universo assim como antigos achavam que a terra era o centro do sistema solar.
    Que pensamento ignorante.

    Ex: se a via láctea fosse um prato e nós fossemos um ponto, na extremidade desse prato, esse ponto por sua vez não poderia dizer o que tem mas distante da outra extremidade que não estamos. E adiante de nós também não podemos porque não sabemos o limite a nossa frente.

    Eles querem saber nossa origem e a do universo sem nem saber todos os segredos do nosso planeta e olha que comparado ao universo, somos um grão de areia em um deserto e nem conhecemos esse grão de areia. Putz.

    As vezes ouvimos tanta besteira sobre o universo que cansa.

    • Luis Carlos:

      juniorts se falou muita merda ai “Os cientistas as vezes são tão loucos que eles acham que somos o centro do universo ” Desde de quando os astrônomo falou que a terra é o centro do Universo? Os Cientista nunca duvidaram dos astrônomo e eles recolhem dados obtidos do Telescópio espacial Hubble & telescópio espacial Spitzer para analisar o dados, E vou falar bem alto “É RELIGIÃO QUE ACHA QUE A RAÇA HUMANA ESTAR NO CENTRO DO UNIVERSO” vai estudar mais e veja documentários no YouTube e não fale mais merda.

    • fbfaria83:

      Bem, Luis Carlos, a religião acha que a raça humana está no centro do universo, pelo menos assim nos dizem. No entanto, a ciência que nos apresentam acha que no máximo vão achar seres unicelulares fora da terra, ou quem sabe um organismo complexo como uma planta. Mesmo não sendo todos os religiosos e nem cientistas a pensarem assim, isso é QUASE uma regra.

  • juniorts:

    Eu penso que os cientistas estão tão preocupados com seu EGO que esquecem que fazem e falam merda.
    Eu vi um documentário da National Geografic no youtube, que dizia que a hubble tinha retirado fotos surpreendentes de um lado escuro do universo e tinha descoberto milhares de galaxia e tal e coisa, e depois dizia que á partir daí eles já tinha visto 1/3 do universo e até especulam quantidades de galaxias.

    Porra nós nem sabemos a dimensão do universo e nem sabemos nossa posição sobre o mesmo.
    como podemos dizer algo sobre o universo?

    Eu assisti outro documentário que falava sobre o clima dos planetas do nosso sistema solar. E os cientistas disseram que não entendiam como funcionavam.
    Daí, que pra mim a ficha caiu, se os caras que observam o universo, não entendem nada do nosso sistema solar como querem entender o universo?
    Agente tem que entender primeiro de casa pra depois entender o temos no quintal. Assim que eu penso.

    Nossa física já foi provada que ela é exata no nosso planeta mais é instável no universo e para começarmos a entender melhor como aplica-las no universo, precisamos entender como ela funciona no resto do sistema solar.

    • Luis Carlos:

      Se estar falando muita besteira, e eu acho que não viu os Documentários por completo, se falou tanta merda que deu câncer só de ler o seu comentário, Que uma dica laga o computador e pega um livro sobre Astronomia para tirar essa teia de aranha na sua cabeça.

    • fbfaria83:

      Luis Carlos, apesar de “seus argumentos” contra nosso outro colega terem lhe dado uma doença horrível, eu gostaria de saber mais um pouco sobre o seu conhecimento. PS: se possível sem tantos palavrões e nódulos.

      Att;

  • Rafael:

    V838 Monocerotis = resposta bem simples…. supernova 🙂

    • Comando Delta:

      E pensar que com todo esse tamanho do universo e da nossa insignificancia, a imaginação ainda é maior que tudo isso! E fica em qualquer mente.

  • Ériko:

    Como raios no caso da SDSS J102915+172927 eles conseguem dizer do que é feita uma estrela que está a 4000 anos luz daqui?

    • Vianna:

      Ériko,

      A analise é feita a partir do espectro luminoso da estrela. Cada elemento químico do universo emite um determinado tipo de onda eletromagnética (com um determinado comprimento de onda).

      Com base na analise do espectro eletromagnético da estrela somos capazes de identificar a sua composição e temperatura.

      Abraço

  • Campos:

    RETARDATÁRIOS AZUIS

    Neste caso pode acontecer de estrelas azuis serem encobertas por poeira cósmica e serem vistas vermelhas como no caso de “zeta ophiure”, pois esta poeira filtra os raios azul e ultravioleta e deixam passar o vermelho e o infravermelho.
    SAGITÁRIO A*- Todo buraco negro é uma fonte de radiação. Uns mais outros menos. No caso da via láctea, uma galáxia antiga e estabilizada, seu buraco negro não envia um jato de matéria e energia para o espaço, mas envia uma bolha de radiação, devido a pouca atividade que acontece no seu horizonte de eventos (ver blog “olhando o universo”).
    S2 – Esta estrela esta sofrendo uma forte influencia do buraco negro na zona do horizonte de eventos. Está superaquecendo devido ao atrito de partículas que pode provocar sua desintegração e não para ser engolida pelo buraco negro. O buraco negro não engole nada. Só gira e faz chocar partículas comprimidas pela força centrífuga.
    SDSS J1O2915+172927 –
    É só isso: Esta estrela se formou pela concentração de hidrogênio e hélio existente na nuvem que a formou. Não existe uma regra para se formar estrelas. Estrelas novas da periferia do universo pode ter elementos mais elementos pesados que estrelas da via láctea. Isto foi publicado na internet. –

  • Campos:

    O caso da V838 MONOCEROTIS é mesmo muito intrigante e desrespeita as teorias atuais sobre supernovas. Uma supernova não explode três vezes. Em meu entender isto é explicado pelo blog: “Olhando o Universo”, no capítulo 7 quando fala de raios gama. Os raios gama são o que há de mais energéticos na natureza. Eles são oriundos do espaço extra universo e embora aconteçam em pontos esporádicos do céu, nada impede de acontecer várias vezes no mesmo lugar. Isto é aleatório como os raios atmosféricos da terra. A explicação é lógica e implica em uma outra explicação sobre supernovas, como sugiro no blog.

  • Miguel Angel:

    Muito interessante.
    A informação nunca para de crescer e de mudar.
    Ainda teremos muitas surpresas.

  • Gerráh Somar:

    É muito Interressante, eu fico até meio abestalhado, ao ver todas essas Coisas Fenôminais, deste Mundo que Parece que num é deste Mundo…rs, rs, rs….
    … e vou quase concordar com ALX,”NUM ENTENDÍ QUASE NADA”, rs, rs, rs.

  • Joao Paulo:

    Ò Soberano de todo universo, quem poderá definir toda a sua obra, senão o Sr. ou o mestre a quem criaste e veio a existir por sua própria vontade Jesus?

  • Marco Oliveira:

    Estamos apenas arranhando o conhecimento desse nosso Universo. Ainda descobriremos passagens naturais para outros Universos e atalhos onde rapidamente poderemos viajar milhões de anos luz em questão de segundos. Segundo a Teoria das Cordas este nosso Universo é apenas um dentre outros infinitos Universos separados apenas por uma membrana.

  • alx:

    Belas imagens, pena que não nasci para astronomia kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, não entendi NADA!

  • Paulo:

    Monocerotis = Mozilla Firefox.

    • Jonatas:

      Muito legal, foi uma boa inspiração de logo.

    • Matheus:

      parece mesmo!
      mas tambem parece uma estrela dum epsodio de futurama,que o bender conhece deus(ele era essa estrela).

    • Jonatas:

      Na verdade o logo do Navegador foi mesmo inspirado na estrela.

  • Wagner:

    “Ela faz sua órbita muito perto do buraco negro central, o Sagitário A*, a uma velocidade de até cinco mil quilômetros por hora.” – 5 mil kilometros por hora não é nada para estas estrelas. Deve ser 5 milhões de kms, não?

    • Cesar:

      Na verdade o artigo fala em 5.000 km por segundo ou cerca de 2% da velocidade da luz. Foi um erro de tradução…

  • jose quevedo de avila:

    o universo sempre existiu e é permente, em eterna transformação. a observação de Einstein despertou o interesse dos estudiosos para que pudessemos avançar na investigação do cosmos. é um incentivo a pesquisa do que convencionamos chamar de macrocosmo exterior, em oposição ao microcosmo que carregamos em nosso cerebro privilegiado de quase cem bilhoes de neuronios, dos quais a grande maioria usa uma infima parcela

  • Vitor:

    Esse seria o meu comentário. Não se trata de uma única estrela!

  • Jonatas:

    MONOCEROTIS, Mon para os íntimos, é um dos grandes mistérios do espaço. Eu acredito que seus três surtos de brilho são novas em cadeia. É muito comum duplas e trios de estrelas no espaço, aqui nas imediações do Sol, as estrelas mais próximas a nós são o trio Alfa Centauro.
    Acredito que uma explosão em uma estrela pode provocar uma explosão em outra se esta estiver muito próxima, iniciando uma reação de explosões em cadeia. Acho que Mon é o resultado disso, supernovas em um sistema estelar triplo de super gigantes vermelhas.

    • Flor de Lis:

      Jonatas, pode me explicar o por que do nome ‘Retardatários azuis’?

    • Cesar:

      Não sou o Jônatas, mas posso responder, não posso?

      São chamados de retardatários por que, pela cor que possuem, são estrelas jovens, em um grupo de estrelas velhas. Ou seja, surgiram bem depois de todas as outras, ou seja, retardatários. Só que a possibilidade que os astrônomos estão cogitando é que são estrelas tão velhas quanto às outras, só que estão azuis novamente por que de alguma forma receberam hidrogênio, ou através de uma nuvem de gás ou através do “roubo” de gás de outras estrelas próximas.

    • Flor de Lis:

      Cesar, grata por ter respondido à minha pergunta. Esclareceste meu questionamento. Beijo.

    • Jonatas:

      Boa, eu não teria explicado melhor, um abraço.

  • Observador:

    Tudo no universo é resultado de uma ação inteligente.

    • Regiane:

      Teoria Creacionista? é gostei!

  • Rone100theone:

    Excelente post, sem falso elogio, quem fez esta matéria para o Hype caprichou desta vez… Muitas das chamadas “esquisitices” podem ser puro erro de interpretação de dados. Já outras podem muito bem ser manipulações de um Ser supremo, mudanças das leis da física que nós conhecemos e que Ele mesmo criou, tudo isso com um propósito. Afinal, de onde veio o hidrogênio e o hélio primordial? De uma esplosão? Tudo bem. De onde veio a energia pra iniciar esta explosão? Bem, vão dizer que existem outros universos, tudo bem, ainda assim é necessário o primeiro. ( Ah, não vamos gerar “debates cíclicos intermináveis” como: ” quem criou Deus” se alguém não acredita em um Criador, apenas diga: ” não acredito”.) A idade do Universo comparada à nossa como espécie humana com certo grau de conhecimento, é algo pra se pensar.

    • Cesar:

      Rone, não se sabe de onde veio, ou melhor dizendo, o que causou o Big Bang (que NÃO FOI UMA EXPLOSÃO). Sabemos que a expansão do Universo começou há 13,72 bilhões de anos, mais ou menos, e continua acontecendo até hoje. Sabemos também que quando o Universo começou a expandir, era tão quente que não haviam prótons e nêutrons, apenas elétrons e partículas fundamentais – quarks, bósons, e férmions (se não me falha a mecânica quântica, ainda não consegui decorar quais são as partículas fundamentais). Quando esfriou um pouco, formaram-se os primeiros prótons e nêutrons e o primeiro elemento, o hidrogênio.

      Isto é parte do que SABEMOS.

  • kaio:

    Rapaz, você teve acesso aquelas Fotos da Nasa que tem uma Tarja escondendo algumas coisinhas que apareceram, isso deu um reboliço…..

  • Marco:

    Provavelmente alguns desses eventos possam ser resultantes de atividades de vida inteligente
    se tem coisas que ainda não tem nexo para nós, talvez eles estejam muito além de nós.
    e lembrando que apenas no nosso sistema solar, há cerca de 200 bilhões de estrelas e em uma delas, no caso da gente, habita um planeta cheio de vida, dizer que não há vida ao redor de cada uma dessas 199.999.999.999 estrelas restantes já é questão de ignorância

    • gabriel:

      Eu acho que no nosso sistema solar só tem o Sol de estrela !!!

    • Gil:

      Mesmo? Como vc chegou a essa conclusão?

    • Jonatas:

      Em ficções científicas e até em artigos de teóricos futuristas, encontrei três tipos de civilizações extraterrestres avançadas:
      As planetárias: Capazes de colonizar seu sistema solar e transformar o clima de seus planetas.
      As Estelares: Que colonizam suas imediações estelares, vivendo da energia das estrelas, transformando-as caso precisem. O interessante é que teriam bases espaciais sofisticadas ao redor de estrelas, não se interessam mais por planetas, não precisam deles.
      As Galácticas: A evolução das potências estelares geralmente se interessa por núcleos galácticos ou aglomerados estelares, vivem em bases gigantescas e cortejam corpos espaciais como pulsares e quasares, fontes de energia e túneis para viagens intergalácticas.

      Em Perry Rhodan, famosa ficção científica alemã, exite a ideia de evolução além das potências galácticas:
      Hiperinteligência: Surge quando uma civilização, esteja ela Galáctica ou mesmo Estelar, alcança um nível de conexão mental, espiritual e social muito avançado entre seus indivíduos, tal nível faz com que existir em forma carnal e individual não faça mais sentido, e todos fundem-se em apenas um ser pensante com um nível de intelecto sem comparação, praticamente um deus, um ser extra-dimensional capaz de manipular tempo e espaço, ou o próprio fluxo da realidade.
      Na trama de Perry Rhodan, Hiperinteligências costumam construir novos mundos e novas formas de vida, com o propósito da continuidade.

    • Neolook:

      …o micróbio pode ser considerado mais inteligente que o ser humano?

    • Jonatas:

      Até nossos genes são mais inteligentes que nós.

    • Andhros:

      Até nossos espermatozoides são mais inteligentes que nós!

      Não, acho que forcei… Mas é que tinha lido em algum lugar que… não, não poderia ser.

    • Daniel:

      Cara, fica a dica pra lerem 2001, Uma Odisséia no Espaço… tudo a ver com o comentário

    • Renan:

      Que excelente este teu post!

    • Andhros:

      Eu vi isso por acaso essa semana mesmo!
      Nesse vídeo:
      http://www.youtube.com/watch?v=7lP9eTSVWlM
      Faz você se sentir pequeno…

      É a escala Kardashev, criada pelo físico russo de mesmo nome, a mais de 50 anos. No vídeo quem fala é o físico Michio Kaku. E a propósito, mesmo contra todas as probabilidades, acho que esse físico japonês é parente do Paulo Henrique Amorim! Só que na versão malvado, ele fez um comentário maldoso sobre uma criança.

Deixe seu comentário!