,

5 maneiras de ser mais persuasivo, de acordo com a ciência

Por , em 15.12.2017

A persuasão é uma característica importante tanto no âmbito profissional quanto pessoal. Quem não gostaria de ter apoio constante dos colegas de trabalho e colaboração de todos os integrantes da família na administração da casa? Mais importante ainda: qual vendedor não adoraria convencer seus clientes que aquele produto ou serviço é o melhor?

Por isso, essa habilidade tem sido exaustivamente estudada em experimentos psicológicos e de comportamento nas últimas décadas. A pesquisadora de pós-doutorado Harriet Dempsey-Jones, da Universidade de Oxford (Reino Unido), selecionou cinco técnicas simples que comprovadamente ajudam a persuadir alguém a fazer alguma coisa:

5. Use uma linguagem diferenciada

Uma forma de convencer alguém de algo é escolher bem suas palavras. Um estudo revelou que mais pessoas foram às urnas votar quando a pergunta “quão importante para você é ser um eleitor nas eleições de amanhã?” foi feita, em comparação com a pergunta: “quão importante é para você votar nas eleições de amanhã?”.

A simples mudança da palavra “votar” para “eleitor” foi suficiente para incentivar as pessoas a votarem. Isso porque a pergunta mexeu com o senso de identidade dos participantes da pesquisa, que se viram como “eleitores” antes de qualquer outra coisa. Este grupo mostrou uma participação nas eleições 11% maior que o grupo questionado sobre a importância de votar.

4. Peça por algo que não precisa


Várias pesquisas mostram que se você quer alguma coisa mas está com medo de ouvir um “não”, pode ser mais interessante começar pedir por alguma coisa pequena para criar uma ligação entre você e a outra pessoa. Assim que a pessoa concorda em conceder um pequeno favor, ela provavelmente acaba aceitando outro pedido maior em seguida.

Isso pode acontecer porque as pessoas observam o próprio comportamento para descobrir como estão se sentindo naquele dia ou naquela fase da vida. Assim que ela concorda em fazer um pequeno favor, ela inconscientemente passa a se ver como uma pessoa positiva. “Eu sou tão legal e agradável”, poderia pensar ela. Aí, quando o segundo favor é pedido, mesmo que seja feito por uma terceira pessoa, a resposta tende a ser “sim” outra vez.

Por outro lado, uma outra técnica também mostrou resultados positivos: antes de pedir por um favor de médio tamanho, você pode pedir por um enorme favor. A outra pessoa vai recusar, mas provavelmente vai acabar cedendo quando outro pedido menor for feito.

3. Use recompensas de forma variável

Hands holding a gift box isolated on black background


Todos sabem que recompensar um comportamento torna mais provável que a pessoa o repita no futuro. Mas e quando esta pessoa já está tão acostumada ao elogio ou prêmio que ele passa a perder o valor? Uma forma de manter a recompensa valorizada é variar a frequência e maneira de distribuí-la.

Seria como imitar o funcionamento dos caça-níqueis: a pessoa continua jogando avidamente porque acredita que na próxima jogada vai levar o prêmio para casa. Se o prêmio fosse distribuído sempre na mesma frequência, essa antecipação e engajamento não aconteceriam.

Então se você quer que alguém em casa passe a ajudar mais ou que um funcionário no trabalho continue trabalhando com motivação, experimente tornar as recompensas mais imprevisíveis em frequência e tamanho.

2. Compulsão por reciprocidade


Esta técnica pode parecer estranha, mas funciona. Se você precisa de algo de alguém, experimente dar algo a ela primeiro. A “norma da reciprocidade” dita que as pessoas repaguem algo a alguém que lhe fez um favor.

Campanhas de caridade são famosas por usar esta técnica nos Estados Unidos. Elas costumam enviar pelo correio um pequeno brinde, às vezes tão simples quanto um cartão de natal ou caneta, e pedem uma contribuição financeira em retorno. Algumas até mandam uma moeda de 1 centavo de dólar em um envelope, e as pessoas sentem-se pressionadas a devolver o dinheiro, frequentemente acrescentando mais notas à moedinha.

1. Provoque grandes emoções


“Atribuição incorreta de empolgação” é uma teoria popular que sugere que as pessoas confundem sentimentos. Por isso, ao passar por uma situação empolgante na companhia de uma pessoa, alguém pode confundir o evento com a presença da pessoa, e atribuir a grande emoção à ela.

Um primeiro encontro que acontece em uma sessão assustadora de cinema têm mais chances de ser um sucesso, pois as pessoas confundem as emoções do filme com a presença do companheiro.

Um experimento envolveu uma plataforma em duas posições: próxima ao chão e em uma altura assustadora. A responsável por questionar os participantes foi descrita no estudo como “entrevistadora feminina atraente”. Todos os voluntários poderiam ligar para ela mais tarde para saber mais detalhes sobre a pesquisa, mas um número significantemente mais alto de homens da plataforma mais alta entrou em contato. [Science Alert]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 4,14 de 5)

Deixe seu comentário!