70% das macadâmias comercializadas no mundo vieram de uma única árvore na Austrália

Por , em 4.06.2019

O campo de pesquisa mercantil da macadâmia é meio estagnado, mas recentemente veio com uma descoberta chocante: a grande maioria das safras comerciais de noz-macadâmia do mundo originou-se de uma única árvore do século XIX na pequena cidade de Gympie, em Queensland, na Austrália.

O estudo

Os pesquisadores coletaram centenas de amostras de DNA de macadâmias em seu habitat nativo em Queensland, comparando-as em seguida a amostras de árvores comercialmente cultivadas no Havaí, que produzem 70% das variedades de macadâmia comercializadas no mundo.

A comparação revelou que todas as macadâmias do Havaí compartilham marcadores distintos com um pequeno agrupamento selvagem de árvores em Gympie, sugerindo que todas as culturas modernas da noz provavelmente foram clonadas de uma única árvore australiana.

Em outras palavras, 70% das variedades de noz-macadâmia do mundo são provenientes de uma única ou de algumas árvores em Gympie.

“Uma pequena coleção de sementes foi levada para o Havaí no final do século XIX e registros históricos sugerem que talvez seis árvores foram cultivadas a partir dessa amostra levada por Robert Jordan e plantada no quintal de seus irmãos nos subúrbios de Honolulu em 1896”, contou Craig Hardner, horticultor da Universidade de Queensland e um dos pesquisadores do estudo, à ABC News.

Cultivo

Como muitas outras culturas de árvores, as macadâmias são reproduzidas via enxerto. O enxerto é a união dos tecidos de duas plantas. Assim, pomares comerciais geralmente contêm milhares de árvores, mas apenas alguns indivíduos.

Esta notável falta de diversidade genética coloca as culturas de macadâmia em maior risco de sucumbir a doenças ou mudanças no clima do que árvores com uma população mais diversificada.

Em comparação, as macadâmias selvagens australianas apresentam uma rica diversidade, apesar de seu habitat restrito de floresta subtropical.

Tipicamente australiana

A noz-macadâmia tem uma importância histórica para a Austrália.

Na década de 1860, King Jacky, um ancião aborígene do clã Logan River e o primeiro “empreendedor de macadâmia” do mundo, iniciou o comércio da noz para os colonos.

A mais antiga árvore de macadâmia cultivada no mundo, plantada em 1858, ainda cresce nos jardins botânicos de Brisbane.

Em 2017, o alimento representou 14% das exportações de hortaliças da Austrália. Queensland pagou um tributo ao seu legado de propagação dessas nozes na forma da “Big Macadamia Nut”: uma escultura de macadâmia de 15 metros de altura. A título de curiosidade, ela faz parte das “50 Big Things” (“50 coisas grandes”) da Austrália, como o “grande abacaxi”, o “grande crocodilo” e a “grande garrafa de vinho”.

Um artigo sobre o estudo foi publicado na revista científica Frontiers in Plant Science. [AtlasObscura]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (18 votos, média: 4,94 de 5)

Deixe seu comentário!