9 pontes construídas por humanos para animais

Por , em 18.03.2014

Não, geralmente não nos importamos com os (outros) animais. Mas isso não significa que, em alguns belos cantos do mundo, as pessoas não tenham tentado deixá-los mais confortáveis em suas próprias casas.

Confira algumas estradas feitas para reconstruir habitats perdidos, proteger animais selvagens de rodovias vitais, ou até regenerar populações:

1. Passagens especiais para gado

1
Mover gado de um pasto para outro pode ser uma tarefa angustiante, especialmente se o fazendeiro precisar levar o rebanho através de uma estrada ou trilha de trem. Para evitar colisões com veículos, pecuaristas muitas vezes criam passagens subterrâneas que permitem que os animais evitem obstáculos perigosos, como estradas, canais, diques e ferroviárias. Da mesma forma, há canais para ovelhas e outros animais.

2. Passagens de fauna

2
Estruturas feitas pelo homem, tais como rodovias e ferrovias, constituem ameaças para a vida selvagem. Isso porque dividem habitats selvagens, potencialmente separando populações de animais existentes de fontes de alimento e água, forçando-os a atravessar a estrada e suportar os perigos do tráfego. Passagens de fauna reduzem esse risco, fornecendo aos animais um meio alternativo de evitar a estrada, ou de atravessá-la de forma mais segura.

3. Parque Nacional de Banff, em Alberta, Canadá

3
O Parque Nacional de Banff é o lar de uma grande variedade de animais selvagens, de texugos a ursos e alces. No entanto, a estrada TransCanada também corta a reserva, fragmentando o habitat natural com quatro pistas perigosas aos bichinhos. Para acomodar o tráfego tanto de veículos quanto de ungulados, a TransCanada incorporou um viaduto arborizado para os animais viajarem com segurança. A fauna local se adaptou rapidamente à travessia, que tornou-se um corredor vital para sua passagem.

4. Natuurbrug Zanderij Crailo, Holanda

4
Os holandeses gostam de proteger a vida selvagem dos perigos do tráfego humano, já tendo construído mais de 600 passagens de fauna em todo o país. O viaduto Natuurbrug Zanderij Crailo é a mais longa dessas estruturas, com mais de 50 metros de largura e 800 metros de comprimento, e ajuda os animais a passarem por uma linha de trem, um parque empresarial, um rio, uma estrada e um complexo desportivo. Concluída em 2006, a ponte é rotineiramente utilizada por vários espécies de cervos, javalis, e pelo texugo europeu, animal em perigo de extinção.

5. Ponte para caranguejos, na Ilha Christmas, Austrália

5
Todos os anos, em meados de outubro, mais de 50 milhões de caranguejos vermelhos marcham de suas casas de verão, nas florestas tropicais da Ilha Christmas, na Austrália, para o oceano, onde se reproduzem. Estes crustáceos formam uma enorme maré vermelha, que não presta atenção a coisas como estradas movimentadas – por isso, cerca de 50.000 deles morrem a cada migração sob as rodas dos carros. Para combater estas mortes, o governo tem trabalhado desde 1995 para instalar uma série de pontes e mais de 40 túneis ao longo e através dos quais os caranguejos possam passar. De acordo com o Serviço de Parques Australianos, mais de 12 quilômetros de travessias já foram instalados ao longo das estradas para ajudar a canalizar os caranguejos (e, por consequência, acabaram levando mais turistas para a região, para assistir ao fenômeno).

6. Interstate 75, Flórida, EUA

6
Estimativas generosas colocam a população remanescente de panteras da Flórida em cerca de 100 indivíduos, tornando esta espécie um dos grandes mamíferos mais criticamente ameaçados da América do Norte. Pior: o problema dos animais não é a caça furtiva ou a perda de habitat, mas acidentes veiculares. 11 panteras morreram em 2006 depois de serem atingidas por carros, e outras 14 morreram no ano seguinte. Em resposta, o governo americano tomou medidas agressivas para proteger os bichos das estradas perigosas, instalando 24 passagens subterrâneas, construindo 12 pontes de vida selvagem, e colocando cercas contínuas ao longo de um trecho de 65 quilômetros da pista (Interstate 75). Funcionou – nem uma única pantera morreu desde 2007. Além do mais, as passagens subterrâneas são agora rotineiramente usadas por linces, veados, guaxinins e outros animais, e houve um declínio drástico nos atropelamentos de todos eles desde então.

7. Escadas para ratazana-de-água em Grand Union Canal, Inglaterra

7
As ratazanas-de-água estão entre os mamíferos mais ameaçados do Reino Unido. Seus números diminuíram em 90% desde 1970, principalmente por fragmentação do habitat. Parte dessa fragmentação é devido a bordas muito altas do Grand Union Canal, que vai de Birmingham a Londres. Sendo assim, mais de um quilômetro do canal foi reconstruído, para proporcionar melhor espaço para os animais, e mais plantas que eles preferem comer. Além disso, escadas que permitem que os roedores subam ao longo da borda do canal foram feitas, transformando o que era uma barreira intransponível em uma autoestrada para os bichos.

8. Túneis para salamandras, Massachusetts, EUA

8
As salamandras-de-pintas-amarelas enfrentavam problemas em Massachusetts no final de 1980: tinham que atravessar uma rua movimentada da cidade de Amherst para atingir os seus locais de reprodução, e muitas terminavam essa travessia esmagadas sob os pneus dos carros. Por isso, em 1988, clamor público levou as autoridades do município a instalar uma série de três túneis sob a rua, com cercas afuniladas para orientar os anfíbios a entrar nas passagens. Logo, a população de salamandras aprendeu a usar os cruzamentos com sucesso. O sistema foi tão eficiente que agora é empregado em todo os EUA, inclusive em Santa Rosa, na Califórnia, onde está ajudando a salamandra-tigre-do-leste, espécie em extinção, a atingir seus locais de reprodução vitais.

9. Passagens de fauna na rodovia SP-225, entre Itirapina e Jaú (SP)

9
O Brasil não tem muitas dessas passagens planejadas para animais, mas uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) concluiu que elas são muito importantes para a redução do número de atropelamentos de animais silvestres nas estradas. Na Rodovia SP-225, entre Itirapina e Jaú (SP), os túneis usados por animais são considerados exemplos positivos. Conforme câmeras instaladas em 10 túneis mostraram, 21 espécies, como veados, tatus, capivaras e lobos-guará, passam por lá. Em dois anos de estudo, foram registradas 800 travessias, mais da metade feitas por capivaras, o animal que mais causa acidentes em pistas. [Gizmodo, G1]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • victorfn:

    Claro que pontes para animais são uma boa iniciativa, porém difícil é colocar placas escritas na língua deles para que eles entendam que tem que passar pelas pontes ou pelos tuneis.
    Ahhh o progresso…..

    • Cesar Grossmann:

      É simples, basta tornar mais difícil passar por outro lugar que não o tunel. No caso dos caranguejos, bastou um murinho de um palmo de altura.

  • jodeja:

    Todos os animais são irmãos e o homem que se diz rei e superior tem a obrigação de protegê-los.

  • Misael Duarte:

    Boa iniciativa

  • Jess:

    Veey ratazana de agua é fofa,até ratos na Inglaterra são mais bunitinhas do que as ratazanas daqui que algumas é maior que um gato.

Deixe seu comentário!