A origem de 9 superstições comuns

Por , em 22.09.2011

Algumas superstições são tão arraigadas nas sociedades modernas que todo mundo, de leigo a cientista, sucumbe a esses atos insensatos (ou, pelo menos, se sente um pouco desconfortável se não o faz).

Mas por que não andamos debaixo de escadas? Por que, depois de expressar otimismo, batemos na madeira? Por que as pessoas não religiosas pedem que “Deus abençoe” um espirro? E por que evitar a todo custo abrir um guarda-chuva dentro de casa? Conheça essas e outras origens de superstições comuns:

1 – Dá azar abrir um guarda-chuva dentro de casa

Embora alguns historiadores acreditem que esta crença vem de tempos antigos egípcios, as superstições a cerca dos guarda-sóis dos faraós eram realmente muito diferentes e, provavelmente não relacionadas a crença moderna do guarda-chuva. A maioria dos historiadores acha que o alerta contra guarda-chuva dentro de casa se originou muito mais recentemente, na Inglaterra vitoriana.

Em “Extraordinary Origins of Everyday Things” (tradução livre, “Origens Extraordinárias de Coisas Cotidianas”) (Harper, 1989), o cientista e autor Charles Panati escreveu: “Em Londres do século XVIII, quando os guarda-chuvas à prova d’água de metal começaram a se tornar uma visão comum, o seu mecanismo rígido tornava um verdadeiro perigo para ser aberto dentro de casa. Um guarda-chuva abrindo de repente em um quarto pequeno poderia ferir gravemente um adulto ou uma criança, ou quebrar um objeto. Mesmo um acidente menor poderia provocar palavras desagradáveis ou uma briga, sinal de má sorte em uma família ou entre amigos. Assim, a superstição surgiu como um elemento para impedir as pessoas de abrirem um guarda-chuva dentro de casa”.

2 – É má sorte passar debaixo de uma escada inclinada

Esta superstição realmente tem origem há 5.000 anos no Egito antigo. Uma escada encostada a uma parede forma um triângulo, e os egípcios consideravam esta forma sagrada (como exibida, por exemplo, por suas pirâmides). Para eles, triângulos representavam a trindade dos deuses, e passar por um triângulo era profaná-los.

Essa crença fez seu caminho através dos tempos. “Séculos mais tarde, os seguidores de Jesus Cristo usurparam a superstição, interpretando-a à luz da morte de Cristo”, explicou Panati. “Como uma escada descansou contra o crucifixo, tornou-se um símbolo de maldade, morte e traição. Andar sob uma escada trazia desgraça”.

Na Inglaterra, em 1600, os criminosos eram obrigados a caminhar debaixo de uma escada em seu caminho para a forca.

3 – Espelho quebrado dá sete anos de azar

Na Grécia antiga, era comum que as pessoas consultassem “videntes de espelho”, que diziam suas fortunas através da análise de suas reflexões. Como o historiador Milton Goldsmith explicou em seu livro “Signs, Omens and Superstitions” (tradução livre, “Sinais, Presságios e Superstições”) (1918), “a adivinhação era realizada por meio de água e um espelho. Isto era chamado catoptromancia. O espelho era mergulhado na água e uma pessoa doente era convidada a olhar para o copo. Se sua imagem aparecia distorcida, ela corria o risco de morrer; se clara, ela viveria”.

No primeiro século d.C., os romanos acrescentaram uma ressalva para a superstição. Naquela época, acreditava-se que a saúde das pessoas mudava em ciclos de sete anos. Uma imagem distorcida resultante de um espelho quebrado, portanto, significava sete anos de má saúde e infortúnio, em vez de morte.

4 – Quando você derramar sal, jogue um pouco sobre seu ombro esquerdo para evitar azar

Derramar sal tem sido considerado azar por milhares de anos. Cerca de 3.500 a.C., os sumérios antigos anulavam a má sorte de derramar sal jogando uma pitada sobre seus ombros esquerdos. Este ritual se espalhou para os egípcios, os assírios e, mais tarde, os gregos.

A superstição, em última análise, reflete o quanto as pessoas valorizavam (e ainda valorizam) o sal como tempero para o alimento. A etimologia da palavra “salário” mostra o quão altamente valorizamos isso. De acordo com Panati, “O escritor romano Petrônio, no Satyricon, originou ‘não vale o seu sal’ como opróbrio para os soldados romanos, que recebiam subsídios especiais de porções de sal, chamados salarium – “dinheiro sal” -, a origem da nossa palavra ‘salário’”.

5 – Bater na madeira para evitar a decepção

Embora os historiadores digam que isso pode ser um dos costumes mais prevalentes nos Estados Unidos, sua origem é muito duvidosa. “Alguns atribuem isso ao rito religioso antigo de tocar um crucifixo ao fazer um juramento”, Goldsmith escreveu. Alternativamente, “entre os camponeses ignorantes da Europa, pode ter tido o seu início o hábito de bater bem forte para manter os maus espíritos longe”.

6 – Sempre “Deus abençoe” um espirro

Na maioria dos países de língua inglesa, é educado responder a um espirro de uma outra pessoa dizendo “Deus te abençoe”. No Brasil, também há o costume de dizer simplesmente “Saúde”.

Apesar de encantamentos de boa sorte terem acompanhado em todas as culturas os espirros durante milhares de anos (todos em grande parte ligados à crença de que o espirro expulsa espíritos malignos), esse costume em particular começou no século VI d.C., por ordem expressa do Papa Gregório, o Grande.

A peste terrível estava se espalhando através da Itália na época. O primeiro sintoma era espirros crônicos graves, e isso muitas vezes era rapidamente seguido de morte. O Papa Gregório pediu que os saudáveis orassem pelos enfermos, e ordenou que respondessem a espirros, ao invés do normal “Que você possa desfrutar de boa saúde” pelo mais urgente “Deus te abençoe!”.

Se uma pessoa espirrasse quando estivesse sozinha, o Papa recomendou que dissesse para si mesma uma oração em forma de “Deus me ajude”.

7 – Pendurar uma ferradura em forma de U para a boa sorte

A ferradura é considerada um amuleto de boa sorte em uma ampla gama de culturas. A crença em seus poderes mágicos remonta aos gregos, que pensavam que o elemento ferro tinha a capacidade de afastar o mal. Não só o ferro, mas a forma da lua crescente para os gregos no século IV era um símbolo de fertilidade e boa sorte.

A crença nos poderes talismânicos de ferraduras passou dos gregos para os romanos, e deles para os cristãos. Nas Ilhas Britânicas na Idade Média, quando o medo da bruxaria era galopante, as pessoas penduravam ferraduras de cabeça para baixo em suas casas e portas. As pessoas pensavam que as bruxas temiam cavalos, e fugiam de qualquer lembrança deles.

8 – Um gato preto cruzar seu caminho é sorte/azar

Muitas culturas concordam que os gatos pretos são presságios poderosos – mas eles significam coisa boa ou má?

Os antigos egípcios reverenciavam todos os gatos, pretos ou não, e foi lá que começou a crença de que um gato preto cruzar seu caminho traz boa sorte. Sua reputação positiva é registrada novamente muito mais tarde, no início do século XVII na
Inglaterra: o rei Charles I tinha um gato preto como animal de estimação. Após a sua morte, ele disse ter lamentado que sua sorte tinha ido embora. A suposta verdade da superstição foi reforçada quando ele foi preso no dia seguinte e acusado de alta traição.

Durante a Idade Média, as pessoas em muitas outras partes da Europa tinham uma crença bastante oposta. Elas achavam que os gatos pretos eram os “familiares”, ou companheiros, de bruxas, ou mesmo as próprias bruxas disfarçadas, e que um gato preto cruzar seu caminho era uma indicação de má sorte – um sinal de que o diabo estava vendo você.

Esta parece ter sido a crença dominante que os peregrinos trouxeram quando vieram para a América, o que talvez explique a forte associação entre os gatos pretos e a bruxaria que existe no país até hoje.

9 – O número 13 dá azar

O medo do número 13 tem suas origens na mitologia nórdica. Em um conto bem conhecido, 12 deuses foram convidados para jantar no Valhalla, a sala do banquete magnífico em Asgard, a cidade dos deuses. Loki, o deus da discórdia e do mal, chegou de bicão, aumentando o número de participantes para 13. Os outros deuses tentaram expulsar Loki, e na luta que se seguiu, Balder, o favorito entre eles, foi morto.

Os escandinavos evitavam jantares de 13 membros e não gostavam do número 13 em si, crença que se espalhou para o resto da Europa. Ela foi reforçada na era cristã pela história da Última Ceia, em que Judas, o discípulo que traiu Jesus, foi o décimo terceiro convidado da ceia.

Muitas pessoas ainda se assustam com o número, mas não há evidências estatísticas de que 13 dá azar.[Life’sLittleMysteries]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 3,00 de 5)

66 comentários

  • Lucas Rodmo:

    Vou repetir o comentário que fiz (muito abaixo deste, em resposta a alguém, então)
    Se eu disser “Tenho uma bola de futebol” e alguém me disser, “Prove”, eu pego a bola de futebol e mostro. Alguns religiosos utilizam do pior argumento já criado na história moderna ignorando toda a lógica e a razão. No meu lugar se afirmassem “Tenho uma bola de futebol” e alguém lhe disser “Prove”, irão responder “Prove que eu não tenho”. Um argumento que beira a demência completa. [2]

  • gp do brasil:

    Acreditar nessas coisas é atitude de quem nâo tem cerebro na cabeça…
    quanto a Deus,ele é real e mora no ceu (salmos 115:16)e nesse momento estar lendo os nossos coraçoes…ok?

    • Ezio José:

      Tem certeza? Podes provar?

    • Samuel:

      Podes provar que não?

    • Lucas Rodmo:

      Se eu disser “Tenho uma bola de futebol” e alguém me disser, “Prove”, eu pego a bola de futebol e mostro. Vocês critãos utilizam do pior argumento já criado na história moderna ignorando a lógica e a razão. No meu lugar se afirmasse “Tenho uma bola de futebol” e alguém lhe disser “Prove”, você vai responder “Prove que eu não tenho”. Um argumento que beira a demência completa.

    • Carlos Viegas:

      E se você dissesse que ama a sua namorada e eu pedisse uma prova disso, o que você mostraria? Tenha consciência de que estamos falando de algo que não pode ser tangido com as mãos, logo, não pode ser provado de forma tão simplória como o exemplo em que você se baseia.

      Procure entender melhor a crença e depois forme os seus conceitos com base no seu conhecimento, e não com base na falta de informação. Um conhecimento baseado em argumentos e experiência se torna sabedoria. Um conhecimento baseado na falta de estudo é somente ignorância.

  • Wolf:

    tem mto padre no brasil q finge q prega um deus,mas na verdade prega um deus de mtas cores,com desenhos de animais e números,alguns tbm são brilhantes e vem em diversas cores,tem mto padre q prega esse deus.

    • Matheus:

      Padre não cobra 10% do salário,quem faz isso é pastor!

    • Ezio José:

      Concordo contigo, Matheus. Por um período eu quis descobrir como funcionava as Igrejas ditas Evangélicas já que não sou mais ligado à igreja alguma. Acabei conhecendo uma garota fanática da Igreja da Graça que depois mudou para a IURD sem perder o fanatismo. Foi sensacional esta aproximação porque estávamos juntos constantemente nos cultos e depois íamos para um hotel típico para encontros reservados com fins sexuais (além do funcionamento normal – lógico – discrição à parte). Foi durante esse período que notei como funciona a sacanagem $$$$$ dentro desses templos. Tem dois tipos de cobrança: “aquela coletiva (quem não dá ou não paga não vai pro céu) e a outra cara a cara com o fiél. Fora disso, ainda “tem” que comprar aqueles CDs melosos com conteúdo vazio.
      As ameaças dentro desses templos praticadas pelos pastores no afã de arrecadar dinheiro é assustadora. Dá medo, mesmo.

  • Renan:

    Acreditar em Deus é uma superstição. Cade “acreditar em Deus” ?

    • Ezio José:

      Não entendi!

    • Lucas Rodmo:

      A crença em deus é uma supertição baseada em crenças antigas de como as coisas funcionavam. Como a chuva caía do céu, como os trovões eram formados, etc. Assim, quem ainda acredita em deus ainda acredita em uma superstição.

  • Lee:

    Ao invés dos superticiosos acreditarem em supertições…deveriam acreditar mais em Deus…do que ficar perdendo tempo com historinhas passadas que foram aumentadas ou inventadas por não saber no que acreditar…Apropósito…muito interessante as matérias!!!

    • tuttygualberto:

      Acretitar em deus? tenha paciencia!!!!!!!!!!!! Nem todo mundo é ignorante como vc.

    • Eu2:

      Ignorância é uma questão de referencial. E cuidado com aquele sobre o qual você se assenta, porque ele pode ser se areia movediça, e te tragar no seu próprio orgulho.

      Uma boa semana.

    • alicia:

      desculpa mais não concordo. quem foi que ser o ser humano???a agua doce e a salgada? que foi que fez o ceú o todo o espaço ?quem foi que te deu a vida??quem fez obras tão pefeitas????não poderia ter sido vc nem sua mãe ta legal o sem noção…ignorante com toda a certeza e vc.

  • Luiz:

    quando alguém espirra perto de mim corro léguas, não quero ficar doente.

    • Ezio José:

      Pior que tem gente que espirra em cima dos alimentos nos restaurantes self-service. Quem não viu come.
      Tem uns espirros que sai bolotas de catarro ao invés de apenas mucosas vaporizadas.

  • Aristeu:

    Eu superticioso!
    Vira essa boca pra lá!

  • thiago:

    A do espirro é bem legal, sempre temos esse tipo de atitude de agir condicionadamente. Quantas e quantas vezes não falamos “deus te abençoe” apenas porque outras pessoas também falam, é uma exemplo de que precisamos sempre nos perguntar:
    por que faço isso?
    O que eu faço eatá certo?
    é claro que no caso do espirro é algo simples, mas é sempre importante pararmos e pensarmos se estamos fazendo algo por que queremos ou estamos fazendo apenas o que nos foi “ensinado” a fazer?

  • Cesar Crash:

    “Isto era chamado catoptromancia” Não me parece que assim era chamado na Grécia antiga, mas que nós chamamos assim hoje.

    kátoptron (espelho), + manteía (adivinhação). (Wikcionário)

  • Marisa de Abreu:

    Parabens pela matéria! Muito interessante mesmo.

  • EltonPaes:

    Na verdade o acreditar faz mais diferença na nossa vida do que nunca, se acredita que algo vai dar certo, vc estimula seu cérebro a colocar uma atenção a mais em uma determinada coisa, fazendo assim que a probabilidade de algo sair certo seja maior. No caso contrário as pessoas podem ficar até frustrada por temer algo que aconteça, e quando acontece ou não, sempre dizem que foi o azar de tal número ou qualquer outra coisa…

  • Eddy:

    Temas interessantes partem da superstição né?
    Acreditar é preciso. Igual que na religião e ciência atual.
    Ignorar o porque é aceitável.
    O costume conforta…

    Faz-me lembrar do experimento que fizeram com 10 macacos, uma escada, água gelada e bananas. Resumindo os macacos “caíam de pau” em cima daquele que tentava pegar as bananas em cima da escada e já nem sabiam porque o faziam. Busquem por aí a história. É interessante. Hoje não tenho tempo para contar, mais se alguém quiser que peça, será um prazer.

    O que me parece interessante é tema do numero 13.
    Sexta-feira 13.
    Em espanhol é Viernes 13. Vênus 13.
    Muitos templos no mundo estão alinhados com Vênus e as 13 luas que formam um ciclo anual “natural”.
    Para alguns antigos essa relação Vênus era matematicamente falando muito importante.
    Tão importante que quando chegam os “conquistadores” ou “usurpadores”, enchem de temores ao redor desse tema para afastar certas revelações que existem ao redor do mesmo.
    13 e 20 (matemática bidecimal) não somente somam 33, revelam algumas portas que os falsos mações pensam que podem controlar. Mais vão sif…u.

    • Gyver:

      Em espanhol 2a é Lunes (Lua), 3a Martes (Marte), 4a Miercoles (Mercurio), 5a Jueves (Jupiter), e Viernes (Venus). Eles chamam aos dias da semana os nomes dos deuses pagãos.

  • Rhuan:

    Esse negocio de SAL é perigoso. Eu não gosto de superstição mas
    sou um supersticioso de natureza.

  • Luís:

    Superstição é uma religião embrionária.

  • AZTECA:

    Pé de coelho dá um azar danado para o pobre bicho..

    • vicente:

      é só compra da china

  • sergio:

    Nao acredito em supertiçao eu acredito no acaso ou no proprio destino .

  • Giselle Hannah:

    Se passar por debaixo da escada for verdade, vou ter azar pro resto da vida. Todo o dia passo por debaixo de uma rs. Não acredito em superstições.

  • ALX:

    Essa do numero 13 era tão obvia e eu nem imaginava isso… Estranho é q no jogo de bicho o numero é ligado ao GALO, animal que cantou 3 vezes nas negações de Pedro a Jesus. Porque não falam q moedas dão azar pelo menos o numero 30, ja q Jesus foi vendido por 30 moedas?

    • Eric:

      “Porque não falam q moedas dão azar pelo menos o numero 30, ja q Jesus foi vendido por 30 moedas?”

      Assim como a religião, o Estado e nossos semelhantes aproveitam de nossas crenças (sociais e religiosas) através do medo e da ignorância…. um costume bem antigo é o de não ler o que se escreve…. principalmente não pensar antes de falar bobagem.
      Superstições foram criadas para alguma finalidade ou medo… como descrito na matéria…. e por serem criadas deveriam ter alguma finalidade “inteligente”…. esse cara quer criar superstição, em pleno século XXl, através de hipóteses ou uma comparação tosca com crenças antigas…
      Moeda de 30? alguém já viu?…. ou 30 moedas darem azar??
      DINHEIRO VAI DAR AZAR PRA ALGUÉM???
      Prestenção ALX….

  • von hyman:

    voodoo é pra jacu

  • Antonia Canhamero:

    Acreditar ou não depende de cada um. Eu não acredito em bruxas mas, que elas existem , existem.rsrs

    • Ezio José:

      Que é acreditar?

  • DALVA:

    Tenho uma gata preta que dorme comigo debaixo das cobertas; eu a amo de paixão, gosto do seu jeito misterioso de andar e de olhar para mim quando quer pedir água ou comida. Gosto da maciez do seu pêlo e do seu miado discreto ou do seu jeito delicado de ronronar. Quando chego do meu trabalho, ela vai ao meu encontro toda se ¨mostrando¨, e até quando estou sentada no vaso sanitário ela fica deitadinha ao meu lado esperando eu ficar pronta, para então me acompanhar ao quarto para me vestir e depois vamos para a cozinha onde eu a pego no colo, abraço, beijo, aperto, espremo depois solto!

    • Lúcia:

      Já tive a sorte de ter alguns gatos pretos. Não acho legal essas histórias superticiosas. E é uma coisa que não agrada a Deus e é falta de fé das pessoas.

    • Cesar Crash:

      Zoofilia!

    • Eric:

      Zoofilia??? ahauhauhauahuah…. outro que não sabe o que diz… favor comparecer constantemente na Hypescience…. quem sabe ainda TÊM jeito.

  • mario:

    Isso para mim me parace um transtorno psiquico o TOC que obriga uma pessoa a fazer um determinado ato para nao se sentir punido e se espalha como um verdadeiro meme atingindo muitas pessoas.

  • zeus:

    As pessoas tem que ter algo pra acreditar,na falta elas inventam.

  • Shanti:

    Yo no acredito en bruxas.
    Pero que hay, hay.

  • eua:

    sobre os usa os predios não tem 13° andar pois em 1800 e pouco
    uma familia ia descer de elevador e moravam no ultimo andar , um raio caiu e o elevador despencou, todos morreram e os peritos concluiram, assim já que o povo americano e bem religioso(evangelicos) eles acabaram tendo horror esse numero

    *****Viva A Sexta Feira 13******

    • Ezio José:

      Realmente! Os evangélicos são os mais superticiosos de todos os religiosos cristãos. Basta ver o movimento que aparece nas sexta-feiras 13 dentro dos Templos da IURD.

  • Skill:

    faltou deus nesta matéria…hehehehe

  • Amanda:

    Ri demais com “Loki chegou de bicão”. Isso me lembrou a história da Bela Adormecida

  • Márcio M:

    Eu adorei a matéria, mas fiquei curioso com uma superstição não mencionada: O PÉ-DE-COELHO. Se alguém souber, poste aqui, por favor. Vamos ampliar o quadro. 😉

    • Paullin-007:

      Tem tbm o pé-de-pano. Isso tbm não existe, pura supertição!

  • Ze da Feira:

    Não acredito em nada disso , faço questão de passar debaixo de escada quando vejo uma só pra ver os olhares. Ô povo bobo sô

  • Zézão:

    Quanto ao número 13, mandem esta matéria pro Zagalo…
    É o número da sorte dele…porém não ví ele comentando que foi assaltado no dia 13. rss
    Ainda que se fosse ele diria “por sorte fui parado e assaltado pelo bandido, pois se eu tivesse prosseguido poderia ter morrido em acidente logo adiante.”

  • Rhelliek:

    A superstição sobre o 13 também é bem enfática nos EUA: muitos prédios simplesmente não possuem 13º andar, após o 12º a contagem prossegue com 14º.

    • Ezio José:

      Na Santa Ceia, dizem que Jesus sentou-se com seus doze apóstolos. Então, soma-se treze. Um O traiu em troca de algumas moedas como fazem os ditos evangélicos hoje. Para notar que o número treze tem força, basta saber que essa superstição surgiu nos EUA, país tipicamente evangélico. Ah! Numa sexta-feira treze passe defornte de uma das Igrejas da IURD e se tiver coragem entre nela depois de ver vários banners esticados pelo lado de fora. Só tome cuidado para não sair de lá com uma legião de 13 demônios nas costas. Se for na Igreja da Graça, os obreiros treinados lhe darão um soco na testa e você receberá 13 Exús de uma vez só.

  • CristianoR:

    …isso é idiota!

  • CristianoR:

    …cuitado du gatinho, que que ele tem a ver com a “ingnorânçia” do povo? Vão procurar o que fazer ao invés de ficar acreditando nessas tolices…”vão todos pegar no cabo de uma enxada que ganham mais” miolos moles…

  • Tendrilion:

    Esse foi um dos artigos que mais aprendi coisas pelo Hype. o/

  • Andrei:

    Parece que a imagem do espirro esta em 3D

    • Aline:

      na verdade, parece que a pessoa comeu talco.

  • Marte:

    Olha que incrível: descobriram que ângulos agudos geram cargas negativas… então, passar por baixo de uma escada é tomar uma chuveirada de cargas negativas. Donde se conclui que o povo aumenta, mas não inventa.

    • CristianoR:

      ….vão trabalhar que vocês ganham mais…chega de idiotice…

  • Joaquim Dias:

    Bater na madeira três vezes pode estar relacionado ao costume céltico-pagão de “acordar o deus do Carvalho”. Era uma forma de invocação também de proteção!

  • Bovidino:

    A superstição de passa debaixo da escada, não é nada disso.
    O problema é que pode cair um tijolo na sua cabeça, como já aconteceram vários acidentes desse tipo.

  • Bovidino:

    O pior de tudo é que a pessoa põe a mão na frente quando espirra e depois vai te cumprimentar.

  • leandro:

    Realmente, a único dessas supertições que traz concequência é o espirro, um jato de bactérias e vírus que pulverizam o ar.

  • eset:

    A imagem do espirro é assustadora

    • Ellen:

      é nojento isso sim… o.O

Deixe seu comentário!