Amigos podem fazer com que crianças se tornem mais ativas

Por , em 7.03.2011

Segundo um novo estudo, crianças que brincam com seus melhores amigos no bairro onde vivem têm maiores níveis de atividade física.

A pesquisa examinou a extensão em que as ações da atividade física dos melhores amigos estão associadas à atividade física de crianças entre 10 e 11 anos. Os cientistas coletaram dados de 986 crianças, das quais 472 proveram dados completos sobre atividade física e seu melhor amigo.

Os participantes identificaram seu “melhor amigo”, e responderam quantas vezes eles participaram de atividades físicas com ele, e se esse amigo o encorajava a ser ativo. O nível e a média de atividade física foram avaliados através do acelerômetro em todas as crianças e amigos.

Os pesquisadores tiraram a média de atividade física moderada a vigorosa por dia (MAF) e a média de contagens do acelerômetro por minuto (MCA) em cada criança.

Os resultados mostraram que o apoio à atividade física entre os grupos de amizade e o incentivo a ser ativo sobretudo fora da escola, podem trazer mudanças importantes para a atividade física das crianças.

Em ambos meninas e meninos, a prática de atividade física com seu melhor amigo, muitas vezes fora do horário escolar, foi associada com maiores níveis de atividade física.

A pesquisa descobriu que os meninos que têm melhores amigos fisicamente ativos se envolvem em uma maior quantidade de atividade física. As meninas que participam com frequência de jogos com sua melhor amiga também alcançam maiores níveis de atividade física.

Ou seja, nas meninas, a MAF foi associada à frequência de atividades com o melhor amigo e à prática de atividade física em casa ou na vizinhança, com padrões semelhantes de MCA. Nos garotos, a MAF foi associada com a MAF dos seus melhores amigos e ser ativo em casa ou na vizinhança.

A pesquisa prova a força da amizade: basta se exercitar com um melhor amigo ou ter um amigo ativo que é um bom modelo para aumentar a chance da criança de se manter em forma.

Os pesquisadores acreditam que as crianças que se exercitam durante a infância têm mais probabilidade de continuar estes bons hábitos no futuro, reduzindo o risco de doenças cardíacas e circulatórias. Por isso, o estudo mostra que iniciativas simples, como incentivar seu filho a correr por aí com seu melhor amigo, poderia ter um grande impacto sobre a saúde da população. [ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

12 comentários

  • claudemir da silva:

    mais é obvio

  • Cesar Rafael:

    O que você quer EP, uma pesquisa sobre o ser humano mais construtiva no seu conhecimento. Quantos pais prendem os filhos em casa para estudar ou por medo de aprenderem coisas erradas. È um assunto polemico, a nova geração não se encontra mais tanto pessoalmente.
    O texto é importante para todos merece uma boa reflexão, pois todos normalmente seram filhos e pais um dia.

  • Ladislau Neto:

    “Mas claro!”, né, pessoal?
    “Que óbvio”, não é mesmo?
    Gente, gente…
    O óbvio às vezes não tá tão na cara qnt se pensa…
    e qnd as coisas estão muito embaixo do nariz, qm garante q não sejam tampadas por este e não consigamos vê-las? xD
    muita vez acabamos por não conseguir perceber a situação em sua plenitude se um fato ocultou um outro, se idéias hegemônicas nebularam novas aprendizagens, “se a inteligência ficou cega de tanta informação”…

  • aparecida silva souza:

    gostei as criticas sãosempre produtivas prtanto avate

  • eduardo sorocaba:

    ta na cara q isso tem a ver
    obvio demais

  • Artur:

    Dá pra eleger bons candidatos para o IgNobel passeando por algumas matérias deste site.

  • João Antonio Guarnieri:

    Essa pesquisa vem endossar o que muitos tinham em mente entretanto não admitiam ou não se preocupavam com o companheirismo do filho, neto…

  • José Ricardo:

    Tem muita lógica e nenhuma surpresa.

  • reginaldo:

    HÓÓÓ, extremamente cientifico este artigo.

  • luiz carlos petiz:

    gostei muito obrigado…………… parabens m. legal

  • cybergirl:

    Concordo totalmente com o colega abaixo.
    Aliás, são várias as repor.tagens nesse si.te que anunciam uma descoberta incrível… mas q não passa do óbvio…

  • EP:

    Me desculpe. Aliás, antes de continuar com minha crítica, quero informar-lhes que apoio as pesquisas que desejam conhecer o Ser Humano. Continuando, essa pesquisa não adiciona nenhuma novidade. É mais que óbvio que quando uma criança se junta a outras, ela vai querer correr, pular e brincar. Então, essa pesquisa torna-se desnecessária, ao menos para mim.

Deixe seu comentário!