Antigo pergaminho samurai descreve estratégias de cegueira e batalhas às escuras

Um texto de um samurai desconhecido, intitulado “sword scroll” – ou “pergaminho da espada” – foi traduzido para o inglês pela primeira vez, revelando instruções para empenhar batalhas noturnas bem-sucedidas e receitas de pós capazes de ofuscar o inimigo.

Estima-se que o texto foi escrito há 500 anos, embora essa data seja incerta.

Atribuído a dois samurais de elite, o texto diz que, para tornar-se um lutador de espadas de precisão, é necessário que o coração não carregue nenhum tipo de maldade e que o espírito, os olhos, as mãos e os pés devem estar em equilíbrio conjunto.

O pergaminho adverte que mesmo quem aprende técnicas diversas pode ser morto caso se defronte com muitos inimigos ao mesmo tempo. “É melhor errar com a cautela ao lado e não entrar em uma estrada de montanha infestada de bandidos”, diz o documento, acrescentando os dizeres de um ditado: “um pouco de treinamento militar é suficiente causar grandes danos”.

O texto foi recentemente traduzido para o japonês moderno por Fumio Manaka, um mestre na arte marcial Kobudo. Depois, foi transcrito em inglês por Erick Shahan, tradutor especialista em textos japoneses de artes marciais. Shahan também detém um San Dan – faixa preta de terceiro grau – em Kobudo.

Origens misteriosas

As origens do pergaminho são incertas. A tradução ressalta que a maior parte dele foi escrita por Yamamoto Kansuke (1501-1561), um samurai que serviu a um daimyo (senhor da sociedade japonesa) chamado TAkeda Shingen num momento em que a guerra se disseminou pelo Japão. Algumas palavras do texto também são atribuídas a Kusonoki Masashige (1294-1336), um samurai que serviu ao imperador japonês Go-Daigo.

No entanto, se esses homens realmente escreveram as palavras atribuídas a eles é uma questão sem resposta, segundo Shahan.

Complicando um pouco as coisas, quatro versões do “Sword Scroll” sobreviveram até hoje. Seus conteúdos foram transmitidos e publicados em diversos livros japoneses ao longo dos séculos. O texto e as ilustrações diferem entre as versões, embora cada uma das quatro expressem uma quantidade substancial de conteúdo que é praticamente a mesma. Até agora, nenhuma dessas outras versões foi traduzida para o inglês.

Pó cegante

O pergaminho recém-traduzido traz instruções sobre como criar e usar pós para cegar um inimigo. Para prepará-lo, o samurai deve “abrir um pequeno buraco na concha de um ovo”, retirar seu conteúdo, inserir pimenta vermelha por dentro do orifício e enrolar o ovo em papel. “Quando se confrontar com o inimigo, quebre o ovo em seu rosto”, indica o documento.

Um pó mais complexo utiliza pedaços de mamushi (uma cobra venenosa) misturados a estrume de cavalo e capim, e enfim envoltos em um tecido. “Basta soprá-lo sobre um oponente para que ele perca a consciência”, diz o pergaminho, acrescentando que essa técnica não foi testada o suficiente.

Uma versão do “Pergaminho da espada”, publicada em 1914 em japonês por um homem chamado “samurai Wakichi”, afirma que o uso desses pós cegadores pode ser útil em uma grande batalha, se o ataque for direcionado ao líder inimigo.

“Se uma grande batalha então surgir, você deve direcioná-lo ao inimigo Taisho (o líder)”, diz o pergaminho. Enquanto você e o combatente inimigo se dirigem um ao outro e se atacam, sopre o pó nos olhos do oponente”. Isso cegará o general, garantindo que se construa um bloqueio que “irá resultar na morte da liderança inimiga”, tornando mais fácil sua captura.

Apenas uma das quatro versões do pergaminho propõe o uso do pó contra um líder.

Combates em meio à escuridão

Há no documento dicas sobre como combater uma força inimiga sob condições variadas, inclusive na noite escura, quando não há a contribuição da luz da lua. “Ao lutar nessa situação, abaixe seu corpo e se concentre na formação do inimigo. Depois, tente determinar como estão armados”, diz o pergaminho, observando que, se o terreno for adverso, você deve “mover-se e manter o inimigo ocupado”.

Outra estratégia é “ocultar forças em um espaço escuro para vigiar os adversários”.

Também se revelam táticas para lutar com espada quando se é atacado dentro da própria casa em uma noite escura. O documento recomenda que o samurai utilize a espada e a bainha. Ao desembainhá-la, permitindo a reação, “de modo que ela fique reta de cima até abaixo, isso garantirá a proteção contra um corte ao nível da cintura do oponente”, informa. Pode-se também situar a bainha “ao final da espada”, ampliando a arma de forma que ela ajude a defender e a atacar quando se enfrenta um inimigo no escuro.

Evolução das artes marciais

Shahan informou à Live Science que ainda existem muitos livros japoneses de artes marciais que precisam de tradução e de estudos mais aprofundados.

“Depois, todos precisam ser datados corretamente Só assim podemos descrever o cenário em que as artes marciais se desenvolveram entre os séculos XIV e XVII”, disse Shahan ao veículo.

“É importante notar que, no Japão, esses livros só começaram a surgir sob o shugnato de Tokugawa [em 1603]”, disse. “Antes disso, todos os samurais estavam ocupados com as batalhas”.

Por: Carolina GoettenEm: 28.06.2017 | Em História, Principal  | Tags: , ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (13 votos, média: 4,85 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta