Quantos apontadores laser são necessários para matar uma pessoa?

Por , em 20.10.2015

Todo mundo sabe que não se pode apontar lasers para o seu olho, já que eles poderiam danificar a sua visão – ênfase em poderiam, já que o reflexo de piscar do seu olho provavelmente protegeria a sua retina. Mas, e se você fosse um vilão que tem como objetivo fazer um raio da morte? Quantos apontadores laser – desses mais comuns, também chamados de canetas laser – seriam necessários para criar uma arma mortal?

A pergunta soa meio maluca porque realmente é – e o portal Gizmodo resolveu tentar responder. Este tipo de apontador laser é intencionalmente projetado para ser seguro para o uso cotidiano. Mas, antes de tentar descobrir como transformar um brinquedinho destes numa arma fatal, que tal voltar à física do ensino médio para entendermos o que é um laser?

A palavra laser é um acrônimo para “amplificação da luz por emissão estimulada de radiação” (do inglês Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation). Simplificando, um laser é um único feixe de luz, um monte de fótons que se deslocam na mesma direção – normalmente, a luz se espalha por todas as direções. Lasers de alta potência depositam grandes quantidades de energia em um só ponto produzindo calor e, em casos extremos, queimaduras terríveis. A Marinha dos Estados Unidos, por exemplo, tem um laser que é poderoso o suficiente para explodir um drone em pleno voo.

A força de todo laser é determinada pela quantidade de energia ele emite, normalmente medida em miliwatts. Nos EUA, a exigência legal é de que todos os produtos tenham 5 miliwatts ou menos, e alguns apontadores laser baratos têm uma potência de saída inferior a 1 miliwatt. Porém, como a maioria destes produtos vem de outros países, muitas vezes não são aplicadas restrições de segurança tão rígidas, com alguns vindo sem uma proteção que faz com luz infravermelha perigosa escape do produto.

Ainda assim, os perigos da luz infravermelha por si só dificilmente são mortais a esse nível. A luz infravermelha é mais perigosa porque é invisível, o que evita que seu reflexo de piscar o olho o proteja de seus efeitos antes que ela comece a queimar a sua retina. Mesmo com a queimadura, só sua visão poderia ser prejudicada, sem risco de morte. Seria necessário um laser muito mais poderoso do que 5 miliwatts para fazer isso.

Ou será que não?

Mão na massa

Isso não é algo fácil de ser feito, mas é possível concentrar os raios de vários lasers de baixa potência e criar um único feixe de alta potência. Estes vários feixes teriam de ser perfeitamente focados com uma lente que enviaria a energia combinada na direção do alvo.

Se – como no nosso objetivo mórbido – alguém quisesse matar um ser humano com essa técnica, o mais fácil seria atingir o oponente diretamente nos olhos. Um laser poderoso o suficiente poderia perfurar retina e queimar o tecido cerebral da pessoa. Contudo, isso levaria um tempo, o que significa que a vítima teria que estar amarrada ou imobilizada de alguma forma para isso ter efeito.

Esta cena grotesca não é o tipo raio da morte que vemos nos desenhos animados. O fator tempo é especialmente complicado dada a física simples da situação. James Kakalios, professor de física na Universidade de Minnesota e autor do livro “The Physics of Superheroes”, diz que a construção de um raio da morte de lasers – e até mesmo um raio de morte em geral – é muito difícil.

“Para fazer um buraco em alguma coisa, você tem que depositar mais energia em um curto espaço de tempo mais rápido do que a energia pode se dissipar”, explica. “Se você puder fazer isso, então você pode sobrecarregar os laços que unem aquele material e os átomos vão voar para longe. Mas se o excesso de energia dos lasers puder ser transmitida como o calor, então tudo que você tem que fazer é aquecer o material”. O que, no caso da nossa estratégia, depois de um tempo (alguns minutos, de acordo com o pós-doutorando em neurociência da Universidade de Columbia Tim Spellman) faria uma bela sopa de cérebro derretido.

Então, quantos apontadores laser seriam necessários?

Além de tudo que já listamos – como fazer o foco com uma lente e ter uma potência alta -, o nosso apontador laser mortal teria que ser bem grande. Consultada pelo Gizmodo, Rebecca Thompson, da American Physical Society e doutora em Física pela Universidade do Texas, deu uma resposta bem completa sobre o assunto, afirmando que, para ser eficiente, o laser em questão teria que ter uma portência de 1kW.

“Seriam necessários 200 mil apontadores laser todos focados através de uma lente em um ponto exato para criar um laser poderoso o suficiente para matar”, afirma a pesquisadora. Levando em conta o diâmetro de cada um destes feixes, uma esfera com todos juntos mediria aproximadamente 1,6 metros de diâmetro. Além disso, como já mencionamos, a vítima teria que ficar paradinha esperando a sua morte iminente e cinematográfica.

E o quão preciso este tiro teria que ser? “Focar através do olho até o cérebro seria o mais fácil, com certeza, mas seria preciso um tiro muito preciso para garantir que a pessoa morresse”, conta Thompson. “O tronco cerebral está bem ali, mas [o laser] teria que queimar exatamente através [dele]”.

Então, está aí. Basta junta 200 ml apontadores laser sobre uma esfera do tamanho de um carro pequeno, manter seus feixes focados através de uma lente especial e mirar precisamente no tronco cerebral de uma pessoa imobilizada para ter o seu laser da morte.

Não tente isto em casa – mas divirta-se com o vídeo abaixo enquanto isso (em inglês). [Gizmodo]

Último vídeo do nosso canal: 4 dias infalíveis da ciência para dar o PRESENTE PER

Deixe seu comentário!