Apple é condenada por conspirar para o aumento de preços de e-books

Por , em 11.07.2013

A juíza federal Denise Cote, dos Estados Unidos, considerou a Apple culpada por um esquema de elevação artificial de preços de livros digitais (e-books).

O processo começou em abril de 2012, quando a empresa foi acusada de fazer um acordo ilegal com cinco editoras para que bestsellers fossem vendidos a preços na faixa de US$ 12,99 e US$ 14,99 (de R$ 29 a R$ 34) ao invés de US$ 9,99 (R$ 22,70), como normalmente é feito.

As evidências apontam que o esquema começou ainda em 2009, quando executivos da Apple estudavam o mercado de e-books pensando no lançamento do iPad.

Os advogados responsáveis pela defesa devem entrar com um recurso contra a decisão, mas Cote permanece firme. “A questão nesse caso sempre foi direta: se a Apple participou ou não de um esquema de fixação de preços, violando as leis anti-truste do país”, explica a juíza. “A Apple é responsável por facilitar e encorajar contenção ilegal de comércio. Através de sua conspiração, eles forçaram a Amazon (e outros revendedores) a ceder a autoridade no estabelecimento de preços de e-books e os elevaram”.[Reuters, Gizmodo]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

1 comentário

  • Thiago Alexandre Dos Santos:

    Ta explicado porque o custo e lançamento de um livro de papel o torna mais barato do que o livro digital para download…

    Ridículo isto, sempre achei que seria o contrário…
    Depois diz que é uma empresa “verde”… verde mesmo, a cor do dólar!

Deixe seu comentário!