As bizarras diferenças entre a Via Láctea e nossa vizinha rival Andrômeda

Por , em 3.04.2012

A Via Láctea e Andrômeda são irmãs: duas grandes espirais que dominam nosso grupo local de galáxias. Elas têm quase a mesma massa total e até hoje tinham conseguido nos passar a perna, fazendo com que acreditássemos que fossem quase gêmeas.

Mas a farsa acabou. “Conforme olhamos mais detalhadamente, observamos que elas são bem diferentes”, afirma o astrofísico Alan McConnachie, do Instituto Herzberg de Astrofísica, em Vitória, no Canadá.

Andrômeda é a filha preferida. É mais brilhante, com um disco mais amplo de estrelas. O buraco negro localizado em seu coração é cem vezes maior que o nosso e, enquanto nossa galáxia é coberta por aproximadamente 150 dos mais brilhantes cúmulos globulares (coleção esférica de estrelas que orbita o núcleo galáctico tal qual um satélite), Andrômeda exibe mais de 400.

E agora o leitor deve se perguntar se Andrômeda seria então um espécime exemplar de galáxia. Ao que parece, não. Em 2007, o astrofísico François Hammer e seus colegas, do Observatório de Paris, na França, compararam Andrômeda e nossa galáxia com amostras de galáxias mais distantes.

Eles descobriram que, enquanto Andrômeda é uma espiral bem simétrica e ajustada, a Via Láctea é excêntrica e esquisita: mais escura e sossegada do que todas as outras galáxias, com exceção de umas poucas colegas.

Isso provavelmente acontece porque espirais típicas, como Andrômeda, são transformadas por colisões com outras galáxias durante seu tempo de vida. Esses eventos violentos balançam os gases da galáxia e formam novas estrelas e cúmulos globulares, que agitam o disco de maneira que se espalhe mais, enviando alguns gases e estrelas que mergulham no coração da galáxia para alimentar um buraco negro central mais poderoso.

Ao contrário, a Via Láctea vive relativamente sem maiores perturbações. Se não fossem alguns poucos encontros com algumas poucas galáxias, como a Anã de Sagitário, a qual a Via Láctea está devorando lentamente, não veríamos muita ação por aproximadamente 10 bilhões de anos.

Talvez por esse mesmo fator, o de vivermos em uma região estável, é que temos a possibilidade de notar a diferença. Espirais mais perturbadas sofrem mais explosões de supernovas – explosões poderosas por expulsar para o espaço até 90% da matéria de uma estrela –, o que as tornam nada propícias para habitar tipos de vida complexa. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votos, média: 5,00 de 5)

25 comentários

  • karol:

    Sempre tem um para falar sobre religião em site de cie^ncia eu acredito em religião mais todo mundo quer acreditar em algo mais lógico do que coisas que vc não sabe de onde veio nem para onde vão eu acredito em deus e tudomais rezo todos os dias mais se vcs querem falar sobre religião vão para a igreja não num site sobre ciencias

    ….fala sério né.

  • Jana Almeida:

    Vocês não sabem como é chato um post sobre astrologia, você vai ler comentários pra ver se consegue tirar algo aproveitavel, um conhecimento de um colega que esteja lendo o mesmo post que você, as sempre vai se achar gente brigando por religião, um bate rebate chato de um querendo ser mais esperto que o outro. É o lugar mais inapropriado. que coisa chata. respeitem a religião dos outros, ou como queiram chamar….. e vão fazer algo útil.
    Que saco.

    • Matheus Cardoso:

      Jana, entendo seu argumento, mas a palavra certa é “astronomia”, e não “astrologia”. Astrologia é tudo que se refere aos signos, às posições dos astros e como elas nos afetam. Sinceramente, não considero a astrologia um ramo da ciência, e não acredito nessas besteiras que ela fala. Já a astronomia trata de tudo o que há de desconhecido no espaço, de como estudá-lo, medi-lo, compará-lo. Acho que “astronomia” é o termo que estava procurando para seu comentário, Sra. Almeida.

  • Rone100theone:

    “O buraco negro localizado em seu coração é cem vezes maior que o nosso” é quase inimaginável… As fotos desta Gálaxia, Andrômeda são uma da melhores já tiradas pelo Hubble
    aqui esta o atalho de fotos , vale á pena baixar o arquivo de 24mb
    da pra mandar pra uma gráfica imprimir e colocar na parede do quarto ou sala e sonhar com as estrelas .. rsrsrs..
    http://hubblesite.org/newscenter/archive/releases/galaxy/2012/04/image/c/warn/

    • André Luis:

      Que Resolução!

  • Elton:

    Se eu não comprar um telescópio em menos de 3 meses, vou enlouquecer!!!

  • CLEME:

    Explosões estrelares equiparam-se a vulcões em erupção: momentaneamente a vida desaparece, mas ressurge alguns bilhões de anos mais tarde e de uma forma bem mais consistente e estável. Este fato deveria ser melhor observado, para procurar vida em outras estrelas.
    Quanto ao fato da Via Láctea ter as mesmas proporções de Andrômeda, discordo: enquanto Andrômeda tem um diâmetro de 220 mil Anos-Luz, nossa galáxia tem um diâmetro de 110 mil Anos-Luz aproximadamente e naturalmente a massa de Andrômeda é bem maior que a da nossa Galáxia.

    • Bruno:

      Faz sentido, mas a rasão da densidade não depende só do volume.

  • josemar silva dos santos:

    O TODO PODEROSO, sabe o que faz!e com certeza deve haver um planeta de reserva prá nós em andromeda nas mesmas coordenadas da nossa posição na via lactea, só nos resta descobrir como viajar no espaço tempo e chegar até lá.

    • goulart:

      o senhor? ‘-‘ sonha

    • Matheus:

      se mais gente conhecesse o espiritismo não teria mais esse “mistério” todo.

    • Cesar:

      E por que? Espiritismo é uma religião, e cheia de ficção, como a de que existe uma raça humana em órbita de uma estrela chamada Capella, ou que existem seres vivos em Marte (depois que descobriram que Marte é desértico, e sem vida metazoária, inventaram que é vida “em outro plano”).

      O dia que o Espiritismo substituir a ciência será um dia terrível para a humanidade. Será o triunfo da superstição sobre o ceticismo e o conhecimento.

    • Ozzy Osbourne:

      espiritismo não é, e nunca vai ser uma religião, é uma doutrina, existe uma grande diferença, indico ao amigo estudar essas duas palavras que vais entender a diferença, e ao mesmo tempo que existem pessoas cegas pela religiao , existem pessoas cegas pela ciencia, a ciencia NUNCA vai ter o conhecimento absoluto de tudo!!!

    • Lulu:

      Senhor dos anéis?

    • Matheus:

      reserva?pra que?

    • Bruno:

      Arrebatamento?

  • haha:

    Galáxia rival?

    • Jonatas:

      Elas não se dão muito bem…

    • Cesar:

      Na verdade estão em vias de fusão, mas são rivais por que estão disputando o título de “maior galáxia do grupo local”.

    • Jonatas:

      É, mas a vantagem de Andrômeda é evidente. As duas são mesmo os eixos de massa do Grupo local, todas as outras são satélites delas, ou de uma ou da outra. Acho que no GLG tem só três espirais, A Via, Andrômeda e M33 Triângulo, apesar da Grande Nuvem de Magalhães me parecer uma mestiça espiral-irregular, mas não sei se existe tal classificação, você me saberia esclarecer essa dúvida?

  • Jonatas:

    A Terra fica na zona habitável de uma estrela relativamente estável, tem um satélite natural grande que dinamizou os ciclos oceânicos e atmosféricos e o Sistema Solar tem um gigante gasoso que mantém asteróides e cometas sob seu controle atuando como nosso grande guarda-costas espacial. Essa região da Via Láctea é tranquila de se viver e a própria galáxia, como diz a reportagem, é estável e tranquila. Isso é que é acertar na loteria cósmica.

    • Rafael Andrette:

      Essa loteria fica mais interessante se levarmos em consideração outros fatores.

      Astrônomos de exoplanetas alegam que planetas rochosos de até 5 vezes a massa terrestre são mais indicados para a vida, pela maior atividade geológica que permite a distribuição de gases atmosféricos. Esse mesmo fator (maior gravidade) limitaria a possibilidade de seres bípedes com membros capazes de manipular tecnologia e ferramentas, pois a gravidade intensa favoreceria seres quadrupedes ou mesmo rastejantes.

      Por outro lado, o espectro branco da cor do Sol otimiza a fotossíntese na no espectro de luz vermelha e azul. Essa combinação permite maior eficiência da vida autotrófica, porem esta limitado a menos de 8% das estrelas na Galáxia.

    • Raphael Rosa:

      Por isso não acredito em coincidências, não acredito no acaso… São imensos (leia-se IMENSOS) fatores complexos atrás de cada evento único para então, termos uma vida e, inúmeras outras espécies de vidas também, das mais variadas e ricas, num simples ‘planetinha azul’.

      Que isto não seja por ofensa. Nunca foi e nunca será minha intenção.

      Abraços e parabéns ao Blog! =)

    • Bruno:

      Que emoção. Mas se não fossemos evoluídos com hoje, seríamos comida de predadores. Se for para morrer como se não fosse nada, como diz Luan Santana, que se dane o mundo não to nem ai.

    • Chicxulub:

      O outro Luan, o Galani, responsável pela matéria, vai deletar seu comentário Bruno, cuidado!!! Ele entusiasta da Teoria M, apaixonado por Música Erudita e Mozart, e você falando em Luan Santana????

Deixe seu comentário!