As pessoas bocejam mais no inverno

Por , em 3.10.2011

Um novo estudo descobriu que o bocejo pode ser mais do que um sinal de sonolência ou tédio; poderia ser uma forma do cérebro se refrescar.

De acordo com essa teoria, bocejar compensa porque ajuda a controlar a temperatura do seu cérebro para que você pensar mais claramente.

Os pesquisadores também notaram variações sazonais na frequência de bocejos. As pessoas parecem bocejar com mais frequência no inverno, depois de passar longos períodos de tempo num ambiente frio, do que no calor do verão.

“As pessoas são menos propensas a bocejar quando as temperaturas do ar em torno excedem a temperatura do corpo, porque inspirar profundamente um ar mais quente do que seu próprio corpo não iria resultar em refrigeração”, explica Andrew Gallup, principal autor da pesquisa.

O estudo foi realizado em Tucson, Arizona, que tem um clima onde o termômetro rotineiramente excede a temperatura do corpo humano de 37 graus Celsius.

Os pesquisadores compararam as taxas de bocejo em 80 pessoas que estavam no exterior de suas casas, em “condições de inverno”, em Tucson, o que significa temperaturas mais amenas e umidade um pouco maior, com 80 pessoas em “início do verão”, que tem um clima mais quente e umidade relativamente baixa.

Os pesquisadores pediram a pessoas andando na rua para concluir um inquérito sobre bocejo contagioso. O questionário incluiu 20 fotos de pessoas bocejando, e tinha perguntas sobre quanto tempo os participantes estavam fora de casa antes do inquérito, quanto eles dormiram na noite anterior, e quantas vezes eles bocejaram durante o experimento.

As pessoas bocejam por duas razões principais: espontaneamente, por causa de fadiga, estresse, mudanças na atividade física ou mental, seguindo um ritmo circadiano no relógio interno do corpo.

Bocejar também pode ser socialmente contagioso. Ver, ouvir, ler ou pensar sobre o bocejo pode fazer com que você boceje.

Além disso, bocejar durante a descolagem e a aterragem de aviões é um truque útil para “desentupir” os ouvidos, já que voar provoca mudanças de pressão de ar.

Os cientistas descobriram que, durante o inverno, quase a metade dos participantes do estudo relatou bocejos durante o experimento, em comparação com cerca de um quarto no verão.

Bocejar também parecia estar ligado à quantidade de tempo passado ao ar livre e exposição a essas condições climáticas.

Gallup explica que o bocejo pode agir como um radiador de carro, através da remoção de sangue que está muito quente do cérebro, enquanto introduz sangue mais frio dos pulmões, bem como braços e pernas. Assim como um motor superaquecido, um cérebro superaquecido não funciona bem.

“Bocejar promove a atenção e eficiência mental através do restabelecimento da temperatura ideal do cérebro”, aponta Gallup. “Por isso, deve ser considerado um elogio, em vez de um insulto”.

Então, tudo bem se você bocejou lendo esse artigo. Tá com o cérebro funcionando melhor?[MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

4 comentários

  • Troll:

    Modo hibernação activado!

  • Wolf:

    to bocejando mais do q lendo,UAAAAAH.

  • Eufrásio Luiz dos Santos Filho:

    Gostei e concordo com o teor da matéria, pois após ter sido instalados aparelhos de splits em nosso escritório, passei a sentir mais frio e fiquei bocejando com muita frequência, algo que não ocorreria quando a refrigeração era feita por aparelho de ra condicionados antigos.

  • Miguel:

    Se bocejo mais no Verão ou no Inverno não sei, mas costumo bocejar muito na 1ª aula do dia…

Deixe seu comentário!