Ateus buscam apoio na ciência durante momentos de estresse

Por , em 11.06.2013

Já foi demonstrado que a fé religiosa pode ajudar as pessoas a lidar com o estresse e a ansiedade, dando a elas uma sensação de controle em momentos de incertezas. Aparentemente, a “crença” na ciência e uma abordagem racionalista pode fazer o mesmo para as pessoas não religiosas.

Para entender como uma pessoa não religiosa lida com estresse e incerteza, uma equipe de psicólogos da Universidade de Oxford (Reino Unido), liderados pelo professor Miguel Farias, procurou uma área da atividade humana cheia desses elementos: uma competição esportiva. No caso, uma competição de barcos a remo.

Pouco antes da competição, 52 remadores receberam um questionário sobre a “crença na ciência” e, para comparar, um grupo de remadores que estava começando um treino recebeu o mesmo teste. O teste pedia para eles darem uma nota sobre sua concordância com frases como “a ciência é a parte mais valiosa da cultura humana”, além de informar qual seu nível de estresse e qual o grau de sua crença religiosa.

O resultado do teste mostrou que remadores prestes a competir dão uma nota 14% maior à sua crença na ciência do que os que estavam apenas treinando. Mas o trabalho tem suas limitações – ele não mediu se os níveis de estresse baixaram e se os participantes, atletas competitivos que seguem um regime de treinamento racional, provavelmente já tinham uma mentalidade mais racionalista.

Entretanto, o resultado vem se somar a um conjunto crescente de evidências psicológicas que as pessoas buscam conforto em tempos difíceis aproximando-se de certos aspectos de sua visão de mundo – pessoas conservadoras se tornam mais conservadoras, por exemplo, liberais ficam mais liberais, e religiosos ficam mais devotos.

A visão racionalista teria a mesma função, segundo Farias. “Qualquer tipo de sistema de crenças que lhe ajude a estruturar sua percepção da realidade vai permitir que você pense o universo de uma forma significativa particular”, comenta.

O próximo passado dos pesquisadores é realizar estudos com cientistas religiosos, para ver como os dois sistemas de crença interagem em resposta ao estresse. [New Scientist, Journal of Experimental Social Psychology]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

14 comentários

  • Louva Dio:

    As amarras são feitas de conhecimento intelectual. É esse conhecimento que abrilhanta o ego prendendo a mente cada vez mais à relatividade. Evolução é despojamento total. Por acaso os astros do
    universo estão suspensos em algo? Os astros não podem ser sem este “nada”, mas o nada continua sem os astros, pois antes do primeiro astro aparecer ele já era. Não te ocorreu ainda que só o “nada” pode ser pleno e que tudo que existe é limite, peso, dor e conseqüente inevitável perda? Não te ocorreu ainda que tudo que vem se vai, que não há nada que seja adquirido e que um dia não seja perdido? O conhecimento intelectual é uma ilusão de conhecimento, e a ilusão em seu próprio surgimento já não é – é ilusão. Só o que é permanece, depois que tudo passa… e tudo passa. Despertar é sair do sonho e não investigá-lo. Isso dá mais vida a ele. O eu é que deve ser investigado, no silêncio do próprio coração, sem informação, sem guia, sem salvador, sem instrutor, sem nada. Afinal, cada um só vem mesmo de si. Tudo passa, alegrias e tristezas, conquistas e derrotas, e cada um volta a ser o que é simplesmente, sempre. Abraço e desculpe pois não tive tempo para ser mais breve…

    • PHAS:

      “As amarras são feitas de conhecimento intelectual.”

      Se houvesse um TOP 10 frases mais estúpidas no hypesciense. Essa é certo que pegava um TOP 3, no mínimo…

  • Louva Dio:

    Se Deus tem mente ele é uma mentira como nós.

    A palavra é óbvia e simples: DEUS = D+EU+S. Veja o EU no centro da palavra.

    Deus é eu. Veja em vc, lá no seu eu mais intimo, se existe alguma coisa. Então Deus não existe. Vc só sabe que vc só é e não consegue deixar de ser. As outras coisas vêm depois, inventadas pela mente. Uma pessoa, uma mulher, uma profissional, um religioso, um cientista, uma mãe, tudo isso é mentira. São as chamadas criações. Tudo pode vir a ser, ou seja, vir a estar, mas jamais permanecerá, só vc é. Veja que nada permanece, só vc. Em sono profundo vc desaparece; isso é Deus. A mente não conhecerá isso nesse sonho de agora nem no sonho dormindo.

    Acho gozado um ateu negar a existência de Deus como se ele soubesse do que está falando. Se ele sabe o que é, a ponto de negar, então Deus existe; de uma forma ou de outra. O que não existe não pode ser negado nem afirmado; como vai se negar o que não existe? Não existe!

    Outra coisa que é interessante lembrar é o repúdio dos evangélicos e muitos cientistas com relação à reencarnação. Com o apego férreo deles à idéia pessoal de si mesmos, a ponto de manterem em sua rede hipnótica a existência de um Deus pessoal vivo, todos reencarnarão, acreditando ou não. O que cria os apegos que fazem reencarnar é a crença absoluta na idéia que vc faz de si mesmo como uma pessoa separada do resto das outras coisas todas.

    Acontece que a crença humana inventou um Deus através do culto de indivíduos que mais se destacaram na espécie. Indivíduos que morreram e continuaram vivos no plano espiritual, na mente, na lembrança, na memória. Foram indivíduos cuja mente se desenvolveu mais em vida e por comparação imaginam que tenha um que é mais que os outros. Esse Deus judaico-cristão é uma entidade espiritual andrógina, ele existe sim. Jeová, o Deus bíblico e na realidade é um daemon, se for visto pelo ponto de vista religioso mais profundo. Ele defende os interesses de quem está com ele. Mas isso tudo é mundo mental, não existe absolutamente. Fora da mente nada existe, é o sono profundo e isso não se cogita em pensamentos.

    Só o silêncio soluciona.

    O que soluciona verdadeiramente as questões, os pensamentos, é parar de pensar.

    Por isso os sábios são quietos e quanto mais sábio o sábio, mais silencioso ele é.

    • João Pedro:

      Claro, e o deus dos americanos é “oo”. Cada um tem o deus que merece.

    • kid redman:

      João Pedro, o dos americanos então deve ser “o”, porque com 2 “oo” é good (bom).
      Deus é com 1 “o” só, tá bom ?

    • Fatima Santana:

      Crendo que a fase na qual me encontro seja de abstração,em meio a tanta confusão???? arrisco -me em dizer que, faz sentido.

  • Jonatas:

    Ciencia eu busco o tempo todo. Em momentos de stresse busco uma xícara de café, se não funcionar mudo, pego um suco… se mesmo assim não rolar… cerveja. 🙂

    • kid redman:

      Combater estresse com café me soa um pouco estranho… vai melhor contra sono. E o suquinho ou a cerveja no caso de sede… entretanto, quando pensei em situação de estresse, pensei em algo mais “heavy metal” do que falar de Deus… algo “punk” mesmo, pra caber um auxílio psicológico um tanto o quanto mais forte… algo como a perda de um membro ou uma doença muito grave… enfim, nada que se combata com amenidades.
      Se o bicho pegar mesmo, se o mundo cair em cima da cabeça do cientista agnóstico e pragmático, onde será que ele vai buscar alento ? Sei que há prova da existência de mãe, por exemplo – eu até apelaria – mas no caso ela não vale !
      Sempre tive essa curiosidade…

    • kid redman:

      (e o palhaço acaba de botar fogo no circo…rsrsrs)

      Porra, Jonatas ! Já estava com saudade de vc, cara ! Andou sumido.

      Deixo aqui meu abraço.

    • PHAS:

      Com todo respeito à individualidade, considero uma péssima ideia um cérebro estressado receber uma xícara de estimulante (café).

    • Jonatas:

      Realmente não sei o que ocorre na questão bioquímica, mas o estímulo do café desperta meu foco e diminui meu stress, talvez esteja relacionado com a concentração, ou simplesmente placebo, :D.

  • Genioso Irreligioso:

    Pelo menos a ciência existe… quanto a deus; há controvérsias =]

    • Naldo Soares:

      Sempre que me perguntam você acredita em Deus eu respondo: Creio somente na evolução e seleção natural.

  • leo2505:

    “Ateus buscam apoio na ciência durante momentos de estresse”… Sintéticos sempre tem um efeito colateral mais pesado, prefiro as naturais kkkkkkkkkkkk

Deixe seu comentário!