Buraco negro massivo da nossa galáxia emitiu uma luz fortíssima

Por , em 13.08.2019

O buraco negro supermassivo Sagittarius A*, que fica no centro da Via Láctea, normalmente é bastante inativo, sem emitir luz e calor para o espaço ao seu redor. Mas recentemente astrônomos o flagraram tendo um ataque de luz, repentinamente emitindo 75% mais luz do que seu nível normal.

Esse buraco negro nunca emitiu tanta luz assim. “No início fiquei muito surpreso e depois empolgado”, afirmou ao ScienceAlert o astrônomo Tuan Do, da Universidade da Califórnia em Los Angeles.

“O buraco negro era tão brilhante que primeiro eu o confundi com a estrela S0-2, porque eu nunca havia visto a Sagittarius A* tão brilhante assim. Mas depois das próximas imagens ficou claro que a fonte variava e que tinha que ser um buraco negro. Eu sabia quase imediatamente que tinha algo interessante acontecendo no buraco negro”, relata ele.

Agora os cientistas querem saber exatamente o que está acontecendo com ele. Os resultados reunidos até agora foram publicados em The Astrophysical Journal Letters.

O astrônomo Do e sua equipe usaram o WM Keck Observatory no Havaí (EUA) por quatro noites no início de 2019. O brilho intenso foi registrado no dia 13 de maio, e a equipe conseguiu registrar este brilho em um timelapse, em que 150 minutos foram comprimidos em poucos segundos.

O brilho branco que podemos ver nas imagens é poeira e gás girando ao redor do Sagittarius A*. Os buracos negros em si não emitem nenhuma luz que pode ser detectada pelos instrumentos que existem atualmente, mas tudo ao redor deles emite luz quando as forças gravitacionais geram uma fricção enorme.

É essa fricção que emite a luz que podemos ver da Terra com a ajuda de telescópios infravermelho.

Normalmente a luz emitida por este buraco negro é fraca e pulsa como a luz de uma pequena vela. Mas este comportamento atípico indica que alguma coisa deve ter invadido o ponto de não-retorno do Sagittarius A* e foi agarrado por sua gravidade.

A primeira imagem registrada é a mais brilhante de todas, o que indica que o buraco negro pode ter gerado ainda mais luz antes do início da observação. Mas nenhum astrônomo estava ciente de que havia alguma coisa se aproximando do buraco.

Os pesquisadores estão tentando descobrir qual objeto foi puxado para o buraco. Eles acreditam que há dois fortes candidatos: a nuvem de gás G2 ou a estrela S0-2.

A nuvem de gás G2 passou a 36 anos-luz do buraco negro em 2014. É possível que a explosão de luz registrada em 2019 seja uma reação tardia ao esbarrão da nuvem. Já a estrela S0-2 passou em 2018 a 17 anos-luz do buraco negro, e pode ter alterado a forma que gases entram no buraco.

Do e sua equipe estão aguardando para comparar os dados coletados por vários outros observatórios do mundo, para então chegar a uma conclusão final sobre a causa do recente espetáculo do Sagittarius A*. “Estou aguardando os resultados ansiosamente”, diz Do. [ScienceAlert, Variabilidade sem precedente do Sgr A* em NIR]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (18 votos, média: 4,67 de 5)

Deixe seu comentário!