Caracol usa bioluminescência como mecanismo de defesa

Por , em 4.01.2011

Recentemente, um caracol do mar pouco conhecido que lança um misterioso brilho de flashes de luz bioluminescentes intrigou cientistas do mundo todo. Agora, dois pesquisadores americanos apresentam os primeiros detalhes descobertos sobre o animal.

A espécie, Hinea brasiliana, é um pequeno caracol marinho tipicamente encontrado em grupos em costas rochosas. Esses caramujos ficaram conhecidos por produzir uma luz. Porém, os pesquisadores descobriram que em vez de emitir um feixe de luz focalizado, o animal usa sua concha para espalhar uma luz bioluminescente verde brilhante em todas as direções.

Segundo os cientistas, os flashes luminosos podem ser um mecanismo para afastar potenciais predadores, já que a luz bioluminescente difunde-se para criar uma ilusão de um animal maior.

Em experimentos conduzidos em laboratório, os pesquisadores compararam o brilho do H. brasiliana ao disparo de um alarme. O caramujo o emitiu quando foi confrontado por um caranguejo ameaçador ou um camarão que nadava nas proximidades.

Segundo os cientistas, é raro para qualquer caracol que viva no fundo produzir bioluminescência. Eles consideram surpreendente que esse caramujo ainda tenha uma concha que maximiza esse sinal de modo eficiente.

Descobrir como o caracol espalha sua luz foi especialmente uma surpresa porque esta espécie tem conchas amareladas opacas que parecem sufocar a transmissão de luz. Mas, na verdade, quando o caracol produz a bioluminescência verde de seu corpo, a concha funciona como um mecanismo para especificamente dispersar apenas essa cor.

Essas adaptações são de interesse na pesquisa de ótica e bioengenharia, e para desenvolvimento de indústrias. A capacidade de difusão da luz deste caracol é muito maior do que o material de referência comparativo.

O próximo passo do estudo é entender o que faz com que a concha tenha essa capacidade, o que pode ser importante para a construção de materiais com melhor desempenho ótico. [ScienceDaily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • HILQUIAS:

    EU QUERIA UNS DESSES E MEU AQUARIO!

  • ricardo:

    Especie de veras magnifica e de tamanho interesse a nivel do desenvolvimento cientifico-tecnologico do mundo, conhecimento do mesmo a todos os niveis e tambem de riquissimo interesse ao desenvolvimento intelectual do ser humano como ser racional, curioso e eternamente insatisfeito, nas palavas de Fernando Pessoa:”…Um Contentamento descontente…”, expressao utilizada para tentar defenir os sentimentos mais profundos do nosso ser, o “Ser Humano”, é a ânsia intrinseca em nós e nesses sentimentos puros, desde a origem até ao fadado fim de vida (Suspiro divino). Mas à partes, à parte, do que eu estou curioso e gostaria de saber é: O quao intensso podera ser esse foco? e A que distancias podera ser preceptivel? (isto por individuo/creatura, como é obvio!) Ja agora, se um destes animais, ou mais, mas pensando no singular, se um destes animais se encontrasse num qualquer rio essa emissao de luz fluorescente seria preceptivel à superficie? e mais uma vez, a que distancias? Gostaria de voltar e ver esclarecidas as minhas questoes!… Muito obrigado e continuem com este site, nao deixem que um local com tanta materia de interesse e tanto potencial no ambito da cultura geral, se perca! ADOREI DESCOBRIR ESTE SITE. Até JÁ Mundo!;]

  • edson:

    Se por acaso ele tivesse sido encontrado nos rios canadenses poderiamos dizer que estaria contaminado com o produto que jogaram no rio para deixar a agua verde fluorescente.

  • paulo:

    O ser humano também fica rosado de vergonha, pálido de medo….

  • Altair:

    A evolução é um mecanismo de maximização(ou minimização) do ponto de vista matemático,isso explica o desempenho ótimo de estruturas biológicas.

  • Cesar:

    Thabita, quem sabe o suficiente, sabe que não precisa de deus nenhum para explicar a bioluminescência do caracol, a evolução é um mecanismo elegante e simples, que explica o surgimento desta e de outras características. É tudo o resultado de mutação aleatória e seleção natural.

    Claro que isto não significa que deuses não existam. Só que não precisamos deles para explicar a natureza. Não somos tão atrasados e retardados a ponto de achar que o raio é a ira divina, somos?

  • x:

    Faltou dizer em que região do mundo ele é encontrado. Sera que o nome tem algo a ver com o nosso pais?

  • Thabita Aroeira:

    Interessante é a gente ainda pensar que pode não existir Deus, com uma coisa dessas, que contraria todas as expectativas dos cientistas. Intrigante.

  • Anderson Aroeira:

    Interessante é o nome do animal.
    Hinea “brasiliana”

Deixe seu comentário!