Carro eólico é mais rápido que o próprio vento! Clique e conheça

O nome da fera é DWFTTW (Down Wind Faster Than The Wind, sigla em inglês para “corrente de vento mais rápida do que o vento”), e seu combustível nada mais é o do que o ar em movimento. Ultra-leve e extremamente aerodinâmico, o carrinho consegue atingir velocidades superiores a 80 km/h com a propulsão de ventos de apenas de 30 km/h.

Carro eólico é mais rádio que o vento!

O segredo: um complexo sistema no qual as rodas movem a hélice assim como a hélice move as rodas. Exatamente: é uma impulsão retroativa: a hélice, cujas pás têm quase 3m de comprimento, colocam o carrinho em movimento, e quando isso acontece, as rodas é que produzem tração para mover a hélice e acelerar o pequeno veículo.

O carrinho é produzido por um grupo de cientistas amadores que colocam o resultado de seus experimentos à disposição na Internet. Vale conferir! [Gizmodo]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

9 respostas para “Carro eólico é mais rápido que o próprio vento! Clique e conheça”

  1. Traduzi o que está no blog:

    Para ser simples:

    Energia Propulsora = Velocidade do Ar X Impulsão da Hélice

    Energia da Roda = Velocidade do Solo X Resistência da Roda

    Assim, como pode a Energia Propulsora ser inferior à Energia da Roda, mesmo que a Impulsão da Hélice seja maior que a Resistência da Roda?

    Simples! A Velocidade do Ar deve ser menor que a Velocidade do Solo. Pense a respeito.

  2. Ultra-leve pode ser, mas extremamente aerodinâmico tenho minhas dúvidas.
    Ja vi na praia alguma coisa semelhante a isso.Não tinha essas hélices e sim uma simples vela como uma jangada com rodas.
    Acho que era mais eficiente pois andava em qualquer sentido, e não como asse que só vai para a frente com vento contrario.
    Com vento lateral certamente essa “trapisonga” capota.

  3. Não faz muito sentido… Basicamente o trabalho gerado pelas pás é transmitido à roda para fazer o carro andar… Mas diz que depois de o carro estar em movimento, a roda retransmite trabalho para as pás… ou seja, parte do trabalho que estaria disponível na roda é gasto para girar as pás… O que me parece bem improvável, pois caso parte do trabalho fosse utilizado para girar as pás, o carro perderia velocidade… O que poderia estar acontecendo, ao meu ver, é a existência de uma redução que torna o carro mais rápido q o vendo, por isso um cata-vento tão grande…
    To vendo q vou ter q ler o blog do projeto ¬¬’
    Mas como disse nosso amigo michel, da forma como está escrito aqui, é um moto perpétuo, ou seja, impossível!!

  4. Muito interessante! Me pergunto se algum dia vão combinar essa tecnologia com a energia solar/elétrica (talvez para ter algum tipo de propulsão) pra fabricar os novos carros… Seria um carro não poluente ideal.

Deixe uma resposta