Carros robóticos podem triplicar capacidade das estradas

Por , em 9.09.2012

O estudo foi feito nos EUA, mas não há razão para não pensarmos que o mesmo se daria no Brasil: segundo o Institute of Electrical and Electronic Engineers (IEEE, Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos), as rodovias americanas existentes poderiam suportar quase o triplo – 273% mais carros – de sua capacidade se todos os carros fossem automáticos e se comunicassem.

Carros totalmente automáticos – “sem motoristas” – não são exatamente novidade. A Google, por exemplo, é uma empresa que vem trabalhando desde 2010 no Google Driveless Car, que consegue operar completamente por conta própria. O sistema automotivo conta com câmeras, sensores de rádio, laser e mapas por satélite que permitem que ele saiba quando o sinal está vermelho, quando há pedestres por perto, a distância até uma curva, e qualquer outra situação que se pode enfrentar ao dirigir.

A tecnologia de intercomunicação automatizada também vem sendo testada. Via Wi-Fi, ela permite que os carros “conversem” entre si quando se aproximam uns dos outros, de forma totalmente automática. A comunicação veículo a veículo ou veículo infraestrutura fornece informações como posição, velocidade e direção que os veículos estão trafegando. Assim, se um deles está em risco de colisão, por exemplo, o motorista é alertado por meio de sinais sonoros ou visuais no painel do carro.

Tudo isso evitaria muitos dos acidentes de carros que acontecem anualmente por todo o mundo. E melhoraria o trânsito. Se todos os veículos dos EUA se comunicassem e usassem frenagem automatizada, por exemplo, os espaços entre os carros seriam menores, já que sistemas de autocondução são capazes de reagir muito mais rapidamente do que condutores humanos, então não precisam manter tanta distância uns dos outros.

Esse espaço entre os carros poderia ser tão drasticamente reduzido que, só nos EUA, a capacidade das rodovias quase triplicaria (273%). Segundo o Programa PATH da Califórnia, nós somos tão ruins em gerenciar esse espaço, que hoje, em estradas em plena capacidade, os veículos ocupam apenas 5% do espaço da estrada.

Ah, então, para melhorar as estradas, só falta todos os carros se tornarem robôs. Vai demorar, hein?! De fato, vai demorar. Primeiro porque ainda não existe nenhum carro totalmente automatizado. Depois, quando eles se tornarem comercializáveis, vai levar um tempo para que todos os carros existentes sejam substituídos por carros robóticos.

Mas não pense também que esse sonho está muito longe da realidade. Como dissemos, grandes testes com a nova tecnologia já estão sendo feitos, e os EUA podem ganhar seu primeiro modelo dentro de alguns anos. Daí, não demora para a novidade chegar aqui.[LiveScience, InovacaoTecnologia, IEEE]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Bruno Rosa:

    Tá demorando pra chegar num futuro desses, há outra consequência… Não precisaríamos de um cara para cada pessoa.

    Cada família precisaria de apenas um carro, tendo em vista que ele pode ir e voltar para buscar o próximo passageiro, melhorando ainda o número de vagas nas ruas. Seria maravilhoso! 🙂

  • Cesar Grossmann:

    Rodovias especiais com carros robóticos de aluguel. Economiza tempo e combustível (dá para otimizar frenagens e acelerações, que são os momentos que o carro mais consome combustível) e fazer com que um carro comum tenha o mesmo rendimento de um carro flex de alto rendimento. Ou quase…

Deixe seu comentário!