Cavalo pintor: obras pintadas pelo animal estão em exposição em Barcelona

Por , em 5.06.2011

Sim, cavalos pintam. Pelo menos um. Napoleão (tradução livre de “Napoleon”), um garanhão holandês da raça Friesian, desenvolveu um talento para a pintura quando começou a trabalhar com o artista Sergio Caballero.

Agora, acredite ou não, seu trabalho está em exposição na galeria de arte Mutt, em Barcelona, Espanha.

A raça holandesa Friesian é famosa por ser sensível ao adestramento, mas duvido que alguém achou que fosse possível ensinar um cavalo a pintar.

O catalão Sergio Caballero é uma dessas raras pessoas. Um dia, ele teve a ideia de trabalhar com “animais pintores”, e perguntou a um amigo, dono de cavalos, se poderia ensinar um a pintar. Daí surgiu sua amizade com o garanhão preto, Napoleão.

Os dois começaram a trabalhar juntos: Sergio preparava as telas e colocava os pincéis na boca de Napoleão, e o cavalo abanava a cabeça, criando pinceladas ousadas de cores acrílicas. Não parece ser o resultado de uma mente complexa, ainda assim o artista chama as obras do cavalo de expressionismo abstrato.

Se você não caiu nessa, tem gente que fez mais do que isso: três colecionadores já compraram obras de Napoleão por valores entre 3.300 e 6.000 euros (aproximadamente 7.550 e 13.740 reais).[OddityCentral]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

13 comentários

  • Robermar Vieira:

    Penso que valha a pena pela experiência, independente, do valor artístico da obra realizada pelo animal.

  • Milena Karla:

    Temos que combinar que um cavalo que pinta é inusitado e diferente né? Além do mais até que ele pinta bem.A pintura do cavalo é arte moderna e deve sim ser apreciada.
    Quem fala mal é porque não pode fazer melhor e não conhece o que é a Arte de pintar.

  • Apple:

    Gente, ok, o cavalo não sabe o que esta fazendo e blá blá blá, e eu não pagaria para ter um negocio desses. Mas cá entre nós, é fofinho KKKKKKKKKK

  • Darwin Ponge-Schmidt:

    Arte, por definição, só é arte quando há a intenção de criar arte. Aquele cavalo nem sabe o quê é pincel. Não é arte, é instinto, é falta do que fazer.

  • Lucas Miranda:

    palhaçada viu!

  • André:

    eu não me conformo que existam pessoas que paguem por um negocio desses

  • DarkDenis:

    Eu faço Artes Visuais, e o trabalho do “adestrador” pode ser considerado arte contemporanea, onde a ideia de arte pode ser tbm uma ação efêmera para resumir.

    O q me chamou atenção foi isso:
    “Não parece ser o resultado de uma mente complexa, ainda assim o artista chama as obras do cavalo de expressionismo abstrato.”

    expressionismo abstrato eh um movimento q se caracteriza pela não-escolha do artista, podendo assumir um carater de pintura mais aleatoria, ao ACASO.

    conheçam Jackson Pollock antes de dizer q nao eh resultado de uma mente complexa.

    Acho inacreditavel a falta de imparcialidade q esses estudantes de jornalismo tem sem ao menos saber do que se trata com clareza.

    Palmas para o cavalo. Pode ter certeza que nao eh qualquer animal que consegue fixar o pincel na boca e movimentar o pescoço em troca de pinceladas gestuais.

    E meu caro rodolfo, lamento desapontar-lhe, mas isso nao eh a pior coisa q vc vai ver ser chamada de arte. eu estou na academia e tem coisas simplesmente deprimentes sendo chamadas assim… procure Merda do Artista se quiser um exemplo.

    • rodolfo:

      darkdenis, nao estou desapontado. sei muito bem o que ronda pelo mundo das belas artes, tenho um conhecimento ‘modestamente’ amplo sobre a historia da arte. apenas não quis me algongar.
      quanto a Pollock, ele ainda podia escolher as cores que seriam impressas na tela, por mais que ele buscasse o acaso, como vc diz, ainda precisava optar, ainda que em nivel subconsciente, precisava decidir entre uma e outra coisa.
      só eu ou vc tambem notou o constrangimento do adestrador? parece dizer ‘a quem estou enganando?’
      pelo visto, a muitos, parabens ao adestrador.

  • terraqueo:

    rodolfo voce leu direito a porra da reportagem…cara leia direito antes de argumentar…é obvio q é adestrado…ou voce acha que um cavalo nasceu…e resolveu pintar…balança a cabeça pra pintar ele mal sabe oque ta fazendo.. e o desenho que sai o adestrador fez comparação com expressionismo o zé mane…. se é ou não show circense e daiiiiiii…
    seu ze ruela….

    • rodolfo:

      calminha alma minha. vou ter que ensinar sarcasmo agora?

  • gloria:

    Dos humanos pode-se esperar tudo!Ñ me surpreenderei nem um pouco se no futuro essas telas do cavalo pintor tiverem o mesmo valor das obras de Da Vinte, os humanos ricos são ums hipócritas idiotas!Dinheiro compra tudo,até inteligencia onde ñ tem!

  • rodolfo:

    a arte ali exposta é apenas do adestrador que treinou o cavalo como instrumento para criar pinceladas aleatorias sobre uma tela já pintada. nao é o cavalo que mistura as tintas, nao é o cavalo que escolhe o fundo e a sobreposição de tons ou gira a tela para escolher a área que será pintada. nao vi em nenhum momento o cavalo optar (um artista que não decide absolutamente sobre sua propria arte?). então tanto faz se o adestrador tivesse usado um cavalo, um elefante, macaco ou um robô. se isso é arte, é no maximo a arte do adestramento. um show circense e não uma sessão de pintura. mas como a arte no ultimo seculo vive de espetaculo, faz todo sentido que as telas sejam expostas em museu.

    • Erto:

      O pior de tudo isso é supervalorizar, financeiramente, algo tão bizarro e sem graça.
      Não em nenhum momento o cavalo atuando como artista, muito diferente do que já vi com um macaco e um elefante, em que se coloca os pinceis e a paleta ao lado e eles decidiam qual pincel, qual tinta e o que pintar.
      Essa do cavalo foi apelação.

Deixe seu comentário!